Blogue

12-12-2013 00:06

Vinte e quatro horas sem acesso ao meu desabafo

conseguiu dar comigo em louca,

quando não escrevo já não sei o que faço

para tudo o resto, a vontade é pouca.

Finalmente consegui aceder,

vir aqui deixar umas palavras,

mais logo muito terei para escrever,

hoje as ocasiões tornaram-se vagas.

Tive alguns contratempos

que não sei como vou resolver,

mas de nada vale entrar em lamentos,

vou apenas tentar perceber.

Dar voltas e mais voltas,

até chegar às soluções,

não gosto de pontas soltas,

nem de depender de situações.

Não consegui falar,

não consegui uma palavra de retorno,

não sei como faturar,

como evitar este transtorno.

Quando tudo corre bem,

há sempre algo para destabilizar,

se eu não tenho ninguém

como vou conseguir superar?

Perguntas que me invadem,

não tenho respostas à vista,

pode ser que um dia acabem

as situações imprevistas.

Hoje precisava de um ombro,

de um abraço apertado,

não vou sofrer mais um rombo

esse tempo já foi esgotado...

(Mafalda)

10-12-2013 23:21

Ausência

prudência,

abstinência,

insolvência.

Silêncio,

benefício,

auspício,

desperdício.

Receio,

bloqueio,

incendeio,

devaneio.

Estranheza,

afoiteza,

fraqueza,

incerteza...

(Mafalda)

10-12-2013 20:52

Subtil...

é a relação humana,

gentil,

desde que longe da cama.

Jogam-se os dados

apresentam-se pensamentos,

ficam resguardados

todos os momentos.

Carinho é uma presença

numa amizade incondicional,

mas depois vem a sentença

de que nada daquilo é real.

Sentimentos puros que se vivem,

sem qualquer segunda intenção,

situações que se declinam

em prol da pura manutenção.

Habituação perigosa,

sedução dissimulada,

emoção venenosa

que me deixa aconchegada.

Bebo do veneno que destilo

ou que se evapora à minha volta,

a sedução foge com todo o estilo

e as ideias sofrem uma reviravolta.

Tenho de trabalhar

para libertar energias,

não me querem enganar...

não vou entrar em demagogias.

(Mafalda)

10-12-2013 20:38

Vou sair...

Não queres vir comigo?

Vou-me divertir,

vou atrair o perigo.

Vou dançar...

Tens a certeza que não queres?

Não vou mais esperar

que cumpras os teu deveres.

Vou viver...

Não queres mesmo?

Não consigo mais suster

este imenso desejo.

Vou beijar...

Lembras-te do meu sabor?

Muito tempo a passar

não me dá nenhum louvor.

Vou fazer amor...

É mesmo "não" a tua resposta?

Recordar todo o ardor

ao fazer uma proposta.

Vou ser Eu...

Tens mesmo de te afastar?

Quem um dia muito me deu

acabou por me recusar...

(Mafalda)

10-12-2013 19:23

O que eu sei, tu sabes,

o que eu penso, digo,

mas não sei o que tu sabes

e o que tu pensas é um perigo.

Gostava de ser neurónio

de passear pelo teu corpo

de me transformar num anónimo

e descobrir porque deu tão torto.

Querer sempre saber mais,

querer os porquês de tudo,

projetos que não passam de ideais,

acatados por um curioso agudo.

Sou curiosa,

sempre fui, sempre serei,

sou ambiciosa

e isso nunca mudarei.

Mas ambiciono apenas o bem estar,

a felicidade, o prazer,

se vou ter de aqui ficar...

nada, nunca, vai acontecer.

Acato e respeito

nada mais posso fazer,

não há qualquer despeito,

não há qualquer perder.

Não se perde o que não se tem,

apesar de se ter vontade de ter,

as loucuras vão ficar aquém,

mas não me impedem de continuar a viver...

(Mafalda)

10-12-2013 18:47

Constrói-se tanta coisa

a partir dum simples nada,

mas falar sem que alguém me oiça

é uma atitude um tanto tresloucada.

Numa aldeia constrói-se um castelo,

mas foi edificado com areia

e de uma forma singela,

há quem não queira entrar naquela aldeia.

Não queira atravessar o caminho

com medo de consequências,

prefere ficar no seu cantinho

apesar das imensas evidências.

Não pode atravessar,

não quer atravessar,

não deve atravessar

e aí não há volta a dar.

Afasta-se suavemente

vira as costas ao castelo,

sente orgulho numa vertente

mas não gosta de pensar no flagelo.

Às vezes hesita,

pondera avançar,

mas isso seria uma desdita

muito difícil de encarar.

Gostava de estar perto da aldeia,

divertia-se com a brincadeira,

mas fugiu como uma centopeia

antes que entrasse em desgraceira.

A aldeia fica cada vez mais deserta,

vazia de riso e de cor,

o castelo não foi descoberto

apesar de lhe ser reconhecido o valor.

Foi arrastado pelas ondas

que estavam fortes e intensas,

na aldeia só ficaram as tontas

envoltas em neblinas imensas.

Estar numa aldeia sem castelo

é um pouco surreal,

quando chegar o imenso gelo

perde-se o conceito de ser "leal".

Todos precisam de um abrigo,

de um local de confiança,

alguns evitam o perigo

outros aguardam a bonança.

Medo de gostar da aldeia,

de querer lá permanecer,

é sempre uma ideia

que vou ter de amadurecer...

(Mafalda)

10-12-2013 17:07

Trabalhei muito para aqui chegar,

trilhei caminhos áridos e perigosos,

deixei de me sentir a naufragar

mérito meu, mérito vosso.

Cada pessoa que me lê,

cada amigo que me ouve,

ninguém percebe o porquê,

não há quem perceba o que houve.

Sou forte, eu sei,

da envolvência capto o que preciso,

mas só sei que fiquei

à mercê de um homem muito indeciso.

Idealizei,

fui ao charco. 

Superei,

foi um marco.

Sinto um novo ânimo

nesta vivência individual,

não vou permitir o desânimo,

seja por que motivo for, afinal.

(Mafalda)

10-12-2013 16:56

Divagar sem qualquer sentido

apenas porque me apetece fazê-lo,

sem pensar num assunto pré-definido

mostrando contudo, muito zelo.

Tenho cuidado no que digo,

não vá ferir suscetibilidades,

às vezes foge o ombro amigo

e ficamos envoltos em obscuridades.

Há dias mais cinzentos,

em que falta a luz do sol,

esperar sem lamentos

não ficar enredada no anzol.

Há dias mais deslavados,

que não fazem qualquer sentido,

imaginam-se momentos desvairados

mas permanecemos no nosso abrigo.

Temos medo,

temos muito receio,

não queremos perder tudo

por um mero devaneio.

O que escrevo não faz sentido,

nem para quem lê, nem mesmo para mim,

preciso de alguém destemido,

de quem sempre tenha vivido assim.

Na incógnita,

na escuridão,

com a simples glória

de me dar a mão.

(Mafalda)

10-12-2013 08:27
"Há duas tragédias na vida:
uma a de não satisfazermos os nossos desejos,
a outra a de os satisfazermos."
 
(Oscar Wilde)
 
09-12-2013 23:08
"Independência!
 
Liberdade!
 
Persegue estas coisas como ao teu maior amor, e agarra-te a elas como à tua maior paixão!"
 
(Augusto Branco)
 
09-12-2013 22:51
"Se você é um vencedor,
terá alguns falsos amigos
e alguns amigos verdadeiros.
Vença assim mesmo. 
 
Se você é honesto e franco,
as pessoas podem enganá-lo
Seja honesto e franco assim mesmo. 
 
O que você levou anos para construir
Alguém pode destruir de uma hora para outra.
Construa assim mesmo. 
 
Se você tem paz e é feliz,
As pessoas podem sentir inveja.
Seja feliz assim mesmo. 
 
Dê ao mundo o melhor de você,
mas isso pode nunca ser o bastante.
Dê o melhor de você assim mesmo. 
 
Veja você que, no final de tudo
Será você ... e Deus.
 
E não você ... e as pessoas!"
 
 
(Madre Tereza de Calcutá)
 
09-12-2013 12:19
"Deus pede estrita conta de meu tempo.
E eu vou do meu tempo, dar-lhe conta.
Mas, como dar, sem tempo, tanta conta
Eu, que gastei, sem conta, tanto tempo?
 
Para dar minha conta feita a tempo,
O tempo me foi dado, e não fiz conta,
Não quis, sobrando tempo, fazer conta,
Hoje, quero acertar conta, e não há tempo.
 
Oh, vós, que tendes tempo sem ter conta,
Não gasteis vosso tempo em passatempo.
Cuidai, enquanto é tempo, em vossa conta!
Pois, aqueles que, sem conta, gastam tempo,
Quando o tempo chegar, de prestar conta
Chorarão, como eu, o não ter tempo..."
 
(Frei António das Chagas)
 
09-12-2013 12:17
"Conta a lenda que dormia
 Uma Princesa encantada
 A quem só despertaria
 Um Infante, que viria
 De além do muro da estrada. 
 Ele tinha que, tentado,
 Vencer o mal e o bem,
 Antes que, já libertado,
 Deixasse o caminho errado
 Por o que à Princesa vem. 
 A Princesa Adormecida,
 Se espera, dormindo espera,
 Sonha em morte a sua vida,
 E orna-lhe a fronte esquecida,
 Verde, uma grinalda de hera. 
 Longe o Infante, esforçado,
 Sem saber que intuito tem,
 Rompe o caminho fadado,
 Ele dela é ignorado,
 Ela para ele é ninguém. 
 Mas cada um cumpre o Destino
 Ela dormindo encantada,
 Ele buscando-a sem tino
 Pelo processo divino
 Que faz existir a estrada. 
 E, se bem que seja obscuro
 Tudo pela estrada fora,
 E falso, ele vem seguro,
 E vencendo estrada e muro,
 Chega onde em sono ela mora, 
 E, inda tonto do que houvera,
 À cabeça, em maresia,
 Ergue a mão, e encontra hera,
 E vê que ele mesmo era
 A Princesa que dormia." 
 
(Fernando Pessoa)
 
09-12-2013 09:38

Olhar em volta

e achar um mote para escrever,

é o que faz estar solta

e com vontade de viver.

Olhar à distância

sem nada focar,

é o que faz a constância

de não mais me equivocar.

Olhar sem ver

sem prestar atenção,

é o que faz não sofrer

por amores de coração.

Olhar o horizonte

apreciar a sua beleza,

é o que faz atravessar a ponte

e esquecer a incerteza.

Olhar a vida

sem esperar nada,

deixa-me rendida

ao som de uma balada.

Olhar,

escutar,

tactear,

saborear...

(Mafalda)

08-12-2013 20:28

As mulheres falam demais

e assim estragam a sua vida,

sou mulher, não duvidais,

mas agora sou muito mais contida.

Digo agora,

porque houve tempos em que não fui,

saía pela boca fora

a palavra que agora aqui flui.

Aqui falo,

transcrevo os meus pensamentos,

lá fora calo

e vivo apenas os momentos.

Se imagino o que escrevo,

se tudo é realidade,

se realmente vejo

ou se é pura leviandade,

apenas eu saberei

e a mais ninguém o direi...

As mulheres falam demais,

mas os homens também,

elas sonham com momentos ideais

eles, na imaginação, ficam mais aquém.

Elas são mais corajosas,

avançam contra o mundo,

serão talvez mui ardilosas

ou darão mais valor a um sentimento profundo.

Mulheres e homens são diferentes,

na forma de estar e de sentir,

elas estão sempre presentes

eles estão sempre a partir.

Não se amarram,

não gostam de se sentir presos,

esquecem-se que acabam

sós e indefesos.

As mulheres falam demais

e assim estragam a sua vida,

sonham com idílicos finais

detestam a despedida.

Sou mulher com muito orgulho,

mas às vezes penso como um homem,

acabou o tempo de fazer barulho,

os sons só já me consomem.

Em silêncio profundo,

sem juras nem promessas,

sem um sentimento moribundo

que nos deixa às avessas.

(Mafalda)

08-12-2013 19:29

É uma enorme futilidade pensar

que o dinheiro traz felicidade,

apenas devia servir para gastar

em bens de extrema necessidade.

É futilidade comprar

tudo o que não faz falta,

apenas para mostrar

que se vive em alta.

Tantos euros desperdiçados

em banalidades surreais,

tantos seres seriam alimentados

se todos nos preocupássemos mais.

Não vivemos isolados

nem fechados numa redoma,

temos o dever de olhar para os lados

porque todos falamos o mesmo idioma.

Não digo isto por ser Natal,

o Banco Alimentar devia ser todos os meses,

que fazemos nós, afinal,

se só tivermos comer às vezes...

Este ar natalício

faz um apelo à solidariedade,

mas há tanto desperdício

que dava para alimentar uma cidade.

Todos os dias há carências,

há sempre alguém a precisar de ajuda,

viver de aparências

só faz com que uma pessoa se iluda.

Deixar de olhar para os nossos umbigos,

olhar em nosso redor,

sair dos nossos postigos

e transformar este mundo num local melhor.

Não desperdicem, 

não sejam superficiais,

por favor, interiorizem:

Somos todos iguais!

(Mafalda)

07-12-2013 20:39

Não, não tive uma recaída

com a música que antes publiquei...

Apenas sei que hoje não fui esquecida,

há um ano, por este dia ansiei.

Aquela seria a música

que tu hoje publicarias,

eu permaneço agnóstica

mas sei o que hoje sentias...

Há dias mais complicados,

tens de te habituar a isso,

é o que faz estarmos separados

e sem nenhum compromisso.

Talvez tivesses passado

por onde andamos antes,

muito terás recordado

do tempo em que éramos amantes.

Hoje era um dia desejado,

um dia pleno de amor,

se não te tivesses escudado

a sentir o seu clamor.

Sim, também não esqueço,

também eu recordo com saudade,

mas tranquila adormeço

porque vivo agora na realidade.

Será que tu também dormes,

será que atingiste a paz,

pensamento... não me incomodes!

Por duas vezes não foi capaz...

(Mafalda)

07-12-2013 19:20
"Eu e você
Não é assim tão complicado
Não é difícil perceber
Quem de nós dois
Vai dizer que é impossível
O amor acontecer
 
Se eu disser que já nem sinto nada
Que a estrada sem você é mais segura
Eu sei você vai rir da minha cara
 
Eu já conheço o teu sorriso, leio teu olhar
Teu sorriso é só disfarce
E eu já nem preciso
Sinto dizer
Que amo mesmo, tá ruim pra disfarçar
 
Entre nós dois
Não cabe mais nenhum segredo
Além do que já combinamos
No vão das coisas que a gente disse
Não cabe mais sermos somente amigos
 
E quando eu falo que eu já nem quero
A frase fica pelo avesso
Meio na contra-mão
E quando finjo que esqueço
Eu não esqueci nada
 
E cada vez que eu fujo, eu me aproximo mais
E te perder de vista assim é ruim demais
E é por isso que atravesso o teu futuro
E faço das lembranças um lugar seguro
 
Não é que eu queira reviver nenhum passado
Nem revirar um sentimento revirado
Mas toda vez que eu procuro uma saída
Acabo entrando sem querer na sua vida
 
Eu procurei qualquer desculpa pra não te encarar
Pra não dizer de novo e sempre a mesma coisa
Falar só por falar
 
Que eu já não tô nem aí pra essa conversa
Que a história de nós dois não me interessa
Se eu tento esconder meias verdades
Você conhece o meu sorriso
Lê no meu olhar
Meu sorriso é só disfarce
O que eu já nem preciso
 
E cada vez que eu fujo, eu me aproximo mais."
 
(Paulo Gonzo e Ana Carolina)
 
 
07-12-2013 18:42
"Existe apenas uma idade para sermos felizes, apenas uma epoca da vida de cada pessoa em que é possível sonhar, fazer planos e ter energia suficiente para os realizar apesar de todas as dificuldades e todos os obstáculos.
 
Uma só idade para nos encantarmos com a vida para vivermos apaixonadamente e aproveitarmos tudo com toda a intensidade, sem medo nem culpa de sentir prazer.
 
Fase dourada em que podemos criar e recriar a vida à nossa propria imagem e semelhança, vestirmo-nos de todas as cores, experimentar todos os sabores e entregarmo-nos a todos os amores sem preconceitos nem pudor.
 
Tempo de entusiasmo e coragem em que toda a disposição de tentar algo de novo e de novo quantas vezes for preciso.
 
Essa idade tão fugaz na nossa vida chama-se presente e tem a duração do instante que passa.."
 
(Mario Quintana)
 
07-12-2013 18:29
"A alma que não se abate, que recebe indiferentemente tanto a tristeza como a alegria, vive na vida imortal."
 
(Textos Hindus)
 
07-12-2013 18:21
"Vou ensinar-te agora o modo de entenderes que não és ainda um sábio.
 
O sábio autêntico vive em plena alegria, contente, tranquilo, imperturbável; vive em pé de igualdade com os deuses.
 
Analisa-te então a ti próprio: se nunca te sentes triste, se nenhuma esperança te aflige o ânimo na expectativa do futuro, se dia e noite a tua alma se mantém igual a si mesma, isto é, plena de elevação e contente de si própria, então conseguiste atingir o máximo bem possível ao homem!
 
Mas se, em toda a parte e sob todas as formas, não buscas senão o prazer, fica sabendo que tão longe estás da sabedoria como da alegria verdadeira.
 
Pretendes obter a alegria, mas falharás o alvo se pensas vir a alcançá-la por meio das riquezas ou das honras, pois isso será o mesmo que tentar encontrar a alegria no meio da angústia; riquezas e honras, que buscas como se fossem fontes de satisfação e prazer, são apenas motivos para futuras dores."
 
(Sêneca)
 
07-12-2013 18:18
"Perdido seja para nós aquele dia em que não se dançou nem uma vez!
 
E falsa seja para nós toda a verdade que não tenha sido acompanhada por uma risada!"
 
(Friedrich Nietzsche)
 
07-12-2013 18:11
"Aquele que nunca viu a tristeza, nunca reconhecerá a alegria."
 
(Khalil Gibran)
 
06-12-2013 18:03
"Qualquer ideia que te agrade,
Por isso mesmo... é tua.
O autor nada mais fez que vestir a verdade
Que dentro em ti se achava inteiramente nua..."
 
(Mario Quintana)
 
06-12-2013 18:01
"Lembre-se de que você mesmo é o melhor secretário de sua tarefa, o mais eficiente propagandista de seus ideais, a mais clara demonstração de seus princípios, o mais alto padrão do ensino superior que seu espírito abraça e a mensagem viva das elevadas noções que você transmite aos outros.
 
Não se esqueça, igualmente, de que o maior inimigo de suas realizações mais nobres, a completa ou incompleta negação do idealismo sublime que você apregoa, a nota discordante da sinfonia do bem que pretende executar, o arquiteto de suas aflições e o destruidor de suas oportunidades de elevação - é você mesmo."
 
(Francisco Cândido Xavier)
 
06-12-2013 17:57
"Para ver muita coisa é preciso despregar os olhos de si mesmo."
 
(Friedrich Nietzsche)
 
06-12-2013 17:55
"Tente mover o mundo - o primeiro passo será mover a si mesmo."
 
(Platão)
 
06-12-2013 17:52
"O mais importante para o homem é crer em si mesmo.
 
Sem esta confiança em seus recursos, em sua inteligência, em sua energia, ninguém alcança o triunfo a que aspira."
 
(Thomas Atkinson)
 
06-12-2013 17:16

Deixar palavras de esperança,

de certeza de superação,

incutir muita confiança

bem dentro do vosso coração.

É apenas este o meu intuito,

(fala quem bateu no fundo),

faço-o de um modo gratuito,

pois devemos acreditar no mundo.

Choramos, desesperamos,

pensamos em desistir,

os maus momentos ultrapassamos

e esperamos pelo que há-de vir.

Não há ser humano nenhum,

que valha tamanha tragédia,

pode ser que um dia nasça algum

capaz de ir até ao fim com uma estratégia.

Não é revolta, não é desamor,

são meras constatações de factos,

hoje falo sem nenhum clamor,

os sentimentos sofreram assassinatos.

Aprender com a tristeza,

dar valor ao que realmente importa,

não é um caso de avareza

apenas temos de atravessar a porta.

É difícil, eu sei,

mas cabe-nos a nós conseguir,

todas as horas em que chorei

agora só me dão vontade de rir.

Para quê tamanho desperdício,

de tempo e de energia,

tudo não passou de um momento fictício

em que se ansiava pela alegria.

Guardemos o que é bom,

o que nos deu momentos inesquecíveis,

não seria mesmo de bom tom

esquecer situações tão aprazíveis.

Mas quando acaba temos de aceitar,

de nada vale escoarmo-nos em lágrimas,

o ser humano tem uma tonta capacidade de amar

e depois passa a vida imerso em lástimas.

Fazer o luto no momento certo,

sair das cinzas tal fénix renascida,

viver mantendo sempre por perto

as pessoas que nunca serão esquecidas.

Amigos, família, parceiras,

são eles o nosso maior pilar,

dizem sempre coisas certeiras,

mas nas horas difíceis recusamo-nos a escutar.

No momento certo acordamos,

e reconhecemos que tinham razão,

devagar, o passo acertamos,

rumo à saída da escuridão.

Viver é do melhor que há

e nós somos os atores principais,

quem melhor do que nós saberá

os nossos desejos mais confidenciais...

(Mafalda)

05-12-2013 22:14
"Os meus olhos são uns olhos.
E é com esses olhos uns
que eu vejo no mundo escolhos
onde outros, com outros olhos,
não vêem escolhos nenhuns.
 
Quem diz escolhos diz flores.
De tudo o mesmo se diz.
Onde uns vêem luto e dores,
uns outros descobrem cores
do mais formoso matiz.
 
Nas ruas ou nas estradas
onde passa tanta gente,
uns vêem pedras pisadas,
mas outros gnomos e fadas
num halo resplandescente.
 
Inútil seguir vizinhos,
que ser depois ou ser antes.
Cada um é seus caminhos.
Onde Sancho vê moinhos
D. Quixote vê gigantes.
 
Vê moinhos? São moinhos.
Vê gigantes? São gigantes."
 
(António Gedeão)
 
05-12-2013 22:06
"Eu queria mais altas as estrelas,
Mais largo o espaço, o sol mais criador,
Mais refulgente a lua, o mar maior,
Mais cavadas as ondas e mais belas;
 
Mais amplas, mais rasgadas as janelas
Das almas, mais rosais a abrir em flor,
Mais montanhas, mais asas de condor,
Mais sangue sobre a cruz das caravelas!
 
E abrir os braços e viver a vida,
- Quanto mais funda e lúgubre a descida
Mais alta é a ladeira que não cansa!
 
E, acabada a tarefa... em paz, contente, 
Um dia adormecer, serenamente, 
Como dorme no berço uma criança!"
 
(Florbela Espanca)
 
05-12-2013 21:57
 
"Aprendi que a coragem não é a ausência do medo, mas o triunfo sobre ele. O homem corajoso não é aquele que não sente medo, mas o que conquista esse medo."
 
"Perdoem. Mas não esqueçam!"
 
"Não há nada como regressar a um lugar que está igual para descobrir o quanto a gente mudou."
 
"Eu sou o capitão da minha alma."
 
"Não poderás encontrar nenhuma paixão se te conformas com uma vida que é inferior àquela que és capaz de viver."
 
 
(Nelson Mandela)
 
05-12-2013 21:32

Está frio,

o Inverno está muito perto,

somente o vazio

é um dado mais que certo.

Buraco negro neste universo,

espaço preenchido por nada,

coração que pensava em verso

até a paixão ser dilacerada.

Agora penso eu,

mas continuo a escrever,

o coração desapareceu,

sinto-me a rejuvenescer.

Combato o frio que se tinha instalado,

aconchego-me com o que me rodeia,

o meu corpo já não se sente prostrado

foge a sete pés da pasmaceira.

Apesar deste frio de rachar

há movimento nas ruas,

o Natal está a chegar,

só as emoções permanecem nuas.

O frio congela o sentir,

arrefece qualquer intensidade,

obriga o rosto a sorrir,

num esgar de humildade.

Optei por ficar

bem no quente da minha vida,

não me vou mais deslocar,

deixei de andar perdida.

Encontrei-me no frio,

no vento agreste que tenho sentido,

o coração fica vazio,

mas deixou de estar escondido...

(Mafalda)

05-12-2013 11:32

Deixar sair

sem nada sentir,

deixar fluir

sem me repetir.

Sem questões,

longe de paixões,

fugir de prisões,

libertar-me de grilhões.

Deixar andar

sem nada esperar,

limitar-me a navegar,

em águas fundas mergulhar.

Viver,

crescer,

aprender,

amadurecer.

Sou mulher,

se nada fizer

vou esquecer

o que significa viver.

Deixar seguir,

não hesitar,

aceitar o que está para vir

sem me cruxificar.

Sobreviver,

espairecer,

viver

até morrer.

(Mafalda)

05-12-2013 09:52

04-12-2013 22:22

Sinos tocam avidamente,

como se estivessem a chamar por mim,

cada batida é um som ausente

que só se ouve lá bem nos confins.

Esse toque é um apelo,

uma necessidade de aproximação,

repicam cheios de folego,

não são fruto da minha imaginação.

Sinto o vibrar de cada badalada,

mesmo quando estão mudos e quedos,

 som que me faz sentir acarinhada,

segura e sem quaisquer medos.

Sinos fortes e antigos,

resistentes às intempéries que se abatem,

estes sinos são fiéis abrigos,

distantes, mas que nunca se esbatem.

Se um dia me senti uma mendiga,

há coisas que vão mas também há as que ficam,

grande verdade antiga

comprovada por sinos que repicam.

Tocam à sua vontade,

sem qualquer interferência humana,

afasto-me da insanidade,

oiço a melodia que me chama.

Gosto do som do silêncio

recortado pelo dobrar de velhos sinos,

escutá-los não traz nenhum malefício,

segui-los serão atos meramente intuitivos.

Sinos, por quem dobrais,

o que estais a anunciar,

são sons confidenciais

que só agora passei a escutar.

Fiquei alerta sem querer,

atenta e sem divagar,

sinos que ao entardecer

não param de repicar...

(Mafalda)

04-12-2013 11:50

"Imaculada" devia ser

o meu nome do meio,

mas aqui permanecer

não faz parte do meu anseio.

Deixo a imaginação trabalhar,

sonhadora sempre fui,

se a ilusão me faltar

a escrita já não flui.

Devaneio entre estados,

quer durma ou esteja acordada,

peguei em todos os meus bocados

e comecei a reconstruir a minha estrada.

Não sei onde me leva,

se para longe ou para perto,

se alguém me der uma achega

chegarei ao fim deste deserto.

Terrenos áridos ficaram para trás,

começam a aparecer sinais de vida,

sonhar... tão bem faz,

deixei de me sentir perdida!

(Mafalda)

03-12-2013 22:49

Chegaste.

Estacionaste à minha porta

e esperaste.

Desci.

Saí,

fui para junto de ti.

Não me deixaste sentir esquecida.

amparaste-me na descida.

Entrei no teu carro

e partimos.

Sem rumo,

sem destino.

Dois jogadores inatos

rumo a lugares abstratos.

Fomos loucos,

amamo-nos,

beijamo-nos,

demos voz ao desejo.

Voltamos.

Paraste à minha porta

e saí.

Foi bom.

Muito bom.

Sobrevivi...

(Mafalda)

03-12-2013 22:28

Passas do outro lado da rua

olhas para dentro de mim,

sinto-me completamente nua

já não me lembrava de ser assim.

Cruzo-me contigo constantemente

sem que nunca tivesse reparado,

deslizo de forma ardente

a caminho de um grande pecado.

Em cada esquina que passas,

em cada mesa de esplanada,

de nada adianta o que faças,

já parei de estar calada.

Sinto o pulsar da minha vida

sempre que me cruzo contigo,

vontade outrora esquecida

dei por findo o meu castigo.

Estás à espera por onde passo,

apenas dizes "Olá",

eu já não sei o que faço,

se vou ou se fico cá...

(Mafalda)

03-12-2013 22:08

03-12-2013 21:44

Em mim habita um desejo

de poder beijar a tua boca,

de aproveitar num único ensejo

toda a liberdade para ser louca.

Luxúria pode ser um pecado capital

mas dá um imenso prazer,

viver de forma pouco usual

é só isso que me apetece fazer.

Fazer amor de forma singela

deixando os corpos seguirem a sua vontade,

sonhar com uma única escapadela

e depois voltar de novo à normalidade.

Há quem não ligue a prazeres carnais,

pode haver quem não sinta falta de sexo,

mas os meus desejos são reais

e resolvê-los tornou-se um assunto deveras complexo.

Sonho com os teus dedos nos meus lábios,

com o toque da tua boca na minha,

alguém de dê conselhos sábios,

alguém toque à minha campainha!

Querer fazer amor é normal,

é saudável e libertador,

é uma questão essencial

para quem arde no seu próprio calor.

Os teus dedos percorrem a minha pele,

acariciam os meus cabelos,

beijar-te é tudo o que me impele

porque entre nós sempre existirão muitos elos.

Sedução delicada,

medo de criar vícios,

não estou mascarada,

não quero mais desperdícios...

(Mafalda)

03-12-2013 17:07
"Olá Lisboa, pela primeira vez
Olá Lisboa, pela primeira vez
 
Lembro-me de ti
Como se fosse um regresso a casa
As ruas escuras à noite
O medo de quem quer voltar
 
E passo por ti
Condenado a sentir um vazio
Na hora de te abandonar
A lembrança de quem quer ficar
A cidade por descobrir
Um adeus, vou partir
 
Lisboa, és só tu e eu
Lisboa, és só tu e eu
 
Confesso-me a ti
Ó cidade de noite encantada
Lembras-me a vontade
Hoje eu vou ficar
 
Agarro-me a ti
Confrontado a saudade que sinto
A hora está-se a aproximar
As memórias de quem quer voltar
Um segredo que vou descobrir
O adeus, vou partir
 
Lisboa, és só tu e eu
Lisboa, és só tu e eu
 
E passo por ti
Condenado ao vazio
A ansia de querer voltar
O adeus que não te vou dizer
 
Espero aqui
Com o mar controlado
A história de ter um passado
A idade de te conhecer
A cidade por descobrir
O adeus, vou partir
 
Lisboa, és só tu e eu
Lisboa, és só tu e eu"
 
(Tara Perdida ft Tim)
 
03-12-2013 16:42

Perguntam-me o que estou a fazer,

se estou a desistir de ti,

nada faço para te esquecer,

mas tu foste uma história que eu já vivi.

Falo no passado, eu sei,

apenas porque é essa a realidade,

quem me lê sabe o quanto desesperei,

o quanto lutei para ver a claridade.

Quando a vida não quer,

nada há a fazer,

e dê lá por onde der

eu tenho de continuar a viver.

Já aqui disse o quão calma estou,

que já nada me atormenta,

abençoado frio que para longe levou

tudo aquilo que já não me apoquenta.

Só quero ser feliz,

o mesmo desejo para ti,

se nada mais eu fiz

é porque já chegou o que sofri.

Rumos distintos,

caminhos separados,

uns ficam famintos

outros permanecem abastados.

Há que saciar as necessidades,

há que viver apenas a nossa vida,

cansei-me de calamidades,

fartei-me de despedidas.

Há quem goste de mulheres dependentes,

sem auto estima e sem ambição,

que fuja de mulheres independentes

que vão à luta por uma paixão.

Nunca dependi de ninguém,

sempre prezei a minha autonomia,

expetativas que ficaram muito aquém

de tudo o que ele dizia que faria.

Sofri na pele a desilusão,

entranhou-se em mim a melancolia,

permitir-me um dia a uma nova paixão,

é algo que eu sei, que nunca faria.

Mas preciso de viver,

de rir, de brincar,

se algo aqui se deitou a perder

foi apenas a minha capacidade de amar.

Bati bem fundo neste amor,

de forma alguma poderia continuar assim,

nada fiz, mas saí do torpor,

voltei a viver só para mim.

(Mafalda)

03-12-2013 09:52

Somos peões num jogo de xadrez,

trucidados por todos os intervenientes,

sobreviver-lhes, talvez,

mas temos de ser muito inteligentes.

Bispos, torres, cavalos,

todos nos eliminam do jogo,

caminhos, temos de achá-los,

para que a vida não seja um logro.

Movemo-nos ao sabor do adversário,

tentamos escapar com vida,

apenas um ou outro mais temerário

consegue vencer esta partida.

Somos peões numa vida sem tino,

andamos ao sabor do vento que nos fustiga,

muitas são as vezes em que perdemos o sentido,

mas encontramos sempre algo que nos anima.

Peões que se movem autonomamente

que fogem das agruras do quotidiano,

peões que agem habilmente,

que deixam de viver no engano.

Somos pequenos face aos adversários,

mas movemo-nos com mais destreza,

viver em mundos imaginários

acarreta sempre uma imensa tristeza.

Peões fortes e resistentes

que tudo fazem para escapar,

permanecem em mundos ausentes,

querem seguir e não mais voltar...

(Mafalda)

02-12-2013 22:21

02-12-2013 22:11
"Eu sei que por algum tempo vou seguir oscilante entre a razão e o desejo.
 
Algumas decisões são tomadas com o coração inquieto e o pensamento tomado por muitas coisas que aconteceram e que acontecem, tudo misturado.
 
Sei também que o tempo vai ser meu amigo para essas coisas da vida.
 
Com coragem eu sigo, nessa velocidade que eu não temo, nem mesmo de ousar ser feliz."
 
(Fernando Pessoa)
 
02-12-2013 22:05
"Assim como falham as palavras quando querem exprimir qualquer pensamento, 
Assim falham os pensamentos quando querem exprimir qualquer realidade, 
Mas, como a realidade pensada não é a dita mas a pensada. 
Assim a mesma dita realidade existe, não o ser pensada. 
Assim tudo o que existe, simplesmente existe. 
O resto é uma espécie de sono que temos, infância da doença. 
Uma velhice que nos acompanha desde a infância da doença."
 
(Alberto Caeiro)
 
02-12-2013 21:58
"Para tornar a realidade suportável, todos temos de cultivar em nós certas pequenas loucuras."
 
(Marcel Proust)
 
02-12-2013 09:34
"Jogue fora todos os números não essenciais para sua sobrevivência.
Isso inclui, idade, peso e altura.
Deixe o médico se preocupar com eles. 
Para isso ele é pago.
Freqüente, de preferência, seus amigos alegres. 
Os de " baixo astral" puxam você para baixo.
Continue aprendendo...
Aprenda mais sobre computador, artesanato, jardinagem, qualquer coisa.
Não deixe seu cérebro desocupado.
Uma mente sem uso é a oficina do diabo. 
E o nome do diabo é Alzheimer.
Curta coisas simples. 
Ria muito e, muito e alto. 
Ria até perder o fôlego. 
Lágrimas acontecem. 
Agüente, sofra e siga em frente.
A única pessoa que acompanha você a vida toda é você mesmo.
Esteja vivo, enquanto você viver!
Esteja sempre rodeado daquilo que você gosta: família, animais, lembranças, música, plantas, um hobby, o que for.
Seu lar é o seu refúgio.
Aproveite sua saúde. 
Se for boa, preserve-a.
Se está instável, melhore-a.
Se está abaixo desse nível, peça ajuda.
Não faça viagens de remorso.
Faça uma viagem ao Shopping, para cidade vizinha, para um país estrangeiro, mas não faça viagens ao passado.
Diga a quem você ama, que você realmente os ama, em todas as oportunidades.
E lembre-se sempre que: a vida não é medida pelo número de vezes que você respirou, mas pelos momentos em que você perdeu o fôlego: de tanto rir...
De surpresa...
De êxtase...
De felicidade...
"Há pessoas que transformam o sol numa simples mancha amarela, mas há também aquelas que fazem de uma simples mancha amarela o próprio sol"."
 
(Pablo Picasso)
 
02-12-2013 09:31
"O mundo é de quem não sente.
 
A condição essencial para se ser um homem prático é a ausência de sensibilidade."
 
(Fernando Pessoa)
 
02-12-2013 09:22
"Amar é cansar-se de estar só: é uma covardia portanto, e uma traição a nós próprios (importa soberanamente que não amemos)."
 
(Fernando Pessoa)
 
01-12-2013 21:10
"As coisas passam, e o melhor que fazemos é deixar que elas possam ir embora.
 
Deixar ir embora. 
 
Soltar.
 
Desprender-se."
 
(Fernando Pessoa)
 
01-12-2013 21:07
"As pessoas felizes lembram o passado com gratidão,
 
alegram-se com o presente
 
e encaram o futuro sem medo."
 
(Epicuro)
 
01-12-2013 21:01
"A esperança adquire-se.
 
Chega-se à esperança através da verdade, pagando o preço de repetidos esforços e de uma longa paciência.
 
Para encontrar a esperança é necessário ir além do desespero.
 
Quando chegamos ao fim da noite, encontramos a aurora."
 
(Georges Bernanos)
 
01-12-2013 14:30

Destruíste a minha vida sentimental,

às tuas palavras fiquei rendida,

fizeste bem, afinal,

tornei-me finalmente, numa pessoa crescida.

Acabaste com a minha capacidade de amar,

fizeste com que lutasse por mim,

em duas frentes ando a trabalhar

nunca o teria feito se não fosse assim.

Não te sou ingrata,

não teria nunca essa pretensão,

mas deixei de ser cordata

com tudo o que é ilusão.

Por um lado estou-te agradecida,

mas merecia mais respeito,

levianamente fui esquecida

porque sempre fomos três no nosso leito.

Optaste por ficar

num casamento há muito sem sentido,

esqueceste o que é amar

e tudo o que já tínhamos construído.

Estou-te grata e não estou,

mas desta forma cresci,

só faz falta quem aqui ficou

e aprendeu a viver sem ti.

Que a sensatez te acompanhe

para que não penses em voltar,

não haverá mais quem apanhe

a minha capacidade de amar.

Crédula já não sou,

palavras nunca me chegarão,

foi só isto o que ficou

no lugar do meu coração...

(Mafalda)

01-12-2013 09:57

Tempo, que tudo curas,

afinal tinham razão,

culpa tua que não me procuras,

nem me deste a absolvição.

Ainda escrevo para ti,

mas sem mágoa ou dor,

tudo o que contigo vivi,

será sempre um grande amor.

Desististe de mim,

desististe de nós,

só tu quiseste assim,

nunca me levantes a voz!

Se num futuro longínquo

vieres ter comigo,

não consideres iníquo

ter abdicado de um amor antigo.

Avancei, como querias,

deixar de olhar para trás,

mas sei o que dirias

se um dia fosses capaz.

Não foste, não és,

limitas-te a existir,

mantiveste-te cortês,

recusaste-te a admitir.

Perco eu?

Perdes tu?

O meu coração já muito sofreu,

agora está totalmente nu.

Não o vou vestir,

não o vou enganar,

deixei de resistir,

parei de estagnar.

Nove meses depois,

tempo de uma gestação,

acabou o "nós dois"

saí da minha prisão.

Se é liberdade condicional, não sei,

espero que seja para sempre,

tanto tempo eu esperei

por quem sempre se manteve ausente.

Posso continuar a escrever,

a fazer versos sem sentido,

mas cansei-me de não ter

um retorno que me era devido.

(Mafalda)

01-12-2013 09:39

Paz, tranquilidade,

ausência de ansiedade.

Dezembro chegou

e nada alterou.

A magia de estar bem

sem ter alguém.

Nada importa,

nada é premente,

atravessei a porta,

segui em frente.

Sim, recordo com saudade,

mas deixei de sentir,

aceitei a verdade

e limitei-me a não intervir.

Pés assentes no chão,

guarda-se tudo o que foi bom,

voltar a amar... Não!

Viver é um dom...

(Mafalda)

30-11-2013 23:39
"Perante uma catástrofe iminente, passamos por cinco fases diferentes:
 
Negação – a situação não é levada a sério. A dimensão do sofrimento é tal que afastamos totalmente esse cenário;
 
Raiva – quando finalmente tomamos consciência da situação, cresce em nós um sentimento de injustiça ("eu não mereço isto!") que provoca uma fúria que dispara em todas as direcções e sentidos;
 
Negociação – perante a evidência de que a raiva não é solução, o instinto de sobrevivência orienta-nos para uma estratégia em que oferecemos (tudo) o que estiver ao nosso alcance para obter mais algum tempo ou condescendência de quem supostamente tem o poder (o agressor, Deus, ou o destino, para quem acreditar nestes últimos);
 
Depressão – falhada a negociação, entramos num estado de prostração marcada que se caracteriza pela perda de energia e de interesse por actividades habitualmente percepcionadas como agradáveis;
 
Aceitação – compreendemos finalmente que não há nada a fazer, encarando com resignação o que nos está reservado."
 
(Elisabeth Klüber-Ross)
 
30-11-2013 23:36
"Não importa quantos passos você deu para trás, o importante é quantos passos agora você vai dar pra frente."
 
(Provérbio Chinês)
 
30-11-2013 23:30
"É melhor tentar e falhar, que preocupar-se e ver a vida passar.
 
É melhor tentar, ainda que em vão que sentar-se, fazendo nada até o final.
 
Eu prefiro na chuva caminhar, que em dias frios em casa me esconder.
 
Prefiro ser feliz embora louco, que em conformidade viver."
 
(Martin Luther King)
 
29-11-2013 14:48

"Nunca se vai tão longe como quando não se sabe para onde se vai."

(Cromwell)
 
 
29-11-2013 14:45

"A vida é fascinante. O que é preciso é vê-la com os óculos certos."

 (Alexandre Dumas)
 
29-11-2013 14:41
“A vida é uma história contada por um idiota, cheia de som e de fúria, sem sentido algum.”
 
(William Shakespeare)
 
29-11-2013 14:39
“A gargalhada é o sol que varre o inverno do rosto humano.”
 
(Victor Hugo)
 
29-11-2013 14:35
“A solidão é a mãe da sabedoria.”
 
(Laurence Sterne)
 
29-11-2013 10:34

Na vida só me arrependo do que não fiz,

ou do que deixei por dizer,

de não ter sido mais feliz

mesmo deitando tudo a perder.

Tudo o que fiz faria outra vez,

nunca me arrependo de o ter feito,

deveria ter aproveitado mais, talvez,

mas ter consciência pode ser um grande defeito.

Sempre fui impulsiva e verdadeira,

não lido bem com a diplomacia,

digo o que penso à minha maneira

mesmo que por vezes cause uma enorme razia.

Não me arrependo de nada,

fiz tudo o que podia,

arrependo-me de não ter sido mais descarada

e aproveitar a vida enquanto ela me sorria.

Hoje faço um balanço,

de quase meio século de existência,

de repente já não me canso

já não procuro qualquer clemência.

É inata esta capacidade

de cair e me erguer mais forte,

experiência adquirida com a idade,

abrir os olhos e aproveitar até à morte.

Porquê criar expetativas

quando nunca se iam concretizar,

as palavras são muito relativas

e nunca se iriam eternizar.

Casos são meros casos,

nunca passam disso no futuro,

acreditar que sim são apenas atrasos

verdadeiros apenas para imaturos.

Viver, ser louca,

gozar cada instante,

aproveitar, ficar rouca,

nunca mais me sentir hesitante.

Sou a pessoa mais importante,

e o que não me faz bem não me faz falta,

para quê continuar num caminho errante

e esconder-me das luzes da ribalta?

Não, chega!

Consegui enregelar o meu coração,

de nada adianta uma simples achega

quando se tem o mundo na mão...

(Mafalda)

28-11-2013 23:24

Já não me incomoda o Natal,

até isso consegui superar,

vivo o momento atual

sem nada me apoquentar.

Passei anos a vegetar,

sem saber que rumo tomar,

deixei de me escudar

e agora tudo é para somar.

Acrescento algo todos os dias

à minha forma de estar na vida,

deixei de catalogar por categorias,

e comecei a sentir-me viva.

Sem um pensamento triste,

sem monotonias nem solidões,

a minha força ainda resiste,

libertei-me de pesados grilhões.

Sou livre e estou livre,

para viver à minha maneira,

a minha conta de desgostos já tive,

a vida será sempre uma eterna brincadeira.

Venha o Natal, venha o Fim de ano,

espero cá estar para os passar,

não preciso de nenhum arcano

para me continuar a encaminhar.

Gosto de estar comigo,

a solidão é abençoada,

haverá sempre um Amigo

que me ajude a subir a escada...

(Mafalda)

28-11-2013 23:07

Passamos uma vida a esperar

pelo aqui, pelo agora,

chegamos, começamos a hesitar,

o pensamento tudo aflora.

Emoção, para que serve,

em que satisfaz os intentos,

por dentro o corpo ferve

e ninguém escuta os lamentos.

Amor, o que será,

valerá assim tanto a pena,

um dia alguém dirá

que não passa de uma cantilena.

Atração é quanto basta,

necessidades a suprimir,

cansada de permanecer casta

é premente a vontade de me divertir.

Alma que já perdi,

partiu há algum tempo atrás,

corpo que não venci,

pecado que me apraz.

Desejos intensos que habitam

à espera de se soltarem,

palavras que não hesitam,

ardentes para avançarem.

Amor carnal, sem paixão,

podem-lhe chamar apenas sexo,

é o acumular da tensão

dos momentos vividos sem nexo.

(Mafalda)

28-11-2013 22:56

Momentos lascivos

sem qualquer pudor

sinais atrativos

que fazem furor.

Renascimento,

embora tardio

de um alheamento

pouco fugidio.

Palavras não escritas

ilações divertidas,

emoções proscritas

sensações incontidas.

Viver,

devaneio,

prazer

sem receio.

Lascívia

incontida,

liberdade

permitida...

(Mafalda)

28-11-2013 22:40
"Ela é uma mulher que goza
celestial sublime
isso a torna perigosa
e você não pode nada contra o crime
dela ser uma mulher que goza
 
você pode persegui-la, ameaçá-la
tachá-la, matá-la se quiser
retalhar seu corpo, deixá-lo exposto
pra servir de exemplo.
É inútil. Ela agora pode resistir
ao mais feroz dos tempos
à ira, ao pior julgamento
repara, ela renasce e brota
nova rosa
 
Atravessou a história
foi queimada viva, acusada
desceu ao fundo dos infernos
e já não teme nada
retorna inteira, maior, mais larga
absolutamente poderosa."
 
(Bruna Lombardi)
 
28-11-2013 21:50
"Imperdoável é o que não vivi
Imperdoável é o que esqueci
Imperdoável é desistir de lutar
Imperdoável é não perdoar
 
Tive dois reis na mão
E não gostei
Vi catedrais no céu
Não as visitei
Vi carrosséis no mar
Mas não mergulhei
Imperdoável é o que abandonei
 
Vejo-me cego e confuso nesta cama a latejar
O que seria de mim sem o meu sentido de humor
Praticamente mudo sinto a máquina a bater
É o rugido infernal destas veias a ferver
 
Imperdoável é dispensar a razão
Imperdoável é pisar quem está no chão
Imperdoável é esquecer quem bem nos quer
Imperdoável é não sobreviver
 
Vejo-me cego e confuso nesta cama a latejar
O que seria de mim sem o meu sentido de humor
Praticamente mudo sinto a máquina a bater
É o rugido infernal destas veias a ferver
 
Imperdoável é o que não vivi
Imperdoável é o que esqueci
Imperdoável é desistir de lutar
Imperdoável é não perdoar
 
Não perdoar
Não perdoar
Não perdoar."
 
(Jorge Palma)
 
27-11-2013 21:57

“O tempo é limitado, então não gastes seu tempo vivendo a vida de outro. 

Não fiques preso no dogma que é viver como os outros pensam que deverias viver.

Não deixe que as opiniões dos outros calem sua voz interior.

E o mais importante, tenha coragem para fazer aquilo que manda seu coração e intuição.”

 
(Steve Jobs)
 
27-11-2013 21:19
"Fujo da sombra; cerro os olhos: não há nada. 
A minha vida nem consente 
rumor de gente 
na praia desolada. 
 
Apenas decisão de esquecimento: 
mas só neste momento eu a descubro 
como a um fruto rubro 
de que, sem já sabê-lo, me sustento. 
 
E do Sol amarelo que há no céu 
somente sei que me queimou a pele. 
Juro: nem dei por ele 
quando nasceu."
 
(David Mourão-Ferreira)
 
27-11-2013 21:11
"A conclusão de tudo é só a morte 
e não há mais epílogo nem finda. 
Não se termina o verso nem o curso 
mudamos à conversa interrompida. 
 
Não findamos o verso nem acaba 
o desfazer-se o mar contra esta praia. 
A conclusão de tudo é só a morte, 
nem o silêncio quebra a sua amarra. 
 
Sequer há conclusão? Sequer há morte 
nas palavras deixadas pelos recantos 
mais sujos e perdidos do seu norte? 
 
Amor que nos moveu no desalento, 
a pátria destes versos foi só pura 
imaginação por dentro da memória. 
 
(Mas já outras canções nos estremecem: 
longe do coração começa a História.)"
 
(Luis Filipe Castro Mendes)
 
27-11-2013 21:05
"Quis-nos aos dois enlaçados 
meu amor ao lusco-fusco 
mas sem saber o que busco: 
há poentes desolados 
e o vento às vezes é brusco.
 
Nem o cheiro a maresia 
a rebate nas marés 
na costa de lés a lés 
mais tempo nos duraria 
do que a espuma a nossos pés.
 
A vida no sol-poente 
fica assim num triste enleio 
entre melindre e receio 
de que a sombra se acrescente 
e nós perdidos no meio.
 
Sem perdão e sem disfarce, 
sem deixar uma pegada 
por sobre a areia molhada, 
a ver o dia apagar-se 
e a noite feita de nada. 
 
Por isso afinal não quero 
ir contigo ao lusco-fusco, 
meu amor, nem é sincero 
fingir eu que assim te espero, 
sem saber bem o que busco."
 
(Vasco Graça Moura)
 
26-11-2013 22:40

Estou rouca...

Enrouqueci

por ser louca,

e tanto esperar por ti.

Perdi a voz...

Fiquei sem pio

de tanto chamar por nós,

meses a fio.

Sofri de monofobia...

Acatei decisões,

recuperei da autofobia

superei as depressões.

Tenho a voz desgastada...

Cansei de falar,

de estar apaixonada

de te continuar a amar.

Estou pronta...

Quero abraçar a vida,

deixar de ser tonta,

esquecer a despedida.

Estou bem...

Vou seguir em frente,

olhar mais além,

misturar-me com gente.

Sou eu...

Regressei a mim,

no passado foste meu,

mas agora já não é assim.

Vou viver...

Acordar com o sol a brilhar,

sem ter nada a temer,

ansiando por um novo despertar.

Cansei...

Sou Fénix renascida,

já muito chorei,

estou cansada de ser esquecida.

Quando morrer...

Partirei satisfeita,

passei a vida a aprender,

vacinei-me contra a desfeita.

Estou rouca...

Enrouqueci

por perder a roupa

que nunca vesti.

Perdi...

Aceito a realidade,

muito já vivi,

o juízo vem com a idade...

Paz...

É tudo o que eu quero,

sei que vou ser capaz,

e nunca mais entrar em desespero...

(Mafalda)

26-11-2013 22:04

26-11-2013 21:00
"A vida é uma aventura ousada ou nada."
 
"Nunca se deve gatinhar quando o impulso é voar. "
 
"A alegria é o fogo que mantém aquecido o nosso objetivo, e acesa a nossa inteligência."
 
(Helen Keller)
 
26-11-2013 20:55
"Mas o que vou dizer da Poesia?
 
O que vou dizer destas nuvens, deste céu?
 
Olhar, olhar, olhá-las, olhá-lo, e nada mais.
 
Compreenderás que um poeta não pode dizer nada da poesia.
 
Isso fica para os críticos e professores.
 
Mas nem tu, nem eu, nem poeta algum sabemos o que é a poesia."
 
(Federico García Lorca)
 
26-11-2013 20:48
"Se é que minha opinião importa, nunca é tarde demais ou, no meu caso, cedo demais para ser quem você quer ser.
 
Não há limite de tempo. Comece quando quiser. Mude ou continue sendo a mesma pessoa. Não há regras para isso. Podemos tirar o máximo ou o mínimo proveito das coisas. Espero que você tire o máximo. Espero que veja coisas surpreendentes. Espero que sinta coisas que nunca sentiu antes. Espero que conheça pessoas com um ponto de vista diferente.
 
Espero que tenha uma vida da qual se orgulhe. E se não se orgulhar dela, espero que encontre forças para começar tudo de novo."
 
(Scott Fitzgerald)
 
26-11-2013 20:41
"Os mortos sobem as escadas,
sorrindo com seus claros dentes.
Alegrias que nunca tiveram
quando eram vivos e presentes,
felicidades que apenas sonharam
e foram lágrimas somente.
 
Os mortos sobem as escadas:
inesperados visitantes
vindos dos reinos sem fronteiras
às nossas casas, dessemelhantes.
Ai, bem se vê que não estão vendo
que um vivo é um morto mais distante!"
 
(Cecília Meireles)
 
26-11-2013 20:33
"De quem nunca esperei, baixei a guarda e caí
É melhor estar à espera da queda, concluí
Que para confiar temos que conhecer bem
Confio em quem conheço mas não conheço ninguém
Só nos magoam os que amamos
Só nos podem desiludir as pessoas em quem nós confiamos
Porque os outros não têm esse poder
Certo é que sem confiança há pouco mais a perder
Se calhar não há amigos apenas rasgos de amizade
E ninguém é feliz mas há momentos de felicidade
E quem perdoa merece louvor
A vida é curta demais para se viver com rancor
 
Não és tu sou eu
Não consigo confiar
Já caí tantas vezes que já me custa a acreditar
Problemas de confiança
Não és tu sou eu
Não consigo confiar
Já caí tantas vezes que já me custa levantar...
 
Sou transparente por isso que tu não me vês
E a confiança é tipo virgindade, só se perde uma vez
Desculpo a quem me traiu, confiando mas não confio
Perdoo mas não esqueço, palavra de quem já caiu
O tempo dirá se ponho bois em frente a carroças
Às vezes pequenas mentiras fazem grandes mossas
Acredito a falar é que a gente se entende
Quem não o faz, é quem se arrepende
 
O ser humano é egoísta, mente como respira
A verdade pode doer mas não tanto como a mentira
Seria bem melhor se as pessoas fossem sinceras
Puxa uma cadeira enquanto esperas
Errar, erramos todos mas nem todos o admitem
Tantas vezes escapam os sinais que transmitem
As pessoas não comunicam, não falam, não expressam
Não se entendem, stressam e nem às paredes se confessam
Mas a frontalidade às vezes pode doer
Não perguntes o que não queres saber
Ser ou não ser eis a eterna batalha
Quando alguém nos falha
O coração só atrapalha"
 
(Boss AC)
 
25-11-2013 22:10

Posso escrever sobre o tempo,

e até sobre o outro tempo,

para um leitor mais atento

apenas importa em que momento.

Se faz sol ou se chove,

se o tempo tudo cura ou não,

tirando a prova dos nove

nada importa a não ser a razão.

Chove estou sem tempo,

tenho tempo quando faz sol,

a vida não é um lamento

mesmo que esteja um intenso briol.

Estou bem disposta, eu sei,

já era tempo de assim ficar,

todo o tempo em que desesperei

apenas esperava o tempo de acalmar.

Está um tempo como eu gosto,

soalheiro e muito frio,

chega ao fim o tempo do desgosto,

o tempo apagou o vazio.

Tempo, tempo, tempo,

agora entendo porque falam tanto de ti,

mágoas soltas no vento

que me estão a afastar de ti.

Já era tempo de fazer bom tempo,

de mau tempo estava o tempo farto,

quando a vida corre de contento

... espera-se pelo tempo de voltar ao quarto!

(Mafalda)

25-11-2013 21:30

Hoje o dia passou depressa,

sem nada de especial ter acontecido,

deixei bem longe a tristeza

e acabou por ser muito divertido.

Às vezes pequenas coisas dão cor

ao que anda muito esbatido,

nem sempre é preciso um amor

nem sempre tem de haver um Cupido.

Alheando-nos desse sentimento,

podemos seguir as nossas vidas,

aproveitando o momento

não sofrendo nas despedidas.

Gosto de me sentir livre,

solta para viver,

prisões já muitas tive,

nunca mais as vou querer.

Liberdade que tanto prezo,

asas que não tenho aproveitado,

eu não sou das que rezam,

mas agradeço por estar praticamente acabado.

Dia-a-dia, sem nada esperar,

ou esperando tudo o que for possível,

na vida tem de se aproveitar

todo e qualquer momento mais aprazível.

Dá-me gozo, dá-me pica,

sempre fui amante de jogos,

não é preciso ficar despida

mas é bom deixar os monólogos.

A palavra flui sem hesitações,

não há tabus nem receios,

não liguem, são puras divagações

motivadas por quentes anseios...

(Mafalda)

25-11-2013 21:10

Sim...

Enquanto o tempo vai passando

vou parando para pensar,

se às vezes vou hesitando

é porque sei onde isto vai acabar.

Acaba onde começou

tal como da outra vez,

muito tempo passou

muita coisa se fez.

Vou abandonando a ideia,

vou seguindo a minha vida,

às vezes sinto uma enorme apneia

mas estou de cabeça erguida.

Não me escondo, não preciso,

sigo de consciência tranquila,

gosto de ter de volta o meu riso

sinto-me de novo repleta de clorofila.

Cada bocadinho de sol

cada inspiração,

aproveito da vida o seu calor

e solto o frio na minha expiração.

Viver cada momento

como se amanhã não houvesse,

não posso perder mais tempo

quem partiu... que não o fizesse!

(Mafalda)

25-11-2013 09:07

Finalmente estou a começar a seguir,

chamas-me mas já não te escuto,

viro-me para o lado e continuo a dormir

comecei a ouvir o meu lado astuto.

Já aqui disse que me tornei egoísta,

mas talvez me tenha classificado mal,

apenas comecei a ser realista

porque cada vez mais se aproxima o Natal.

Está-se a findar o tempo de espera,

mais do que isto não quero aguentar,

esta pessoa aqui já não desespera

porque já aceitou que não vais cá estar.

As promessas ficam por cumprir,

as palavras voaram com o vento,

resta-me apenas continuar a sorrir

e acabar de vez com este sofrimento.

Lamento que assim seja,

não era de todo o que eu queria,

o meu coração ainda te deseja

mas tem de sair dessa agonia.

Vou calá-lo de vez,

obrigá-lo a não sentir,

viver assim é uma estupidez

já acabou o teu tempo para refletir...

(Mafalda)

24-11-2013 17:24
"Todos nós já tivemos, de uma maneira ou de outra, experiências difíceis na vida. Isto faz parte de nossa viagem por esta Terra – e embora muitas vezes pensamos que “as coisas podiam ter acontecido de outra maneira” - o fato é que não podemos mudar nosso passado.
 
Por outro lado, é uma mentira pensar que tudo que nos acontece tem o seu lado bom; existem coisas que deixam marcas muito difíceis de superar, feridas que sangram muito.
 
Como, então, nos livrarmos de nossas experiências amargas?
 
Só existe uma maneira: vivendo o presente. Entendendo que, embora não possamos mudar o passado, podemos mudar a próxima hora, o que acontecerá durante à tarde, as decisões a serem tomadas antes de dormir.
 
Como diz o velho provérbio hippie: “hoje é o primeiro dia do resto da minha vida”."
 
(Paulo Coelho)
 
24-11-2013 17:21
"A gente sempre destrói aquilo que mais ama
em um campo aberto,
ou numa emboscada;
alguns com a beleza do carinho
e outros com a dureza da palavra;
os covardes destróem com um beijo,
os valentes, destróem com a espada."
 
(Paulo Coelho)
 
24-11-2013 17:19
"De uma coisa podemos ter certeza:
de nada adianta querer apressar as coisas;
tudo vem ao seu tempo,
dentro do prazo que lhe foi previsto.
Mas a natureza humana não é muito paciente.
Temos pressa em tudo e aí acontecem
os atropelos do destino,
aquela situação que você mesmo provoca,
por pura ansiedade de não aguardar o tempo certo. Mas alguém poderia dizer:
Qual é esse tempo certo?
 
Bom, basta observar os sinais.
Quando alguma coisa está para acontecer
ou chegar até sua vida,
pequenas manifestações do cotidiano
enviarão sinais indicando o caminho certo.
Pode ser a palavra de um amigo,
um texto lido, uma observação qualquer.
Mas, com certeza, o sincronismo se encarregará
de colocar você no lugar certo,
na hora certa, no momento certo,
diante da situação ou da pessoa certa. 
 
Basta você acreditar que nada acontece por acaso. Talvez seja por isso que você esteja
agora lendo estas linhas. 
Tente observar melhor o que está a sua volta.
Com certeza alguns desses sinais
já estão por perto e você nem os notou ainda. 
Lembre-se, que o universo sempre
conspira a seu favor quando você possui um
objetivo claro e uma disponibilidade de crescimento."
 
(Paulo Coelho)
 
24-11-2013 17:13
"O tempo pode apagar lembranças de um rosto, um corpo, mas jamais apagará lembranças de Pessoas que souberam fazer de pequenos instantes, grandes momentos."
 
Quem conhece a felicidade não consegue mais aceitar humildemente a tristeza.
 
(Paulo Coelho)
 

...

23-11-2013 23:15
 
"Sou egoísta, impaciente e um pouco insegura.
 
Cometo erros, sou um pouco fora do controle e às vezes difícil de lidar, mas se você não sabe lidar com o meu pior, então com certeza, você não merece o meu melhor!"
 
(Marilyn Monroe)
 
22-11-2013 13:51

Há em mim um espírito de loucura

que tem estado muito aquietado,

tem esperado pela ternura

de quem permanece acomodado.

Há em mim um quê de louca

que gosta de quebrar as regras,

a vontade tem sido pouca

mas agora está a chegar deveras.

Há em mim uma força monumental

que sempre utilizo para bons fins,

não voasse eu afinal

em verdadeiros zepelins.

Há algo no nosso universo,

que só existe para me acolher e proteger,

sempre que encontro algo adverso

algo superior logo me ajuda a reerguer.

Há em mim uma redoma

que me afasta de todos os perigos,

sempre que sinto qualquer sintoma

juntam-se em volta todos os amigos.

Há em mim uma aura viciante

que me leva a ser o que sou,

se às vezes permaneço hesitante...

é porque não sei para onde vou...

(Mafalda)

22-11-2013 13:18

Cheguei ao ponto que queria,

cansei-me de pensar nos outros,

vou começar a fazer o que só faria

se não dependesse de mais ninguém.

Preocupar-me com reações e atitudes,

acabou o tempo de ser assim,

deixar de me ralar com mágoas e vicissitudes,

vai ser a única forma de eu crescer.

Pode ser egoísmo, talvez,

mas às vezes é necessário,

digamos que chegou a minha vez

de deixar de viver no imaginário.

Quem não gostar que desista,

quem se magoar que se cure,

viver a minha vida de forma egoísta

pensar em mim na plenitude.

Não vou lesar ninguém

nem tão pouco ser indelicada,

vou aspirar a ir mais além,

percorrendo sozinha a minha estrada.

Estou cansada de me preocupar em demasia

com quem de mim não quer saber,

vou aceitar a verdadeira afasia

e vou deixar de sobreviver...

(Mafalda)

22-11-2013 10:54

22-11-2013 10:22

Um coração só atrapalha,

faz-nos tomar atitudes tontas,

todos temos um rabo de palha,

no final todos prestamos contas.

Um coração é um disparate,

quando ouvimos esse órgão mudo,

se não deixarmos que ele nos retrate

conseguimos conquistar o mundo.

Coração insensato e desprevenido

que se deixa ir ao sabor da emoção,

dá-se de uma forma desinibida

e depois sofre um grande trambolhão.

Sim, o romantismo sou eu,

que só falo em coração,

mas só sabe o que se perdeu

quem se entrega por opção.

Perde-se quando temos de o calar,

quando somos obrigados a encerrá-lo,

ganha-se muito enquanto se pode amar,

é esse o momento e devemos aproveitá-lo.

Coração tonto e sonhador

que nos leva a idealizar,

o romantismo é um sofredor

que não há forma de atinar...

(Mafalda)

22-11-2013 10:19

Surreal é a minha forma de superar,

caio bem fundo e recupero,

com a amizade posso sempre contar,

são os amigos que me tiram do desespero.

Afogo-me em águas negras e frias,

com muito esforço conseguem-me dar a mão,

sinto que a minha vida é atravessada por razias,

deixando-me o vazio no lugar na paixão.

Recuperam-me, deixam-me bem,

começo a criar novos projetos,

tento ir sempre mais além

nesta vida feita cheia de dejetos.

Às vezes atolo-me totalmente,

nem sei como consigo sair do lodo,

só a amizade mostrada por tanta gente

me obriga a ver o mundo como um todo.

Surreal é o número de leitores

que diariamente acompanham a minha escrita,

falo e torno a falar de amores

canso-me de contar a minha desdita.

Paciência infinita todos têm,

para aturar uma pessoa como eu,

esta tendência só advém

porque experienciei um amor como o teu.

E cá estou eu a falar de ti,

a imputar-te o meu dom,

quando a vida me sorri

descubro que afinal viver é bom...

(Mafalda)

22-11-2013 08:23

Hoje comecei bem cedo

para compensar algum afastamento,

não há mais nenhum enredo,

apenas tenho tido falta de tempo.

A ocupação é uma amiga

que me faz esquecer de mim,

a emoção fica escondida

e eu continuo a resistir, enfim.

Penso em ti constantemente,

vejo-te onde já estiveste,

por muito e muito que tente

de mim não desapareceste.

É complicado gerir,

querer avançar e estar presa,

quando decidiste partir

fizeste-o com demasiada pressa.

Não houve uma conversa,

não havia nada a dizer,

mas assim fiquei na incerteza

sobre o que irias um dia fazer.

Oiço as tuas palavras,

em todas as horas do dia,

palavras, palavras, palavras,

esvaneceram-se, quem diria!...

(Mafalda)

22-11-2013 08:20

Nunca me poderei queixar

de falta de imaginação,

passo a vida a sonhar

nunca contemplo a razão.

Imagino um mundo perfeito

onde não há fome nem pobreza,

onde te embalo no peito,

onde não há lugar para tristeza.

Imagino uma união eterna,

uma chama sempre acesa,

onde todos temos uma lanterna

para sobreviver à incerteza.

Passo a vida a imaginar,

em relação a tudo e mais alguma coisa,

recuso-me sempre a constatar,

muitos falam sem que eu oiça.

Umas situações são pura imaginação,

outras são rever o que já vi,

é uma forma de combater a solidão

de não esquecer o que perdi.

Quando tento passar ao lado,

tudo me faz seguir em frente,

custa-me que permaneças calado,

incomoda-me que te mantenhas ausente.

Imagino um reencontro,

vezes e vezes ao dia,

mas estou a chegar a um ponto

em que não sei mesmo o que faria.

Se a imaginação me faz sonhar

me dá alguma felicidade,

de ti já não sei o que esperar

a não ser uma enorme ambiguidade.

Fazias que não me vias,

viravas as costas e seguias,

ignoravas a minha presença,

mantinhas a tua sentença?

Muitas perguntas me acompanham

respostas não sei se um dia terei,

imaginação, sonhos, venham...

ajudem-me nesta humilde sublimação...

(Mafalda)

21-11-2013 22:52

Lá fora já é Natal,

há iluminações em todos os lugares,

nada disso vai ser real

se tu para aqui não voltares.

Compras e multidões

de que me quero afastar,

altura de inúmeras recordações

que persistem em ficar.

Datas, momentos, confidências,

nesta altura foi muito complicado,

para não falar nas indecências

que fazíamos como namorados.

Época difícil para mim,

e tu sabes isso muito bem,

enquanto uns exultam com o festim

outros esquecem-se que existe aqui alguém.

Tradição religiosa

que nada significa para mim,

sempre me senti uma leprosa

à espera da chegada do fim.

Não consigo evitar recordar

as promessas por ti feitas,

este já seria um Natal para amar

e para esquecer todas as desfeitas.

Palavras vãs de concretização,

tão leves que voaram com o vento,

mais um Natal de deceção

começo de nova época de lamento...

(Mafalda)

21-11-2013 22:29

Gota a gota a chuva cai,

miudinha, ligeira,

só se molha quem sai

rumo a uma vida pioneira.

Gota a gota molho o rosto,

pálido e sem cor,

tem nos traços o desgosto

de ter perdido o amor.

Gota a gota ensopo o corpo,

mas continuo sem hesitar,

o caminho deixou de ser torto,

já não me sinto a naufragar.

Gotas frias da chuva de outono,

que fazem despertar os sentidos,

afastam para longe o sono,

lavam os momentos sentidos.

Chuva, mar,

tudo se resume a água,

gosto de aqui estar,

vou conseguindo superar a mágoa.

Gota a gota vou limpando

tudo o que estava mais baço,

se continuo esperando

é porque sinto falta do teu abraço...

(Mafalda)

20-11-2013 23:15

Se um dia voltar a beijar alguém,

fecho os olhos e não vou querer ver,

é essa a forma que mais me convém

para imaginar que te estou a ter.

Vou beijar com intensidade,

procurar todos os cantos da boca,

tem de ser na mais completa obscuridade

senão alguém vai pensar que sou louca.

Vou imaginar que és tu que me beijas,

apesar de ser impossível a comparação,

mas mais hipóteses não me deixas

se eu quiser mesmo sair desta solidão.

Estou carente de ti,

dos teus beijos, do teu afeto,

mas enquanto permanecer por aqui

nunca beijarei debaixo deste teto.

Este é o nosso lugar,

o lugar onde só tu me beijaste,

aqui, só a ti quero amar

mas acontece que tu me deixaste.

Fora desta casa há uma vida,

e eu preciso de regressar a ela,

estou cansada de ser esquecida,

da vida, só quero vivê-la.

Não me queres acompanhar,

não faço parte dos teus planos,

vou ter de arranjar quem beijar

durante os próximos longos anos.

O meu coração é teu,

o meu corpo também,

quando não se cumpre o que se prometeu

beijar é só um devaneio aquém...

(Mafalda)

20-11-2013 22:29

Pairo num horizonte longínquo

sem saber como fui lá parar,

aproveito o momento profícuo

e deixo-me simplesmente ficar.

Nada pesa sobre mim,

nem tristeza,

nem doença,

nem solidão,

já não me sinto em mim

deixei algures, por cá, o meu coração.

Estão o meu corpo e a minha mente,

pairando sobre todo o universo,

o pensamento tornou-se latente

mas não chega a controverso.

Leveza inspiradora e revigorante,

paz intensa e necessária,

nada de sensações expectantes,

nem de perguntas imaginárias.

Aqui estou leve,

estou em paz,

não há quem me desassossegue,

nem ninguém seria capaz.

Ausência de peso físico,

abstração do peso anímico,

tranquilidade é o afrodisíaco

que necessitava no meu zodíaco...

(Mafalda)

20-11-2013 22:15

Estarei a pedir muito

quando peço a tua mão,

quando não consigo fugir do assunto

e não entendo a recusa do perdão?

Estarei a pedir muito

quando sonho com o teu regresso,

quando me socorro de um defunto

para implorar pelo sucesso?

Estarei a pedir muito

quando me permito recordar,

quando sigo o meu instinto

para não me deixar abandonar?

Estarei a pedir muito

quando peço para ser feliz,

quando o meu único intuito

é não te deixar ser infeliz?

Estarei a pedir muito

quando peço para me procurares,

quando te ofereço um amor gratuito

e um colo para ficares?

Estou, por certo,

senão tudo aconteceria,

neste mundo tão incerto,

nada é certo senão eu saberia!

(Mafalda)

20-11-2013 22:13

20-11-2013 21:43

Embriagados numa volúpia imensa

saboreamos momentos partilhados,

é um delírio onde não há ofensa

em que corpos são totalmente dedilhados.

Prazeres proibidos sem proibição,

desejos escondidos soltos na paixão,

instantes sublimes de partilha

quando virilha se encosta a virilha.

Esquecemo-nos do mundo em redor,

transformamo-nos numa só pessoa

amamo-nos num êxtase de fulgor,

ao longe a nossa intensidade ressoa.

Carícias de uma ternura atroz

que nos fazem subir aos céus

perdemos a nossa voz

atingimos o apogeu.

Cansados, suados,

satisfeitos como sempre,

permanecemos abraçados

não se fala, só se sente.

Horas a fio de sedução,

amor verdadeiro e sentido,

nada disto foi invenção,

tudo isto existia até teres partido...

(Mafalda)

20-11-2013 20:18

Quis viver um sonho sonhado,

vivi uma vida perdida

hoje tudo está acabado

esquecida ficou qualquer missiva.

Quis subir aos céus

sem tropeçar nas escadas,

perdi os sonhos que eram meus,

mas que tu também partilhavas.

Quis andar depressa

sem hesitações nem atrasos,

enredei-me, fiquei presa,

apesar dos saltos rasos.

Quis-me libertar do teatro,

e isso consegui fazer,

agora olho para o retrato

de quem tive de perder.

Quis ser honesta com todos,

dormir tranquila e sem pesadelos,

esqueci-me que só os tolos

se preocupam com esses zelos.

Quis ser eu própria,

libertar-me da minha prisão,

vivi um momento de glória

antes de chegar a solidão.

Quis mais do que devia,

quis este mundo e o outro,

adivinhasse eu o que viria

e não teria feito tão pouco.

(Mafalda)

20-11-2013 20:16

19-11-2013 23:31
"Death ends a life, not a relationship.” 
 
“All endings are also beginnings. We just don't know it at the time.” 
 
“Lost love is still love. It takes a different form, that's all. You can't see their smile or bring them food or tousle their hair or move them around a dance floor. But when those senses weaken another heightens. Memory. Memory becomes your partner. You nurture it. You hold it. You dance with it.”
 

“If you hold back on the emotions--if you don't allow yourself to go all the way through them--you can never get to being detached, you're too busy being afraid. You're afraid of the pain, you're afraid of the grief. You're afraid of the vulnerability that loving entails. But by throwing yourself into these emotions, by allowing yourself to dive in, all the way, over your heard even, you experience them fully and completely.” 

“Life is a series of pulls back and forth... A tension of opposites, like a pull on a rubber band. Most of us live somewhere in the middle. A wrestling match...Which side win? Love wins. Love always wins” 
 
(Mitch Albom)
 
19-11-2013 20:04

O que leva uma pessoa a desistir

do sonho da vida dela?

Só faz sentido aferir

que afinal foram só umas escapadelas.

Quem assume que comete um erro,

o maior da sua vida,

faz sentido repeti-lo

e deixar a emoção esquecida?

Quem assume que nunca se cansaria,

que eu era viciante,

como abandona a correria

para um futuro expectante?

Quem ama como tu amavas,

não desiste, não se esquece,

recorda-te que um dia tudo acaba

mas o amor não se esvanece.

Que fazes para ser feliz,

para seres verdadeiro e sem segredos,

não sei, mas há algo que me diz

que vives uma nova vida de enredos.

Pareceu-me ver-te hoje

(absurdo, não poderia ser)

a tua imagem persegue-me em vida,

quando falo em desistir

forças supremas intercedem de forma atrevida.

Um convite ...uma recordação,

uma praia... a minha imaginação,

sinto-me envolta numa conspiração,

tudo contra tirar-te do meu coração...

(Mafalda)

19-11-2013 18:56

Faz-se tarde no meu mundo,

tarde para recuperar seja o que for,

não consigo esperar nem mais um segundo

por ti e pelo teu amor.

Faz-se tarde na minha vida,

que avança rumo à certeza,

tantas vezes me senti perdida

e nem isso me agilizou a destreza.

Faz-se tarde no meu peito,

tarde para superar mais provas,

todos nós terminamos num leito,

uns cremados outros em covas.

Faz-me muito tarde para nós,

o tempo urge sem dar tréguas,

apetece-me afinar a minha voz

e gritar para além das léguas.

Está a ficar tarde, não entendes?

Tarde para cumprir promessas sentidas,

para concretizar sonhos prementes,

para reacender emoções esquecidas.

Está a ficar tarde para os dois,

seguimos caminhos distintos,

esqueces-te do "depois",

não segues os teus instintos.

Segui os meus e sou só tua,

de mais ninguém serei um dia,

resta-me ir olhando para a imensa lua,

desejando que ela para mim novamente sorria...

(Mafalda)

19-11-2013 17:46

Quis preservar a minha privacidade

dar largas à minha imaginação,

falar sem piedade

do que se passava no meu coração.

Grito, choro, sorrio,

aqui tudo deixo transparecer,

não consegui afastar o vazio

mas tornou-se mais fácil sobreviver.

Os amigos gostam do que eu escrevo,

ficam orgulhosos de mim,

se assim faço a ele o devo

que me deixou sozinha no fim.

Solidão que usei para me inspirar

nestes simples versos que publico,

nunca podia imaginar

que atrairia tanto público.

Mas a identidade vai ser revelada,

mais dia menos dia,

vai-se revelar toda a verdade,

que era o que ele tanto temia.

Vai-me odiar para sempre,

nunca mais me vai procurar,

mas devia saber que só a verdade

é que nos faz recuperar.

Escrevo sem inibições,

sem máscaras, sem fingimentos,

mostro todas as minha emoções,

os meus sonhos, os meus lamentos.

Pode ser que não me descubra,

que nunca saiba que aqui estou,

espero que as minhas asas me cubram

de quem partiu e não voltou...

(Mafalda)

19-11-2013 17:30

Andar na praia com um frio de rachar

faz-me andar para trás no tempo e recordar...

Passamos bons momentos no inverno,

em praias desertas

e fustigadas pela chuva,

os nossos corpos ardiam encostados

e permanecíamos abraçados.

Horas que voavam com o vento,

minutos que queríamos perpetuar,

podia cair a maior tormenta

que dali não nos ia afastar.

Não eram precisas palavras,

a nossa pele falava por nós,

enquanto a mim te encostavas

nunca tiveste de levantar a voz.

Era a calmaria da tempestade,

a paz no meio da guerra,

sobreviver exigia muita agilidade

malvada a hora em que alguém erra.

Hoje recebi no correio

aquele certo convite anual,

o meu coração entrou em bloqueio

recordou o dia do teu almoço de Natal.

Porque foste, meu Amor?

Porque desististe de nós?

O meu corpo entrou em torpor,

o meu coração reatou os nós...

(Mafalda)

18-11-2013 15:12
"Antes, a questão era descobrir se a vida precisava de ter algum significado para ser vivida.
 
Agora, ao contrário, ficou evidente que ela será vivida melhor se não tiver significado."
 
(Albert Camus)
 
18-11-2013 15:10
"O progresso do homem não é mais do que uma descoberta gradual de que as suas perguntas não têm significado."
 
(Antoine de Saint-Exupéry)
 
18-11-2013 15:05
"E de súbito desaba o silêncio.
É um silêncio sem ti,
sem álamos,
sem luas.
 
Só nas minhas mãos
oiço a música das tuas."
 
(Eugénio de Andrade)
 
18-11-2013 15:00
"Eu no meu corpo como o tigre no seu bafo.
O mundo leva iguais a jaula e a casa.
Somos a vida que não é,
Fora não ser a morte.
Nem mesmo nada somos:
Estamos no que fomos
À espera do que importe.
 
Não se pode sair, e entrar já não:
Nada já deu entrada ao só nascido
Que é esse mesmo Nada:
Pelo que Nada não é nada,
Mas é nada
Em Deus que tudo gera.
Eu na minha alma como o bafo no seu tigre."
 
(Vitorino Nemésio)
 
17-11-2013 22:26

A meu favor:

"Força da alma corporal que domina ou coordena os impulsos em luta no seio do organismo. Razão e sentimento unidos para submeter o instinto. Força moral impondo-se às paixões egoístas. Domínio das paixões, poder de conquista. A força é a afeição".

Contra mim (era o que devo fazer na leitura anterior): 

"Certeza, segurança, ausência de dúvida, influência sugestiva exercida sobre o sentimento e o pensamento do outro. Afabilidade, benevolência, bondade, generosidade. Sentimento poderoso, afeição sólida, solicitude que não se deixa ir até ao sentimentalismo, indica o sentimento normal, tal como o deve ser nas circunstâncias que o acompanham."

O que devo fazer:

"Beleza moral, amor, afeições puras estranhas à atração carnal, desejos de que depende a beleza da alma, anseios, liberdade, seleção, livre arbítrio. Tentação, provocação, dúvida, incerteza, irresolução, hesitação. Abnegações e sacrifícios."

O resultado:

"Materialização. Atração condensadora. Egoísmo radical em ação. Perigo de preservar numa certa via, numa ideia fixa. Aviso a fim de evitar as consequências sob pena de choque ou aniquilamento. Domínio dos seres sem amor, expulsão do afeto."

A síntese (era contra mim na leitura anterior):

"Sacrifício redentor. Intervenção à distância. Perfeição moral. Abnegação. Esquecimento total de si mesmo. Desinteresse absoluto. Sacrifício voluntário em benefício de uma causa elevada. Utopista, sonhador perdido nas nuvens e desprovido de sentido prático. Entusiasmo alimentado por ilusões. Projectos irrealizáveis. Votos generosos mas estéreis. Amor não retribuído. Coisas insuficientemente amadurecidas. Falta de determinação, indecisão na escolha afetiva."

....

Com base nisto, a minha pergunta foi apenas se devo seguir a minha vida ou esperar. O que parece?

17-11-2013 16:58

Podem dizer que não voltas,

podes não voltar mesmo,

as minhas palavras estão soltas

e já não são escritas a esmo.

Voltes ou não voltes,

estarei sempre neste lugar,

soltes-te ou não te soltes,

só aqui me poderás encontrar.

Dizem-me que o teu signo é orgulhoso

que quando decidem é de vez,

não tivéssemos tido duas vezes um caso adulteroso

e eu acreditaria nesse "de vez".

Podes voltar ou não,

só a ti compete decidir,

enquanto decides vou dar a minha mão

a quem me souber fazer rir.

Nada me prende a quem não me quer,

não tenho qualquer obrigação moral,

faça eu o que fizer

no meu coração terás sempre o teu lugar.

Considero-me muito nova

para ficar em celibato,

o teu silêncio só prova

que queres permanecer no anonimato.

Eu não, como aqui se pode ver,

grito ao mundo o que sinto por ti,

ambos saímos a perder

mas a decisão final coube-te a ti.

Quando te perguntei se tinha acabado

recusaste-te a responder,

viraste a cara para o lado

e nem me conseguiste ver.

Deixaste ao meu critério,

se tinha acabado ou não,

já tomei muito remédio

mas ainda não cheguei a nenhuma solução.

Disseste-me para acreditar no que quisesse,

não negaste que me amavas,

mostravas-te "bem" a quem viesse,

mas felicidade não irradiavas.

Como estarás agora não sei,

deixei de te ir ver,

sempre que à tua frente parei

vim de volta a sofrer.

Se voltas ou não

só o futuro o dirá,

estou cansada desta solidão,

de andar ao Deus dará...

(Mafalda)

17-11-2013 09:36

"Sofrer...

Sofrer para quê?

Será que com tantas guerras,

tantas coisas,

tantas batalhas...

vale a pena sofrer?

Ou já que não as podemos impedir,

vale é a pena limpar as lágrimas e sorrir...

.....

Sorrir...

Sorrir é poder...

É poder esconder...

É poder mostrar...

É alegria...

É tristeza...

Sorrir, tem vários significados.

Só não sorri, quem não sente..."

(Filipe)

17-11-2013 09:28

"Por ti sorri...

Por ti senti...

Por ti vivi...

Por ti...

Sonhos, projetos fiz

momentos de loucura...

Também por lá passei,

na ausência do teu corpo,

na saudade de um beijo,

o carinho...

Quando sorrias...

enquanto dormias...

Agora percebi....

Nada mais

em nós pode haver.

Nem tudo pode ser

como desejo...

Mas se fores feliz assim,

resta-me então, entender...

Perdida na praia,

a tentar sorrir...

Depois de sonhos e projetos perdidos,

tentar olhar...

O sol. A lua.

Uma luz que brilhe e mostre

que é possível...

Viver sem ti...

Um amanhã virá...

E decerto

trazer-me 

a um novo sentido...

Uma nova vida..."

(Filipe)

15-11-2013 23:19

Chego antecipada

ao nosso local de amor,

quero estar preparada

e com todo o meu vigor.

Tomo um banho refrescante,

espero por tu já nua,

envolta em lençóis brancos

preparada para ser só tua.

Chegas apressado

sem querer perder mais tempo,

deitas-te a meu lado

e olhas-me por um momento.

É amor o que existe aqui

não há qualquer dúvida possível,

olhas para mim e sorris

e fazemos amor de forma audível.

Entregamo-nos um ao outro

como só o fazemos os dois,

infelizmente o tempo é pouco

mas continuamos depois.

Cada um na sua vida

com o cheiro do ser amado,

continuamos às escondidas

com um sentimento desesperado.

Somos amantes fervorosos

que não sabem estar separados

esperamos ansiosos

pelo nosso romance inacabado...

(Mafalda)

15-11-2013 22:59

Numa das últimas vezes que te vi,

dedilhei todo o teu rosto,

parece que antevi

que ia ter um grande desgosto.

Percorri cada pedaço de pele,

a covinha do teu queixo,

guardei a imagem em papel,

papel esse que nunca deixo.

Os contornos dos teus olhos,

o perfil do teu nariz,

hoje só tenho os sonhos

desse momento feliz.

Acariciei as tuas orelhas,

cada pedacinho de ti,

as recordações vão ficar velhas,

desgastadas com o que sofri.

Recordo cada traço teu

como se de mim se tratasse,

o meu tacto nunca esqueceu

o teu rosto com muita classe.

És deveras muito interessante,

uma pessoa que não se pode esquecer,

às vezes posso parecer hesitante

mas, no fundo, sei que não te vou perder...

(Mafalda)

15-11-2013 22:50

Os meus lábios precisam dos teus,

de sentir o teu sabor,

pensamentos muito ateus

que me estão a dar imenso calor.

Precisam da suavidade do teu beijo,

do humedecer da tua língua,

querem soltar um arquejo

e deixar de estar à míngua.

Quero mordiscar os teus lábios,

como sempre gostei de fazer,

é difícil perder bons hábitos,

e mais complicado é não te ter.

As nossas bocas unidas

na mais perfeita comunhão,

sensações incontidas

sem resquício de solidão.

Beijamo-nos ao mesmo ritmo,

com a mesma intensidade,

preciso achar o algoritmo

que me devolva a sensualidade.

Beijar-te é uma sedução,

um prazer imensurável,

beijaste um coração

outrora impenetrável...

(Mafalda)

15-11-2013 21:30
"Não tenho pressa. Pressa de quê?
Não têm pressa o sol e a lua: estão certos.
Ter pressa é crer que a gente passa adiante das pernas,
Ou que, dando um pulo, salta por cima da sombra.
Não; não sei ter pressa.
Se estendo o braço, chego exactamente aonde o meu braço chega —
Nem um centímetro mais longe.
Toco só onde toco, não aonde penso.
Só me posso sentar aonde estou.
E isto faz rir como todas as verdades absolutamente verdadeiras,
Mas o que faz rir a valer é que nós pensamos sempre noutra coisa,
E vivemos vadios da nossa realidade.
E estamos sempre fora dela porque estamos aqui."
 
(Alberto Caeiro)
 
15-11-2013 21:25
"Todos dias agora acordo com alegria e pena.
Antigamente acordava sem sensação nenhuma; acordava.
Tenho alegria e pena porque perco o que sonho
E posso estar na realidade onde está o que sonho.
Não sei o que hei-de fazer das minhas sensações.
Não sei o que hei-de ser sozinho.
Quero que ela me diga qualquer coisa para eu acordar de novo.
Quem ama é diferente de quem é
É a mesma pessoa sem ninguém."
 
(Alberto Caeiro)
 
15-11-2013 21:18
"Agora que o silêncio é um mar sem ondas, 
E que nele posso navegar sem rumo, 
Não respondas 
Às urgentes perguntas 
Que te fiz. 
Deixa-me ser feliz 
Assim, 
Já tão longe de ti como de mim. 
 
Perde-se a vida a desejá-la tanto. 
Só soubemos sofrer, enquanto 
O nosso amor 
Durou. 
Mas o tempo passou, 
Há calmaria... 
Não perturbes a paz que me foi dada. 
Ouvir de novo a tua voz seria 
Matar a sede com água salgada."
 
(Miguel Torga)
 

15-11-2013 20:23

Tudo no universo tem dois lados,

quer seja um rio, o mar, uma parede,

queremos unir bocados

envolvê-los numa densa rede.

Queremos o sul e o norte,

o nascente e o poente,

o destino é a morte

mas nunca temos isso presente.

Pensamos que duramos para sempre,

vivemos sem emoção

esquecemo-nos do que é premente

do que nos dá verdadeira satisfação.

Complicamos coisas simples,

enlouquecemos com as complicadas,

o universo não permite fintas

seja qual for a forma arquitetada.

Planos que falham e não deviam,

felicidade adiada sem data marcada,

querer unir dois lados que não convergiam

só podia resultar numa longa charada.

Queremos atravessar para o outro lado,

trocam-nos as voltas a meio,

tu optas por ficar calado,

eu opto pelo devaneio.

Tudo tem dois lados distintos,

com os quais temos de lidar,

há que seguir os instintos

e continuar a acreditar...

(Mafalda)

15-11-2013 20:12

Oito meses volvidos

e ainda falo sobre este tema,

assuntos que já deviam estar resolvidos

e apagados do meu sistema.

Oito meses de isolamento

de repulsa pelo sexo oposto,

ainda persistem os momentos

em que amar era um gosto.

Oito meses de tristeza

enraizada no meu coração,

há muito que devia ter tido a esperteza

de remeter o amor à expulsão.

Oito meses é muito tempo,

dá para nascer uma criança,

é um tempo que muito lamento

mas no fundo não perdi a esperança.

Oito meses é pouco tempo

para quem esperou uma vida,

só tu me dás o contentamento

de me sentir verdadeiramente querida.

Oito meses já passaram,

quantos mais não passarão,

os teus traços em mim ficaram

e em mim sempre permanecerão...

(Mafalda)

14-11-2013 22:55

O mar trouxe-me de volta a poesia

que eu pensava ter perdido,

deve ser o efeito da maresia

ou talvez de um amor sofrido.

Sempre disse que aldeias de pescadores

eram um local de introspeção,

onde nos passavam todas as dores

enquanto observávamos a imensidão.

O mar é fundamental,

dá-me a paz que eu preciso,

sentir esse cheiro é essencial

para conseguir manter o siso.

Belos momentos que tivemos

sempre com a água como fundo,

a vida resume-se ao que nós dois vivemos,

nosso poderia ser o mundo...

(Mafalda)

14-11-2013 22:26

O que é que tem de complicado

assumir um amor que se sente,

porquê permanecer calado

em vez de o dizer a toda a gente.

Partilhar a alegria de amar

mostrar o quanto estamos felizes,

só isso pode provocar

acesos ataques de sorrisos.

Ser-se feliz e gritá-lo ao mundo,

onde é que isso pode ser errado,

quando um sentimento é profundo

nunca pode ser um pecado.

Pecado aos olhos superiores

e aos olhos dos comuns mortais,

quem nunca pecou por amores,

quem nunca teve paixões fatais.

Amar é um mandamento,

é o que faz girar o universo,

amar nunca pode virar um lamento

por mais que o instante seja adverso.

Quem ama, ama para sempre,

ou então nunca verdadeiramente amou,

quem o negar é porque mente

ou porque nunca realmente amou.

Podemos olhar noutras direções,

podemos evitar esses caminhos,

mas são meras ilusões

porque no fundo permanecemos sozinhos.

Há uma pessoa que bate um dia,

que bate forte e sem retorno,

nunca ninguém antevia

que esse sentimento provocasse tanto transtorno.

Lutar contra o amor,

é lutar contra a nossa existência,

é entrar num imenso torpor

que apenas nos leva à decadência.

O amor move montanhas,

move céu e terra em conjunto,

por amor executamos façanhas,

mas não falemos mais deste assunto...

(Mafalda)

14-11-2013 21:38

Quando eu era pequenina

gostava de ir ao planetário

ficava lá bem quietinha

naquele mundo imaginário.

Admirava o universo,

as constelações

e o céu,

era um mundo diverso

onde se procuravam explicações

para tudo o que aconteceu.

Hoje olho para as mesmas coisas,

mas ao vivo e a cores,

sento-me nas frias lousas

e tento evitar mais dissabores.

O mundo é uma imensidão,

onde nada acontece por acaso,

há sempre uma simples explicação

para todo e qualquer caso.

É uma verdade absoluta 

que depois da tempestade vem a bonança,

mas quando um homem não é resoluto

deixa sempre uma réstia de esperança...

(Mafalda) 

14-11-2013 21:30

Picasso teve duas fases,

uma azul outra rosa,

eu gosto de lilases

mas só quando escrevo em prosa.

Escrevo poesia que sinto

que faz parte do meu ser,

aqui não minto

nem faço por me esquecer.

Às vezes estou cinzenta,

outras vezes num negro profundo,

lembro-me dos anos noventa

altura em que quis mudar o mundo.

Mudei os tons da paleta,

adotei as cores mais vivas,

vou olhando a ampulheta

em que se tornou a minha vida.

Do negro ao laranja,

do cinzento ao encarnado,

aos poucos tudo se arranja

e o mundo começa a ser edificado.

Desta vez será feito com cimento,

para que resista às tempestades,

não posso permitir ao vento

que me traga novas contrariedades.

Mundo colorido e com algum brilho,

torna uma pessoa mais leve,

desejar que não apareça nenhum sarilho

num futuro muito em breve...

(Mafalda)

14-11-2013 21:11

14-11-2013 20:55

Viver num mundo perfeito

onde tudo é colorido,

é apenas um devaneio

de quem muito tem sofrido.

Sofre-se sem razão de ser,

a nossa dor é a nossa desgraça,

sofre-se porque não se sabe perder

e enquanto se sofre o tempo passa.

Relativizar o sofrimento

é norma neste muito colorido,

aproveitar o momento

revela-se muito mais divertido.

Sonho que vivo num antro de paz

onde o amor brota em todas as pedras,

não há um único ser incapaz

de se disfarçar na imensidão das tundras.

Todos somos reais,

sinceros e transparentes,

não há momentos teatrais

nem situação deveras deprimentes.

Sonho com um mundo sem máscaras

onde só há honestidade,

tudo é feito às claras

sem qualquer promiscuidade.

O amor vive-se em pleno,

nem faria sentido ser de outra maneira,

não há nada de obsceno

em imaginar uma vida verdadeira...

(Mafalda)

13-11-2013 23:03

Certa é a incerteza de ainda te ter

certeza alguma ainda consegue haver,

a única certeza é a incerteza

se um dia te vou voltar a ver.

Incerteza do teu sentir,

porque o que eu sinto é uma certeza,

se ainda consigo sorrir

esse sorriso só mostra muita tristeza.

Incerteza que é certa,

certeza da incerteza,

quando devia ser esperta

aqui permaneço presa.

Presa numa prisão sem grades,

presa na liberdade,

liberdade que me põe entraves

e me obriga à obscuridade.

Certeza da escuridão

escuridão cheia de luz,

malvado coração

que pensa em ti e reluz.

Certeza, incerteza,

escuridão, claridade,

total falta de esperteza,

prisão em liberdade...

(Mafalda)

13-11-2013 22:54

Hoje.

Só hoje.

Dá-me o teu calor,

o teu aconchego.

Hoje.

Só hoje.

Preciso do teu amor

mas ele não chega.

Hoje.

Não sei porquê, hoje.

Carente de ti,

preciso do teu afeto,

acredito em mim,

acredito que voltas a este teto.

Hoje.

Só hoje.

Não me negues a tua presença

não ignores o teu coração,

de ninguém és pertença

deixa-nos sair desta solidão.

Hoje.

Apenas hoje.

Dá um passo rumo à tua vida,

avança sem hesitar,

ainda não estou perdida,

ainda te continuo a amar.

Hoje.

Só hoje.

E que hoje sejam todos os dias,

amanhã, depois e depois,

liberta-nos das agonias,

tu e eu somos só os dois.

(Mafalda)

13-11-2013 21:28
"Não fugir. Suster o peso da hora
Sem palavras minhas e sem os sonhos,
Fáceis, e sem as outras falsidades.
Numa espécie de morte mais terrível
Ser de mim despojado, ser
abandonado aos pés como um vestido.
Sem pressa atravessar a asfixia.
Não vergar. Suster o peso da hora
Até soltar sua canção intacta."
 
(Cristovam Pavia)
 
13-11-2013 21:20
"Eles não sabem que o sonho
é uma constante da vida
tão concreta e definida
como outra coisa qualquer,
como esta pedra cinzenta
em que me sento e descanso,
como este ribeiro manso,
em serenos sobressaltos,
como estes pinheiros altos,
que em oiro se agitam,
como estas aves que gritam
em bebedeiras de azul.
 
Eles não sabem que o sonho
é vinho, é espuma, é fermento,
bichinho alacre e sedento,
de focinho pontiagudo,
que foça através de tudo
num perpétuo movimento.
 
Eles não sabem que o sonho
é tela, é cor, é pincel,
base, fuste, capitel,
arco em ogiva, vitral,
pináculo de catedral,
contraponto, sinfonia,
máscara grega, magia,
que é retorta de alquimista,
mapa do mundo distante,
rosa dos ventos, Infante,
caravela quinhentista,
que é cabo da Boa Esperança,
ouro, canela, marfim,
florete de espadachim,
bastidor, passo de dança,
Colombina e Arlequim,
passarola voadora,
pára-raios, locomotiva,
barco de proa festiva,
alto-forno, geradora,
cisão de átomo, radar,
ultra-som, televisão,
desembarque em foguetão
na superfície lunar.
Eles não sabem, nem sonham,
que o sonho comanda a vida.
Que sempre que o homem sonha
o mundo pula e avança
como bola colorida
entre as mãos de uma criança."
 
(António Gedeão)
 
13-11-2013 21:13
"Pára-me de repente o pensamento
Como que de repente refreado
Na doida correria em que levado
Ia em busca da paz do esquecimento.
 
Pára surpreso, escrutador, atento,
Como pára um cavalo alucinado
Ante um abismo súbito rasgado.
Pára e fica, e demora-se um momento.
 
Pára e fica, na doida correria.
Pára à beira do abismo, se demora.
E mergulha na noite escura e fria.
 
Um olhar de aço, que essa noite explora.
Mas a espora da dor seu flanco estria,
E ele galga e prossegue sob a espora..."
 
(Ângelo de Lima)
 
13-11-2013 21:09
"Vive, dizes, no presente,
Vive só no presente.
 
Mas eu não quero o presente, quero a realidade;
Quero as cousas que existem, não o tempo que as mede.
 
O que é o presente?
É uma cousa relativa ao passado e ao futuro.
É uma cousa que existe em virtude de outras cousas existirem.
Eu quero só a realidade, as cousas sem presente.
 
Não quero incluir o tempo no meu esquema.
Não quero pensar nas cousas como presentes; quero pensar nelas 
como cousas.
Não quero separá-las de si-próprias, tratando-as por presentes.
 
Eu nem por reais as devia tratar.
Eu não as devia tratar por nada.
 
Eu devia vê-las, apenas vê-las;
Vê-las até não poder pensar nelas,
Vê-las sem tempo, nem espaço,
Ver podendo dispensar tudo menos o que se vê. 
É esta a ciência de ver, que não é nenhuma."
 
(Alberto Caeiro)
 
13-11-2013 19:10
"De quem nunca esperei, baixei a guarda e caí
É melhor estar à espera da queda, concluí
Que para confiar temos que conhecer bem
Confio em quem conheço mas não conheço ninguém
Só nos magoam os que amamos
Só nos podem desiludir as pessoas em quem nós confiamos
Porque os outros não têm esse poder
Certo é que sem confiança há pouco mais a perder
Se calhar não há amigos apenas rasgos de amizade
E ninguém é feliz mas há momentos de felicidade
E quem perdoa merece louvor
A vida é curta demais para se viver com rancor
 
Não és tu sou eu
Não consigo confiar
Já caí tantas vezes que já me custa a acreditar
Problemas de confiança
Não és tu sou eu
Não consigo confiar
Já caí tantas vezes que já me custa levantar...
 
Sou transparente por isso que tu não me vês
E a confiança é tipo virgindade, só se perde uma vez
Desculpo a quem me traiu, confiando mas não confio
Perdoo mas não esqueço, palavra de quem já caiu
O tempo dirá se ponho bois em frente a carroças
Às vezes pequenas mentiras fazem grandes mossas
Acredito a falar é que a gente se entende
Quem não o faz, é quem se arrepende
 
O ser humano é egoísta, mente como respira
A verdade pode doer mas não tanto como a mentira
Seria bem melhor se as pessoas fossem sinceras
Puxa uma cadeira enquanto esperas
Errar, erramos todos mas nem todos o admitem
Tantas vezes escapam os sinais que transmitem
As pessoas não comunicam, não falam, não expressam
Não se entendem, stressam e nem às paredes se confessam
Mas a frontalidade às vezes pode doer
Não perguntes o que não queres saber
Ser ou não ser eis a eterna batalha
Quando alguém nos falha
O coração só atrapalha"
 
(Boss AC)
 
"A confiança é tipo virgindade, só se perde uma vez..."
 
13-11-2013 09:00

Quando se dorme mal de noite

sem qualquer motivo aparente,

pensa-se que há algo superior que assim obriga

para não deixar fugir um amor premente.

Quando se acorda com má disposição

sem nada o ter justificado,

pensa-se logo no coração

que está a dar o seu sinal mas da forma errada.

Quando se está ansioso

e não se percebe o motivo,

pensa-se num desejo caprichoso

de tornar o mundo invertido.

Serão sinais,

será imaginação,

os factos são reais

e não há solução.

Regressaste ao teu emprego,

acabaram as "nossas" férias,

eu entrei em desassossego

por querer quebrar as regras.

Apenas disse que ia avançar,

refazer a minha vida,

de ti já nada tenho a esperar

desde a hora da tua partida.

Não me acordes às cinco

por estares a precisar de mim,

usa todo o teu afinco

para deixares de viver assim.

O prazo está a acabar,

o Natal está à porta,

se me queres recuperar

fá-lo antes que eu esteja morta.

Morta em sentido figurado

que é como eu ficarei,

ao deixar de ter um amor imaculado

pelo qual já muito esperei.

Se me queres vem,

antes que seja tarde,

se não me queres deixa-me ir mais além

porque o meu corpo já arde.

Não me prendas em pensamentos,

não me faças dormir mal,

tiveste tempo de ouvir os meus lamentos

mas nada fizeste, afinal.

Não tens esse direito,

 "assombrar-me" sempre que penso em partir,

se alguma coisa tivesses feito

podias ter-me impedido de ir.

Ainda não fui mas estou prestes,

estou cansada desta solidão,

a tua vida refizeste

e hoje estou em dia não...

(Mafalda)

12-11-2013 21:39

Às vezes olho para este ecrã sem saber o que dizer

tal a velocidade dos meus pensamentos,

com muita dificuldade começo a escrever

um relato de todos os meus momentos.

Momentos em que proporciono satisfação,

em que se sentem orgulhosos de mim,

amigos são o pilar da minha realização

e é essa a maior virtude em mim.

Não abdico de nenhum deles,

nunca o conseguiria fazer,

a amizade é a minha segunda pele

e só ela me dá prazer.

O prazer de conviver, de brincar,

de chorar, de desabafar,

de edificar, de superar,

são estes os prazeres que só os amigos nos podem dar.

A família nós herdamos,

os amigos nós escolhemos,

a todos de igual forma amamos

e viver sem eles não podemos.

Aos meus bons Amigos,

às pessoas que ainda me aturam, enfim,

aqui vos deixo estes simples mimos

por não terem nunca desistido de mim!

(Mafalda)

12-11-2013 21:15

Vento cortante que tudo arrasta

barulhos sinistros por entre os ramos,

gosto deste frio que não me agasta

e leva para longe todos os meus danos.

Sinistra é a floresta nestas alturas,

tem cheiro a medo e a magia,

habitada por imensas criaturas

assusta-nos e atrai-nos, que grande ironia.

Gosto de sentir o frio a penetrar

pelo meio de todos os agasalhos,

é algo que não consigo evitar

tal como nunca opto por atalhos.

Direta ao ponto de chegada,

faça sol, frio ou chuva,

quando a carta é lançada

a sorte assenta que nem uma luva.

(Mafalda)

11-11-2013 23:29

Não... eu não vou deixar de te amar,

desculpa se isso dei a entender,

apenas me vou tentar ocupar

para não te estar sempre a querer.

Não mando no meu coração,

se mandasse já tinha desistido,

apenas estou farta desta solidão

para a qual fui muito bem remetida.

Esta mulher tem necessidades,

tal como tu tens e as concretizas,

basta encontrar algumas afinidades

e pode ser que as coisas se realizem.

Não me despeço de ti,

porque isso seria irreal,

apenas a solidão escolhi

porque não haverá nunca outro igual.

Tu és tudo o que me importa,

por quem viro o mundo ao contrário,

mas não passar da cepa torta

não me dá nada de extraordinário.

Apenas me sinto esquecida

por quem um dia muito me amou,

e hoje estou mesmo decidida

a sair da situação em que estou.

Quero-te mas não me queres,

amo-te mas não me amas,

enquanto por nós nada fizeres

estou cansada de pagar estas derramas.

Vou tratar da minha vida,

vou acordar como tantas vezes me mandaste,

por ti fui mesmo esquecida,

só tu é que não hibernaste...

(Mafalda)

11-11-2013 22:45

Ao longo de muito tempo aprendi

que a vida é demasiado curta para se desperdiçar,

ao longo do tempo já muito sofri

permito-me agora decidir avançar.

Fazer tudo o que me apetecer

sem ferir suscetibilidades,

a vida é para se viver

não para esperar eternidades.

Sou louca, talvez seja,

mas de nada adianta estagnar,

nunca senti qualquer inveja

por quem sai sempre a ganhar.

Está na hora de aceitar,

de mudar a forma de estar,

está na hora de libertar

um amor que já deu tudo o que tinha para dar.

O tempo traz uma grande incógnita atrás de si,

o destino ou o que lhe queiram chamar,

recordo com amor tudo o que vivi

mas chegou a hora de mudar.

Se sentir mudasse o rumo

e as saudades te trouxessem de volta,

se chorar perante um muro

servisse para deixar sair a revolta,

tudo isso eu adotaria como rotina

para voltar a ter a tua imagem na minha retina...

(Mafalda)

11-11-2013 22:12
 
"Há sempre a escolha entre voltar atrás para a segurança ou seguir em frente para o crescimento.
 
O crescimento deve ser escolhido uma, duas, três e infinitas vezes.
 
O medo deve ser superado uma, duas, três e infinitas vezes."
 
(Abraham Maslow)
 
 
11-11-2013 22:06
"... E de novo acredito que nada do que é importante se perde verdadeiramente.
 
Apenas nos iludimos, julgando ser donos das coisas, dos instantes e dos outros.
 
Comigo caminham todos os mortos que amei, todos os amigos que se afastaram, todos os dias felizes que se apagaram.
 
Não perdi nada, apenas a ilusão de que tudo podia ser meu para sempre."
 
(Miguel Sousa Tavares)
 
11-11-2013 21:51
"Vem, 
Além de toda a solidão 
Perdi a luz do teu viver 
Perdi o horizonte. 
 
Está bem, 
Prossegue lá até quereres 
Mas vem depois iluminar 
Um coração que sofre. 
 
Pertenço-te, 
Até ao fim do mar 
Sou como tu
Da mesma luz 
Do mesmo amar.
 
Por isso vem, 
Porque te quero 
Consolar. 
Se não está bem 
Deixa-te andar a navegar."
 
(Pedro Ayres de Magalhães)
 
11-11-2013 21:47
"Há noites que são feitas dos meus braços
E um silêncio comum às violetas.
E há sete luas que são sete traços
De sete noites que nunca foram feitas.
 
Há noites que levamos à cintura
Como um cinto de grandes borboletas.
E um risco a sangue na nossa carne escura.
Duma espada à bainha dum cometa.
 
Há noites que nos deixam para trás
Enrolados no nosso desencanto
E cisnes brancos que só são iguais
À mais longínqua onda do seu canto.
 
Há noites que nos levam para onde
O fantasma de nós fica mais perto;
E é sempre a nossa voz que nos responde 
E só o nosso nome estava certo.
 
Há noites que são lírios e são feras
E a nossa exactidão de rosa vil
Reconcilia no frio das esferas
Os astros que se olham de perfil."
 
(Natália Correia)
 
11-11-2013 21:45

Bem no fundo de nós próprios

existe um imenso mar por explorar,

nem sempre estamos sóbrios

o suficiente para o apreciar.

Perdemos uma vida para nos conhecermos

morremos sem saber tudo sobre nós,

ao longo do tempo vamos aprendendo

que nem sempre falamos a uma só voz.

Somos vários dentro do mesmo,

um cardume de grandes proporções,

sentimos que não há um fim nesse abismo

e os pensamentos atrapalham-se em turbilhões.

Não somos seres fáceis,

como os peixinhos no fundo do mar,

acabamos por não ser dóceis

quando passamos uma vida a procurar.

Procuramos tudo o que não temos,

o que outrora tivemos e já perdemos,

procuramos e nunca encontramos

e entretanto vão passando os anos.

Exploremos o nosso mar,

a imensidão que nos define,

para isso temos de deixar de esperar

e afastar o nosso olhar daquela vitrine...

(Mafalda)

11-11-2013 21:08

Posso passar o resto da minha vida

a chamar por quem não está presente,

a suplicar um amor ausente,

a implorar que a vida regrida.

Posso passar o resto do meu tempo

a esperar por quem não vem,

a procurar aqui e além,

a tentar escutar o que me diz o vento.

Posso passar o resto da minha existência

a pensar no meu passado,

a viver em função de um sentimento abandonado,

a não usar um ponto mas sempre a reticência.

Posso passar

ou posso parar,

posso apanhar o próximo avião

ou posso ficar sempre nesta solidão...

(Mafalda)

11-11-2013 20:58

Hoje sinto-me endiabrada

como há muito não me sentia,

extremamente bem humorada

à espera que a vida sorria.

De nada vale não aproveitar,

não gozar o que a vida nos dá,

estaria muito longe de imaginar

que ainda daria cartas por cá.

É bom ser elogiado,

é bom sentirmo-nos alguém,

se não me tivesses deixado

não estaria agora neste vaivém.

"...Rimar todos rimam,

escrever poesia é muito difícil...",

soube-me tão bem o elogio

vindo de um local tão impossível...

(Mafalda)

10-11-2013 23:53
 
考えているしたいのですが。
 
1 日戻ってくるつもりです。
 
それは私をサポート
 
あなたを愛することの緊急性。
 
...
 
Ich gerne glauben
 
eines Tages wirst du wieder kommen.
 
Das macht mich unterstützen
 
die Dringlichkeit der dich zu lieben.
 
...
 
Je veux croire
 
un jour vous allez revenir.
 
Qui me fait supporter
 
l'urgence de t'aimer.
 
...
 
I like to believe
 
one day you're going to come back.
 
That makes me support
 
the urgency of loving you.
 
...
 
我願意相信
 
你要回來的一天。
 
這讓我支援
 
愛你的緊迫感。
 
...
 
Všeč mi je, da verjamem
 
Nekega dne, da boš prišel nazaj.
 
Da me podpirajo
 
nujnost ljubezni vas.
 
...
 
Páči sa mi veriť
 
jedného dňa budete vracať.
 
To ma podporu
 
naliehavosť milovať.
 
...
 
Me gusta creer
 
un día vas a regresar.
 
Eso me hace apoyar
 
la urgencia de amarte.
 
...
 
Ma tahan uskuda
 
ühel päeval sa lähed tagasi tulla.
 
See teeb mind toetada
 
armastav teid kiireloomulisust.
 
...
 
Haluan uskoa
 
yksi päivä aiot palata.
 
Tämä saa minut tukemaan
 
kiireellisesti rakastaa sinua.
 
...
 
Θέλω να πιστεύω
 
μια μέρα θα πάμε για να επανέλθει.
 
Που κάνει μου υποστήριξη
 
τον επείγοντα χαρακτήρα της αγάπης σας.
 
...
 
मैं विश्वास करना
 
एक दिन तुम वापस आने के लिए जा रहे हैं।
 
कि मुझे समर्थन करता है
 
तुम प्यार की जरूरत।
 
...
 
Ik graag geloven
 
op een dag zul je om terug te komen.
 
Dat maakt me ondersteuning
 
de urgentie van liefdevolle u.
 
...
 
Szeretem azt hinni
 
egy nap, mész, hogy jöjjön vissza.
 
Ez tesz engem támogatása
 
Szeretlek sürgősségét.
 
...
 
Saya ingin percaya
 
suatu hari Anda akan kembali.
 
Yang membuat saya mendukung
 
urgensi mencintai Anda.
 
...
 
Mi piace credere
 
un giorno hai intenzione di tornare.
 
Che mi fa sostenere
 
l'urgenza di amarti.
 
...
 
Man patīk domāt
 
kādu dienu jūs gatavojas nākt atpakaļ.
 
Tas padara mani atbalsta
 
mīlošs jums steidzamību.
 
...
 
Man patinka manyti
 
vieną dieną jūs ketinate grįžti.
 
Todėl man remti
 
skubos tvarka mylėti jus.
 
...
 
Jeg liker å tro
 
en dag du skal komme tilbake.
 
Det gjør meg støtte
 
hastet med å elske deg.
 
...
 
Chciałbym wierzyć
 
pewnego dnia masz zamiar wrócić.
 
To sprawia, że wsparcie
 
pilność cię kochać.
 
...
 
Îmi place să cred că
 
într-o zi vei reveni.
 
Asta mă face să mă sprijin
 
urgenţa te iubesc.
 
...
 
Хотелось верить
 
один день вы собираетесь вернуться.
 
Это делает меня поддерживает
 
актуальность любить тебя.
 
...
 
Jag vilja tro
 
en dag du kommer att komma tillbaka.
 
Det gör mig stöd
 
brådskan att älska dig.
 
...
 
ชอบเชื่อ
 
วันหนึ่งคุณจะกลับมา
 
ที่ทำให้ผมสนับสนุน
 
ความเร่งด่วนของรักคุณ
 
...
 
Líbí se mi věřit
 
jednoho dne budeš vracet.
 
To je pro mě podpora
 
naléhavost milovat vás.
 
...
 
Ben inanıyorum gibi
 
bir gün geri dönecek.
 
Kendimi destek
 
Seni sevmek bir aciliyet.
 
...
 
Я хотів би вірити
 
один день ви збираєтеся повернутися.
 
Що змушує мене підтримки
 
актуальність любити тебе.
 
...
 
Tôi muốn tin rằng
 
một ngày bạn sẽ quay lại.
 
Điều đó làm cho tôi hỗ trợ
 
mức độ khẩn cấp của yêu thương bạn.
 
...
 
أود أن أعتقد
 
يوم واحد كنت تريد الذهاب إلى العودة.
 
أن يجعل لي الدعم
 
الحاجة الملحة إلى المحبة لك.
 
...
 
M'agrada creure
 
un dia vas a tornar.
 
Això fa que em donen suport
 
la urgència d'estimar-te.
 
...
 
Mwen renmen pou kwè ke
 
yon sèl jou nou pral tounen.
 
Sa fè m' sipòte
 
urgence de renmen ou.
 
...
 
Jeg gerne tro
 
en dag du vil komme tilbage.
 
Det gør mig støtte
 
haster med at elske dig.
 
...
 
Gosto de acreditar
 
que um dia vais voltar.
 
Só isso me faz suportar
 
a premência de te amar.
 
(Mafalda)
 
10-11-2013 23:01

Esperar

avançar

ir

ficar.

Acreditar

esquecer

seguir

estagnar.

Viver

existir

aproveitar

hibernar...

(Mafalda)

10-11-2013 21:18
"Em vez da consoada há um baile de máscaras
Na filial do Banco erigiu-se um Presépio
Todos estes pastores são jovens tecnocratas
que usarão dominó já na próxima década
 
Chega o rei do petróleo a fingir de Rei Mago
Chega o rei do barulho e conserva-se mudo
enquanto se não sabe ao certo o resultado
dos que vêm sondar a reacção do público
 
Nas palhas do curral ocultam microfones
O lajedo em redor é de pedras da Lua
Rainhas de beleza vêm de helicóptero
e é provável até que se apresentem nuas
 
Eis que surge no céu a estrela prometida
Mas é para apontar mais um supermercado
onde se vende pão já transformado em cinza
para que o ritual seja muito mais rápido
 
Assim a noite passa E passa tão depressa
que a meia-noite em vós nem se demora um pouco
Só Jesus no entanto é que não comparece
Só Jesus afinal não quer nada convosco."
 
(David Mourão-Ferreira)
 
10-11-2013 21:13
"O poema não é o canto 
que do grilo para a rosa cresce. 
O poema é o grilo 
é a rosa 
e é aquilo que cresce. 
 
É o pensamento que exclui 
uma determinação 
na fonte donde ele flui 
e naquilo que descreve. 
O poema é o que no homem 
para lá do homem se atreve. 
 
Os acontecimentos são pedras
e a poesia transcendê-las 
na já longínqua noção 
de descrevê-las.
 
E essa própria noção é só 
uma saudade que se desvanece 
na poesia. Pura intenção 
de cantar o que não conhece."
 
(Natália Correia)
 
10-11-2013 21:09
"Lembrar teus carinhos induz 
a ter existido um pomar 
intangíveis laranjas de luz 
laranjas que apetece roubar. 
 
Teu luar de ontem na cintura 
é ainda o vestido que trago 
seda imaterial seda pura 
de criança afogada no lago. 
 
Os motores que entre nós aceleram 
os vazios comboios do sonho 
das mulheres que estão à espera 
são o único luto que ponho."
 
(Natália Correia)
 
10-11-2013 21:05

Isto é estranho e surreal,

escrever para quem não me lê,

o que espero afinal

de quem nem sequer me vê?

Isto é estranho e confuso,

às vezes até eu penso assim,

escrevo para um recluso

a quem não é permitido ler, enfim...

Isto é estranho e absurdo,

dedicar horas a fio

a quem insiste em ser surdo

e não ouve o meu desafio.

Isto é estranho e masoquista

continuar a pensar que me queres,

se até agora não optaste pela reconquista

deve ser porque tens outros afazeres...

(Mafalda)

10-11-2013 20:10

Que fácil seria

se eu pudesse ser uma bola de sabão,

tudo saberia

e estaria sempre na palma da tua mão.

Que colorida iria ser

que ilusões iria criar,

àqueles pequenos seres

que comigo iriam brincar.

Pairaria sobre o mundo inteiro

cheia de vontade de aprender,

não precisaria de dinheiro

nem teria mais nada para fazer.

Voaria ao sabor do vento,

absorveria a água da chuva,

não passaria por nenhum tormento

pois seria pequenina como uma uva.

Ninguém daria por mim,

apenas quem gostasse de ilusões,

viveria feliz, enfim,

sem sofrer quaisquer deceções.

Voaria rumo a um lugar certo,

seria livre para te procurar,

ficarias boquiaberto

com a minha capacidade de aguentar.

Queria ser uma bola de sabão,

admirada pelo teu olhar,

por ela terias uma louca paixão

e acabarias por te apaixonar.

Andarias sempre com ela,

para qualquer lugar onde fosses,

seria a tua única estrela,

esquece-la... nunca ouses!

(Mafalda)

10-11-2013 19:54

Nesta época natalícia

detesto andar na rua,

tenho de usar toda a minha perícia

para contornar cada rua.

Não gosto de lojas cheias,

fujo sempre das confusões,

decorações pagas a meias

entre vendedores de ilusões.

Não me diz nada

e incomoda-me saber que se excedem limites,

vivo o Natal de forma alienada

consola-me apenas saber que tu existes.

Existes para mim

mas eu não existo para ti,

já sei viver assim

mas não foi para isto que eu nasci.

Nasci para ser amada ao vivo,

não à distância nem em pensamentos,

de fato o conceito de viver é muito subjetivo

ninguém consegue ter todos os elementos.

Não gosto desta altura do ano,

traz-me depressão e angústia

quando vivia no engano

tinha que manter alguma astúcia.

Este ano ainda gosto menos,

porque prometeste que estarias aqui,

recordar coisas de somenos

só me faz sentir mais falta de ti...

(Mafalda)

10-11-2013 19:52

10-11-2013 19:13

Escondida do mundo

assim passei o meu dia,

ontem o choque foi profundo

ao constatar como ainda doía.

Doeu ler o que se escreveu,

as palavras e juras de amor,

daí não acreditar que morreu

um sentimento tão avassalador.

Doeu como se fosse agora,

de nada me adianta ir reler,

a saudade devastadora

apenas me fez voltar a sofrer.

Mas mesmo que não leia, oiço,

em todos os momentos dos meus dias,

a minha mente está sempre em rebuliço

a pensar no que comigo vivias.

Oiço o que me contavas,

consigo reviver todas as conversas,

lembro-me de dizeres que me amavas

e de tudo o que passava nas nossas mentes perversas.

Fazes parte da minha vida

de cada um dos meus momentos,

apenas andas na direção invertida

fugindo dos teus próprios sentimentos.

(Mafalda)

09-11-2013 21:10

Caí no erro de reler

as últimas coisas que nós escrevemos,

acabei neste momento de o fazer

e hoje, por aqui, ficaremos...

Desculpem. Boa noite.

(Mafalda)

09-11-2013 20:59

Revelei-me todos os dias

durante meses a fio,

aos poucos reabri-te o coração

e deixei de sentir o vazio.

Mostrei-me nua de segredos

dei o que de melhor e pior existe em mim,

fui remetendo a degredos

quem não me aceitava assim.

Abri-te o meu coração,

o corpo, a alma, a mente,

revelei até à exaustão

todo o meu amor ardente.

Fui ouvidos de quem quis falar,

contar segredos bem escondidos,

cumplicidade sempre a aumentar,

do tempo perdido fomos ressarcidos.

Fui ombro de quem quis chorar,

de quem se abriu por fim,

de quem me disse amar

e não saber viver sem mim.

Dei tudo o que podia,

procurei o que não estava ao meu alcance,

sempre que o fazia

ajudava a construir a nossa nuance.

Acreditei piamente

que tudo daria certo um dia,

mas quando o dia chegou

a alegria virou agonia.

Nada mais podia fazer,

tenho a consciência tranquila,

se palavras duras acabei por dizer

foi apenas porque muito sofria.

Quando cai tudo por terra,

todos os sonhos,

toda a esperança de ser feliz,

não entendeste que quem desespera

deixa de saber o que diz?

Só por isso posso pedir perdão,

por dizer o que não devia,

acatei toda e qualquer decisão

mesmo que fosse tomada à revelia.

Acreditei uma e duas e mais vezes

que seria naquele momento,

por favor não desprezes

quem se manteve sempre paciente.

Um dia a corda parte,

a angústia vira um sufoco,

cabia-te a ti a arte

de explicar o unívoco.

Desististe, ignoraste-me,

magoaste-me com a tua indiferença,

no final calaste-te

e ditaste a sentença.

Desististe, ignoraste-me,

magoaste-me com a tua indiferença,

no final esqueceste-te

que vou estar sempre na tua presença...

(Mafalda)

09-11-2013 20:24

Já aceito bem a tua ausência,

mas ainda preciso de ti a meu lado,

há dias em que a abstinência

se torna um fardo muito pesado.

Já rio com vontade

já procuro as pessoas,

já recuperei um pouco de vaidade

talvez porque têm acontecido coisas boas.

Já lido bem com a solidão,

já me aceito como boa companhia,

mas muitas vezes ao serão

nem imaginas as loucuras que eu te faria.

Já acredito novamente em mim,

no meu valor como pessoa,

aos poucos tenho percebido, enfim,

que a vida até pode ser boa.

Mas os sentimentos permanecem,

enraizados e indestrutíveis,

as emoções não desfalecem,

sonham com momentos mais aprazíveis.

Faço muitas vezes a pergunta

do "porquê" do que aconteceu

e o que mais me assusta

é pensar que o meu amor nunca me conheceu...

(Mafalda)

09-11-2013 20:12

Como se pode ter saudades

do que só se teve uma vez?

Estranha forma de estar a minha

mas hoje não queria estar sozinha...

Queria um serão igual

ao que tivemos um dia,

chamaste-lhe o melhor em muitos anos

mas afinal tudo isso foram enganos.

Apetecia-me enroscar no teu colo,

receber o teu carinho,

se isso me servir de consolo

posso sempre beber um copo de vinho.

Posso fazer o que fiz

no fim de ano passado,

sozinha tive de beber

para ter um sono descansado.

Hoje, não sei porquê,

queria-te mesmo a meu lado,

talvez por estar a dar o dérbi na TV

e me obrigar a recordar o passado.

Tantos momentos a dois

que se perderam no tempo,

há muita alegria e depois

entramos em sofrimento.

Queria-te a meu lado,

hoje, principalmente,

este amor sufocado

mata-me literalmente...

(Mafalda)

08-11-2013 21:31
"Palavras,
sereis apenas mitos
semelhantes ao mirto
dos mortos?
Sim,
conheço
a força
das palavras,
menos que nada,
menos que pétalas pisadas
num salão de baile,
e no entanto
se eu chamasse
quem dentre os homens me ouviria
sem palavras?"
 
(Carlos de Oliveira)
 
08-11-2013 21:26
"Não me peças mais canções
Porque a cantar vou sofrendo;
Sou como as velas do altar
Que dão luz e vão morrendo.
 
Se a minha voz conseguisse
Dissuadir essa frieza
E a tua boca sorrisse!
Mais sóbria por natureza.
 
Não a posso renovar
E o brilho vai-se perdendo...
— Sou como as velas do altar 
Que dão luz e vão morrendo."
 
(António Botto)
 
08-11-2013 20:59

Escrevo sobre o calor,

escrevo sobre o frio,

tudo para sair do torpor

de te esperar dias a fio.

Antes já muitos escreveram,

por motivos que só eles saberão,

pergunto-me se um dia esqueceram

as dores inerentes à solidão.

Escrevo sobre o mar,

escrevo sobre a lua,

tudo por não te poder amar

por não voltar a ser tua.

Antes já muitos sofreram

as amarguras de um desencontro,

pergunto-me se sobreviveram

à magia de um segundo encontro.

Escrevo sobre a terra,

escrevo sobre o ar,

tudo porque estou à espera

do dia que vai chegar.

Antes já muitos sonharam

que um dia iam ser felizes,

pergunto-me se um dia acabaram

de deixar de ser meros aprendizes.

Escrevo e escreverei,

enquanto tiver vontade de falar,

chegará o dia em que saberei

que é a certa altura para parar.

Enquanto tiver esta voz em mim,

enquanto escutar os ecos de uma emoção,

vou continuar sempre assim,

vou tentando atenuar a nossa separação...

(Mafalda)

08-11-2013 20:56
"Tudo é frio e gelado. O gume dum punhal
Não tem a lividez sinistra da montanha
Quando a noite a inunda dum manto sem igual
De neve branca e fria onde o luar se banha.
 
No entanto que fogo, que lavas, a montanha
Oculta no seu seio de lividez fatal!
Tudo é quente lá dentro…e que paixão tamanha
A fria neve envolve em seu vestido ideal!
 
No gelo da indiferença ocultam-se as paixões
Como no gelo frio do cume da montanha
Se oculta a lava quente do seio dos vulcões…
 
Assim quando eu te falo alegre, friamente,
Sem um tremor de voz, mal sabes tu que estranha
Paixão palpita e ruge em mim doida e fremente!"
 
(Florbela Espanca)
 
08-11-2013 20:51
"Somente aquele que foi o mais sensível pode tornar-se o mais frio e o mais duro, para se defender do mais pequeno golpe - e esta própria couraça lhe pesa muitas vezes."
 
(Johann Goethe)
 
08-11-2013 20:46
"Quando está frio no tempo do frio, para mim é como se estivesse agradável, 
Porque para o meu ser adequado à existência das cousas 
O natural é o agradável só por ser natural. 
 
Aceito as dificuldades da vida porque são o destino, 
Como aceito o frio excessivo no alto do Inverno — 
Calmamente, sem me queixar, como quem meramente aceita, 
E encontra uma alegria no fato de aceitar — 
No fato sublimemente científico e difícil de aceitar o natural inevitável. 
 
Que são para mim as doenças que tenho e o mal que me acontece 
Senão o Inverno da minha pessoa e da minha vida? 
O Inverno irregular, cujas leis de aparecimento desconheço, 
Mas que existe para mim em virtude da mesma fatalidade sublime, 
Da mesma inevitável exterioridade a mim, 
Que o calor da terra no alto do Verão 
E o frio da terra no cimo do Inverno. 
 
Aceito por personalidade. 
Nasci sujeito como os outros a erros e a defeitos, 
Mas nunca ao erro de querer compreender demais, 
Nunca ao erro de querer compreender só corri a inteligência, 
Nunca ao defeito de exigir do Mundo 
Que fosse qualquer cousa que não fosse o Mundo." 
 
(Alberto Caeiro)
 
08-11-2013 20:32

Começa-se a instalar o frio,

a apetecer o calor de um corpo,

apenas tenho um colchão vazio

onde durmo a sono solto.

Gosto de sentir o frio na cara,

de passear com temperaturas negativas,

fico sempre com a visão mais clara

e acordo do mundo de expetativas.

Faz bem sentir frio,

só ele acalma a agrura,

apesar de estar com bom feitio

não recuperei ainda a ternura.

O frio faz-nos encolher,

faz-nos esconder e proteger,

frio gosto sempre de ter,

passeio na rua mas sem sofrer.

Vou concentrada na temperatura,

em não deixar enregelar a carne,

não há espaço para amargura

só porque quem ama... sempre arde!

(Mafalda)

07-11-2013 22:34

07-11-2013 22:20
"E por vezes as noites duram meses
E por vezes os meses oceanos
E por vezes os braços que apertamos
nunca mais são os mesmos
 
E por vezes encontramos de nós em poucos meses
o que a noite nos fez em muitos anos
E por vezes fingimos que lembramos
 
E por vezes lembramos que por vezes
ao tomarmos o gosto aos oceanos
só o sarro das noites não dos meses
lá no fundo dos copos encontramos
 
E por vezes sorrimos ou choramos
E por vezes por vezes ah por vezes
num segundo se evolam tantos anos."
 
(David Mourão-Ferreira)
 
07-11-2013 22:04
"Horas, horas sem fim,
graves, profundas,
esperarei por ti
até que todas as coisas sejam mudas.
 
Até que uma pedra irrompa
e floresça.
Até que um pássaro me saia da garganta
e no silêncio desapareça."
 
(Eugénio de Andrade)
 
07-11-2013 22:00
"Eis-me
Tendo-me despido de todos os meus mantos
Tendo-me separado de adivinhos mágicos e deuses
Para ficar sozinha ante o silêncio
Ante o silêncio e o esplendor da tua face
 
Mas tu és de todos os ausentes o ausente
Nem o teu ombro me apoia nem a tua mão me toca
O meu coração desce as escadas do tempo em que não moras
E o teu encontro
São planícies e planícies de silêncio
 
Escura é a noite
Escura e transparente
Mas o teu rosto está para além do tempo opaco
E eu não habito os jardins do teu silêncio
Porque tu és de todos os ausentes o ausente"
 
(Sophia de Mello Breyner Andresen)
 
07-11-2013 21:52
"A nossa vida, como repertório de possibilidades, é magnífica, exuberante, superior a todas as historicamente conhecidas. Mas assim como o seu formato é maior, transbordou todos os caminhos, princípios, normas e ideais legados pela tradição. É mais vida que todas as vidas, e por isso mesmo mais problemática. Não pode orientar-se no pretérito. Tem de inventar o seu próprio destino. 
 
Mas agora é preciso completar o diagnóstico. A vida, que é, antes de tudo, o que podemos ser, vida possível, é também, e por isso mesmo, decidir entre as possibilidades o que em efeito vamos ser. Circunstâncias e decisão são os dois elementos radicais de que se compõe a vida. A circunstância – as possibilidades – é o que da nossa vida nos é dado e imposto. Isso constitui o que chamamos o mundo. A vida não elege o seu mundo, mas viver é encontrar-se, imediatamente, em um mundo determinado e insubstituível: neste de agora. O nosso mundo é a dimensão de fatalidade que integra a nossa vida.
 
Mas esta fatalidade vital não se parece à mecânica. Não somos arremessados para a existência como a bala de um fuzil, cuja trajetória está absolutamente pré-determinada. A fatalidade em que caímos ao cair neste mundo – o mundo é sempre este, este de agora – consiste em todo o contrário. Em vez de impor-nos uma trajetória, impõe-nos várias e, consequentemente, força-nos... a eleger. Surpreendente condição a da nossa vida! Viver é sentir-se fatalmente forçado a exercitar a liberdade, a decidir o que vamos ser neste mundo. Nem num só instante se deixa descansar a nossa actividade de decisão. Inclusive quando desesperados nos abandonamos ao que queira vir, decidimos não decidir. 
 
É, pois, falso dizer que na vida «decidem as circunstâncias». Pelo contrário: as circunstâncias são o dilema, sempre novo, ante o qual temos de nos decidir. Mas quem decide é o nosso carácter." 
 
(Ortega y Gasset)
 
07-11-2013 21:47
"Podemos muito bem, se for esse o nosso desejo, vaguear sem destino pelo vasto mundo do acaso. Que é como quem diz, sem raízes, exactamente da mesma maneira que a semente alada de certas plantas esvoaça ao sabor da brisa primaveril.
 
E, contudo, não faltará ao mesmo tempo quem negue a existência daquilo a que se convencionou chamar o destino. O que está feito, feito está, o que tem se ser tem muita força e por aí fora. Por outras palavras, quer queiramos quer não, a nossa existência resume-se a uma sucessão de instantes passageiros aprisionados entre o «tudo» que ficou para trás e o «nada» que temos pela frente. Decididamente, neste mundo não há lugar para as coincidências nem para as probabilidades.
 
Na verdade, porém, não se pode dizer que entre esses dois pontos de vista exista uma grande diferença. O que se passa - como, de resto, em qualquer confronto de opiniões - é o mesmo que sucede com certos pratos culinários: são conhecidos por nomes diferentes mas, na prática, o resultado não varia."
 
(Haruki Murakami)
 
07-11-2013 21:08

Fecho os olhos, estás aqui,

ao meu lado, bem junto a mim,

o nosso caminho eu sempre segui

porque tinha mesmo de ser assim.

Cheguei à meta que desejava,

ter o teu cheiro sempre presente,

singelo desejo eu ambicionava,

sempre lhe dei valor enquanto estiveste ausente.

Mantenho os olhos fechados e aqui continuas,

sem qualquer intenção de partir,

palmilhamos ruas e ruas

e continuamos sempre a sorrir.

Os anos passam por nós

sem provocar qualquer dano,

agora já somos avós

e continua a não haver nenhum engano.

Fiéis aos nossos sentimentos,

nada abala a nossa relação,

todos os dias temos imensos momentos

em que deixamos solta a nossa imaginação.

Somos dois seres loucos e felizes,

invejados por quem passa,

parecemos dois simples petizes,

que por onde andam tudo arrasam.

Mantendo os olhos fechados,

é tudo isto o que eu vejo,

fechados nunca ficam cansados,

só se abrem com o toque do teu beijo.

Quero mantê-los assim,

fechados para a vida comum,

sonhar contigo sempre bem perto de mim,

caminhando os dois para lugar nenhum.

Contrariada lá os descerro,

devagar e com muita dor,

salva-me apenas o aferro

deste meu lado sonhador...

(Mafalda)

07-11-2013 20:58

Diz-se que o beijo tem palavras contidas,

palavras que não se dizem em voz alta,

que manifesta as emoções escondidas,

que releva tudo o que nos faz falta.

Dizem que o beijo é mágico,

que sai direto do coração,

quem beija não sofre um fim trágico

por ter de camuflar uma paixão.

Dizem que o beijo nos torna um só,

que é a união de pessoas que se amam...

Quero o teu beijo, tem dó!

Os meus lábios só por ti chamam...

(Mafalda)

07-11-2013 20:39

Tarde chego à minha escrita,

tem faltado a inspiração,

para escrever poesia bonita

não posso estar em negação.

Presunção da minha parte

dizer que o que escrevo é bonito,

eu que nunca tive a arte

de ter um vocabulário erudito.

Pegar numa caneta e escrever,

encher folhas em branco,

isso eu costumava fazer

sempre que tinha de proteger o flanco.

Sempre foi a minha escapatória

para dizer o que de outra forma não diria,

todos temos uma longa estória

todos passamos por momentos de agonia.

Tardo em chegar mas venho,

não consigo evitar escrever,

é o grito do amor que contenho

e que não posso deixar transparecer.

(Mafalda)

06-11-2013 21:28

Exalar um último suspiro

no aconchego do meu leito,

quando foge o ar que respiro

tudo se contrai dentro do meu peito.

Querer-te ver uma última vez

querer-te amar com serenidade,

será o meu último pedido, talvez,

antes de rumar para a eternidade.

Muitas vezes pergunto

o que sentirias se eu morresse...

(Mafalda)

06-11-2013 20:27

Espero por um carro que não chega,

pelo olhar que se cruze com o meu,

espero pelo dia de uma nova entrega

pelo dia de atingir o apogeu.

Espero por ti em cada rua que passo,

em cada lugar onde já estivemos,

ando e ando mas não sei o que faço,

apenas não esqueço tudo o que fizemos.

Espero pelo dia da claridade,

pela iluminação que irás ter,

tento viver na realidade

mas algo me diz que não te vou perder.

Não se pode perder o amor,

é a base da nossa existência,

uma vida onde só há dor

não consegue ter muita resistência.

Penso que me dizes o que escrever,

que é do teu coração que sai a minha energia,

agora nada mais podes fazer

só porque optaste por uma vida de afrasia.

Espero que voltes a ter voz,

que um dia consigas pensar em ti,

que voltemos a ser "nós",

só esperando isso a vida me sorri...

(Mafalda)

06-11-2013 19:46

06-11-2013 19:41

06-11-2013 19:29

Quero aproveitar este bocadinho

para deixar correr a escrita,

apetecia-me o teu carinho

mas continuo envolta na desdita.

Gostava de comemorar contigo

o que de bom me acontece,

mas continuas no teu abrigo

e pensar nisso só me entristece.

És a razão da minha loucura,

do meu projeto ambicioso,

limito-me a recordar a ternura

de um tempo mais auspicioso.

Queria brindar contigo,

agradecer-te este imenso brinde,

limito-me a reviver um amor antigo,

e a sonhar para que ele nunca finde.

És a razão do meu desabafo

a motivação que me faz escrever,

sentimentos que tenho conservado,

que me ajudam a não esmorecer.

A ti devo muitas lágrimas,

mas também imensas alegrias,

depois de uma época de grandes lástimas

cheguei finalmente à hegemonia.

Obrigada pelo amor que me deste

sem nada me pedir em troca,

mas também pelo sofrimento que me causaste

ao deixares-me à deriva nesta humilde toca.

(Mafalda)

05-11-2013 22:56

Cada folha um sentimento,

cada sentimento uma recordação,

com as recordações cubro todo um pavimento

mas mesmo assim não tenho os pés no chão...

(Mafalda)

05-11-2013 22:12

05-11-2013 21:56

05-11-2013 21:36
"Et si tu n'existais pas
Dis-moi pourquoi j'existerais
Pour traîner dans un monde sans toi
Sans espoir et sans regret
 
Et si tu n'existais pas
J'essaierais d'inventer l'amour
Comme un peintre qui voit sous ses doigts
Naître les couleurs du jour
Et qui n'en revient pas
 
Et si tu n'existais pas
Dis-moi pour qui j'existerais
Des passantes endormies dans mes bras
Que je n'aimerais jamais
 
Et si tu n'existais pas
Je ne serais qu'un point de plus
Dans ce monde qui vient et qui va
Je me sentirais perdu
J'aurais besoin de toi
 
Et si tu n'existais pas
Dis-moi comment j'existerais
Je pourrais faire semblant d'être moi
Mais je ne serais pas vrai
 
Et si tu n'existais pas
Je crois que je l'aurais trouvé
Le secret de la vie, le pourquoi
Simplement pour te créer
Et pour te regarder
 
Et si tu n'existais pas
Dis-moi pourquoi j'existerais
Pour traîner dans un monde sans toi
Sans espoir et sans regret
 
Et si tu n'existais pas
J'essaierais d'inventer l'amour
Comme un peintre qui voit sous ses doigts
Naître les couleurs du jour
Et qui n'en revient pas"
 
(Joe Dassin)
 
05-11-2013 21:30
"C'est étrange
Je ne sais pas ce qui m'arrive ce soir
Je te regarde comme pour la première fois
Encore des mots toujours des mots
Les mêmes mots
Je ne sais plus comme te dire
Rien que des mots
Mais tu es cette belle histoire d'amour
Que je ne cesserai jamais de lire
Des mots faciles des mots fragiles
C'était trop beau
Tu es d'hier et de demain
Bien trop beau
De toujours ma seule vérité
Mais c'est fini le temps des rêves
Les souvenirs se fanent aussi
Quand on les oublie
Tu es comme le vent qui fait chanter les violons
Et emporte au loin le parfum des roses
Caramels, bonbons et chocolats
Par moments, je ne te comprends pas
Merci, pas pour moi
Mais tu peux bien les offrir à une autre
Qui aime le vent et le parfum des roses
Moi, les mots tendres enrobés de douceur
Se posent sur ma bouche mais jamais sur mon coeur
Une parole encore
Paroles, paroles, paroles
Écoute-moi
Paroles, paroles, paroles
Je t'en prie
Paroles, paroles, paroles
Je te jure
Paroles, paroles, paroles, paroles, paroles
Encore des paroles que tu sèmes au vent
Voilà mon destin te parler
Te parler comme la première fois
Encore des mots toujours des mots
Les mêmes mots
Comme j'aimerais que tu me comprennes
Rien que des mots
Que tu m'écoutes au moins une fois
Des mots magiques des mots tactiques
Qui sonnent faux
Tu es mon rêve défendu
Oui, tellement faux
Mon seul tourment et mon unique espérance
Rien ne t'arrête quand tu commences
Si tu savais comme j'ai envie
D'un peu de silence
Tu es pour moi la seule musique
Qui fit danser les étoiles sur les dunes
Caramels, bonbons et chocolats
Si tu n'existais pas déjà je t'inventerais
Merci, pas pour moi
Mais tu peux bien les ouvrir à une autre
Qui aime les étoiles sur les dunes
Moi, les mots tendres enrobés de douceur
Se posent sur ma bouche mais jamais sur mon coeur
Encore un mot juste une parole
Paroles, paroles, paroles
Écoute-moi
Paroles, paroles, paroles
Je t'en prie
Paroles, paroles, paroles
Je te jure
Paroles, paroles, paroles, paroles, paroles
Encore des paroles que tu sèmes au vent
Que tu es belle
Paroles, paroles, paroles
Que tu est belle
Paroles, paroles, paroles
Que tu es belle
Paroles, paroles, paroles
Que tu es belle
Paroles, paroles, paroles, paroles, paroles
Encore des paroles que tu sèmes au vent"
 
(Alain Delon & Dalida)
 
05-11-2013 21:27

"O mundo será teu,

se do trigal humano

tirares o joio que lá existe."

05-11-2013 21:24

05-11-2013 21:05

Posso optar por palavras caras,

para dizer tudo o que me vem à cabeça,

mas serão poucas e muito raras

as pessoas que não vão perder a paciência.

Posso optar por uma escrita erudita,

para ler com um dicionário ao lado,

mas de simplicidade é feita a minha escrita,

e é a isso que vos tenho acostumado.

Posso optar por ser muito complicada,

por levantar quezílias em tudo,

mas aí mais valia estar calada

e parar de incomodar o mundo.

Podia tudo isso e muito mais,

mas eu não sou assim

vivo apenas de coisas reais,

as superficiais não são para mim!

(Mafalda)

05-11-2013 19:54

Há dias em que não escrevo nada meu

perco a inspiração sem saber o que aconteceu,

nessa altura tenho de me socorrer com quem já escreveu,

com quem viveu e também sofreu.

Há dias em estou mais combalida,

mais séria e vazia,

nego a sensação de estar perdida

num mundo que não é meu.

Sonho com momentos passados,

vividos e muito sentidos,

transporto-os para o momento atual

e sinto que foram muito sofridos.

Montanhas russas, abismos,

planícies verdejantes e mares tranquilos,

espinhos densos em florestas serradas

onde só sobreviviam pequenos esquilos.

Sofrimentos permanentes

ludibriados com momentos inesquecíveis,

provocados por amores insistentes

que faziam olhar o mundo de formas muito apetecíveis.

Há dias confusos em que me perco,

perco-me no meu próprio ser,

ao longe oiço sempre um eco,

eco que não me deixa esquecer.

Há dias assim, sem claridade,

por muito boas notícias que se tenham tido,

permanece a sensação de insularidade,

só resta o amor que não é esquecido...

(Mafalda)

04-11-2013 21:30
"Ó solidão! À noite, quando, estranho,
Vagueio sem destino, pelas ruas,
O mar todo é de pedra... E continuas.
Todo o vento é poeira... E continuas.
A Lua, fria, pesa... E continuas.
Uma hora passa e outra... E continuas.
Nas minhas mãos vazias continuas,
No meu sexo indomável continuas,
Na minha branca insónia continuas,
Paro como quem foge. E continuas.
Chamo por toda a gente. E continuas.
Ninguém me ouve. Ninguém! E continuas.
Invento um verso... E rasgo-o. E continuas.
Eterna, continuas...
Mas sei por fim que sou do teu tamanho!"
 
(Pedro Homem de Mello)
 
04-11-2013 21:19
"Esperar ou vir esperar querer ou vir querer-te
vou perdendo a noção desta subtileza.
Aqui chegado até eu venho ver se me apareço
e o fato com que virei preocupa-me, pois chove miudinho.
 
Muita vez vim esperar-te e não houve chegada
De outras, esperei-me eu e não apareci
embora bem procurado entre os mais que passavam.
Se algum de nós vier hoje é já bastante
como comboio e como subtileza
Que dê o nome e espere. Talvez apareça"
 
(Mário Cesariny)
 
04-11-2013 21:16
 
"A dor não me pertence.
 
Vive fora de mim, na natureza,
livre como a electricidade.
 
Carrega os ceus de sombra,
entra nas plantas,
desfaz as flores...
 
Corre nas veias do ar,
atrai os abismos,
curva os pinheiros...
 
E em certos momentos de penumbra
iguala-me à paisagem,
Surge nos meus olhos
presa a um passaro a morrer
no céu indiferente.
 
Mas não choro. Não vale a pena!
A dor não é humana."
 
(José Gomes Ferreira)
 
04-11-2013 21:15
Amor, amor, amor, como não amam
os que de amor o amor de amar não sabem,
como não amam se de amor não pensam
os que de amar o amor de amar não gozam.
 
Amor, amor, nenhum amor, nenhum
em vez do sempre amar que o gesto prende
o olhar ao corpo que perpassa amante
e não será de amor se outro não for
que novamente passe como amor que é novo.
 
Não se ama o que se tem nem se deseja
o que não temos nesse amor que amamos,
mas só amamos quando amamos o acto
em que de amor o amor de amar se cumpre.
 
Amor, amor, nem antes, nem depois,
amor que não possui, amor que não se dá,
amor que dura apenas sem palavras tudo
o que no sexo é sexo só por si amado.
Amor de amor de amar de amor tranquilamente
o oleoso repetir das carnes que se roçam
até ao instante em que paradas tremem
de ansioso terminar o amor que recomeça.
 
Amor, amor, amor, como não amam
os que de amar o amor de amar o amor não amam."
 
(Jorge de Sena)
 
04-11-2013 21:10
"Não posso já com ervas nem com árvores;
Prefiro os lisos, frios mármores
     Onde nada está escrito.
 
Meu gosto da paisagem fez-se escuro;
Nenhures é o lugar que mais procuro
     Como homem proscrito.
 
Eu bem sei: A verdura! A flor! Os frutos!
Mas não posso passar de olhos enxutos,
     Meu campo verde aflito.
 
Porventura cegaram os meus olhos
Porque há nos silveirais flores aos molhos
     - Tanta flor me tem dito.
 
Mas eu bem sei que movediços lodos
Que são o chão, as lágrimas de todos,
     Meu coração contrito.
 
Eu não sei se amanhã será meu dia;
Recolho-me furtivo na poesia,
     Incerto o chão que habito.
 
Ai de mim! Ai de mim, nuvem medonha!
Os homens conheci, bebi peçonha,
     E é por isso que grito."
 
(Afonso Duarte)
 
04-11-2013 21:02
"Deram-me o silêncio para eu guardar dentro de mim 
A vida que não se troca por palavras. 
Deram-mo para eu guardar dentro de mim 
As vozes que só em mim são verdadeiras. 
Deram-mo para eu guardar dentro de mim 
A impossível palavra da verdade. 
 
Deram-me o silêncio como uma palavra impossível, 
Nua e clara como o fulgor duma lâmina invencível, 
Para eu guardar dentro de mim, 
Para eu ignorar dentro de mim 
A única palavra sem disfarce - 
A Palavra que nunca se profere."
 
(Adolfo Casais Monteiro)
 
04-11-2013 20:57
"Tu que não crês, nem amas, nem esperas,
Espírito da eterna negação,
Teu hálito gelou-me o coração
E destroçou-me da alma as primaveras...
 
Atravessando regiões austeras,
Cheias de noite e cava escuridão,
Como num sonho mau, só oiço um não,
Que eternamente ecoa entre as esferas...
 
- Porque suspiras, porque te lamentas,
Cobarde coração? Debalde intentas
Opor à Sorte a queixa do egoísmo...
 
Deixa os tímidos, deixa aos sonhadores,
A esperança vã, seus vãos fulgores...
Sabe tu encarar sereno o abismo!"
 
(Antero de Quental)
 
04-11-2013 20:55
"Cada um cumpre o destino que lhe cumpre, 
E deseja o destino que deseja;
Nem cumpre o que deseja,
Nem deseja o que cumpre.
 
Como as pedras na orla dos canteiros 
O Fado nos dispõe, e ali ficamos;
Que a Sorte nos fez postos
Onde houvemos de sê-lo.
 
Não tenhamos melhor conhecimento
Do que nos coube que de que nos coube.
Cumpramos o que somos.
Nada mais nos é dado."
 
(Ricardo Reis)
 
04-11-2013 20:52
"Começa a haver meia-noite, e a haver sossego, 
Por toda a parte das coisas sobrepostas, 
Os andares vários da acumulação da vida... 
Calaram o piano no terceiro andar... 
Não oiço já passos no segundo andar... 
No rés-do-chão o rádio está em silêncio... 
Vai tudo dormir... 
Fico sozinho com o universo inteiro. 
Não quero ir à janela: 
Se eu olhar, que de estrelas! 
Que grandes silêncios maiores há no alto! 
Que céu anticitadino! — 
Antes, recluso, 
Num desejo de não ser recluso, 
Escuto ansiosamente os ruídos da rua... 
Um automóvel — demasiado rápido! — 
Os duplos passos em conversa falam-me... 
O som de um portão que se fecha brusco dói-me... 
Vai tudo dormir... "
 
(Álvaro de Campos)
 
04-11-2013 20:46
"Alma serena, a consciência pura, 
assim eu quero a vida que me resta. 
Saudade não é dor nem amargura, 
dilui-se ao longe a derradeira festa. 
 
Não me tentam as rotas da aventura, 
agora sei que a minha estrada é esta: 
difícil de subir, áspera e dura, 
mas branca a urze, de oiro puro a giesta. 
 
Assim meu canto fácil de entender, 
como chuva a cair, planta a nascer, 
como raiz na terra, água corrente. 
 
Tão fácil o difícil verso obscuro! 
Eu não canto, porém, atrás dum muro, 
eu canto ao sol e para toda a gente."
 
(Maria Fernanda Teles de Castro e Quadros Ferro)
 
03-11-2013 09:48

Não gosto do Natal

porque me soa a falsidade,

pessoas que não vemos de forma habitual

nesta altura tentam a nossa cumplicidade.

Gastos despropositados de quem nada tem

apenas porque é tradição,

prendas que se dão porque convém,

só para manter viva a recordação.

Gastos inúteis e sem sentido,

azáfamas e correrias,

horrores de tempo perdido,

carteiras que ficam vazias.

Natal devia ser sempre,

existir permanentemente espírito solidário,

não há apenas em Dezembro

quem se sinta solitário.

Jantares para pobres,

prendas para necessitados,

escondem-se os podres

pagam-se os pecados.

A solidariedade devia ser diária,

há sempre quem precise de ajuda,

esconder isso é pura ignorância,

um dia no ano, em nada a realidade muda!

(Mafalda)

03-11-2013 09:39

Novembro, mês das castanhas,

embora já pareça Natal,

em qualquer sítio onde estejas

vais-te lembrar do meu amor real.

Vais pensar todos os dias

nas conversas do passado,

vais-te lembrar que prometias

passar esta época de Natal a meu lado.

Vais ser perseguido por recordações,

por sentimentos ambíguos e intensos,

vais sentir as minhas emoções

apenas transmitidas por pensamentos.

Novembro já está instalado,

começam as iluminações habituais,

mês que vai ser muito recordado,

povoado de remorsos reais.

Vais pensar em tudo,

vais questionar o porquê,

posso sempre fazer um resumo,

resumo do que se antevê...

(Mafalda)

03-11-2013 09:30

A sorte não se procura,

não se encontra, não se faz,

a sorte é uma situação obscura

que nem sempre nos apraz.

A sorte não se cria,

não se inventa, não se conquista,

a sorte faz parte da nossa vida

quando se luta e não se desiste.

A sorte é para todos,

cabe-nos apenas reconhece-la quando chegar,

ter sorte a rodos

ou viver rodeado de azar.

A sorte é inata,

vem quando menos esperamos,

somos os arquitetos de uma vida ingrata,

somos poucos os que escapamos.

A sorte está aqui e ali,

nas pequenas coisas do dia a dia,

abrir bem os olhos que a vida sorri

mas só quando conquistamos a harmonia.

Sorte, azar,

nascer, morrer,

por aqui vou ficar

e continuar a escrever...

(Mafalda)

02-11-2013 23:18

02-11-2013 23:03

Deste-me asas que não uso,

mas aproveitei-as para superar,

mantenho-me no mesmo fuso

apenas estou a avançar.

Avanço na vida profissional,

avanço na vida familiar,

alimento um amor surreal

que se instalou para ficar.

Deste-me asas tristes e doentes

que usei para crescer

tratei-as com amor ardente

para começarem a florescer.

Sabias que eu superava,

que daria a volta por cima,

conheces bem esta garra entranhada

que me faz sempre contornar cada esquina.

Sabias que eu vou à luta,

que me levanto dos escombros,

deixaste-me só numa disputa

a andar completamente aos tombos.

Sabias que os meus amigos

estariam aqui para mim,

que me ajudariam a superar os perigos

que me auxiliariam a recuperar assim.

Sabias que não estaria só,

que a amizade é o meu bem mais precioso,

por isso optaste por ficares tu só

num ciclo de vida muito vicioso.

Deste-me asas para voar

para me afastar da tua vista,

esqueceste-te que te continuo a amar

e que és o último da minha lista.

(Mafalda)

02-11-2013 22:58

Dizem-me que é amor

o que eu sinto por ti,

nunca duvidei que fosse,

por isso ainda não desisti.

Dizem-me que devia parar

seguir a minha vida,

só quando a esperança acabar

talvez me dê por vencida.

Dizem-me que não devo ficar sozinha

que uma pessoa tem necessidades,

entregar-me a outra pessoa

não faz parte das minhas prioridades.

Dizem-me que preciso de alguém

só tu sabes de quem eu preciso,

sabes a força que tenho

e que enfrento o mundo de forma concisa.

Dizem-me muitas coisas

embora já pouco fale de ti,

procurar-me tu não ousas

esqueces-te do que contigo vivi.

Dizem-me e podem continuar a dizer

que tu seguiste a tua vida,

mas eu sei que não me vais esquecer

que serei sempre a tua Querida!

Adoro-te! Ontem, Hoje e Sempre...

(Mafalda)

02-11-2013 09:27

Ingratidão a minha

que tenho estado ausente

apenas ando a gerir a minha vida

rodeada de muita gente.

Para escrever preciso de paz

preciso de ter tempo para mim,

às vezes não sou capaz

de conciliar tudo, enfim.

Perdoem os meus leitores

não é por falta de esquecimento,

não é por desistir dos amores

nem tão pouco por afastamento.

Hoje talvez não consiga,

amanhã ainda não sei,

passarei por aqui para uma palavra amiga

mas mais do que isso não sei se farei.

(Mafalda)

01-11-2013 09:42
        
Afghanistan
Argentina
Armenia
Australia
Austria
Bangladesh
Belarus
Belgium
Bolivia
Bosnia-Herzegovina
Brazil
Bulgaria
Canada
Cape Verde
Chile
China
Colombia
Costa Rica
Croatia
Czech Republic
Dominican Republic
Ecuador
Estonia
France
Georgia
Germany
Great Britain
Greece
Guatemala
Guinea
Hong Kong
Hungary
India
Indonesia
Iran
Israel
Italy
Japan
Jordan
Kazakhstan
Latvia
Luxembourg
Mexico
Mongolia
Morocco
Netherlands
Nicaragua
Nigeria
Pakistan
Panama
Paraguay
Peru
Philippines
Poland
Portugal
Puerto Rico
Republic of Serbia
Romania
Russian Federation
Saudi Arabia
Singapore
Slovak Republic
South Korea
Spain
Sri Lanka
Sweden
Switzerland
Taiwan
Tanzania
Thailand
Tunisia
Turkey
Ukraine
United States 
Venezuela
Vietnam
 
31-10-2013 22:58
"Tudo o que um sonho precisa para ser realizado é alguém que acredite que ele possa ser realizado."
 
(Roberto Shinyashiki)
 
31-10-2013 22:53
"Estão perdendo a viagem aqueles que não sabem de onde vieram nem tentam descobrir.
 
Que não sabem para onde ir e nem tentam encontrar um caminho.
 
Aqueles para quem a televisão pode tranquilamente substituir as emoções."
 
(Martha Medeiros)
 
31-10-2013 22:40

Vou mandar até ti

a minha fada madrinha,

eu sei que o que vivi

não foi uma mera adivinha.

Vou mandar até ti

o meu anjo da guarda,

se ele está aqui para mim

protege sempre a minha retaguarda.

Vou mandar até ti

todo o sentimento que ainda existe,

sempre que pensares em mim

não vais duvidar que o meu amor persiste.

Vou mandar até ti

todos os meus antepassados,

vão-te fazer lembrar de mim

e de todos os momentos passados.

Vou mandar até ti

a borboleta da minha paixão,

vai-te dizer que estou aqui

a viver uma vida de padrão.

Vou mandar até ti

todas as forças supremas,

nos dias que vêm por aí

vais resolver esses dilemas.

Vou mandar até ti

o meu amor, o meu carinho,

vou esperar aqui por ti

ou talvez te encontre pelo caminho...

(Mafalda)

31-10-2013 22:20

Negra é a noite

quando se está na solidão,

leva-se um açoite

mas não se desiste da paixão.

Negra é a vida

quando não se têm metas,

já começo a estar crescida

e acabei com essas tretas.

Negra é a solidão

quando estamos acompanhados

e sabemos que noutra ocasião

nunca nos sentimos desamparados.

Negra é a escolha

de quem tem medo de arriscar,

vive-se uma vida de recolha

sem nada para apreciar.

Negra é a angústia

de quem quer sair e não sai,

é preciso toda a astúcia,

é aquele "vai não vai"...

(Mafalda)

31-10-2013 22:03

Já que não vamos,

sonhamos com os olhos abertos,

mudaram-se os planos,

um dia iremos, se formos espertos...

(Mafalda)

31-10-2013 21:46

Nesta noite diferente

gostava de me disfarçar,

procurar quem está ausente

mas sem me fazer notar.

Mascarar-me totalmente,

não apenas a máscara diária,

procurar o teu beijo ardente

no meio de toda a parafernália.

Aparecer como bruxinha

seria bem o meu estilo,

no meio de tanta gentinha

manteria sempre o sigilo.

Descansar a minha vista

que ultimamente anda muito cansada,

perto de ti deixava uma pista,

uma pista com uma estrada desenhada.

Uma estrada que acabava em mim,

nesta bruxinha mascarada,

já aprendi a viver assim

mas continuo apaixonada.

Amanhã o destino era nosso,

era o Halloween caribenho,

férias sem a presença do fosso

que apagou todo o nosso empenho.

Quero-me mascarar,

sair à tua procura,

mas sei que vou aqui ficar

porque ainda acredito nesta loucura!

(Mafalda)

31-10-2013 21:29

Mar revolto, violento

que tudo leva com a sua intensidade,

pescadores que vivem num tormento

tentando escapar dessa infelicidade.

Vagas sôfregas em causar danos

trazem até nós minúsculos seres,

pescadores que usam todos os panos

para evitarem perder todos os haveres.

Barcos à deriva no temporal,

barcos que afundam sem deixar rasto,

pescadores que desaparecem, é habitual,

atrás da perda fica tudo o resto.

Famílias despedaçadas pela dor,

falta de sustento nas suas casas,

mar violento, ensurdecedor

que por onde passas, tudo arrasas.

Mar, como podes ser ao mesmo tempo

o prazer e a atrocidade,

como dás a uns tamanho alento

e a outros tanta infelicidade...

(Mafalda)

31-10-2013 21:17

Devagar,

muito devagarinho,

passo a passo sem hesitar.

Aos poucos encontra-se o caminho

que vai ter de se atravessar.

Devagar,

muito devagarinho,

sem pressas nem correrias.

Calmamente se vai entender

que tudo tem uma razão de ser.

Devagar,

muito devagarinho,

vai-se construindo uma vida nova.

Deixamos para trás as despedidas,

os escombros são recordações escondidas.

Devagar,

muito devagarinho,

tranquilamente tudo se alcança.

Um dia começamos a crescer,

mas continuamos a ser uma simples criança.

Devagar,

muito devagarinho,

a vida ensina-nos a esperar.

Devagar,

muito devagarinho,

segue-se em frente continuando a amar...

(Mafalda)

30-10-2013 22:34
"Quer o destino que eu não creia no destino
E o meu fado é nem ter fado nenhum
Cantá-lo bem sem sequer o ter sentido
Senti-lo como ninguém, mas não ter sentido algum
 
Ai que tristeza, esta minha alegria
Ai que alegria, esta tão grande tristeza
Esperar que um dia eu não espere mais um dia
Por aquele que nunca vem e que aqui esteve presente
 
Ai que saudade
Que eu tenho de ter saudade
Saudades de ter alguém
Que aqui está e não existe
Sentir-me triste
Só por me sentir tão bem
E alegre sentir-me bem
Só por eu andar tão triste
 
Ai se eu pudesse não cantar "ai se eu pudesse"
E lamentasse não ter mais nenhum lamento
Talvez ouvisse no silêncio que fizesse
Uma voz que fosse minha cantar alguém cá dentro
 
Ai que desgraça esta sorte que me assiste
Ai mas que sorte eu viver tão desgraçada
Na incerteza que nada mais certo existe
Além da grande incerteza de não estar certa de nada"
 
(Ana Moura)
 
30-10-2013 22:30
"Meu triste, triste amor
Das noites inocentes
Que o amor ao possuir-me
Inocentiza-me o ser
Por sobre a minha pele
As tuas mãos reluzentes
Afadigam-se no corpo 
Para melhor o conhecer
 
Meu triste, triste amor
De anseios prematuros
De ventos circundantes
Incentivados por nós
O amor se faz ouvir
Por entre beijos seguros
Num sussurro insolente
Que não nos chega a ser voz
Meu triste, triste amor
De inusitada memória
De incontadas promessas
Em tímido pudor
Somente a nossa voz
Poderá contar a história
Do quanto nos amámos
Meu triste, triste amor"
 
(Ana Moura)
 
30-10-2013 22:25
"Chegaste vestida de estrelas
Sonhei-te despida de nadas
Entraste e abriste as janelas
Que julgava há muito fechadas
 
Olhaste sem ver que te olhava
Com medo de te despertar
Deixei de sentir onde estava
Parei para te ouvir respirar
 
Dos olhos a luz apaguei
Deixei-me guiar plos teus
Abri as mãos tudo entreguei
E agora os teus sonhos são meus
 
Deixei as palavras cansadas
De contar-te a deus e ao mundo
Sonhei-te despida de nadas
Amei-te vestida de tudo
 
Deixei as palavras cansadas
De contar-te a deus e ao mundo
Sonhei-te despida de nadas
Amei-te vestida de tudo
Amei-te vestida de tudo"
 
(Rodrigo Costa Felix)
 
30-10-2013 22:09

Quero saber o que me espera,

quero preparar o teu regresso,

não quero uma resposta que me desespere

e apague todo este progresso.

Quero saber o que está escrito,

delineado, definido,

saber o que está proscrito

e o que pode ser mantido.

Quero saber o que me resta,

se vou realizar este sonho,

se é preciso limar alguma aresta

para o futuro se apresentar risonho.

Quero saber tudo

e não quero saber nada,

só sei quem é o sortudo

por quem ainda estou apaixonada...

(Mafalda)

30-10-2013 21:52

Um dia vou adquirir o direito

de viver uma vida realizada,

agora vivo com o defeito

de viver sem ser amada.

Um dia vou ser Feliz

ter tudo o que me faz falta,

agora é a fase do aprendiz

e essa fase não se salta.

Cheguei ao "bem" e à calma,

à tranquilidade e serenidade,

mas no fundo da minha alma

ainda vivo na obscuridade.

Afasto pensamentos nefastos,

só me rodeio do que me dá cor,

sentimentos que permanecem vastos

à espera do dia melhor.

Pergunto-me vezes sem conta,

onde andarás, o que estarás a fazer...

às vezes sinto-me uma tonta

que sem ti não sabe viver.

Existo, sim,

existo sobrevivendo,

mas não fico em mim

se de ti dependo.

Dependo para rir

para sair e me divertir,

dependo para amar

para atingir o delirar.

Um dia vou lá chegar,

contigo a meu lado,

até isso se realizar

vou vivendo o sonho acordada...

(Mafalda)

30-10-2013 16:32

Sonhos, quimeras,

concretizações, esperas.

Há sempre um tempo certo

em que tudo o que queremos anda bem perto.

Saber esperar,

saber aguardar,

sem desesperar,

sem precipitar.

Consegue-se um objetivo,

atinge-se a tranquilidade,

tenho de manter um espírito assertivo

e saber aproveitar a oportunidade.

Sonhos, quimeras,

concretizações depois das esperas...

(Mafalda)

29-10-2013 22:14

Voz sibilante

que se tornou uma habituação,

paixão desconcertante,

mantenho-me em negação.

Nego tudo o que não quero,

não aceito nada do que é imposto,

assim vivo sem desespero,

desespero que tem um rosto.

Rosto marcado pela ausência,

pela indiferença, pela saudade,

só dá carinho em permanência

quem vive a vida na sua intensidade.

Intensidade que é inata,

que não se aprende nem se ensina,

surge a cumplicidade imediata

que nos deixa num desatino.

Sem explicação,

sem racionalismos,

sente-se a vibração,

vive-se nos abismos.

Abismos que nos atraem,

que nos empurram sem opção,

há uns que caem...

outros ficam com os pés no chão!

(Mafalda)

29-10-2013 22:06

Deixem-me sonhar!

Não me tirem o sonho

que ofusca o momento enfadonho

em que não paro de te esperar.

Não me tirem a imaginação

de vencer a solidão

ao ver-te chegar.

Não me tirem a alegria

de imaginar o que faria

se te atrevesses a ousar.

Deixem-me!

Deixem-me acreditar

que é a mim que queres,

é de mim que precisas,

sem mim não sabes viver.

Deixem-me imaginar

que te voltarei a beijar

que te voltarei a amar...

(Mafalda)

28-10-2013 23:09

Anseio...

por uma alvorada extasiante,

por um dia exuberante,

por uma noite inebriante.

Anseio...

por uma paz envolvente,

por um amor dormente,

por um reencontro comovente.

Anseio...

por dormir acompanhada,

por fazer amor até de madrugada,

por passar a noite acordada.

Anseio...

não ter receio,

desfazer o enleio,

aconchegar-te no meu seio.

Anseio...

pelo dia em que vais chegar,

para ficar,

e não mais me abandonar.

(Mafalda)

28-10-2013 20:23

28-10-2013 20:01

Quantas vezes não apetecer enlouquecer,

partir sem rumo, sempre em frente,

manter os olhos abertos, mas sem ver

a exaustão excessiva de quem sente...

Palavras doces e meigas que nos cansam,

que nos fazem sonhar com imensidões,

seres inexistentes que nos deixam

que não  modificam as situações.

Ser louca é um escape,

uma forma de superar a realidade,

quem aqui espera que eu desabafe

tem esta e mais outra oportunidade.

Gosto de ser sensível,

meiga e apaixonada,

nunca poderia tornar-me irascível

se por ti (ainda) fosse amada...

(Mafalda)

28-10-2013 19:45

"Mar sonoro, mar sem fundo, mar sem fim,

A tua beleza aumenta quando estamos sós
E tão fundo intimamente a tua voz
Segue o mais secreto bailar do meu sonho,
Que momentos há em que eu suponho
Seres um milagre criado só para mim."
 
(Sophia de Mello Breyner Andreson)
 
28-10-2013 17:30
"A Razão e a Paixão são o leme e as velas da alma navegante.
 
Sem ambos, ficarias à deriva ou parado no meio do mar. 
 
Se a Razão governar sozinha, será uma força limitadora.
 
E uma Paixão Ignorada é uma chama que arde até sua própria destruição."
 
(Khalil Gibran)
 
28-10-2013 17:28
"É errado pensar que o amor vem do companheirismo de longo tempo ou do cortejo perseverante.
 
O amor é filho da afinidade espiritual e a menos que esta afinidade seja criada em um instante,
ela não será criada em anos,
ou mesmo em gerações."
 
(Khalil Gibran)
 
28-10-2013 10:30

Demasiado longa é a duração de uma vida,

vivida com demasiada ansiedade,

nascemos a caminho de uma despedida,

é essa a nossa maior verdade.

Envolvemo-nos em ilusões,

acreditamos na utopia,

esquecemo-nos dos grilhões

que nos causam miopia.

Perdemos pequenos prazeres

deixamos passar pequenas felicidades,

de nada adianta dizeres

que será para toda a eternidade.

Tudo tem um tempo,

um tempo certo para acontecer,

ao longo da vida só uma coisa lamento,

lamento ter de te esquecer.

Posso não te ver

não ter o teu cheiro em mim,

talvez um dia vá perceber

porque a vida quis que fosse assim.

Posso não sentir o teu amor

não sentir a tua paixão,

mas continua o fulgor

único na nossa emoção.

Onde quer que estejas, estou contigo

estarei sempre presente para ti,

o meu ombro é o teu amigo

porque, a Ti, nunca esqueci!

(Mafalda)

28-10-2013 09:59

Brevemente vou ousar

percorrer o teu caminho

hipótese remota de te encontrar

de receber o teu carinho.

Brevemente vais descansar

mas não vais para onde ias,

em terras lusas deves ficar

mas não vais ver o que vias.

Sentes a ausência

sentes a diferença,

sensações em permanência

sabes a tua sentença.

Brevemente vou arriscar

cruzar com quem não me quer ver,

está na altura de avançar

acabou o tempo de me esconder.

Brevemente chegará a época de que não gosto,

aquela que nunca mais passaria sozinha,

realidade feita a contragosto

mas não posso ficar sempre neste ninho...

(Mafalda)

27-10-2013 20:16

Caminho serena por ruas desertas,

levo nos meus passos apenas certezas,

acompanham-me sonhos erguidos

bem no âmago, bem nas profundezas.

Murmúrios seguem-me ao longo do trajeto,

canção do vento por entre a folhagem,

ao longe, mas muito perto,

a certeza de não ser uma miragem.

Confiante sigo sem destino

sem qualquer meta traçada,

sigo sempre pelo mesmo caminho,

aquele que acaba na época passada.

Acabou a Primavera,

passou o verão,

continuo à tua espera

sozinha, aqui, ao serão...

(Mafalda)

27-10-2013 18:23
"Arde no lar o fogo antigo 
do amor irreparável 
e de súbito surge-me o teu rosto 
entre chamas e pranto, vulnerável: 
 
Como se os sonhos outra vez morressem 
no lume da lembrança 
e fosse dos teus olhos sem esperança 
que as minhas lágrimas corressem."
 
(Carlos de Oliveira)
 
27-10-2013 18:16
"Feliz só será 
A alma que amar. 
 
'Star alegre 
E triste, 
Perder-se a pensar, 
Desejar 
E recear 
Suspensa em penar, 
Saltar de prazer, 
De aflição morrer — 
Feliz só será 
A alma que amar."
 
(Johann Wolfgang von Goethe)
 
27-10-2013 18:08
«Não te beijo e tenho ensejo 
Para um beijo te roubar; 
O beijo mata o desejo 
E eu quero-te desejar.
 
Porque te amo de verdade, 
'stou louco por dar-te um beijo, 
Mas contra a tua vontade 
Não te beijo e tenho ensejo. 
 
Sabendo que deves ter 
Milhões deles p'ra me dar, 
Teria que enlouquecer 
Para um beijo te roubar. 
 
E como em teus lábios puros, 
Guardas tudo quanto almejo, 
Doutros desejos futuros 
O beijo mata o desejo. 
 
Roubando um, mil te daria; 
O que não posso é jurar 
Que não te aborreceria, 
E eu quero-te desejar!"
 
(António Aleixo)
 
27-10-2013 18:03
"Sofro 
de não te ver, 
de perder 
os teus gestos 
leves, lestos, 
a tua fala 
que o sorriso embala, 
a tua alma 
límpida, tão calma... 
 
Sofro 
de te perder, 
durante dias que parecem meses, 
durante meses que parecem anos... 
 
Quem vem regar o meu jardim de enganos, 
tratar das árvores de tenrinhos ramos? "
 
(Saúl Dias)
 
27-10-2013 18:01
"Não vás para tão longe! 
Vem sentar-te 
Aqui na chaise-longue, ao pé de mim... 
Tenho o desejo doido de contar-te 
Estas saudades que não tinham fim. 
 
Não vás para tão longe; 
Quero ver 
Se ainda sabes olhar-me como d'antes, 
E se nas tuas mãos acariciantes, 
Inda existe o perfume de que eu gosto. 
 
Não vás para tão longe! 
Tenho medo 
Do silêncio pesado d'esta sala... 
Como soluça o vento no arvoredo! 
E a tua voz, amor, como se cala! 
 
Não vás para tão longe! 
Antigamente, 
Era sempre demais o curto espaço 
Que havia entre nós dois... 
Agora, um embaraço, 
Hesitas e depois, 
Com um gesto de tédio e de cansaço, 
Achas inconveniente 
O meu abraço. 
 
Não vás para tão longe! 
Fica. Inda é tão cedo! 
O vento continua a fustigar 
Os ramos sofredores do arvoredo, 
E eu ponho-me a pensar 
E tenho medo! 
 
Não vás para tão longe! 
Na sombra impenetrada, 
Como se agita e se debate o vento!... 
Paira nas velhas ruínas do convento 
 
Que além se avista, 
A alma melancólica d'um monge 
Que a vida arremessou àquela crista... 
 
Céu apagado, negro, pessimista, 
E tu sempre mais longe!... "
 
(Maria Fernanda Teles de Castro e Quadros Ferro)
 
27-10-2013 17:56
"Meu corpo estiraçado, lânguido, ao logo do leito. 
 
O cigarro vago azulando os meus dedos. 
 
O rádio... a música... 
 
A tua presença que esvoaça 
em torno do cigarro, do ar, da música... 
 
Ausência!, minha doce fuga! 
 
Estranha coisa esta, a poesia, 
que vai entornando mágoa nas horas 
como um orvalho de lágrimas, escorrendo dos vidros 
duma janela, 
 
numa tarde vaga, vaga... "
 
(Fernando Namora)
 

...

25-10-2013 22:27

25-10-2013 22:16

O grande erro de uma vida

é olhar para trás e chorar o tempo perdido,

é não querer ter uma despedida,

é à nossa volta nada fazer sentido.

Quando nos apercebemos do erro

cabe-nos retificar o melhor possível,

para ti não há nenhum segredo

tudo é sentido de forma verossímil.

Passado é passado,

foi excelente, intenso,

o que importa é o agora

e o que vem daqui para a frente.

Tudo se explica,

tudo se encaixa,

tudo começa a fazer sentido

quando se sabe aproveitar a deixa.

Nada acontece por acaso,

verdade absoluta e atual,

pode existir algum atraso

mas um dia acaba por ser pontual...

(Mafalda)

25-10-2013 22:15

24-10-2013 22:16

24-10-2013 20:54

Era uma vez um menino

que gostava muito de pés,

fosse grande ou pequenino

acariciava-o uma e outra vez.

Pés com meias de vidro,

calçadas suavemente,

essa imagem era um perigo

para aquele menino ardente.

Pés em sapatos de salto alto,

movendo-se com extrema sensualidade,

mesmo caminhando pelo asfalto

seguiam com toda a serenidade.

Era uma vez um menino

que gostava muito de pés,

um dia descobriu o seu caminho,

no outro dia sofreu um revés...

(Mafalda)

24-10-2013 20:43

Vidas duplas em que se cai,

sem qualquer opção de fuga,

sempre à espera para ver quem sai,

sempre em passo de tartaruga...

Vidas duplas que nos atingem

sem nos darem qualquer escolha,

regras que se infringem

por não vivermos numa bolha.

Vidas duplas só acontecem

quando a vida normal se torna um tédio

quando os sentimentos esmorecem

quando já não há qualquer remédio.

Vidas duplas por diversão

pode haver quem as procure,

aí não passa de uma atração

que ninguém quer que perdure.

Vidas duplas impostas por sentimentos

são vidas difíceis para quem as vive,

apetece fugir em certos momentos

mas o amor sempre sobrevive...

(Mafalda)

24-10-2013 20:29

Adoro a noite, sempre assim fui,

gosto da escuridão que tudo envolve,

durante a noite a vida flui

e depois a almofada tudo resolve.

Amo o entardecer,

o sol a pôr-se lá bem no horizonte,

insignificâncias que não me deixam esmorecer

e que me mostram o outro lado da ponte.

O caminho é árduo e escuro,

não fosse a noite a minha paixão,

sei que do outro lado existe um lugar seguro

onde posso dar largas à minha imaginação.

Sono que me dá o que quero

que me traz o que de dia perdi,

sonhar nunca será um exagero

porque o meu sonho só pertence a Ti...

(Mafalda)

24-10-2013 20:19

Passar os meus poemas para papel,

começar a procurar quem os edite,

para eliminar alguns só de bisel

mas pode ser que assim facilite.

Loucura em que me vou meter

nada do que escrevo é interessante,

amiga que insiste para o fazer,

até há pouco estive hesitante.

Milhares de leitores passam por aqui,

não quer dizer que seja pela qualidade,

somente a curiosidade do que vivi

justifica tal assiduidade.

Vou ser louca, vou criar,

vou superar mais uma tarefa,

vou ser ousada, vou arriscar,

a minha vida já não tem pressa...

(Mafalda)

24-10-2013 08:50
"Uma névoa de Outono o ar raro vela, 
Cores de meia-cor pairam no céu. 
O que indistintamente se revela, 
Árvores, casas, montes, nada é meu.
 
Sim, vejo-o, e pela vista sou seu dono. 
Sim, sinto-o eu pelo coração, o como. 
Mas entre mim e ver há um grande sono. 
De sentir é só a janela a que eu assomo.
 
Amanhã, se estiver um dia igual, 
Mas se for outro, porque é amanhã, 
Terei outra verdade, universal, 
E será como esta."
 
(Fernando Pessoa)
 
24-10-2013 08:47
"Uma árvore em flor fica despida no outono.
A beleza transforma-se em feiúra, a juventude em velhice e o erro em virtude.
Nada fica sempre igual e nada existe realmente.
Portanto, as aparências e o vazio existem simultaneamente."
 
(Dalai Lama)
 
24-10-2013 08:45
"Perdoa-me, folha seca, 
não posso cuidar de ti.
Vim para amar neste mundo, 
e até do amor me perdi.
 
De que serviu tecer flores
pelas areias do chão, 
se havia gente dormindo 
sobre o próprio coração?
 
E não pude levantá-la!
Choro pelo que não fiz.
E pela minha fraqueza
é que sou triste e infeliz.
Perdoa-me, folha seca!
Meus olhos sem força estão
velando e rogando áqueles 
que não se levantarão...
 
Tu és a folha de outono 
voante pelo jardim.
Deixo-te a minha saudade
- a melhor parte de mim.
Certa de que tudo é vão.
Que tudo é menos que o vento,
menos que as folhas do chão..."
 
(Cecília Meireles)
 
24-10-2013 08:42
"Folhas secas e amarelas
A cair, leves, no chão,
Trazem segredos que o verão
Contou, de ti, às estrelas
Quando, amor, no meio delas
Brilhavas e teu clarão
Lhes dava a doce ilusão
De serem flores, das mais belas!
 
De teu sorriso, a alegria,
De teu olhar a esperança
Que ao peito dá confiança
E à noite a luz, que nem dia
Elas me falam; mas, fria
A aragem do vento dança
E, humedecendo a lembrança,
Lhes torna a vida sombria!
 
E as saudades do luar
De Agosto, nas noites claras,
Das praias que iluminaras
Com teus olhos cor de mar,
Já só lhes deixam sonhar
Que as alegrias, tão caras
E, agora, mais e mais raras,
Desse tempo hão de voltar!"
 
(Joaquim do Carmo)
 
22-10-2013 20:26

Agarro-me com toda a força a ti

não me posso permitir desanimar,

foram os melhores momentos que vivi

e só eles me dão força para continuar.

Esperança ou seja o que for,

chama-lhe o que quiseres

tenho necessidade do teu amor

estejas tu onde estiveres.

Tenho um mundo para conquistar,

não me é permitido baixar os braços,

enquanto o fim não avistar

não vou cair em mais embaraços.

Preciso de te saber carente de mim,

a visualizares-me a todo o instante,

vou conseguir sobreviver assim

embora seja uma situação desconcertante.

Dás-me a força de que preciso

o alento para superar

enquanto permaneceres indeciso

nada mais me resta senão esperar...

(Mafalda)

22-10-2013 19:36

22-10-2013 16:56

"Não tenho deuses.

Vivo  Desamparado. 
Sonhei deuses outrora, 
Mas acordei. 
Agora 
Os acúleos são versos, 
E tacteiam apenas 
A ilusão de um suporte. 
Mas a inércia da morte, 
O descanso da vide na ramada 
A contar primaveras uma a uma, 
Também me não diz nada. 
A paz possível é não ter nenhuma."
 
(Miguel Torga)
 
22-10-2013 16:52

"Matei a lua e o luar difuso. 

Quero os versos de ferro e de cimento. 
E em vez de rimas, uso 
As consonâncias que há no sofrimento.  
Universal e aberto, o meu instinto acode 
A todo o coração que se debate aflito. 
E luta como sabe e como pode: 
Dá beleza e sentido a cada grito.  
Mas como as inscrições nas penedias
Têm maior duração,
Gasto as horas e os dias
A endurecer a forma da emoção."
 
(Miguel Torga)
 
22-10-2013 16:49

"Foi bonito 

O meu sonho de amor. 
Floriram em redor 
Todos os campos em pousio. 
Um sol de Abril brilhou em pleno estio, 
Lavado e promissor. 
Só que não houve frutos 
Dessa primavera. 
A vida disse que era 
Tarde demais. 
E que as paixões tardias 
São ironias 
Dos deuses desleais."
 
(Miguel Torga)
 
21-10-2013 22:38
"Que vens contar-me 
 
se não sei ouvir senão o silêncio? 
 
Estou parado no mundo. 
 
Só sei escutar de longe 
 
antigamente ou lá para o futuro. 
 
É bem certo que existo: 
 
chegou-me a vez de escutar. 
 
Que queres que te diga 
 
se não sei nada e desaprendo? 
 
A minha paz é ignorar. 
 
Aprendo a não saber: 
 
que a ciência aprenda comigo 
 
já que não soube ensinar. 
 
O meu alimento é o silêncio do mundo 
 
que fica no alto das montanhas 
 
e não desce à cidade 
 
e sobe às nuvens que andam à procura de forma 
 
antes de desaparecer. 
 
Para que queres que te apareça 
 
se me agrada não ter horas a toda a hora? 
 
A preguiça do céu entrou comigo 
 
e prescindo da realidade como ela prescinde de mim. 
 
Para que me lastimas 
 
se este é o meu auge?! 
 
Eu tive a dita de me terem roubado tudo 
 
menos a minha torre de marfim. 
 
Jamais os invasores levaram consigo as nossas 
 
torres de marfim. 
 
Levaram-me o orgulho todo 
 
deixaram-me a memória envenenada 
 
e intacta a torre de marfim. 
 
Só não sei que faça da porta da torre 
 
que dá para donde vim."
 
(Almada Negreiros)
 
21-10-2013 22:34
"A minha sombra sou eu,
ela não me segue,
eu estou na minha sombra
e não vou em mim.
Sombra de mim que recebo luz,
sombra atrelada ao que eu nasci,
distância imutável de minha sombra a mim,
toco-me e não me atinjo,
só sei dó que seria
se de minha sombra chegasse a mim.
Passa-se tudo em seguir-me
e finjo que sou eu que sigo,
finjo que sou eu que vou 
e que não me persigo.
Faço por confundir a minha sombra comigo:
estou sempre às portas da vida,
sempre lá, sempre às portas de mim!"
 
(Almada Negreiros)
 
21-10-2013 22:28
"Esperança:
Isto de sonhar bom para diante 
Esperança: 
 eu fi-lo perfeitamente, 
Para diante de tudo foi bom 
bom de verdade 
bem feito de sonho 
podia segui-lo como realidade
 
Esperança: 
isto de sonhar bom para diante 
eu sei-o de cor. 
Até reparo que tenho só esperança 
nada mais do que esperança 
pura esperança 
esperança verdadeira 
que engana 
e promete 
e só promete. 
Esperança: 
pobre mãe louca 
que quer pôr o filho morto de pé?
 
Esperança 
único que eu tenho 
não me deixes sem nada 
promete 
engana 
engano que seja 
engana 
não me deixes sozinho 
esperança."
 
(Almada Negreiros)
 
21-10-2013 22:15

Serena é a vida

quando a deixamos andar,

acabaram as despedidas

acabou a vontade de chorar.

Acatam-se as resoluções

temos de continuar a viver,

não se negam as emoções

continuamos a aprender.

Aprendemos que amar não é prender

não é obrigar nem ameaçar,

amamos mesmo sem ter

só assim é verdadeiramente "Amar".

A serenidade chega

quando já nada se procura,

não preciso de nenhuma achega

libertei-me do vale da amargura.

Serena é a noite,

sereno está o meu coração,

não procuro nada que me afoite

lido bem com esta solidão.

Os dias negros passaram,

que se mantenham bem distantes,

em mim as emoções aclararam

as recordações são constantes.

Recordar tudo o que foi bom

quem fez de mim uma pessoa brilhante,

ao longe tentar escutar o som

de uns passos ainda hesitantes.

Movem-se cuidadosamente

com uma trajetória bem definida

caminham muito lentamente

para a casa da partida...

(Mafalda)

21-10-2013 21:48

Este calor insistente

que não me deixa descansar

é uma conversa inexistente

de quem ainda se continua a amar.

Telepatia, distância,

nada impede o contacto,

só amor em abundância

nos apura este olfacto.

Momentos pequeninos

em que precisas de mim

eu apanho-os aos pouquinhos

sinto-os mesmo assim.

Distância física nada impede

tudo o resto foi conquistado

se quiseres vem e pede

que o teu lugar é ao meu lado...

(Mafalda)

21-10-2013 21:10

21-10-2013 18:40

20-10-2013 21:04
"Trocaria a memória de todos os beijos que me deste por um único beijo teu.
 
E trocaria até esse beijo pela suspeita de uma saudade tua, de um único beijo que te dei."
 
(Miguel Esteves Cardoso)
 
20-10-2013 21:02
"Para quem ama, não será a ausência a mais certa, a mais eficaz, a mais intensa, a mais indestrutível, a mais fiel das presenças?"
 
(Marcel Proust)
 
20-10-2013 21:00
"Que a força do medo que tenho
Não me impeça de ver o que anseio;
Que a morte de tudo em que acredito
Não me tape os ouvidos e a boca; 
Porque metade de mim é o que eu grito,
Mas a outra metade é silêncio...
 
Que a música que eu ouço ao longe
Seja linda, ainda que tristeza;
Que a mulher que eu amo seja pra sempre amada 
Mesmo que distante;
Porque metade de mim é partida
Mas a outra metade é saudade...
 
Que as palavras que eu falo
Não sejam ouvidas como prece
E nem repetidas com fervor,
Apenas respeitadas como a única coisa que resta 
A um homem inundado de sentimentos;
Porque metade de mim é o que ouço
Mas a outra metade é o que calo...
 
Que essa minha vontade de ir embora
Se transforme na calma e na paz que eu mereço;
E que essa tensão que me corrói por dentro
Seja um dia recompensada;
Porque metade de mim é o que penso 
Mas a outra metade é um vulcão...
 
Que o medo da solidão se afaste
E que o convívio comigo mesmo
Se torne ao menos suportável;
Que o espelho reflita em meu rosto
Um doce sorriso que me lembro ter dado na infância;
Porque metade de mim é a lembrança do que fui,
A outra metade eu não sei...
 
Que não seja preciso mais do que uma simples alegria 
para me fazer aquietar o espírito
E que o teu silêncio me fale cada vez mais;
Porque metade de mim é abrigo
Mas a outra metade é cansaço...
 
Que a arte nos aponte uma resposta
Mesmo que ela não saiba
E que ninguém a tente complicar
Porque é preciso simplicidade para faze-la florescer;
Porque metade de mim é platéia
E a outra metade é canção...
 
E que a minha loucura seja perdoada 
Porque metade de mim é amor
E a outra metade... também."
 
(Oswaldo Montenegro)
 
20-10-2013 20:23
"Este inferno de amar – como eu amo!
Quem mo pôs aqui n’alma… quem foi?
Esta chama que alenta e consome,
Que é vida – e que a vida destrói.
Como é que se veio atear,
Quando – ai se há-de ela apagar?
 
Eu não sei, não me lembra: o passado,
A outra vida que dantes vivi
Era um sonho talvez… foi um sonho.
Em que a paz tão serena a dormi!
Oh! Que doce era aquele olhar…
Quem me veio, ai de mim! Despertar?
 
Só me lembra que um dia formoso
Eu passei… Dava o Sol tanta luz!
E os meus olhos que vagos giravam, 
Em seus olhos ardentes os pus.
Que fez ela? Eu que fiz? Não o sei;
Mas nessa hora a viver comecei…
Por instinto se revela,
Eu no teu seio divino
Vim cumprir o meu destino...
Vim, que em ti só sei viver,
Só por ti posso morrer."
 
(Almeida Garrett)
 
20-10-2013 20:13
"Escrever é esquecer.
A literatura é a maneira mais agradável de ignorar a vida.
A música embala, as artes visuais animam, as artes vivas (como a dança e a arte de representar) entretêm.
A primeira, porém, afasta-se da vida por fazer dela um sono; as segundas, contudo, não se afastam da vida - umas porque usam de fórmulas visíveis e portanto vitais, outras porque vivem da mesma vida humana. 
Não é o caso da literatura. Essa simula a vida.
Um romance é uma história do que nunca foi e um drama é um romance dado sem narrativa.
Um poema é a expressão de ideias ou de sentimentos em linguagem que ninguém emprega, pois que ninguém fala em verso."
 
(Fernando Pessoa)
 
20-10-2013 20:06
"Creio no mundo como num malmequer,
Porque o vejo. Mas não penso nele
Porque pensar é não compreender... 
 
O Mundo não se fez para pensarmos nele
(Pensar é estar doente dos olhos)
Mas para olharmos para ele e estarmos de acordo... 
 
Eu não tenho filosofia; tenho sentidos...
Se falo na Natureza não é porque saiba o que ela é,
Mas porque a amo, e amo-a por isso
Porque quem ama nunca sabe o que ama
Nem sabe por que ama, nem o que é amar..."
 
(Fernando Pessoa)
 
20-10-2013 18:04

Há quem viva a vida que escolheu,

há quem tenha de aceitar o que a vida lhe deu,

de nada adianta com outra sonhar

de nada adianta fingir que se esqueceu.

Não é fácil olhar em frente

quando tudo nos puxa para trás,

há sempre uma necessidade premente,

há sempre uma sensação que não nos satisfaz.

Pensar que estás sozinho apesar de acompanhado,

pensar que estou sozinha mas mesmo sozinha,

pensar como seria bom estarmos lado a lado

pensar que isso será real num dia que se avizinha...

(Mafalda)

20-10-2013 09:35

19-10-2013 09:10

Reminiscências antigas

bateram à minha porta,

fui aos livros antigos

ver qual a minha sorte.

Apenas uma pergunta fiz

e o resultado já o sabia,

mas é giro o que o tarot diz

deixei de sentir agonia...

(Mafalda)

A meu favor: "O sopro inspirador que fecunda a inteligência para lhe fazer discernir a verdade. Desprendimento dos laços corporais. Inspiração. O homem em comunicação com o espírito divino. Clarividência espiritual. Libertação, desprendimento, despertar, cura, restabelecimento da saúde física, moral, intelectual. Reparação de danos sofridos."

Contra mim: "Sacrifício redentor. Intervenção à distância. Perfeição moral. Abnegação. Esquecimento total de si mesmo. Desinteresse absoluto. Sacrifício voluntário em benefício de uma causa elevada. Utopista, sonhador perdido nas nuvens e desprovido de sentido prático. Entusiasmo alimentado por ilusões. Projectos irrealizáveis. Votos generosos mas estéreis. Amor não retribuído. Coisas insuficientemente amadurecidas. Falta de determinação, indecisão na escolha afetiva."

O que devo fazer: "Certeza, segurança, ausência de dúvida, influência sugestiva exercida sobre o sentimento e o pensamento do outro. Afabilidade, benevolência, bondade, generosidade. Sentimento poderoso, afeição sólida, solicitude que não se deixa ir até ao sentimentalismo, indica o sentimento normal, tal como o deve ser nas circunstâncias que o acompanham."

O resultado: "Serenidade de espírito que eleva acima das misérias humanas. Indiferença pelas mesquinhezas da vida. Calma tranquilizante, desinteresse, impassibilidade, resignação. Elasticidade, docilidade. Sensibilidade às influências exteriores. Frieza, apatia. Sentido profundo das coisas, com adaptação às circunstâncias. Afinidade que traz felicidade mas não evolução. Não se libertam uns dos outros."

A síntese: " Triunfo, vitória, firmeza, espiritualidade ativa, progresso consciente, evolução inteligente. Predomínio da inteligência e do tacto. Discernimento conciliador. Talento, fortuna graças ao mérito pessoal, ambição, improvização. Afeto manifestado, protetor, benéfico, prestável. Novidade imprevista a nível de dinheiro. Conquista. Propaganda pela palavra."

.....

Com base nisto, a minha pergunta foi apenas se ele volta. O que parece?

18-10-2013 22:43

18-10-2013 21:10

Tempestade

temporal

intensidade

paranormal.

Telepatia

aperto

agonia

incerto.

Vibração

contacto

escuridão

abstrato.

Pressentimento

premonição

lamento

resignação.

(Mafalda)

18-10-2013 20:49

Pouco mais tenho a dizer

por muito que fale não vario no tema,

podia continuar a escrever

ms não sei se seria um poema.

Às vezes apetece-me soltar a raiva,

não seria dirigida a ninguém,

às vezes quero que o mundo saiba

que o meu coração já nada retém.

Secou como uma erva no deserto,

esvaiu-se em sangue até definhar,

estivemos tão perto, tão perto...

e tudo se resumiu a terminar.

(Mafalda)

18-10-2013 20:47

18-10-2013 20:37

Mágoa penetrante

sentimento inconstante,

amor abundante

que acaba num instante.

Mágoa doentia

acompanha a apatia,

já não há a empatia

que existia todo o dia.

Mágoa avassaladora

solidão assustadora,

se não fosse uma sonhadora

nunca seria vencedora.

(Mafalda)

18-10-2013 19:54

18-10-2013 19:31

Se antes era a preto e branco

agora não passa de um cinzento carregado,

nada me apetece sair do antro

onde o meu corpo se sente sossegado.

Perdem-se as cores

perdem-se as alegrias,

afastam-se as dores

foge-se das agonias.

Cinzenta como o mar

como o céu que me rodeia,

avançar sem hesitar

não pensar no tempo que medeia.

Apenas o aqui e o agora,

nada mais interessa recordar,

cansei-me de pedir esmola,

cansei-me de mendigar.

(Mafalda)

18-10-2013 09:12

Bem perto de mim oiço um grito,

desesperado, solitário,

negras são as águas que agito

em busca de um amor imaginário.

Uivo constante e deprimente

que se entranha no meu ser,

sensação prepotente

presente da alvorada ao anoitecer.

Grito inaudível para quem passa,

ser invisível para quem olha,

grito silencioso que me trespassa

realidade que nunca me deu escolha.

(Mafalda)

18-10-2013 08:59

Durmo, acordo,

a escuridão continua.

Se não tivesse um cão

estaria numa perfeita solidão.

Horizonte escuro

cheio de nuvens,

nada procuro

não sei as minhas origens.

Perco-me na escuridão,

não há qualquer claridade,

tomei a decisão

que me trouxe à verdade.

Ela é só uma,

o fim do que nunca começou,

é a realidade, em suma,

muito tempo já passou.

(Mafalda)

17-10-2013 23:29

17-10-2013 23:16
"Minh'alma é a Princesa Desalento,
Como um Poeta lhe chamou, um dia.
É magoada, e pálida, e sombria,
Como soluços trágicos do vento!
 
É fágil como o sonho dum momento;
Soturna como preces de agonia,
Vive do riso duma boca fria:
Minh'alma é a Princesa Desalento...
 
Altas horas da noite ela vagueia...
E ao luar suavíssimo, que anseia,
Põe-se a falar de tanta coisa morta!
 
O luar ouve minh'alma, ajoelhado,
E vai traçar, fantástico e gelado,
A sombra duma cruz à tua porta..."
 
(Florbela Espanca)
 
17-10-2013 20:45

Leviana não vou ser,

não faria qualquer sentido,

apenas tu me davas prazer

como só contigo sempre tinha conhecido.

Amigos coloridos poderiam ser interessantes,

mas para isso precisava de "desejar",

depois de momentos tão marcantes

não vou mais tornar a amar.

Amar de coração,

amar fisicamente,

aqui e agora digo "Não",

não vou ter mais nada que me apoquente.

Para desejar tenho de amar,

para amar o meu coração só vê um rosto,

estarei eternamente a hibernar,

mas amar só mesmo por gosto.

(Mafalda)

17-10-2013 19:16

De um lado um sol radioso

do outro uma imensa lua cheia,

no meio deste solo rochoso

não é permitido qualquer perneio.

Pés bem assentes e com firmeza

para ajudarem a suportar,

não pode haver lugar a mais tristeza

enquanto por este mundo ainda andar.

Caminhar de bem com a vida

sem esperar absolutamente nada,

avançar de cabeça erguida

nem que tudo não passe de uma enorme fachada.

Tal como a lua cheia

também eu atingi o meu limite,

tirar a cabeça da areia

e (quase) nada haverá que me limite.

O ideal seria não ter escrito o "quase",

estaria pronta para tudo enfrentar...

Vou acreditar que só existe nessa frase

e que me estou a conseguir afastar.

(Mafalda)

17-10-2013 15:56

De negro me visto

da cabeça até aos pés,

a tudo eu resisto

até que um dia é de vez.

De negro me sinto

o meu sangue escureceu,

nada mais pressinto

deixei de ser eu.

Negro está o meu coração

só tenho escuridão no olhar,

aceito apenas esta sublimação

que me obriga a continuar.

Negrura intensa que deixei chegar,

sabia que aconteceria no dia em que desistisse,

já não tenho mais nada a que me agarrar,

seria bem mais fácil se apenas partisse...

(Mafalda)

16-10-2013 21:33
"O que é que queres mais de mim?
O que é que queres mais de mim?
Enchi-te a casa de flores
Roubei a vários autores
Gestos de outros amores
 
O que é que queres mais de mim?
O que é que queres mais de mim?
Fui Romeu na tua varanda
Depois parti em demanda
E até dancei na corda bamba
 
Sabes que vou
Até ao fim
Sabes que vou
Sabes que sim
Sabes que vou até ao fim
O que é queres mais de mim?
 
O que é que queres mais de mim?
O que é que queres mais de mim?
Já me bati em duelos
Tomei de assalto castelos
Por caminhos paralelos
 
Sabes que vou
Até ao fim
Sabes que vou
Sabes que sim
Sabes que vou até ao fim
O que é queres mais de mim?"
...
 
(João Só)
 
16-10-2013 21:06
"A minha alma partiu-se como um vaso vazio. 
Caiu pela escada excessivamente abaixo. 
Caiu das mãos da criada descuidada. 
Caiu, fez-se em mais pedaços do que havia loiça no vaso. 
 
Asneira? Impossível? Sei lá! 
Tenho mais sensações do que tinha quando me sentia eu. 
Sou um espalhamento de cacos sobre um capacho por sacudir. 
 
Fiz barulho na queda como um vaso que se partia. 
Os deuses que há debruçam-se do parapeito da escada. 
E fitam os cacos que a criada deles fez de mim. 
 
Não se zanguem com ela. 
São tolerantes com ela. 
O que era eu um vaso vazio? 
 
Olham os cacos absurdamente conscientes, 
Mas conscientes de si mesmos, não conscientes deles. 
 
Olham e sorriem. 
Sorriem tolerantes à criada involuntária. 
 
Alastra a grande escadaria atapetada de estrelas. 
Um caco brilha, virado do exterior lustroso, entre os astros. 
A minha obra? A minha alma principal? A minha vida? 
Um caco. 
E os deuses olham-o especialmente, pois não sabem por que ficou ali."
 
(Álvaro de Campos)
 
16-10-2013 20:52
"Eu sem você sou só desamor. 
Um barco sem mar, um campo sem flor. 
Tristeza que vai, tristeza que vem. 
Sem você, meu amor, eu não sou ninguém…" 
 
(Vinicius de Moraes)
 
16-10-2013 20:49
"Se o amor quiser voltar
Que terei pra lhe contar
A tristeza das noites perdidas
Do tempo vivido em silêncio
Qualquer olhar lhe vai dizer
Que o adeus me faz morrer
E eu morri tantas vezes na vida
Mas se ele insistir
Mas se ele voltar
Aqui estou sempre a esperar..."
 
(Vinicius de Moraes)
 
16-10-2013 20:46
"E a escuridão se torna tão maior. Estou caindo numa tristeza sem dor. Não é mau. Faz parte.
 
Amanhã provavelmente terei alguma alegria, também sem grande êxtases, só alegria, e isso também não é mau.
 
É, mas não estou gostando muito deste pacto com a mediocridade de viver."
 
(Clarice Lispector)
 
16-10-2013 20:42
"Eu sei!
Quanta tristeza eu tive
Mas mesmo assim se vive
Morrendo aos poucos por amor
 
Eu sei!
O coração perdoa
Mas não esquece à toa
E eu não me esqueci...
 
Eu sei!
Que flores existiram
Mas que não resistiram
A vendavais constantes
 
Eu sei!
Que as cicatrizes falam
Mas as palavras calam
O que eu não me esqueci..."
 
(Roberto Carlos)
 
16-10-2013 20:40
"Deve chamar-se tristeza 
Isto que não sei que seja 
Que me inquieta sem surpresa 
Saudade que não deseja. 
 
Sim, tristeza - mas aquela 
Que nasce de conhecer 
Que ao longe está uma estrela 
E ao perto está não a Ter. 
 
Seja o que for, é o que tenho. 
Tudo mais é tudo só. 
E eu deixo ir o pó que apanho 
De entre as mãos ricas de pó."
 
(Fernando Pessoa)
 
16-10-2013 20:34
"Sorri quando a dor te torturar
E a saudade atormentar
Os teus dias tristonhos vazios
 
Sorri quando tudo terminar
Quando nada mais restar
Do teu sonho encantador
 
Sorri quando o sol perder a luz
E sentires uma cruz
Nos teus ombros cansados doridos
 
Sorri vai mentindo a sua dor
E ao notar que tu sorris
Todo mundo irá supor
Que és feliz"
 
(John Turner e Geoffrey Parsons)
 
16-10-2013 18:01

Estava renitente em aqui vir,

agora já sei que de saúde estás bem,

é mesmo tempo de eu partir,

de tentar vislumbrar mais além.

Assim estou descansada,

fico muito feliz por ti,

não vale a pena continuar esta cruzada,

não vou voltar a ter o que vivi.

Custou arranjar coragem para aparecer,

mas só aqui digo o que sinto,

nada me resta senão esquecer

e obrigar-me a sair deste labirinto.

Foi bom, não duvido,

foi do melhor que pode haver,

mas quando o amor é esquecido

nada mais há a fazer.

Obrigada por tudo o que me fizeste sentir,

o que foi menos bom já passou,

obrigada por me teres feito partir

de uma situação que muitos anos se arrastou.

Despeço-me de ti com o coração na mão,

vou esquecer as promessas que me fizeste,

sonhos que nunca se concretizarão

ao seguires o rumo que só tu escolheste.

Adoro-te, CM.

(Mafalda)

15-10-2013 23:01

"O que não te faz feliz... não te faz falta!"

(FJC)

15-10-2013 22:26

Ser ingénuo e acreditar na vida,

é o maior erro que se pode cometer,

a emoção deixou-me rendida

e sem saber o que fazer.

Viver em função de sentimentos,

só resulta enquanto se vive a dois,

para se conseguirem bons momentos

não se pode pensar no "depois".

Ter amante para sempre

é tudo o que um homem quer,

assim liberta o que sente

e não tem coragem com a mulher.

Viver no proibido dá pica, 

faz acreditar que existe paixão,

mas quando a corda se estica

a amante sofre toda a humilhação.

Homem não deixa de estar casado,

pode até um dia vir a pensar que sim,

diz que ama, que está apaixonado,

mas tudo o que resta são palavras sem fim.

Palavras imensuráveis

ditas no calor da emoção,

são o oposto das coisas palpáveis,

como esta minha solidão!

(Mafalda)

15-10-2013 22:06

Quem me ouve diz que estou triste,

tristeza em mim existe em abundância,

às vezes a indiferença persiste,

mas acabo sempre por cair em redundância.

Há dias em que não adianta negar,

não adianta fugir da realidade,

estou muito cansada de esperar

por mais uns momentos de pura felicidade.

Mais sete meses que passaram,

a somar aos dezassete anos difíceis de digerir,

de tudo apenas as saudades ficaram,

teimosas que se recusam a partir...

(Mafalda)

15-10-2013 21:49

15-10-2013 16:05

15-10-2013 15:55

Cedo à tentação de perguntar,

resisto à vontade de ver,

não consigo deixar de pensar

que vou ter de te esquecer.

Cedo à minha cabeça,

ela cala o meu coração,

mas não há quem esqueça

o melhor de uma ilusão.

Vivi a melhor ilusão de uma vida,

a ilusão de amar e ser amada,

agora sinto que fui esquecida

e talvez mesmo trocada.

Não me magoa esse facto,

não é isso que me incomoda,

apenas gostava de te saber intacto

apesar de viveres uma vida fora de moda.

Que sentimentos tão tontos,

estar eu mal mas querer o teu bem...

sinto que estou a entregar os pontos

apenas me falta saber-te bem!

(Mafalda)

15-10-2013 15:47

Perdida num estado inebriante

tento atravessar cortinas de nevoeiro,

passo a passo vou hesitante

à procura de um sonho verdadeiro.

As cortinas são densas e cerradas,

dificilmente se deixam atravessar,

por mais voltas que dê nunca acho as estradas

que me permitem libertar.

Sinto-me enredada numa densa teia,

sinto-me presa dentro de mim,

continuo a olhar de forma alheia

para os motivos por que te afastaste assim.

Perdida num estado de embriaguez,

sem qualquer teor alcoólico,

não quero acreditar que seja de vez,

continuo imersa num estado bucólico.

(Mafalda)

14-10-2013 16:42

14-10-2013 16:34
"Pus o meu sonho num navio
e o navio em cima do mar;
- depois, abri o mar com as mãos,
para o meu sonho naufragar
 
Minhas mãos ainda estão molhadas
do azul das ondas entreabertas,
e a cor que escorre de meus dedos
colore as areias desertas.
 
O vento vem vindo de longe,
a noite se curva de frio;
debaixo da água vai morrendo
meu sonho, dentro de um navio…
 
Chorarei quanto for preciso,
para fazer com que o mar cresça,
e o meu navio chegue ao fundo
e o meu sonho desapareça.
 
Depois, tudo estará perfeito;
praia lisa, águas ordenadas,
meus olhos secos como pedras
e as minhas duas mãos quebradas."
 
( Cecília Meireles )
 
14-10-2013 16:23

Insípida é a minha escrita,

incolor, inodora,

a sorte no amor é maldita,

um coração que sempre chora.

Sem alento para preservar,

sem vontade para insistir,

apetece-me voltar

para onde tive de sair.

Sem força anímica que me mova,

sem alegria de viver,

continuo à espera que chova,

invento coisas para fazer.

Quero gelo, quero frio,

quero selar todas as recordações ardentes,

gostava de não me sentir neste vazio

de controlar as saudades emergentes.

Estupidez de acontecimentos

que nos deixam sempre a pensar,

resta recordar os bons momentos

que juntos conseguimos passar.

Quero recordar, mas quero esquecer,

sabe-me bem pensar em ti...

Mas sempre que penso em ti

mais se instala a vontade de te ver.

Como estarás, como tens vivido?...

São perguntas que me consomem,

mas se até agora tenho conseguido,

não vou ser eu a procurar esse Homem!

(Mafalda)

13-10-2013 20:26

Quando se quer esquecer

não se vai reler...

Porque é que fui ler

o que foi escrito há um ano,

assim não consigo esquecer,

assim só provoca dano.

Saudades de palavras trocadas,

saudades de momentos vividos,

forças superiores preparam-me emboscadas

para que eu não deixe de usar os meus sentidos...

Bolas, chega, já basta,

não me obriguem a reviver,

permanecerei sempre casta

mas não me deixem voltar a ler...

(Mafalda)

13-10-2013 17:43

Em complicadas situações

consegui dar a volta por cima,

deixando de lado as emoções

não sei se consigo fazer mais uma rima.

Para escrever poemas tenho de amar,

para amar tenho de ter quem,

se no meio disto tudo deixar de rimar

deixo de escrever mas fico bem.

Utopia da minha parte dizer "bem",

isso seria um sonho realizado...

Tenho de viver a vida como convém

sob pena de me tornar um ser inanimado.

Gostava de conseguir acreditar,

de ainda ter força para tentar perceber,

mas ultimamente tudo me faz mentalizar

que o destino só me quis ver sofrer.

Suportamos o que podemos,

o que temos capacidade para aguentar,

mas nunca saberemos

como a história irá acabar.

Não é a esperança a falar,

essa há muito que partiu,

é a minha mente a divagar

ao recordar o amor que lhe sorriu.

(Mafalda)

13-10-2013 17:36

Devagar, muito devagarinho,

vou cortando as minhas amarras,

sinto-me a pairar num torvelinho,

não sei se ainda me agarras.

Corto laços,

escondo recordações,

já que não há abraços

não pode haver sensações.

Sinto-me a afastar aos poucos,

talvez esteja na minha hora,

de nada adianta sermos loucos

se não saímos daqui para fora.

Fechada em mim sempre ficarei,

não permitirei mais sentimentos,

apenas aqui escreverei

caso voltem os tormentos.

Acordei...

será que é desta?

Interiorizei... 

que já nada me resta...

(Mafalda)

12-10-2013 23:06

O melhor que a vida tem

está bem à frente da nossa vista,

com amigos sempre se fica bem

à gargalhada não há quem resista.

Não me esqueci de ti,

mas hoje só agora aqui cheguei,

foi um dia em que muito sorri

apenas porque me afastei.

(Mafalda)

11-10-2013 11:05

Mais um dia soalheiro

e eu envolta num denso nevoeiro...

(Mafalda)

10-10-2013 22:35

Estou cansada de calor,

preciso de sentir o frio entranhar-se na minha pele,

quero andar na rua sem sentir qualquer odor,

quero apenas que a neve me congele.

Preciso de sentir frio,

para arrefecer o meu calor,

preciso de sair do vazio

de arranjar coragem para olhar em redor.

Escondo-me deste tempo quente,

desejo o frio penetrante,

sair para a rua sem nada que me apoquente,

caminhar sem me sentir hesitante.

Tenho de fugir deste tempo,

o tempo nunca foi meu amigo,

se aqui ficar viro um fóssil poeirento,

tenho de fugir do meu abrigo.

Quero chuva, quero frio,

sair para a rua e disfrutar,

este calor incendeia-me o brio,

preciso de respirar!

(Mafalda)

10-10-2013 22:31

10-10-2013 22:15

A noite chega de mansinho

com ela vem o desassossego,

pensamentos em desalinho

à espera de um aconchego.

Vive-se numa habituação,

que nunca será verdadeira,

reprime-se a sensação

de recordar a sombra de uma oliveira.

Sons só os da natureza,

nada mais se ouve por aqui,

gostava de ter a esperteza

de conseguir esquecer o que vivi.

Quando nos dizem para esquecer,

quando nos dizem que não vale a pena...

Quem diz isso nunca conseguirá perceber

porque nunca teve da vida a parte serena.

A serenidade que eu sinto

ainda resulta do teu amor,

confiarei sempre no meu instinto

nem que isso só me cause dor.

Amas-me, eu sei,

sentes a minha falta, tal como eu,

e só isto escutarei

porque o teu amor é só meu!

(Mafalda)

10-10-2013 22:10

Fez-me mal falar tanto de ti,

contar a história que vivi,

hoje fiquei a hibernar

e nada mais fiz que recordar...

Um dia publico um livro

com alguns destes poemas,

divido os louros contigo

que és a fonte dos meus temas.

Como eu queria não os ter,

não saber o que é poesia,

a vida obriga-me a reviver

e a saudade é a minha agonia...

(Mafalda)

10-10-2013 14:43
"Não te quero senão porque te quero,
e de querer-te a não te querer eu quero
e de esperar-te quando não te espero 
passa o meu coração de frio ao fogo.
Te quero só porque a ti eu te quero,
do ódio sem fim, e a odiando-te rogo,
e a medida de meu amor viajante
é não ver-te e amar-te como um cego.
Talvez consumirá a luz de janeiro,
seu raio cruel, meu coração inteiro,
roubando-me a chave do sossego.
Nesta historia tão só eu me faleço
e morro de amor porque te quero,
porque te quero, amor, o sangue e fogo."
 
(Pablo Neruda)
 
10-10-2013 14:27

Falar, falar, falar...

Palavras e mais palavras foram ditas.

Em nada vão condicionar

aquelas que agora são escritas.

Repetição exaustiva de emoções,

pensamentos cheios de dor,

recordação de sublimes sensações,

vidas em turbilhões sem cor.

Por muito que eu ainda vá escrever

ou se parar já neste momento,

em nada ambas me vão valer

porque tu não ouves o meu chamamento.

Chamo constantemente por um surdo,

erro meu que ainda não percebi,

não deixa de ser absurdo

chamar por quem não quer ouvir...

(Mafalda)

10-10-2013 14:17

Vivo num silêncio que me ensurdece

numa solidão não ambicionada,

existe um sentimento que não se esquece,

que me faz sentir desacompanhada.

Tento escutar através da mudez,

tento ler onde não há nada escrito,

aconteceu tudo outra vez,

nada que não me tenham antes dito...

A ausência persegue o meu ser,

seja ela visual ou auditiva,

amor que devia desaparecer

de uma forma definitiva.

Não foi correto o desfecho final,

merecia muito mais consideração,

não cobro nada afinal,

mas insistes em prender o meu coração...

(Mafalda)

09-10-2013 23:09

09-10-2013 21:24

09-10-2013 20:54

Hoje voltei a ser eu própria,

momentaneamente as lágrimas assomaram,

recontei a minha história imprópria

não escondi que os desgostos me devastaram.

Deixaram uma cratera profunda

irreparável sem um retorno

a vida às vezes torna-se imunda

quando se fica apenas por suborno.

Podem apelidar de várias maneiras

a chantagem emocional,

para mim é um suborno pioneiro

que torna a vida infernal.

Queria ter o condão

de poder ver a minha história "por fora",

calaria este teimoso coração

que novamente por ti chora.

Lágrimas que pensei ter perdido

rapidamente se formaram,

este amor nunca é esquecido

tem momentos que se eternizaram.

Amor, desejo, paixão,

cumplicidade, empatia, adoração

substantivos que se enraizaram

bem fundo no meu coração...

(Mafalda)

08-10-2013 23:43

Deixaste-me suspensa no tempo

ao dizer que um dia voltarias

se fui dura, lamento

mas estava a viver em agonia.

Seis meses, um ano ou dois,

conseguiste parar-me o futuro,

eu não sou nada sem nós dois

e qualquer devaneio seria prematuro.

Porque te adoro como sempre

porque sinto a tua falta

resisti até ao momento presente

mas a saudade está em alta...

(Mafalda)

08-10-2013 23:28

Perco-me na imensidão dos meus pensamentos,

não me encontro em lugar nenhum,

apenas oiço o sussurro dos meus lamentos

nem um deles tem retorno algum.

Transtorno a vida de quem me lê,

não conseguem perceber como eu estou,

no dia comum nada mostro a quem me vê,

se já nem eu sei quem sou.

Talvez uma tonta apaixonada

que ama sem qualquer justificação,

talvez uma mulher angustiada

que não consegue ouvir a razão.

Viver em incógnita é muito ingrato

mas a incógnita sou eu que a crio,

não me chegaste a dar o teu retrato

e agora só tenho o vazio.

Vazio que me acompanha diariamente

em todos os pequenos pormenores,

o meu coração está dormente,

está cansado destes amores.

Perdi muito de mim

ao dar tudo o que dei,

desta vez foi assim,

totalmente me entreguei.

Dei e recebi,

mas queria continuar a dar,

penso que ainda não percebi

o significado do teu "Acabar"...

Talvez por o não teres dito,

por te teres recusado a responder,

releio tudo o que foi escrito

e continuo sem saber o que fazer.

Nada foi falso,

tudo foi do coração,

mas se não foi falso

porque estamos nesta situação?

Digo estamos, mas deveria dizer estou,

porque de ti nada sei,

não sei se o teu sonho se concretizou

no momento em que me afastei.

Se ao menos te soubesse numa vida de felicidade,

para mim seria muito mais fácil,

mas sempre que penso na nossa intimidade

não a posso comparar com nada volátil...

(Mafalda)

08-10-2013 22:35

08-10-2013 22:00

08-10-2013 21:50
"Picture perfect memories
Scattered all around the floor
Reaching for the phone 'cause
I can't fight it anymore
 
And I wonder if I
Ever cross your mind
For me it happens all the time
 
It's a quarter after one
I'm all alone
And I need you now
Said I wouldn't call
But I've lost all control
And I need you now
 
And I don't know how
I can do without
I just need you now
 
Another shot of whiskey
Can't stop looking at the door
Wishing you'd come sweeping
In the way you did before
 
And I wonder if I
Ever cross your mind
For me it happens all the time
 
It's a quarter after one
I'm a little drunk
And I need you now
Said I wouldn't call
But I've lost all control
And I need you now
 
And I don't know how
I can do without
I just need you now
 
Whoa, whoa
Guess I'd rather hurt
Than feel nothing at all
 
It's a quarter after one
I'm all alone
And I need you now
And I said I wouldn't call
But I'm a little drunk
And I need you now
 
And I don't know how
I can do without
I just need you now
I just need you now
 
Oh baby, I need you now"
 
(Lady Antebellum)
 
 
08-10-2013 21:26

Hoje a ausência foi propositada,

assim evitei pensar tanto,

mas o sentimento não gosta desta forma inusitada

e acaba sempre por levar a dele avante.

Acabo sempre por pensar,

acabo sempre por não esquecer,

hoje em muitos sítios tive de passar

mas o destino disse que não era para te ver.

O sol foi meu inimigo,

o reflexo tapou-me a visão,

se calhar foi meu amigo

ao evitar que eu visse a minha paixão.

Se não vires não pensas,

disseste tu um dia,

rapidamente compensas

a falta que eu te fazia.

Como é possível ser assim,

como se perde o que se diz sentir,

afinal não gostavas assim tanto de mim,

senão não tinhas optado por partir.

É a realidade, peço desculpa,

tenho sido demasiado ingénua,

não foi só mea-culpa

e por isso merecia uma trégua.

(Mafalda)

07-10-2013 23:27
"Dormi contigo toda a noite 
junto ao mar, na ilha. 
Eras doce e selvagem entre o prazer e o sono, 
entre o fogo e a água. 
 
Os nossos sonos uniram-se 
talvez muito tarde 
no alto ou no fundo, 
em cima como ramos que um mesmo vento agita, 
em baixo como vermelhas raízes que se tocam. 
 
0 teu sono separou-se 
talvez do meu 
e andava à minha procura 
pelo mar escuro 
como dantes, 
quando ainda não existias, 
quando sem te avistar 
naveguei a teu lado 
e os teus olhos buscavam 
o que agora 
— pão, vinho, amor e cólera — 
te dou às mãos cheias, 
porque tu és a taça 
que esperava os dons da minha vida. 
 
Dormi contigo 
toda a noite enquanto 
a terra escura gira 
com os vivos e os mortos, 
e ao acordar de repente 
no meio da sombra 
o meu braço cingia a tua cintura. 
Nem a noite nem o sono 
puderam separar-nos. 
 
Dormi contigo 
e, ao acordar, tua boca, 
saída do teu sono, 
trouxe-me o sabor da terra, 
da água do mar, das algas, 
do âmago da tua vida, 
e recebi teu beijo, 
molhado pela aurora, 
como se me viesse 
do mar que nos cerca."
 
(Pablo Neruda)
 
07-10-2013 23:25

07-10-2013 17:37
"Horas mortas... Curvada aos pés do Monte
A planície é um brasido e, torturadas,
As árvores sangrentas, revoltadas,
Gritam a Deus a benção duma fonte!
 
E quando, manhã alta, o sol posponte
A oiro a giesta, a arder, pelas estradas,
Esfíngicas, recortam desgrenhadas
Os trágicos perfis no horizonte!
 
Árvores! Corações, almas que choram,
Almas iguais à minha, almas que imploram
Em vão remédio para tanta mágoa!
 
Árvores! Não choreis! Olhai e vede:
--- Também ando a gritar, morta de sede,
Pedindo a Deus a minha gota de água!"
 
(Florbela Espanca)
 
07-10-2013 17:34
"Surdo, subterrâneo rio de palavras
me corre lento pelo corpo todo;
amor sem margens onde a lua rompe
e nimba de luar o próprio lodo.
 
Correr do tempo ou só rumor do frio
onde o amor se perde e a razão de amar
--- surdo, subterrâneo, impiedoso rio,
para onde vais, sem eu poder ficar?"
 
(Eugénio de Andrade)
 
07-10-2013 17:32
"Nada podeis contra o amor,
Contra a cor da folhagem,
contra a carícia da espuma,
contra a luz, nada podeis.
 
Podeis dar-nos a morte,
a mais vil, isso podeis
- e é tão pouco!"
 
(Eugénio de Andrade)
 
07-10-2013 17:30
"Já gastámos as palavras pela rua, meu amor,
e o que nos ficou não chega
para afastar o frio de quatro paredes.
Gastámos tudo menos o silêncio.
Gastámos os olhos com o sal das lágrimas,
gastámos as mãos à força de as apertarmos,
gastámos o relógio e as pedras das esquinas
em esperas inúteis.
 
Meto as mãos nas algibeiras e não encontro nada.
Antigamente tínhamos tanto para dar um ao outro;
era como se todas as coisas fossem minhas:
quanto mais te dava mais tinha para te dar.
Às vezes tu dizias: os teus olhos são peixes verdes.
E eu acreditava.
Acreditava,
porque ao teu lado
todas as coisas eram possíveis.
 
Mas isso era no tempo dos segredos,
era no tempo em que o teu corpo era um aquário,
era no tempo em que os meus olhos
eram realmente peixes verdes.
Hoje são apenas os meus olhos.
É pouco mas é verdade,
uns olhos como todos os outros.
 
Já gastámos as palavras.
Quando agora digo: meu amor,
já não se passa absolutamente nada.
E no entanto, antes das palavras gastas,
tenho a certeza
de que todas as coisas estremeciam
só de murmurar o teu nome
no silêncio do meu coração.
 
Não temos já nada para dar.
Dentro de ti
não há nada que me peça água.
O passado é inútil como um trapo.
E já te disse: as palavras estão gastas.
 
Adeus."
 
(Eugénio de Andrade)
 
07-10-2013 17:26
"Um pouco mais de sol - eu era brasa,
Um pouco mais de azul - eu era além.
Para atingir, faltou-me um golpe de asa...
 
Se ao menos eu permanecesse aquém...
Assombro ou paz? Em vão... Tudo esvaído
Num grande mar enganador de espuma;
E o grande sonho despertado em bruma,
O grande sonho - ó dor! - quase vivido...
Quase o amor, quase o triunfo e a chama,
 
Quase o princípio e o fim - quase a expansão...
Mas na minh'alma tudo se derrama...
Entanto nada foi só ilusão!
De tudo houve um começo... e tudo errou...
- Ai a dor de ser - quase, dor sem fim...
Eu falhei-me entre os mais, falhei em mim,
 
Asa que se enlaçou mas não voou...
Momentos de alma que, desbaratei...
Templos aonde nunca pus um altar...
Rios que perdi sem os levar ao mar...
Ânsias que foram mas que não fixei...
Se me vagueio, encontro só indícios...
 
Ogivas para o sol - vejo-as cerradas;
E mãos de herói, sem fé, acobardadas,
Puseram grades sobre os precipícios...
Num ímpeto difuso de quebranto,
Tudo encetei e nada possuí...
Hoje, de mim, só resta o desencanto
 
Das coisas que beijei mas não vivi...
Um pouco mais de sol - e fora brasa,
Um pouco mais de azul - e fora além.
Para atingir faltou-me um golpe de asa...
Se ao menos eu permanecesse aquém..."
 
(Mário de Sá Carneiro)
 
07-10-2013 17:19
 
"Porque os outros se mascaram mas tu não
Porque os outros usam a virtude
Para comprar o que não tem perdão
Porque os outros têm medo mas tu não
 
Porque os outros são os túmulos caiados
Onde germina calada a podridão.
Porque os outros se calam mas tu não.
 
Porque os outros se compram e se vendem
E os seus gestos dão sempre dividendo.
Porque os outros são hábeis mas tu não.
 
Porque os outros vão à sombra dos abrigos
E tu vais de mãos dadas com os perigos.
Porque os outros calculam mas tu não."
 
(Sophia de Mello Breyner Andresen)
 
07-10-2013 17:15

Quis o destino que contigo me cruzasse,

sem qualquer razão aparente,

quis o destino que me apaixonasse,

e que contigo vivesse um amor ardente.

Quis o destino pôr à prova

o amor que por ti sempre senti,

existiu uma enorme demora

que compensou o que não vivi.

Quis o destino dar-me um sonho

e depois voltar atrás na oferenda,

libertou-me do que era enfadonho

mas nunca se tira uma prenda.

Quem não sabe

não agoniza,

quem não conhece

não dramatiza.

Como explicar o que é ter e perder

a quem tem e nunca perdeu,

como é que eu havia de saber

se não tivesse atingido o apogeu?

Que maldade tão grande

o destino fez comigo,

deu-me duas vezes a chance

de me sentir feliz contigo.

(Mafalda)

06-10-2013 23:49

Querer manter-me fiel 

a quem não quer saber de mim

é como uma abelha que quer produzir mel

mas não encontra um jardim.

Ousadia da minha parte

dizer que mais nenhum homem amarei,

é apenas porque nenhum tem a arte

de me fazer sentir como só eu sei.

Recordo as tuas mãos que me acariciavam,

os teus lábios que mordiscava,

o teu peito que me aconchegava

enquanto eu te namoriscava.

Ter-te em mim é uma sensação inesquecível,

amar-te era um prazer acrescido,

tudo em ti é muito apetecível

e nada disso vai ser esquecido.

Como estar com outra pessoa,

como me interessar seja por quem for,

o meu amor por ti em mim ecoa

dos teus beijos ainda recordo o sabor.

Só a ti quero,

mais ninguém me terá,

posso ficar num desespero

mas esta recordação permanecerá.

Pode ser só sonho ou recordação.

pode ser utopia ou pura ilusão,

só tu tens lugar cativo no meu coração,

se virei ermita foi por minha opção.

(Mafalda)

06-10-2013 22:16

É absurdo escrever sobre um Homem,

nem faz sentido continuar a amá-lo,

imensas recordações me consomem,

mas no fim consegui dececioná-lo.

Se não me conhecesse até que aceitava,

momentos maus todos temos um dia,

dizem-se coisas quando se está irado

se não as dissesse não me arrependeria.

Quem habita no nosso interior,

quem nos vê despidos de segredos,

não pode nunca supor

que nos revelamos em momentos negros.

Forma cómoda de passar a culpa,

Parabéns!, foi conseguido,

muitas vezes pedi desculpa

mas o assunto não foi dado como esquecido.

Podemos magoar sem querer,

somos magoados sem intenção,

muitos gostariam de ter

a cumplicidade da nossa união.

Em nada se revelou útil

quando chegou o momento da verdade,

opta-se por uma vida fútil

em detrimento da verdade...

(Mafalda)

06-10-2013 22:03

Um dia perdi um ombro,

mas perdi porque desistiu,

sofri um rude tombo

ao saber que de vez partiu.

Quando se morre é diferente,

sabemos que não é por opção,

sabemos que apesar de ausente

permanecemos no seu coração.

A morte é o único fim,

a única justificação para uma despedida,

quando o sentimento ainda habita em mim

não faz sentido sentir-me esquecida.

Recentemente perdi outro ombro,

o ombro mais importante da minha vida,

sofri um imenso rombo

que quase me deixou desfalecida.

Este foi por opção,

dói muito, mas mesmo muito,

foi esta a sua solução

ao optar por um relacionamento moribundo.

Talvez tenha ressuscitado,

talvez agora seja feliz,

nesse caso é muito justificado

que só eu permaneça infeliz.

(Mafalda)

06-10-2013 21:55

Acreditar é sonhar,

sonhos são para as crianças,

esperar é desesperar

é perder todas as esperanças.

Como explicar a alguém

que os sentimentos são fugazes,

que não há ninguém

que justifique sermos audazes.

Desacreditar as relações,

desvalorizar os sentimentos,

não dar importância às emoções

e viver apenas os momentos.

Um momento, mais outro momento,

todos somados são a nossa vida,

de nada vale o desalento

de constatar o definitivo de uma partida.

Arranjar vontade de avançar

é a parte mais complicada de uma perda,

quando se parte para não mais voltar

só posso pensar que tudo isto é uma m....

(Mafalda)

06-10-2013 09:05

Fechei os olhos,

tentei dormir,

a nossa vida passou à minha frente

mas com a dor de te ter visto partir.

Não tenho medo de morrer,

tenho medo de morrer

sem te voltar a ter.

Não imagino a minha vida futura

sem o teu mimo, sem o teu carinho,

porque tem sempre de existir uma rutura

porque há sempre entraves no nosso caminho?

(Mafalda)

05-10-2013 21:35

Levei um xeque mate

num jogo jogado pelos dois,

aguentei o embate

mas o pior veio depois.

Caí do cavalo,

perdi os peões,

senti o descalabro

em viver de ilusões.

Jogo bem jogado desde o início,

tabuleiro estável e consistente,

o tempo era o mais propício

mas a vontade foi inexistente.

Perdi com imensa mágoa

um jogo bem jogado por todos os intervenientes,

ganhei uma infinita trégua

com sentimentos muito insistentes.

Teimam em não sair

em não me deixar descansar,

às vezes apetece-me fugir

mas acabo sempre por voltar...

(Mafalda)

05-10-2013 21:25

Se soubesses o que eu sinto

saberias tanto como eu,

o teu amor outrora extinto

um dia reacendeu.

Chegou mais forte do que antes

foi intenso em demasia,

com sentimentos gratificantes

eu fui subindo a escadaria.

Subi, subi, subi,

um dia deparei-me com o fim,

de forma dura desci

até conseguir chegar a mim.

Hoje estou no patamar,

odeio escadas e o que elas representam,

entreguei tudo por amar,

sentimentos que tudo aguentam.

Passos que deviam ser definitivos

tornaram-se demasiado grandes,

voltei aos tempos primitivos

com momentos angustiantes...

(Mafalda)

04-10-2013 21:44

Prezo o silêncio que me envolve,

a tranquilidade deste local,

silêncio nem sempre resolve

mas agora é o meu ideal.

Dias e dias sozinha no meu aconchego,

não descurando nada do que é necessário,

só aqui consigo o sossego

depois de muito rebuliço diário.

Silêncio que me rodeia,

sons da natureza que se sobrepõem,

em silêncio não se receia

só os sonhos ainda vêm.

Insistem em quebrar o sossego,

teimam em permanecer,

sonhos que provocam desassossego

e que não deixam esquecer.

Calem-se sonhos,

deixem-me em paz,

viver de sonhos

em nada me satisfaz!

(Mafalda)

04-10-2013 21:02

Que sentido faz,

ter voz e não poder falar,

ter olhos e não poder ver?

Que sentido faz

continuar a esperar

se nunca vai acontecer?

Que sentido faz,

viver num casulo cerrado

sem vontade de lá sair?

Que sentido faz

manter o coração calado

e não ter vontade de rir?

Que sentido faz a vida,

quando nos prega tamanha rasteira,

quando nos dá uma nova despedida

e nos mantem na cegueira?

Sentido nenhum, dirão,

e é essa a realidade,

viver numa imposta solidão

só nos dá obscuridade.

(Mafalda)

04-10-2013 20:50

Que estranha a vida pode ser,

penso em desistir mas não sei de quê,

passo a vida a tentar esquecer

mas nunca percebo o porquê...

Como posso desistir do que não tenho,

como posso esquecer o que não me pertence,

tudo isto são questões em que muito me empenho

mas nunca a minha cabeça vence...

Porque luto contra mim,

serei sempre uma sentimental incorrigível,

porque insisto neste sentir assim

se ele está totalmente inatingível?

Porque, porque, porque,

milhares de questões sem resposta,

este meu coração sempre deturpa

o que é real mas não gosta.

(Mafalda)

04-10-2013 20:15

Chegou a hora de desistir,

de esquecer, de viver,

não consigo mais resistir,

estou farta de sobreviver.

Por ti atingi a liberdade,

mas fiquei presa dentro de mim,

comecei a ver tudo com claridade

mas quando comecei cheguei ao fim.

Deste-me as asas que eu queria,

sem ti nunca o teria feito,

não deixa de ser uma grande ironia

libertares-me e não teres o proveito.

Agradeço as asas,

mas preciso aprender a voar,

quando por mim passas

deixas-me sempre a sonhar.

A liberdade não chega,

preciso sentir-me inteira,

alguém me dê um achego

para não continuar prisioneira.

(Mafalda)

04-10-2013 19:59

Concretizar sonhos,

realizar convicções,

fugir de pesadelos medonhos

que nos deixam em turbilhões.

Não dar importância

ao que não se tem,

manter a ignorância,

contar até cem.

Muitas vezes as regras falham,

esquecemo-nos de nós próprios,

emoções só atrapalham

os sentimentos são impróprios.

Para quê amar

quem não quer saber de nós?

Para quê esperar

com o coração cheio de nós?

Sentimentos surreais

que não fazem qualquer sentido,

se tivessem sido reais

estaria aqui comigo.

Medo do confronto,

medo de magoar,

nunca chegou ao ponto

de só comigo se preocupar.

Não se magoa uma pessoa,

magoa-se a que por nós tudo fez,

às vezes canso-me de ser boa

e amar é uma estupidez!

(Mafalda)

04-10-2013 19:52

Escrita triste tenho tido,

um desfilar de contraditórias emoções,

tudo por causa de um amor perdido

que outrora me encheu de ilusões.

Tristeza que não se mostra a ninguém,

que só se sente no nosso interior,

viver a vida como convém

sem mostrar o dissabor.

Quem me vir hoje em dia,

nada nota do que eu sinto,

gostava de recuperar a alegria

mas de nada me valeu o instinto.

Acreditei que haveria algo,

que nestas férias algo diria,

por aqui tudo permanece calmo,

o meu coração habituou-se à agonia.

(Mafalda)

03-10-2013 22:20

Serenidade que me invades

que me levas a aceitar,

por favor nunca me faltes

que sem ti não posso ficar.

Já perdi muito na vida,

não me faças essa desfeita,

deixa-me continuar tranquila

mesmo sem estar satisfeita.

(Mafalda)

03-10-2013 14:08
"Nunca mais você ouviu falar de mim
Mas eu continuei a ter você
Em toda esta saudade que ficou...
Tanto tempo já passou e eu não te esqueci.
 
Quantas vezes eu pensei voltar
E dizer que o meu amor nada mudou
Mas o meu silêncio foi maior
E na distância morro
Todo dia sem você saber.
 
O que restou do nosso amor ficou
No tempo, esquecido por você...
Vivendo do que fomos ainda estou
Tanta coisa já mudou, só eu não te esqueci.
 
Quantas vezes eu pensei voltar
E dizer que o meu amor nada mudou
Mas o meu silêncio foi maior
E na distância morro
Todo dia sem você saber.
 
Eu só queria lhe dizer que eu
Tentei deixar de amar, não consegui
Se alguma vez você pensar em mim
Não se esqueça de lembrar
Que eu nunca te esqueci
 
Quantas vezes eu pensei voltar
E dizer que o meu amor nada mudou
Mas o meu silêncio foi maior
E na distância morro
Todo dia sem você saber."
 
(Roberto Carlos)
 
02-10-2013 20:20

Mulher informada

assusta,

mulher ousada

escuta.

Mulher feia

não receia

porque é muito astuta.

Mulher pouco culta

gosta sempre de compensar,

se sou loira não é por minha culpa,

estou sempre a tempo de mudar.

(Mafalda)

02-10-2013 20:12

Abro mão da tua presença,

abro mão do meu coração,

vivo com a eterna sentença

de ter vivido uma mera ilusão.

Sonhos vividos acordada

que me aconchegaram da forma ideal,

não posso ter sido abandonada

porque nada foi real.

Quimera doce e serena

que me fez acreditar na vida,

sensação de vida plena

que acabou numa triste partida.

Abro mão do amor que sinto,

abro mão de te voltar a ver,

estou a sair do labirinto

onde estava a viver.

(Mafalda)

02-10-2013 19:58

Perdi-me num sentimento

que nunca ousei sentir

instante, momento,

tudo parecia florir.

Perdi-me do meu ser

alguém me reencontrou,

deixou-se perder

no colo que o afagou.

Perdi-me da vontade,

do discernimento,

da lucidez.

Caminhei pela obscuridade,

pelo sofrimento,

tal como da outra vez.

Parei a tempo,

não me perdi totalmente,

não correu de contento

mas nada do que vivi lamento.

Instante,

momento,

na solidão do cinzento

ninguém me tirará esse sustento.

(Mafalda)

02-10-2013 18:23

02-10-2013 18:15

Recolhi-me no meu canto

enquanto o desalento se instalou,

já não há lugar para pranto

resta tudo o que em mim ficou.

Fugi da escrita,

das conversas,

fugi de tudo o que me fazia lembrar,

mantive-me bem escondidita

até a fase má passar.

Prestes a acabar o descanso,

provou que já não se interessa,

assim já não me canso,

já nem sequer tenho pressa.

Vou perder a capacidade de rimar,

vou perder o dom da escrita,

quando se deixa de poder amar

resta-nos somente a desdita.

(Mafalda)

01-10-2013 22:09

30-09-2013 23:23

30-09-2013 15:06

Tempo

que deste lugar ao desalento,

que se decidiu instalar.

Tempo 

que atenuas o sofrimento

de quem quer amar.

Tempo

que corres contra mim

direto a um fim.

Tempo,

tempo,

tempo a acabar

com a esperança de voltar.

(Mafalda)

30-09-2013 14:44

Perdi o que me importa,

abandonei a esperança no regresso,

estrada da vida, que és demasiado torta,

só deixas entrar quem paga ingresso.

Perdi tudo o que me fazia bem,

o que me completava de forma inimaginável,

expetativas que ficaram muito aquém,

houve quem se mantivesse estável.

Estável, estagnado, bloqueado,

morto para o amor, para a paixão,

se eu nunca o tivesse amado

nunca teria sentido a sensação.

Sensação de ser o centro das atenções,

de ter uma pessoa completamente dedicada,

de ver o mundo sem prisões,

de saber o que é estar apaixonada.

Perdi tudo isso e muito mais,

perdi a minha metade,

já passou tempo demais

para continuar em ansiedade.

Tenho de mudar a forma de estar,

tenho de seguir a minha vida,

mas para escrever preciso de amar,

não quero que isto seja uma despedida.

Vou continuar a dar o meu melhor,

perdi, perdi e finalmente aceitei,

vou olhar em meu redor

e começar a viver no ponto onde parei.

(Mafalda)

30-09-2013 14:35

A vida tem destas coisas,

chamem-lhe karma,

chamem-lhe destino...

Correm as minhas brisas,

aguçadas como arma,

e tu estás em perigo.

Sempre que precisares

vais recordar que eu existo,

Sempre que comunicares

vais recordar porque não desisto.

Estranho?

Talvez para quem não saiba...

(Mafalda)

29-09-2013 22:10

Hoje não podes estar bem

com tanta informação constante,

a desconfiança nunca fica aquém,

pena estares tão distante...

(Mafalda)

29-09-2013 16:07

29-09-2013 15:35

Lá fora a chuva continua a cair,

cá dentro a chuva acomoda-se,

tantas vezes que desejo desistir,

mas a coragem sempre me foge.

Ocupas todo o meu tempo,

em pensamento, em escrita,

és o único motivo do meu lamento,

a minha inspiração é a desdita.

Preferia não escrever nada,

seria sinal que tinha felicidade,

já nem me sinto magoada,

porque já não sinto nada.

O vazio é a minha companhia,

a solidão a minha almofada,

gostava de ver se sorrias

somente para ficar descansada.

Não sou altruísta, não,

mas preocupo-me com ele,

por muito que me chamem à razão,

gostava mesmo de saber dele.

Amar não é prender,

é dar asas e liberdade,

é não esquecer

quem nos trouxe felicidade.

Breve, mas intensa,

do melhor que pode haver,

emoção que se adensa,

amor que não se quer perder.

(Mafalda)

29-09-2013 15:19

Muitas vezes apetece-me escrever com fúria,

apetece-me ser mal educada,

podia ser uma forma de libertar a fúria,

de superar esta jornada.

Quando penso que já estou calma,

calma estou, não duvido,

mas onde quer que ande a minha alma,

o meu coração permanece contigo.

Não me liberto, não consigo,

foram demasiados anos de retenção,

o reencontro contigo

baralhou o meu coração.

Abri o meu ser sem nada esconder,

entreguei-me de uma forma ousada,

perdi as defesas para me proteger,

mas acabei abandonada.

Confiei, acreditei, sorri,

imaginei, idealizei, construí.

Acordei de um sonho que vivi,

por quantos mais anos estarei sem ti?

(Mafalda)

29-09-2013 15:05

Noite mal dormida,

sem qualquer razão de ser,

ando completamente perdida

sem saber o que fazer.

Sonho que me mandas uma mensagem,

onde pedes para ir ter contigo,

hesito mas faço a viagem

não sabendo se será um tempo perdido.

Nada dizes, apenas me abraças,

e assim ficamos toda a tarde,

caem lágrimas pela minha cara,

memória de todas as desgraças.

Nada dizemos, 

não é necessário,

nada fazemos

de extraordinário.

Depois não sei o que aconteceu,

acordei angustiada,

o sonho desapareceu

e eu permaneci acordada.

(Mafalda)

28-09-2013 20:58
"Chora de manso e no íntimo... Procura
Curtir sem queixa o mal que te crucia:
O mundo é sem piedade e até riria
Da tua inconsolável amargura.
 
Só a dor enobrece e é grande e é pura.
Aprende a amá-la que a amarás um dia.
Então ela será tua alegria,
E será, ela só, tua ventura...
 
A vida é vã como a sombra que passa...
Sofre sereno e de alma sobranceira,
Sem um grito sequer, tua desgraça.
Encerra em ti tua tristeza inteira.
 
E pede humildemente a Deus que a faça 
Tua doce e constante companheira..."
 
(Manuel Bandeira)
 
28-09-2013 20:56
"Eu faço versos como quem chora
De desalento... de desencanto...
Fecha o meu livro, se por agora 
Não tens motivo nenhum de pranto.
 
Meu verso é sangue. Volúpia ardente...
Tristeza esparsa... remorso vão...
Dói-me nas veias. Amargo e quente,
Cai, gota a gota, do coração.
 
E nestes versos de angústia rouca,
Assim dos lábios a vida corre,
Deixando um acre sabor na boca.
 
Eu faço versos como quem morre."
 
(Manuel Bandeira)
 
28-09-2013 20:51
"Ficar velho é
deixar enguiçar
o sonho, o propósito, a capacidade de criar.
 
Ficar velho é
deixar morrer o pensamento novo
que não para de gritar.
 
Ficar velho é
correr em sentido contrário
das belezas da vida,
sustentar doendo aquela antiga ferida.
 
Ficar velho é
entregar os pontos, desistir, calar.
 
Ficar velho é,
não querer enxergar oportunidades,
tapar o sol com a peneira,
ao invés de recriar o tempo,
seguir em frente,
lutar."
 
(Ivone Boechat)
 
28-09-2013 20:49
"Há um momento na vida
de terror definitivo,
de fracasso tremendo,
de sangrar a ferida.
 
Nada rende,
não há remendo,
nem consolo,
nem saída;
luta perdida.
 
A lágrima não significa,
o amor cruza os braços,
a saudade diz que vai,
e fica."
 
(Ivone Boechat)
 
28-09-2013 20:45
"Quando penso em você fecho os olhos de saudade
Tenho tido muita coisa, menos a felicidade
Correm os meus dedos longos em versos tristes que invento
Nem aquilo a que me entrego já me traz contentamento.
 
Pode ser até manhã, cedo claro feito dia
mas nada do que me dizem me faz sentir alegria.
Eu só queria ter no mato um gosto de framboesa
Para correr entre os canteiros e esconder minha tristeza.
 
Que eu ainda sou bem moço para tanta tristeza
E deixemos de coisa, cuidemos da vida,
Pois se não chega a morte ou coisa parecida
E nos arrasta moço, sem ter visto a vida."
 
(Cecília Meireles)
 
28-09-2013 20:43
"Não te fies do tempo nem da eternidade,
que as nuvens me puxam pelos vestidos
que os ventos me arrastam contra o meu desejo!
 
Apressa-te, amor, que amanhã eu morro,
que amanhã morro e não te vejo!
 
Não demores tão longe, em lugar tão secreto,
nácar de silêncio que o mar comprime,
o lábio, limite do instante absoluto!
 
Apressa-te, amor, que amanhã eu morro,
que amanhã eu morro e não te escuto!
 
Aparece-me agora, que ainda reconheço
a anêmona aberta na tua face
e em redor dos muros o vento inimigo...
 
Apressa-te, amor, que amanhã eu morro,
que amanhã eu morro e não te digo..."
 
(Cecília Meireles)
 
28-09-2013 20:39
"Por muito tempo achei que a ausência é falta.
E lastimava, ignorante, a falta.
Hoje não a lastimo.
Não há falta na ausência.
A ausência é um estar em mim.
E sinto-a, branca, tão pegada, aconchegada nos meus braços,
que rio e danço e invento exclamações alegres,
porque a ausência, essa ausência assimilada,
ninguém a rouba mais de mim."
 
(Carlos Drummond de Andrade)
 
28-09-2013 20:36
"Tenho razão de sentir saudade,
tenho razão de te acusar.
Houve um pacto implícito que rompeste
e sem te despedires foste embora.
 
Detonaste o pacto.
Detonaste a vida geral, a comum aquiescência
de viver e explorar os rumos de obscuridade
sem prazo sem consulta sem provocação
até o limite das folhas caídas na hora de cair.
 
Antecipaste a hora.
Teu ponteiro enloqueceu, enloquecendo nossas horas.
Que poderias ter feito de mais grave
do que o ato sem continuação, o ato em si,
o ato que não ousamos nem sabemos ousar
porque depois dele não há nada?
 
Tenho razão para sentir saudade de ti,
de nossa convivência em falas camaradas,
simples apertar de mãos, nem isso, voz
modulando sílabas conhecidas e banais
que eram sempre certeza e segurança.
 
Sim, tenho saudades.
Sim, acuso-te porque fizeste
o não previsto nas leis da amizade e da natureza
nem nos deixaste sequer o direito de indagar
porque o fizeste, porque te foste."
 
(Carlos Drummond de Andrade)
 
28-09-2013 20:29
"Os poemas são pássaros que chegam
não se sabe de onde e pousam
no livro que lês.
 
Quando fechas o livro, eles alçam vôo
como de um alçapão.
Eles não têm pouso
nem porto
alimentam-se um instante em cada par de mãos
e partem.
 
E olhas, então, essas tuas mãos vazias,
no maravilhado espanto de saberes
que o alimento deles já estava em ti..."
 
(Mário Quintana)
 
28-09-2013 20:23
"Da vez primeira em que me assassinaram
Perdi um jeito de sorrir que eu tinha...
Depois, de cada vez que me mataram,
Foram levando qualquer coisa minha...
 
E hoje, dos meus cadáveres, eu sou
O mais desnudo, o que não tem mais nada...
Arde um toco de vela, amarelada...
Como o único bem que me ficou!
 
Vinde, corvos, chacais, ladrões da estrada!
Ah! Desta mão, avaramente adunca,
Ninguém há de arrancar-me a luz sagrada!
Aves da Noite! Asas do Horror! Voejai!
Que a luz, trêmula e triste como um ai,
A luz do morto não se apaga nunca!"
 
(Mário Quintana)
 
28-09-2013 10:30

Tenho o coração apertado,

a cabeça em ebulição,

tu ficas aí parado

e eu fico aqui na solidão.

Não sei porque estou neste aperto,

não sei o que se está a passar,

tu não andas por perto

nem sequer me vens procurar.

Perdeste a curiosidade

perdeste a paixão,

eu perdi a felicidade

perdi a quem dar a mão.

Calor que me apoquenta

tremor sem razão de ser,

o meu amor enfrenta

a sensação de te perder.

Para ti eu morri,

acabou-se o que sentias,

para mim tudo se resume a ti

estou a suportar verdadeiras agonias.

(Mafalda)

27-09-2013 22:42

Ouve o meu grito desesperado

que chama por ti a todo o instante,

não continues calado,

não pretendas mostrar-te distante.

Quero sair deste sentimento,

quero parar de viver uma vida superficial,

deixaste-me presa a um momento,

bloqueaste-me a vida real.

Queria conseguir fugir

para bem longe de ti,

mas a vida insiste em me inibir,

só me obriga a recordar o que vivi.

Devia ser louca e aproveitar

não sei quando vou partir,

que insano sentimento havia de arranjar

que nem sequer me deixa sorrir.

Não entendes que preciso do teu amor,

que és o ar que eu respiro,

deixaste-me imersa em dor

só tenho força para soltar um suspiro.

"Até um dia", disseste,

mais valia teres estado calado...

Se até agora nada fizeste

é apenas porque tudo está acabado.

Acabado para ti, não para mim,

que fiquei presa num equilíbrio,

estou cansada de viver assim,

já não justifica mais o sacrifício.

"As melhores férias que tinhas tido",

...tanta coisa que disseste...

Se eu imaginasse que este amor seria tão sofrido

nunca permitiria que acontecesse.

Mas não mando no meu coração,

essa é a realidade,

vivi uma incomparável paixão,

verdadeiros momentos de felicidade.

Também os viveste, eu sei,

mas rapidamente desististe,

sonhos que contigo sonhei,

sonho que agora é só e triste.

(Mafalda)

27-09-2013 22:02

27-09-2013 21:50

Falta de capacidade de avaliar,

fraca perspicácia,

presunção se me intitular

noutra coisa que não falácia.

Falta de discernimento,

cegueira total para a realidade,

hoje é pouco o meu contentamento

necessito chegar à liberdade.

Tenho asas

e não consigo voar,

tenho sonhos

e não os consigo concretizar.

Metade do tempo já passou,

nada de nada aconteceu,

de tudo o que dizias, nada restou,

o teu amor já não é meu.

(Mafalda)

27-09-2013 21:17

Habituar-me à ausência

não tem nenhuma ciência

é apenas a constatação de um facto.

Habituar-me a não ter hábitos,

habituação imposta pela tua solução.

Sobreviver no aqui e no agora,

esquecer quem outrora

dizia não saber viver sem mim,

dizia não poder estar longe assim.

Hábitos que se perdem,

para darem lugar a nada,

momentos de solidão que se temem

e que me deixam desconsolada.

Hábitos felizes que desapareceram,

momentos que eram sonhos reais.

Pobres são os que não esqueceram

e continuam atrás dos seus ideais...

(Mafalda)

26-09-2013 22:57

Mar revolto que tudo lava,

barulho ensurdecedor que tudo abafa,

na areia a tua fúria acaba,

a tua rebentação tudo afaga.

Mar violento que me dás alento,

me incitas a continuar,

a muitos dás sustento,

mas não ensinas a navegar.

Superar a tua ondulação

é como viver a realidade,

Mar... que sublime tentação,

só de ti temos a verdade.

Levas contigo todos os obstáculos,

não paras no local predestinado,

ondas que são verdadeiros tentáculos,

Mar... és um grande privilegiado!

(Mafalda)

26-09-2013 21:47

Quem lê o que eu escrevo

pode ser que lá se identifique,

pode partilhar o meu degredo,

ou pode ser que me critique.

Quem lê o que eu digo

pode gozar e divertir-se,

ou pode soltar um grito

ao sentir o meu coração partir-se.

Quem lê o que eu sinto

pode partilhar a minha dor,

ou pode concordar com o meu instinto

e acreditar sempre no amor.

Quem lê o que eu sou

pode achar que eu sou maluca,

pode imaginar como estou,

ou pode-me ver como uma folha caduca.

Podem tudo e mais o que quiserem,

mas todos irão perceber:

amores e paixões requerem

uma enorme capacidade de sofrer!

(Mafalda)

26-09-2013 21:32
 
"A noite caiu sem manchas e sem culpa. 
 
Os homens tiraram as máscaras de bons actores. 
 
Findou o espectáculo. Tudo o mais é arrabalde. 
 
No alto, a utópica lua, vela comigo 
e sonha inutilmente com a verdade das coisas. 
 
- Noite! Deixa-nos também dormir..."
 
(Fernando Namora)
 
26-09-2013 21:28
 
"Tudo na vida está em esquecer o dia que passa. 
Não importa que hoje seja qualquer coisa triste, 
um cedro, areias, raízes, 
ou asa de anjo 
caída num paul. 
 
O navio que passou além da barra 
já não lembra a barra. 
Tu o olhas nas estranhas águas que ele há-de sulcar 
e nas estranhas gentes que o esperam em estranhos portos. 
 
Hoje corre-te um rio dos olhos 
e dos olhos arrancas limos e morcegos. 
Ah, mas a tua vitória está em saber que não é hoje o fim             
e que há certezas, firmes e belas, 
que nem os olhos vesgos 
podem negar. 
 
Hoje é o dia de amanhã."
 
(Fernando Namora)
 
26-09-2013 21:05

Se ao menos soubesse de ti,

poderia ter algum descanso,

fugir desta escuridão em que me meti,

só se houver algum avanço.

Uma simples palavra,

proferida pelos teus lábios,

e eu ficava descansada,

e perderia estes hábitos.

Que canseira para quem me segue,

sempre o mesmo e eterno tema...

Azar de quem escreve

porque não recebe um simples telefonema.

Ouvir a tua voz,

saber da tua saúde,

o que aconteceu ao "Nós"

que existia tão amiúde?

Bolas, já chega,

já paguei os meus pecados!

Quando alguém o amor te entrega

apenas deseja que se tornem aliados.

Chega de castigos,

chega de privações,

volta aos tempos antigos,

aticemos as nossas paixões.

(Mafalda)

26-09-2013 20:55

Procuro o que não encontro,

penso no que não devo pensar,

este mundo tonto

uniu-se para me isolar.

Afastou-me de quem amo,

levou-me amigos insubstituíveis,

ano após ano,

as expetativas são cada vez mais sofríveis.

Quero,

desejo,

adoro,

não tenho,

não consigo,

não choro.

No que me tornei,

o que sou agora,

nunca saberei

porque me vou embora.

Vou sair deste invólucro,

ganhar asas e voar,

esquecer seria o melhor lucro

mas é impossível de alcançar...

(Mafalda)

26-09-2013 20:36

26-09-2013 20:21

Dizeres que ias resolver à tua maneira,

dizeres para eu acreditar no que quisesse...

Foi a forma mais certeira

de fazer com que nada acontecesse.

Dizeres que me revelei,

dizeres tudo o que te apeteceu,

não foi a forma com que eu sonhei

para resolver um amor como o teu.

A palerma aqui sou eu,

que continuo à espera de nada,

à espera do que um dia pode vir,

se entretanto eu não sucumbir.

Sabes, Querido,

porque insistirei neste sentimento,

neste amor sofrido,

neste lamento?

Gosto de ti, não o nego,

mas de nada vale o que sinto,

tenho de ganhar desapego

tenho de sair deste labirinto.

Como o farei, não sei,

aceitam-se sugestões,

amei, amo e amarei

mas não posso viver mais com estes grilhões...

(Mafalda)

26-09-2013 17:54

Dia cinzento que leva ao lamento,

que faz esmorecer mesmo o mais forte,

dia cinzento, mau tempo,

que afasta qualquer réstia de sorte.

Falta o sol, falta a claridade,

falta a alegria dos pássaros a chilrear,

falta tudo o que dá felicidade,

principalmente quem amar.

Por vezes penso que sou eu a errada,

que quero sempre dar a quem não quer receber,

em toda a minha extensa jornada

acabo sempre por ter de esquecer.

Se me dão cor e claridade,

porque mas tiram depois?

Mais valia ficar sempre na obscuridade,

não ter o prazer de amar a dois.

Terá ele cor à sua volta,

ou viverá em tons de cinzento?

Não saber a resposta

é para mim o maior tormento...

(Mafalda)

26-09-2013 17:46

Procuro no meio das estantes,

em todos os livros que possuo,

como viver apenas instantes,

sem sentir necessidade do recuo.

Desfolho livros empoeirados,

procuro ensinamentos de paz,

como escapar a amores inacabados

que aparecem de forma fugaz.

Livros espalhados pelo chão

que em nada me ajudam,

se não arrancar este coração

não haverá livros que me acudam!

(Mafalda)

26-09-2013 17:36

Hoje o vazio instalou-se,

veio para ficar...

O amor assustou-se

e deixou-me a marinar.

Quase uma semana volvida

a esperança já é desesperança,

eliminaste-me da tua vida

venceu a tua temperança.

Vou ter de fazer o mesmo

apagar o que ainda insiste em aparecer,

recomeçar a viver a esmo

e definitivamente esquecer.

Mas como esquecer que nos faz feliz,

quem é a nossa metade?

Nunca passarei de uma mera aprendiz

no que toca a aceitar a realidade...

(Mafalda)

26-09-2013 11:53

25-09-2013 22:12

25-09-2013 22:08

25-09-2013 20:44

Moro num segundo andar

de um prédio com elevador,

para cá devias estar a caminhar

se ainda me sentisses amor.

Moro num prédio de quatro andares,

com dois moradores por piso,

só cá tens possibilidades de realizares

tudo o que te apetece de improviso.

Sem rotinas rotineiras,

sem hábitos habituais,

sem marcar as horas prazenteiras

sem contextos artificiais.

Moro no sítio onde me deixaste,

moro no local onde também devias estar,

até hoje não percebo como acabaste,

como deixaste tão facilmente de me amar.

(Mafalda)

25-09-2013 18:38

"Paixão é uma infinidade de ilusões que serve de analgésico para a alma.

As paixões são como ventanias que enfurnam as velas dos navios, fazendo-os navegar; outras vezes podem fazê-los naufragar, mas se não fossem elas, não haveriam viagens nem aventuras nem novas descobertas.”
 
(Voltaire)
 
"Quem domina suas paixões é escravo da razão."
 
(Cyril Connolly)
 
25-09-2013 18:38

"Quanto mais vazio está o coração, mais pesado ele é."

(Amiel-Lapeyre)
 
“Precisamos amar para não adoecer.”
 
(Sigmund Freud)
 
25-09-2013 17:23

Começar por onde?

Por sítio nenhum...

Demasiados locais

onde fomos um.

Querer ir à procura,

querer forçar o encontro,

que grande amargura

não existir o reencontro.

Esperar por esperar,

sem um objetivo definido,

continuar-te a amar,

continuares a ser o meu Querido.

Começar por onde?

Por sítio nenhum...

Se não me procuras

devia ser mais forte o debrum...

(Mafalda)

25-09-2013 10:32
"Ouve tu, meu cançado coração,
O que te diz a voz da Natureza:
— «Mais te valera, nú e sem defeza,
Ter nascido em asperrima solidão,
 
Ter gemido, ainda infante, sobre o chão
Frio e cruel da mais cruel
deveza, Do que embalar-te a Fada da Beleza,
Como embalou, no berço da Ilusão!
 
Mais valera á tua alma visionária
Silenciosa e triste ter passado
Por entre o mundo hostil e a turba vária,
 
(Sem ver uma só flor, das mil, que amaste)
Com odio e raiva e dor... que ter sonhado
Os sonhos ideaes que tu sonhaste!» "
 
(Antero de Quental)
 
25-09-2013 10:23
"A nossa casa, Amor, a nossa casa!
Onde está ela, Amor, que não a vejo?
Na minha doida fantasia em brasa
Constrói-a, num instante, o meu desejo!
 
Onde está ela, Amor, a nossa casa,
O bem que neste mundo mais invejo?
O brando ninho aonde o nosso beijo
Será mais puro e doce que uma asa?
 
Sonho... que eu e tu, dois pobrezinhos,
Andamos de mãos dadas, nos caminhos
Duma terra de rosas, num jardim,
 
Num país de ilusão que nunca vi...
E que eu moro - tão bom! - dentro de ti
E tu, ó meu Amor, dentro de mim..."
 
(Florbela Espanca)
 
25-09-2013 10:05

Uma das coisas que faltou fazer

era simplesmente andar à chuva,

hoje isso podíamos estar a fazer

se a vida nos tivesse assentado como uma luva.

Mas escapou-se-nos entre os dedos,

fugiu totalmente do nosso controle,

é o que acontece quando não se enfrentam os medos,

é o que acontece a quem não desiste da prole.

Amor que não passa por sofrimentos não tem valor,

amar é receber mas muito mais dar,

o meu sentimento mantém o seu esplendor

e obriga-me sempre a continuar.

Continuar à espera não sei do quê,

podias sempre vir espreitar,

desinteresse que bem se vê

apenas eu não quero olhar.

Saber que existes dá-me força

sonhar faz bem a qualquer pessoa,

não gosto de me sentir uma árvore norça,

tudo faço para que não me doa.

(Mafalda)

25-09-2013 09:56

Eu sei que tu sabes que eu sabia,

só não sei se sabes que ainda sei,

vives a vida de forma escorregadia

mas sabes que para sempre aqui ficarei.

Eu sei algumas coisas e suponho as que não sei,

conhecer-te dá-me liberdade para imaginar,

se ainda não desesperei

é apenas porque sinto falta de te amar.

Eu sei que podes pensar o que eu penso,

mas não sei se penso o que tu pensas,

muitas vezes precisava de ter mais bom senso

apenas para não me deixar vencer pelas memórias.

Eu sei que tu sabes,

mas não sei se ainda sei,

por muito que me fujam as possibilidades

eu aqui sempre permanecerei.

(Mafalda)

24-09-2013 18:00
"Não posso adiar o amor para outro século 
 
não posso 
 
ainda que o grito sufoque na garganta 
ainda que o ódio estale e crepite e arda 
sob montanhas cinzentas 
e montanhas cinzentas 
 
Não posso adiar este abraço 
que é uma arma de dois gumes 
amor e ódio 
 
Não posso adiar 
ainda que a noite pese séculos sobre as costas 
e a aurora indecisa demore 
não posso adiar para outro século a minha vida 
nem o meu amor 
nem o meu grito de libertação 
 
Não posso adiar o coração"
 
(António Ramos Rosa)
 
24-09-2013 17:57
"Um dia você conhece alguém e se dedica imensamente a essa pessoa...
 
Você entrega-se à ela com toda alma e coração. 
 
Na verdade, desde então não existe um único pensamento seu em que esta pessoa não apareça. 
 
Você à ama sobremaneira, e chega mesmo a esquecer de si, para cuidar unicamente dela, 
até que um belo dia teu mundo desaba e você percebe 
 
cruelmente 
 
que o sentimento que você nutria era só seu, 
que não havia nada além daquele teu imenso amor por ela. 
 
Neste dia, não te desaponte, não entristeça. 
 
Olhe para os céus e agradeça por ter conhecido a sublime dádiva do amor, 
mesmo que apenas você tenha realmente amado.
 
E por ter sido real e verdadeiro o teu amor
inspire-se, e cante para sempre os momentos felizes 
da sorte do amor que teve..."
 
(Augusto Branco)
 
24-09-2013 17:50
"Podemos passar inúmeras dificuldades, e ter de batalhar muito para alcançar certos objetivos e, ainda assim, morrermos na praia. 
 
Podemos deixarmo-nos consumir pelo trabalho, e perder noites de sono ou deixar de passar finais de semana com a família apenas por que temos extrema necessidade de conseguir recursos para mantermos uma vida digna, ou amargarmos um período obscuro de desemprego. 
 
Podemos assistir a injustiça bater à nossa porta e perceber, infelizmente, que em algumas ocasiões não há absolutamente nada a fazer. 
 
Podemos chorar com o coração partido a perda da pessoa amada ou de um ente querido.
 
Podemos, por tanta coisa negativa que aconteça, julgarmos que tudo sempre dar errado conosco e maldizermos nossa sorte.
 
Depois de tudo isto até podemos deixar passar pela cabeça a estúpida idéia de fazer uma grande besteira consigo mesmo, desde que seja exatamente assim:que tal idéia passe – e nunca mais volte, por que a Vida é Superação! 
 
Nós não nascemos andando, não nascemos falando, nem pensando tanta bobagem - e o que não podemos em hipótese alguma é perdermos o ânimo, o espírito, e nossa capacidade de amar, de se superar e de viver!"
 
(Augusto Branco)
 
24-09-2013 10:57

Dominó de peças muito frágil

que pode ser destruído pelo vento,

a vida nem sempre é fácil

e nós podemos torná-la num lamento.

Quando direcionamos todo o nosso pensar,

o nosso sentir, o nosso querer,

acabamos por deixar passar

pequenas coisas que nos fazem viver.

Ninguém pode ser assim tão importante,

não podemos deixar que nos controlem,

temos de usufruir ao máximo da vida restante

sem pensar em assuntos que nos desolem.

Sim, está de férias e nada mudou,

sim, eu ainda esperava o que não se passou...

Sei que é o segundo dia,

que há mais para gozar,

mas nem de forma fugidia

posso permitir-me esperar!

(Mafalda)

23-09-2013 12:07
Like the legend of the phoenix
All ends with beginnings
What keeps the planet spinning
The force from the beginning
 
We've come too far
To give up who we are
So let's raise the bar
And our cups to the stars
She's up all night 'til the sun
I'm up all night to get some
She's up all night for good fun
I'm up all night to get lucky
We're up all night 'til the sun
We're up all night to get some
We're up all night for good fun
We're up all night to get lucky
 
We're up all night to get lucky
We're up all night to get lucky
We're up all night to get lucky
We're up all night to get lucky
 
The present has no rhythm
Your gift keeps on giving
What is this I'm feeling?
If you want to leave, I'm with it
 
We've come too far
To give up who we are
So let's raise the bar
And our cups to the stars
She's up all night 'til the sun
I'm up all night to get some
She's up all night for good fun
I'm up all night to get lucky
We're up all night 'til the sun
We're up all night to get some
We're up all night for good fun
We're up all night to get lucky
 
We're up all night to get lucky
We're up all night to get lucky
We're up all night to get lucky
We're up all night to get lucky
 
We've come too far
To give up who we are
So let's raise the bar
And our cups to the stars
She's up all night 'til the sun
I'm up all night to get some
She's up all night for good fun
I'm up all night to get lucky
We're up all night 'til the sun
We're up all night to get some
We're up all night for good fun
We're up all night to get lucky
 
We're up all night to get lucky
We're up all night to get lucky
We're up all night to get lucky
We're up all night to get lucky
We're up all night to get lucky
We're up all night to get lucky
We're up all night to get lucky
 
(Daft Punk (Feat. Pharrell Williams))
 
23-09-2013 12:04
"Imagine uma nova história para sua vida e acredite nela."
 
(Paulo Coelho)
 
23-09-2013 12:03
"Mas, conquanto não pode haver desgosto
Onde esperança falta, lá me esconde
Amor um mal, que mata e não se vê; 
Que dias há que na alma me tem posto
Um não sei quê, que nasce não sei onde,
Vem não sei como, e dói não sei porquê."
 
(Luís de Camões)
 
23-09-2013 11:59
"A fé consciente é liberdade.
A fé instintiva é escravidão.
A fé mecânica é loucura.
A esperança consciente é força.
A esperança emocional é covardia.
A esperança mecânica é doença.
O amor consciente desperta o amor.
O amor emocional desperta o inesperado.
O amor mecânico desperta o ódio."
 
(Paulo Coelho)
 
23-09-2013 11:55
"Antes de amar-te, amor, nada era meu
Vacilei pelas ruas e as coisas: 
Nada contava nem tinha nome:
O mundo era do ar que esperava. 
 
E conheci salões cinzentos,
Túneis habitados pela lua,
Hangares cruéis que se despediam,
Perguntas que insistiam na areia.
 
Tudo estava vazio, morto e mudo,
Caído, abandonado e decaído,
Tudo era inalienavelmente alheio,
 
Tudo era dos outros e de ninguém,
Até que tua beleza e tua pobreza
De dádivas encheram o outono."
 
(Pablo Neruda)
 
23-09-2013 11:45

Há dor

onde não há calor,

há sufoco

quando remetida ao abandono,

há paixão escamoteada

e eu estou desorientada.

Perdida neste emaranhado de cinzento,

perdi-me a mim própria algures no tempo,

desencontrei-me de uma vida vivida,

ao esquecimento fiquei remetida.

Hoje pareço uma tonta

só me apetece sair daqui

ir ao teu encontro

tentar saber de ti.

Não basta olhar à distância,

é preciso ver bem no fundo dos olhos,

odeio sentir-me na ignorância

tenho vontade de me meter em sarilhos...

Ver-te daria cabo de mim,

mesmo que não me ignorasses,

porque tenho de ser assim,

porque quererei tanto que ainda me amasses?

(Mafalda)

23-09-2013 11:37

Tentar descortinar ao longe,

tentar perceber se me vens tentar ver,

que sensação de impotência

nada poder fazer.

Tentar imaginar que te faço falta,

tentar supor que pensas em mim,

juntos a nossa vida estava em alta,

separados, não sei viver assim.

Tentar esquecer onde te esperava,

o teu carinho ao chegares,

estares de férias deixa-me desesperada,

são sensações nada invulgares.

Tentar pensar onde podes andar,

o que estarás a fazer,

tentar não divagar

porque isso só me faz sofrer.

Tentar, tentar, tentar,

a nossa vida nunca passou disso,

o que aconteceu ao amar,

porque permaneces remisso?

(Mafalda)

23-09-2013 00:01

Há uma vontade dentro de mim

de ir aos nossos sítios,

mas há uma dúvida que existe:

se ainda te lembras onde são.

Há uma vontade enorme

de começar já amanhã,

o meu coração não dorme

e não me livro dessa sensação.

Sensação de que vais lá estar

à espera que eu apareça,

mas por onde começar

se há tantos lugar que nos pertencem...

Sei qual seria o primeiro,

mas tenho medo de não te encontrar,

mais vale ficar no meu canto

e esperar, esperar...

(Mafalda)

22-09-2013 23:02

Outono quente que chegaste,

traz contigo mudanças profundas,

durante nove meses hibernaste

mas agora regressas sem barafundas.

"Hibernar" é um termo interessante,

pode-se aplicar ao ser humano,

enquanto eu me mantenho expectante

pode ser que alguém arranje um plano...

Hibernamos quando nos convém,

quando não conseguimos resolver,

esquecemo-nos que hibernar não faz bem,

nem tão pouco ajuda a esquecer.

Vou-me esconder nas folhas

que tu insistes em fazer cair,

quando não se podem fazer escolhas

resta-nos partir e simplesmente, assistir...

(Mafalda)

22-09-2013 22:41

Que bem que sabe variar um pouco

das rotinas que nos perseguem,

cheguei mesmo há muito pouco,

mas não abandono os que me seguem.

Dizer que o céu é igual para todos,

é falso sem dúvida alguma,

saí de um céu estrelado e limpo

para um enevoado e escuro.

Não é figurado,

foi mesmo o que aconteceu,

foi um dia bem passado

junto de quem sempre me acolheu.

(Mafalda)

22-09-2013 22:33

21-09-2013 22:26

De tudo o que eu mais posso ambicionar

nada é tão importante

como apenas te desejar

muita Paz para a tua vida restante...

Gosto Muito de Ti!

(Mafalda)

21-09-2013 21:56

21-09-2013 21:55

Se não soubesse o que era a dor,

facilmente aprenderia,

piquei-me num enorme espinho

perdido na ventania.

Nem o vi chegar,

atingiu-me suavemente,

veio para ficar

e eu senti-me dormente.

Um veneno muito doce,

parecia verdadeiro mel,

pena que fosse

afiado como um bisel.

Entranhou-se no meu corpo,

no meu sangue, na minha cabeça,

partiu com um sopro...

O veneno ficou e não há nada que o impeça!

(Mafalda)

21-09-2013 21:26

Vem a mim tempestade longínqua,

faz abanar todo o meu mundo,

destrói laços, torna-te profícua,

acaba com isto num simples segundo.

Não tenhas receio de causar danos,

todos são recuperáveis,

depois de um momento diluviano

os terrenos tornam-se novamente aráveis.

Vem a mim sem receio

ajuda-me a soltar o meu ser,

quando vieres traz de permeio

a minha razão de viver.

(Mafalda)

21-09-2013 21:20

"Lembrar é fácil para quem tem memória,

difícil é esquecer para quem tem coração."
 
(William Shakespeare)
 
21-09-2013 21:06

Dizer que a vida tem ciclos

não faz sentido algum,

deveriam ser círculos

porque sempre me senti num.

Ando à roda sem parar

dou voltas e mais voltas,

por muito que tente variar

encontro sempre pontas soltas.

Círculo fechado

sem escapatória possível,

bem delimitado

mas pouco apetecível.

Viro à esquerda, 

viro à direita,

o resultado é sempre igual...

Querem que esqueça,

querem que seja mulher feita,

mas nada disso sou, afinal.

Sou uma criança louca

que não sabe quando deve parar,

um dia vou ficar rouca

de tanto aqui falar...

(Mafalda)

21-09-2013 21:01

Deixa-me entrar,

eu vejo que estás aí,

não é um vidro escuro

que me vai fazer desistir de ti.

Abre essa janela,

deixa a vida entrar,

escondido atrás dela

não vai conseguir aguentar.

Um dia vais ter de sair,

não é um vidro baço que me detém,

eu daqui não vou partir,

não é isso que me convém.

(Mafalda)

20-09-2013 22:55

Abrangente,

emergente,

ausente.

Devaneio,

receio,

alheio.

Paixão,

coração,

sublimação.

(Mafalda)

20-09-2013 22:52

Necessidade de acreditar,

pensar que um dia vai ser possível,

vontade de voltar a amar

o homem agora inatingível.

Saudades que consomem

qualquer réstia de riso,

por favor não me incomodem

deixem-me perder totalmente o siso!

(Mafalda)

20-09-2013 21:30

20-09-2013 21:24

Não façam pouco de mim

por ter esta forma de estar,

viver tem de ser assim,

viver tem de ser para amar.

Se não somos correspondidos,

nada podemos fazer,

sermos esquecidos

faz sempre doer.

Mas não é de orgulho que falo,

é de uma paixão muito verdadeira,

eu sei que já devia ter muito calo

para não me comportar desta maneira.

Não sei mudar,

não sei esquecer quem amo,

espero não ter de passar

por mais um horror de anos...

(Mafalda)

20-09-2013 21:13

Perdi o tino

perdi o rumo,

estou num desatino

não acerto o prumo.

Tanta coisa que podia fazer

e nada faço, aqui à espera.

Contigo poderia espairecer

mas só isolamento me resta.

Que farás nas tuas férias,

sentirás a minha ausência,

pensarás em coisas sérias,

vou entrar em demência...

(Mafalda)

20-09-2013 20:41

Sempre tive um grande problema,

que me cercou de uma forma impenetrável,

vivo sempre na expetativa do dilema,

nunca mudo a variável.

Duas semanas inteiras,

por muitos sítios poderá andar,

tarefas rotineiras,

ou tarefas só para recordar.

Se fosse a inversa,

tentaria saber o que se passa,

nem que ficasse numa travessa

escondida de quem aí andasse.

Teria de olhar, de ir ver,

afinal eu já fiz isso,

mas terá medo de me ver

não vá eu estar num compromisso?

Não estou, nem estarei,

nada disso quero para mim,

duas semanas em que andarei

a imaginar reencontros, enfim...

(Mafalda)

20-09-2013 20:24

Férias para quem merece,

para quem trabalha um ano inteiro,

não para quem esquece

os momentos prazenteiros.

Férias, que descanso,

as outras (a sós) foram uma canseira,

será que nunca me canso

de pensar desta maneira?

Será que vais aos mesmos sítios,

vais recordar os pormenores,

será que vou ser internada num hospício

à espera de dias melhores?

Boas férias para quem as merece,

que aproveite da melhor forma,

bons momentos que não se esquecem,

o tempo nunca torna...

(Mafalda)

19-09-2013 23:18
"Estou cansado, é claro, 
Porque, a certa altura, a gente tem que estar cansado. 
 
De que estou cansado, não sei: 
De nada me serviria sabê-lo, 
Pois o cansaço fica na mesma. 
 
A ferida dói como dói 
E não em função da causa que a produziu. 
 
Sim, estou cansado, 
E um pouco sorridente 
De o cansaço ser só isto — 
Uma vontade de sono no corpo, 
Um desejo de não pensar na alma, 
 
E por cima de tudo uma transparência lúcida 
Do entendimento retrospectivo... 
 
E a luxúria única de não ter já esperanças. 
Sou inteligente; eis tudo. 
 
Tenho visto muito e entendido muito o que tenho visto, 
E há um certo prazer até no cansaço que isto nos dá, 
Que afinal a cabeça sempre serve para qualquer coisa."
 
(Álvaro de Campos)
 
19-09-2013 22:45

Não sei escrever poesia,

não sei usar palavras bonitas,

será talvez uma heresia

dizer-te tantas palavras escritas.

Não sei porque ainda escrevo,

porque insisto neste desabafo,

devia ter mais sossego,

o tempo é demasiado escasso.

Não sei continuar a pensar

em quem se esqueceu de mim,

de nada vale estar a falar

para quem se esquece assim.

Palavras bonitas foram trocadas,

isso sim era poesia,

palavras trocadas muito tocadas

que foram arrastadas pela maresia.

Levou-as o mar com a sua força

devem estar perdidas num oceano,

foram ditas sem nenhum esforço

foram ditas no meio de um grande plano.

Não sei mais amar quem não ama,

quem desaparece e magoa,

saber viver num melodrama

não faz parte da minha pessoa.

(Mafalda)

19-09-2013 22:23

Inglória demanda a que me obriguei

nas asas do vento quero partir,

rios de lágrimas chorei

sempre à espera do que não está a vir.

Inglória dedicação sem sentido

que não tem qualquer explicação,

não fosse este coração partido

e há muito que não estaria nesta prisão.

Inglória paixão que me apoquentas,

trazes tormentas ao meu interior,

esquecer tu sempre tentas,

mas nunca desaparece o torpor.

Inglória vida que passa

arrastada por ventos dominantes,

por muito que se faça

nada será como dantes.

Inglória tristeza que choras sem lágrimas

escondida numa casa abandonada,

passas por ruas que estão uma lástima

à espera do momento da derrocada.

Cais num poço sem fundo,

águas turvas te esperam,

anseias por um simples segundo

mas esse segundo te negam.

Inglória glória de um amor

perdido, reencontrado, perdido,

insuportável e penetrante dor,

amor que já devia estar esquecido.

(Mafalda)

19-09-2013 21:22

Se a saudade sempre existe,

lá terá as suas razões,

será amor que ainda resiste,

apesar de tantas desilusões.

Se a saudade sempre me persegue,

seja em casa ou na rua,

é amor que não nego

tu foste o único a ver-me nua.

Despi-me de mim própria,

de ideias, de ideais,

ofereci-me com uma dedicatória,

os sentimentos eram reais.

Se a saudade me faz escrever,

pelo menos não me faz ir,

assim estou sempre a perceber,

que nunca te vou deixar partir.

Não o faço por querer,

apenas sigo o meu coração,

ele diz-me que só contigo quer viver,

quem sou eu para lhe dizer que não...

(Mafalda)

19-09-2013 21:10

19-09-2013 20:56

Palavras, tantas que são,

centenas de milhar já escrevi,

é natural que me comece a faltar a imaginação,

apenas porque sempre falo de ti.

Palavras escritas sem tinta,

em folhas de papel inexistentes,

sentimentos que ainda sinta,

obrigados a ficar dormentes.

Adormecem num quarto escuro

onde não há nenhuma janela,

só a ti procuro,

sem ti deparo-me sempre na mesma viela.

Palavras escritas com paixão,

com todo o amor que sinto,

remeteres-me a esta solidão

é como obrigares-me a tomar absinto.

(Mafalda)

19-09-2013 20:48

Urge o tempo contra ti,

chega desta espera infindável,

já basta o que até aqui sofri

com esta ausência inimaginável.

Urge a vida para ser vivida,

a necessidade de abraçar quem amo,

chega de tempo de despedida,

basta de não ouvires quando te chamo.

Estás surdo, cego e mudo,

deixei de existir no teu vocabulário,

sabes, meu Amor, no meio disto tudo

estou cansada deste fadário.

Quero soltar a minha loucura,

quero viver ser amarras,

estou farta desta brandura

preciso que o teu amor a mim tragas.

Urge o tempo da espera,

muitos já teriam desistido,

quem espera desespera,

quem desespera fica perdido.

(Mafalda)

19-09-2013 20:36

Se eu desaparecer daqui chamem a polícia,

testemunhei um assalto a um vizinho,

não vai ser preciso muita perícia

para o assaltante perceber que estou aqui sozinha.

Identifiquei completamente o agressor

chamei todas as autoridades,

fiz imenso barulho em meu redor

só para atrair as comunidades.

Se ele me viu, estou tramada,

pode ser que não me reconheça,

mas o instinto é afugentar sempre a bicharada

gritando bem alto para que desapareça.

Atraí multidões,

consegui evitar o assalto,

coitado do velhote que andou aos trambolhões

e tem o rosto feito num enorme alto.

Fazemos bem por instinto,

mas depois chega o receio

sempre que for à rua levo o meu cão faminto

pode ser que sirva de bloqueio...

(Mafalda)

18-09-2013 22:45

Olhamos para o exterior

vemos apenas o aparato,

esquecemo-nos do interior,

onde existe o recato.

Olhamos sem olhos que vejam,

não nos preocupamos em investigar,

vemos apenas o que desejam

mais longe não conseguimos entrar.

Cegueira seletiva

que tanto nos apraz,

ver apenas em perspetiva

sem tentar perceber o por de trás.

Debruçarmo-nos sobre o que não se vê,

é uma tarefa que requer muita dedicação,

nada disso se antevê

numa simples observação.

Olhem sempre para o que não está à vista,

vejam o que o olhar vos diz,

os olhos nunca resistem

àquilo que os faz feliz.

(Mafalda)

18-09-2013 22:43

18-09-2013 21:15
"Viver é uma peripécia. Um dever, um afazer, um prazer, um susto, uma cambalhota. Entre o ânimo e o desânimo, um entusiasmo ora doce, ora dinâmico e agressivo. 
 
Viver não é cumprir nenhum destino, não é ser empurrado ou rasteirado pela sorte. Ou pelo azar. Ou por Deus, que também tem a sua vida. Viver é ter fome. Fome de tudo. De aventura e de amor, de sucesso e de comemoração de cada um dos dias que se podem partilhar com os outros. Viver é não estar quieto, nem conformado, nem ficar ansiosamente à espera. 
 
Viver é romper, rasgar, repetir com criatividade. A vida não é fácil, nem justa, e não dá para a comparar a nossa com a de ninguém. De um dia para o outro ela muda, muda-nos, faz-nos ver e sentir o que não víamos nem sentíamos antes e, possivelmente, o que não veremos nem sentiremos mais tarde. 
 
Viver é observar, fixar, transformar. Experimentar mudanças. E ensinar, acompanhar, aprendendo sempre. A vida é uma sala de aula onde todos somos professores, onde todos somos alunos. Viver é sempre uma ocasião especial. Uma dádiva de nós para nós mesmos. Os milagres que nos acontecem têm sempre uma impressão digital. A vida é um espaço e um tempo maravilhosos mas não se contenta com a contemplação. Ela exige reflexão. E exige soluções. 
 
A vida é exigente porque é generosa. É dura porque é terna. É amarga porque é doce. É ela que nos coloca as perguntas, cabendo-nos a nós encontrar as respostas. Mas nada disso é um jogo. A vida é a mais séria das coisas divertidas. "
 
(Joaquim Pessoa)
 
18-09-2013 21:13
"Só quem viveu e sentiu…
Sabe o que é um romance proibido;
Que mexe com a nossa essência:
E agita todos os nossos sentimentos.
Tudo se torna mais excitante…
Nesses encontros escondidos:
O coração bate mais forte;
E corpos são mais puros e libidos.
E os rostos coram e a pele arrepia,
Num simples tocar das mãos.
É o desejo que fala mais alto…
E nos tira toda a nossa razão…
Nestes momentos insanos;
Misturando medo com a paixão:
Nada nos fala mais alto.
Do que esta louca paixão.
A entrega um ao outro será inevitável…
A este o desejo mais profundo;
E pode isso mesmo ser um pecado?
Mas é o mais gostoso do mundo.
 Há quem atire a primeira pedra…
Aquele que não tem nada escondido;
 Mas há sempre uma louca vontade:
De poder viver um romance,
 Ou um lindo amor proibido."
 
(Diácono Gomes)
 
18-09-2013 21:07
"Que esta minha paz e este meu amado silêncio
Não iludam a ninguém
Não é a paz de uma cidade bombardeada e deserta
Nem tampouco a paz compulsória dos cemitérios
Acho-me relativamente feliz
Porque nada de exterior me acontece...
Mas,
Em mim, na minha alma,
Pressinto que vou ter um terremoto!"
 
(Mário Quintana)
 
18-09-2013 20:35

Almofada amiga

que sempre me aconchegas,

é tua a minha vida,

enquanto tu não chegas.

É contigo que eu desabafo,

contigo e aqui,

tenho uma cama com imenso espaço,

tenho uma cama com um lugar para ti.

Ouves os meus pensamentos,

enxugas as minhas lágrimas,

abraço-te nos momentos

em que voltam as minhas mágoas.

Todos os dias me acolhes,

quer eu vá bem ou mal humorada,

muitas vezes até te encolhes,

quando os pensamentos andam desenfreados.

Pensamentos que têm sempre o mesmo rosto,

sonhos que vivo contigo,

ter uma almofada ampara-nos o desgosto,

enroscarmo-nos nela protege-nos do perigo.

Bebés não largam as suas almofadas,

por algum motivo será,

seguranças resguardadas

será tudo o que nos restará.

(Mafalda)

18-09-2013 20:29

Sim, sou louca,

nunca ninguém duvide disso,

às vezes o juízo é pouco,

e depois sofro por isso.

Despir-me de segredos,

abrir o coração,

a minha vida é um acumular de enredos

que acabam sempre em solidão.

Deve ser um problema meu,

sou só eu a culpada disso,

quem muito já sofreu,

às vezes precisa de um compromisso.

Assusto com a minha dedicação,

afugento com a minha intensidade,

mas sou assim, porque não?

Apenas busco a minha felicidade.

(Mafalda)

17-09-2013 22:49

Dar tudo o que se tem vontade de dar,

mostrar a realidade do que sentimos,

amar até o tempo nos obrigar a parar,

são os únicos motivos por que existimos.

Não calar o que se tem vontade de dizer,

ser humilde para saber pedir perdão,

não deixar mesmo nada por fazer,

são os objetivos que levam à nossa realização.

Termos a noção de que fizemos tudo,

tudo o que dependia apenas de nós,

continuar sempre, contudo,

e que nunca se cale a minha voz!

(Mafalda)

17-09-2013 22:17

17-09-2013 21:55

Prisioneiro no próprio corpo,

a tua mente voa em liberdade,

não fosses um filantropo

e viverias com felicidade.

Prisioneiro da tua cabeça,

que te impede de escutar o coração,

ela que arranje forma para que esqueças

o que é viver rodeado de paixão.

Prisioneiro com sapatos de chumbo

que te obrigam a estagnar,

assim não conheces aquele mundo

onde só vai quem se permite amar.

Prisioneiro da obrigatoriedade,

fazer porque tem de se fazer,

poderás nunca mais ter a oportunidade

de viver com aquele belo prazer.

Prisioneiro de ti próprio,

envolto em arame farpado,

só te resta o sonho alucinatório

de que para mim não está acabado.

Corta o arame com as mãos,

sangra se for preciso,

liberta-te dessa prisão,

solta-te desse compromisso.

Se queres ser livre terás de fazer por isso,

somos nós os donos das nossas vidas,

desde já assumo o compromisso

de que as mágoas serão todas esquecidas.

Prisioneiro, prisioneiro,

cumpres uma pena muito pesada,

foge do hábito costumeiro,

corta o arame à facada.

Facas não são permitidas nas prisões,

teremos de arranjar outra solução,

já não tenho muitos tostões

mas levo-te o que quiseres à porta dessa prisão.

Soltem o prisioneiro,

ele não fez nada de mal,

viveu um sonho verdadeiro,

viveu uma vida real.

(Mafalda)

17-09-2013 21:46

Podem passar anos,

pode passar toda uma vida,

viver sem desenganos

é viver sem estar perdida.

Por muito tempo que passe,

nada mais me surpreenderá,

nunca mais estarei num impasse,

nunca mais o frio penetrará.

Calmaria que me envolve,

deixei de viver às escondidas,

afinal tudo se resolve,

sem necessidade de intrigas.

Tomar decisões é muito fácil,

difícil é pô-las em prática,

o ser humano é tão grácil

que vive de forma errática.

Não luta pela felicidade,

ou então não era mesmo isso que queria,

vive-se com muita leviandade,

erram-se os acordes da melodia.

Se se desafinar no meio de uma orquestra,

poucas pessoas darão por isso,

mas sucumbir num concerto extra,

causa sempre um imenso rebuliço.

A vida é feita de escolhas,

de opções, de decisões,

perder tudo o que tinhas

não fazia parte das tuas convicções.

Assim nada perdeste,

anão ser a honestidade incondicional,

mas se até agora não te arrependeste

é porque isso, para ti, nunca foi essencial.

(Mafalda)

16-09-2013 22:19

Não sou convencida ao dizer

que sei que isto se aplica a ti,

sei que o evitas fazer

sei que lutas contra ti.

(Mafalda)

16-09-2013 21:24

Autoconfiança quanto baste,

é essencial para conseguirmos superar,

hoje posso dizer que não haverá nada que me arraste,

nada que me faça novamente desesperar.

Sensações de desinteresse da vida,

fazer por ter de ser,

passei muito tempo a sentir-me perdida,

mas isso nunca mais vai acontecer.

Recuperei a minha força

readquiri a crença em mim,

não haverá mais quem me torça,

quem me volte a ver assim.

Dava dó aos meus amigos,

foram incansáveis e formidáveis,

tentaram-me proteger dos perigos

e acabaram a enxugar-me as lágrimas.

Sou novamente eu,

confiante e segura,

quando tudo se desvaneceu

restou apenas um pouco de loucura.

É salutar ser-se um pouco louca

faz-nos rir e sentir boa disposição,

a saudade não é assim tão pouca,

mas seguir em frente é a única opção.

De que adianta andar triste,

apenas afasto quem gosta de me ver feliz,

mas vou sempre manter as minhas armas em riste

para nunca mais voltar a ser infeliz!

Muros que me protegem,

pedra que em mim habita,

ondas que me levem

rumo a uma viagem infinita.

(Mafalda)

16-09-2013 21:00

Calma e serena passeia na rua,

cabeça erguida e olhar sem receios,

vai vestida mas sente-se nua,

vai séria mas cheia de devaneios.

Passeia sozinha mas sente-se acompanhada,

olha para os lados e não vê nada,

vive uma vida muito recatada

mas muitas vezes sente-se observada.

Está gira e com bom ar,

um pouco pálida para esta altura do ano,

mas não se coíbe de achar

que nunca se viu em tão bom plano.

Mulher madura e experiente,

criança só bem no seu interior,

passeia sem um rumo aparente,

limita-se a andar para esquecer o seu torpor.

Segue sempre em frente sem hesitação,

olhar para trás de nada adiantaria,

sabe que todas as pessoas tinham razão

ao dizer que o fim assim seria.

Sente-se bem consigo própria,

não tem segredos que a incomodem,

acaricia com ternura toda uma memória

mas o tempo avança e ela sente-se jovem.

(Mafalda)

16-09-2013 10:02
"Another day has gone
I'm still all alone
How could this be?
You're not here with me
 
You never said good-bye
Someone tell me why
Did you have to go?
And leave my world so cold?
 
Every day I sit and ask myself
How did love slip away?
Something whispers
In my ear and says:
 
That you are not alone
I am here with you
Though you're far away
I am here to stay
 
You are not alone
I am here with you
Though we're far apart
You're always in my heart
 
You are not alone
Alone, alone
Why?
Alone
 
Just the other night
I thought I heard you cry
Asking me to come
And hold you in my arms
 
I can hear your prayers
Your burdens I will bear
But first I need your hand
Then forever can begin
 
Every day I sit and ask myself
How did love slip away?
Something whispers
In my ear and says:
 
But you are not alone
I am here with you
Though you're far away
I am here to stay
 
You are not alone
I am here with you
Though we're far apart
You're always in my heart
 
You are not alone
 
Oh, whisper three words
And I'll come running, fly
And girl you know
That I'll be there, I'll be there
 
But you are not alone
I am here with you
Though you're far away
I am here to stay
 
You are not alone
I am here with you
Though we're far apart
You're always in my heart
 
But you are not alone
You are not alone
I am here with you
I am here with you
Though you're far away
Though you're far away, you and me
I am here to stay
 
You are not alone
You are always in my heart
I am here with you
Though we're far apart
You're always in my heart
 
You are not alone
 
Not alone
You are not alone, you are not alone
Say it again
You are not alone, you are not alone
Not alone, not alone
Just reach out for me girl
In the morning, in the evening
Not alone,not alone
You and me
Not alone, alone
Together, together
Just stop being alone
Just stop being alone"
 
(Michael Jackson)
 
16-09-2013 09:56
"I know that when you look at me
There's so much that you just don't see
But if you would only take the time
I know in my heart you'd find
Oh a girl that's scared sometimes
Who isn't always strong
Can't you see the hurt in me
I feel so all alone
 
I wanna run to you
I wanna run to you
Won't ya hold me in your arms and keep me safe from harm
I wanna run to you
But if I come to you
Tell me will you stay
Or will you run away
 
Each day, each day I play the role
Of someone always in control
But at night I come home and turn the key
There's nobody there, no one cares for me
Oh woah, what's the sense of trying hard to find your dreams
Without someone to share them with
Tell me what does it mean
 
Run away, no
I need you here, I need you here to wipe away my tears
To kiss away my fears
No, if you only knew how much I wanna run to you
You know I wanna run to you
Won't ya hold me in your arms and keep me safe from harm
I wanna run to you
But if I come to you
Tell me will you stay
Or will you run away"
 
(Whitney Houston)
 
16-09-2013 09:51
"It still feels like our first night together
It feels like the first kiss
And it's getting better, baby
No one can better this
I'm still holding on
You're still the one
 
The first time our eyes met
It's the same feeling I get
Only feels much stronger
I wanna love you longer
You still turn the fire on
 
So, if you're feeling lonely, don't!
You're the only one I'd ever want!
I only wanna make it go,
So, if I love you
A little more than I should
 
Please, forgive me
I know not what I do
Please, forgive me
I can't stop loving you
Don't deny me
This pain I'm going through
Please, forgive me
If I need you like I do
Please, believe me
Every word I say is true
Please, forgive me
I can't stop loving you.
 
Still feels like our best times together
Feels like the first touch
We're still getting closer, baby
Can't get close enough
I'm still holding on
You're still number one
 
I remember the smell of your skin
I remember everything
I remember all your moves
I remember you, yeah...
I remember the night
You know I still do!
 
So, if you're feeling lonely, don't!
You're the only one I'd ever want!
I only wanna make it go,
So, if I love you
A little more than I should.
 
The one thing I'm sure of
Is the way we make love!
The one thing I depend on
Is for us to stay strong
With every word and every breath, I'm praying
That's why I'm saying...
 
(Bryan Adams)
 
16-09-2013 09:48
"I will not make
The same mistakes that you did
I will not let myself
'Cause my heart so much misery
 
I will not break
The way you did, you fell so hard
I've learned the hard way
To never let it get that far
 
Because of you
I never stray too far from the sidewalk
Because of you
I learned to play on the safe side
So I don't get hurt
 
Because of you
I find it hard to trust
Not only me, but everyone around me
Because of you
I am afraid
 
I lose my way
And it's not too long before you point it out
I cannot cry
Because I know that's weakness in your eyes
 
I'm forced to fake a smile, a laugh
Every day of my life
My heart can't possibly break
When it wasn't even whole to start with
 
Because of you
I never stray too far from the sidewalk
Because of you
I learned to play on the safe side
So I don't get hurt
 
Because of you
I find it hard to trust
Not only me, but everyone around me
Because of you
I am afraid
 
I watched you die
I heard you cry
Every night in your sleep
 
I was so young
You should have known
Better than to lean on me
 
You never thought
Of anyone else
You just saw your pain
 
And now I cry
In the middle of the night
For the same damn thing
 
Because of you
I never stray too far from the sidewalk
Because of you
I learned to play on the safe side
So I don't get hurt
 
Because of you
I tried my hardest just to forget everything
Because of you
I don't know how to let anyone else in
 
Because of you
I'm ashamed of my life
Because it's empty
Because of you I am afraid
 
Because of you
Because of you"
 
(Kelly Clarkson)
 
16-09-2013 09:46
"O pêndulo do relógio
Faz tremer o chão
Na parede um quadro
Desenhado a mão
 
Guardo a fotografia
É onde tu sorris
Aquela mais antiga
Pareces feliz
 
Fora da estante
Está um livro teu
Tantas vezes lido
Arde até ao fim
 
O sol já vai baixo
É o entardecer
Faz a paisagem calma
Quer adormecer
 
Isto do amor
E um caso estranho
Sem bem o que dou
Não sei o que tenho
 
Quero-te provar
Que nunca te minto
Quero-te mostrar
Aquilo que sinto
 
Hoje foste embora
E algures por aí
Ainda me pergunto
Se tu gostas de mim
 
Tenho o meu peito aberto
Só tu podes fechar
À palavras que ferem
Deixam-me a sangra
 
Isto do amor
E um caso estranho
Sei bem o que dou
Sei bem o que tenho
 
Quero-te provar
Que nunca te minto
Quero-te mostrar
Aquilo que sinto
 
Isto do amor"
 
(João Pedro Pais)
 
15-09-2013 22:41

Sinto a tua falta a cada momento do meu dia,

adoro-te como sempre adorei,

desejo-te de uma forma muito pouco fugidia,

depois de tudo isto, mais nada direi!

(Mafalda)

15-09-2013 22:30

Não demores que já é tarde,

tarde demais ainda não será...

mas tudo à minha volta já arde,

e das cinzas nada florescerá.

Não demores que o tempo passa,

passa muito devagar,

às vezes demasiado depressa

para quem apenas está a esperar.

Não demores que não vai adiantar,

adiantar apenas os relógios conseguem,

volta... mas que seja para ficar

até que todos os nossos dias se esgotem.

(Mafalda)

15-09-2013 22:12

Quando ando à procura de imagens, apercebo-me que há umas que são feitas de propósito para mim, para os meus sentimentos, para os meus pensamentos. Apenas significa que quem as publicou sentiu o mesmo que eu sinto, pensou o mesmo que eu penso.

Isso dá-me um certo conforto, porque há dias em que penso que sou louca por insistir em sentimentos sem reciprocidade. Eu sei que devia desistir deles, mas se o fizer, a  minha solidão ainda será maior. 

Assim persigo uma ilusão, mas essa ilusão dá-me força para sair da cama todos os dias e cumprir as minhas obrigações diárias. É a minha única motivação para continuar, para tentar levar a vida em frente, é a minha força perante as adversidades que aparecem constantemente.

Desistir do amor que sinto, que senti há vinte anos atrás e que deixei adormecido até o destino nos reunir novamente, seria desistir da minha força cinética, desistir de mim própria. Se antes tinha a vida pela frente, agora não tenho. Nada posso fazer para o "obrigar" a voltar... A única coisa que ainda faço é chamá-lo pelo nome sempre que me vou deitar. E adormecer sempre a pensar nele, a recordar os nossos momentos de cumplicidade. Momentos únicos, de pessoas com um sentimento único.

Não rezo, há muito que deixei de acreditar em Deus. Mas acredito que o universo tem razões que nos transcendem, e que se move para que as coisas aconteçam. Que outro sentido haveria num reencontro a milhares de quilómetros de distância? Porque tivemos de ser postos novamente à prova? Não faria sentido tudo ter acontecido para tornarmos a sofrer. Não faz sentido!

Chegamos ambos à conclusão que termos desistido do nosso amor tinha sido o maior erro das nossas vidas... E agora? Repetimos novamente o maior erro? Ou o tempo vai dar as respostas?

Mas todas as coisas acontecem por uma razão. Resta-me descobrir qual...

Sou positiva por natureza, sonhadora quanto baste e sei, SEI, que os sentimentos eram verdadeiros. E isso chega-me para continuar na ilusão de que um dia... vamos ter um final feliz.

15-09-2013 22:09

15-09-2013 20:45
"And what if I never kiss your lips again
Or feel the touch of your sweet embrace
How would I ever go on
Without you there´s no place to belong
 
Well, someday love is gonna lead you back to me
But ´till it does I´ll have an empty heart
So I´ll just have to believe
Somewhere out there you´re thinking of me
 
Until the day I let you go
Until we say our next hello
It´s not good-bye
´Til I see you again
I´ll be right here rememberin´ when
And if time is on our side
There´ll be no tears to cry
On down the road
There is one thing I can´t deny
It´s not good-bye
 
You´d think I´d be strong enough to make it through
And rise above when the rain falls down
But it´s so hard to be strong
When you´ve been missin´ somebody so long
 
It´s just a matter of time I´m sure
But time takes time and I can´t hold on
So won´t you try as hard as you can
To put my broken heart together again
 
Until the day I let you go
Until we say our next hello
It´s not good-bye
´Til I see you again
I´ll be right here rememberin´ when
And if time is on our side
There´ll be no tears to cry
On down the road
There is one thing I can´t deny
It´s not good-bye"
 
(Laura Pausini)
 
15-09-2013 20:32

Pergunto ao vento o que fazer,

a resposta vem muda,

como deve dar para perceber

na minha vida nada muda.

Os piores tempos já lá vão,

lentamente se começa a recuperar,

os piores momentos são

aqueles que me obrigam a recordar.

Poderia dizer que tudo obriga,

cada lugar, cada som,

tudo desde uma simples cantiga,

tudo até um simples bombom.

Estar longe de uma parte de nós

é uma sensação muito estranha,

será isto que sente quem está em coma

e vê o corpo a pairar fora da cama?

Às vezes tenho a sensação

de pairar sobre a minha vida.

Vivo muito na ilusão

de que não foi uma despedida.

Foi um: "Até um dia" ,

não um adeus definitivo,

mas eu sei que devia

ter um comportamento mais assertivo.

(Mafalda)

15-09-2013 20:15

Obstáculos atravessaram a minha vida,

fizeram com que o rumo fosse alterado,

deixei de ser uma pessoa divertida,

agora vivo com muito cuidado.

Cuidado em não ver quem amo,

em não me cruzar por mero acaso,

afasto-te de todos os planos

em que possa dar azo ao acaso.

Não me escondo do mundo,

misturo-me com muitas pessoas,

continuo a olhar bem de frente,

mas nunca vejo coisas boas.

Pessoas que se movem como autómatos,

que fazem as coisas por obrigação,

não encontro nas multidões

a cumplicidade da paixão.

Ser louco não é para todos,

ser espontâneo, muito menos,

mostrar ao mundo felicidade a rodos,

e não ter medo de mostrar a realidade do que somos.

Encher os pulmões de ar,

gritar alto e com bom som:

"Este é o Homem que eu quero Amar,

é ele que faz sobressair o meu lado bom!"

Mas agora falo muito baixo,

horas infinitas que passo calada,

basta reparar no meu ar cabisbaixo

para perceber que me sinto atordoada.

Caiu um meteorito na minha vida,

deixou uma enorme cratera,

sinto que fiquei totalmente esquecida

onde outrora eu era a própria atmosfera.

Se assim não for, perdoa-me,

mas há tempo a mais que estás em silêncio,

se assim não for, procura-me,

para acabarmos com este desperdício.

(Mafalda)

15-09-2013 20:04

Que estranha forma de vida

existir por existir,

o que faz uma despedida,

o que faz não ter força para insistir.

Remar contra marés,

ir contra o próprio destino,

não aceitar o revés,

continuar a sonhar contigo.

Que estranha forma de estar,

de lidar com as contrariedades,

continuar a amar,

sabendo que não há mais possibilidades.

Que estranha forma de pensar,

(vais estar de férias em breve)

eu, aqui, continuo a sonhar

e a esperar que te atrevas.

Atreveres-te a lutar,

a ir de encontro ao teu coração,

deixares de te acomodar

e passares a viver com paixão.

Que estranha forma de pessoa,

será que sou mesmo gente?

Bem tento ouvir o que ressoa

mas a minha audição não está a ser abrangente. 

Apenas um tic tac,

bem no fundo de um poço,

mas enquanto houver esse tic tac

a minha vida não passa de um esboço.

Esboço do que poderia ter sido,

esboço do que sonhei para nós os dois,

não fazia parte do teu discurso teres-me esquecido,

mas o teu discurso mudou, mudou pois!

(Mafalda)

15-09-2013 19:59

Casais enamorados

que passam por mim,

em abraços apertados...

(eu já vivi assim).

Pôr do sol sobre a água,

vento forte e frio,

afasta-se a mágoa

mas fica o vazio.

A minha companhia tem quatro patas,

brinca e desafia-me a brincar,

a minha vida tem várias erratas,

 apaga-se sempre a palavra "Amar".

(Mafalda)

15-09-2013 09:45
"Do you hear me, I'm talking to you
Across the water across the deep blue ocean
Under the open sky oh my, baby I'm trying
 
Boy I hear you in my dreams
I feel you whisper across the sea
I keep you with me in my heart
You make it easier when life gets hard
 
I'm lucky I'm in love with my best friend
Lucky to have been where I have been
Lucky to be coming home again
 
They don't know how long it takes
Waiting for a love like this
Every time we say goodbye
I wish we had one more kiss
I wait for you I promise you, I will
 
I'm lucky I'm in love with my best friend
Lucky to have been where I have been
Lucky to be coming home again
I'm lucky we're in love in every way
Lucky to have stayed where we have stayed
Lucky to be coming home someday
 
And so I'm sailing through the sea
To an island where we'll meet
You'll hear the music, feel the air
I put a flower in your hair
 
And though the breeze is through trees
Move so pretty you're all I see
As the world keep spinning round
You hold me right here right now
 
I'm lucky I'm in love with my best friend
Lucky to have been where I have been
Lucky to be coming home again
I'm lucky we're in love in every way
Lucky to have stayed where we have stayed
Lucky to be coming home someday."
 
(Jason Mraz)
 
15-09-2013 09:41
"O correr da vida embrulha tudo;
a vida é assim:
esquenta e esfria,
aperta e daí afrouxa,
sossega e depois desinquieta.
O que ela quer da gente é coragem.
Ser capaz de ficar alegre
e mais alegre no meio da alegria,
e ainda mais alegre no meio da tristeza..."
 
(Guimarães Rosa)
 
15-09-2013 09:34
"A cada manhã, exijo ao menos a expectativa de uma surpresa,
quer ela aconteça ou não.
Expectativa,
por si só,
já é um entusiasmo.
Quero que o fato de ter uma vida prática e sensata
não me roube o direito ao desatino."
 
(Martha Medeiros)
 
14-09-2013 23:12

Não foi esquecimento,

foi apenas falta de tempo...

Amanhã será um novo dia,

e com ele pode ser que venha alguma alegria...

(Mafalda)

14-09-2013 08:34

Ser crédulo pode ser um defeito,

mas dá uma certa força interior,

quando nada pode ser feito,

agarramo-nos a um leve torpor.

Acreditamos que vamos conseguir,

tentamos não pensar no assunto,

assim permitimo-nos sorrir

e não entristecer muito.

(Mafalda)

14-09-2013 00:28

14-09-2013 00:18

Nestes seis meses muito aconteceu,

quase sempre do pior que podia haver,

mas reconheço que o ombro que se perdeu

fez com que eu fosse obrigada a me deter.

Deter-me no pranto,

deter-me na incerteza,

fui obrigada a ensaiar um canto

em que nunca podia faltar a firmeza.

Se angústias tive guardei-as para mim,

mostrei sempre o meu coração insensível,

para sobreviver teve de ser assim,

tudo o resto ficou invisível.

Firmeza, determinação,

decisões difíceis de tomar,

se tivesse tido a tua mão,

muitas lágrimas terias de enxugar.

Estarmos sozinhos faz-nos fortes,

de nada adianta não o ser,

sentimos a falta dos nossos suportes,

mas nada mais podemos fazer.

(Mafalda)

13-09-2013 20:34

Quando o vazio se instala em nós,

nada podemos fazer,

somos meros ouvintes sem voz,

deitamos tudo a perder.

Estranhas sensações de paz

se acomodam no nosso interior,

calar o coração é o se que faz,

quando tem de se viver sem amor.

Sentirmo-nos bem e tranquilos,

sem termos grandes exaltações,

acabamos por nos transformar naquilo

que vive sem emoções.

Situação cómoda, por certo,

porque o desconforto deixou de existir,

mas não haver ninguém por perto

obriga a tomar um grande elixir.

Nada é certo nesta vida,

a não ser o nascimento e a morte,

mas até ao dia da minha despedida,

foi esperar que haja um golpe de sorte...

(Mafalda)

13-09-2013 19:07

13-09-2013 18:22

Quando me convenceram a escrever,

(bendita a hora em que aceitei...)

nunca esperei que tantas pessoas fossem ler,

mas a elas ,tudo o que escrevi, dediquei.

É só minha a fonte de inspiração,

é uma mágoa que me liberta o dom da escrita,

ainda não entendo a vossa dedicação,

cada vez mais admiro quem ainda resista.

Escrevo sempre sobre o mesmo assunto,

digo coisas que depois acabo por não fazer,

apesar de tentar não escrever muito,

o que escrevo é com muito prazer. 

Quem não passou já por um amor perdido,

quem não sofreu já um desgosto?

Só assim fará todo o sentido

que me continuem a ler com gosto.

Conquistei asas e voei,

mas voltei quase ao ponto de partida,

quando as conquistei, sonhei

que ia finalmente ter uma vida...

Enganei-me redondamente,

voei apenas para onde me foi possível,

mas aqui espero ficar eternamente,

apenas me falta aquele sorriso aprazível.

Obrigada a quem me acompanha,

obrigada a quem está aí a pensar no que eu escrevo,

acreditem que escrever poesia não é grande façanha,

mas ser poeta?... Nem me atrevo!

Poetas verdadeiros ririam das minhas palavras,

porque eu só falo de banalidades,

...amor que vem, amor que acaba...,

tudo faço para fugir à realidade.

E a realidade é só uma,

estou eu, apenas eu,

a minha vida é, em suma,

um grande e eterno "EU".

(Mafalda)

13-09-2013 18:13

Nem sempre escrevo poesia

com palavras doces e meigas,

às vezes sofro de alguma azia

e esqueço as boas maneiras.

Nem sempre estou bem disposta,

alegre e divertida,

às vezes estou indisposta,

às vezes sinto-me ferida.

Nem sempre sou educada,

polida e discreta,

às vezes sou complicada

e não opto pelo caminho em reta.

Nem sempre me apetece ser

aquilo que sempre sou.

às vezes apetece-me enlouquecer,

partir sem saber para onde vou.

O "nem sempre" tem pouco tempo,

antes era tudo isso e muito mais,

só chegou quando tive de viver o momento

de ver quem parte e não volta jamais...

(Mafalda)

13-09-2013 10:53

De ti já nada espero,

foste a história feliz do meu passado,

perante um mundo tão severo,

só podia ser este o resultado.

Não espero que venhas,

não espero que penses em mim,

quero que tudo tu tenhas

e que vivas feliz assim.

Aproveita bem a tua vida,

já passaste por muitos dissabores,

não te lembras que posso estar perdida,

e a lutar contra este amor.

Deixei de ter importância,

deixaste de te preocupar,

afinal a distância

para ti é salutar.

Olhos que não vêem,

coração que não sente...

Tontos são os que crêem

que me ias amar eternamente!

(Mafalda)

13-09-2013 10:51

13-09-2013 10:20

Não sou supersticiosa,

não fugo de gatos pretos,

talvez devesse ser mais cautelosa

para não andar sempre em apertos.

Sexta feira, dia treze,

mais um dia como tantos outros,

precisamente há seis meses

que poderias cá estar.

Passa depressa o tempo,

mas ao princípio nem por isso,

difícil lidar com tamanho contratempo,

difícil aceitar o enguiço.

Seis meses, um ano, dois anos,

um dia terei de aceitar,

palavras que foram enganos

sempre disseste que ias voltar.

Deixaste-me presa na dúvida,

na incerteza das tuas promessas,

a palavra era tão fluida

que nunca havia pressas.

Apenas eu queria rapidez,

queria construir uma vida real,

tal foi a minha estupidez,

acreditei e dei-me mal.

Sexta feira treze,

dia de azar para quem acredite,

um dia igual a tantos outros,

em todos me apetece fazer delete...

(Mafalda)

12-09-2013 22:59

Vem a morte

sem ser pedida,

triste sorte,

é a despedida.

Quem parte, no coração fica,

quem fica, sofre,

é a desdita,

é a má sorte.

Vem sem aviso,

nem se faz anunciar,

perde-se o riso

de quem devia cá estar.

Não conheci pessoalmente,

mas conheci bem o seu rosto,

os amigos estão num estado dormente,

tal é o seu desgosto.

Voa em paz,

serenamente,

mais um bom rapaz

que se perdeu para sempre.

(Mafalda)

12-09-2013 22:37

12-09-2013 22:27

Fará sentido que sejam direções opostas?

Cabeça... coração...

Razão... emoção...

Alguém me consegue dar as respostas?

Porque não unir as trajetórias,

usufruir das duas em conjunto,

porque há sempre divisórias,

no que diz respeito a este assunto?

Porque não amar e ser racional,

porque não ser racional e amar?

Porque são situações tão distintas, afinal,

se sem uma delas não podemos nunca ficar?

Se perdermos a cabeça é devido ao coração,

se perdermos o coração foi a cabeça que o impôs,

porque temos de ter esta separação

se ambos fazem parte íntegra de nós?

Digo ao meu coração que fale,

que grite, que se imponha,

à minha cabeça de nada vale

sentir-se cheia de vergonha.

Cala-te cabeça,

deixa o coração falar,

não deixes que me esqueça

para um dia ter vontade de voltar...

(Mafalda)

12-09-2013 22:05

Desistir do que se quer,

deixar partir,

insistir em não ver,

não decidir.

Fugir do que se sente,

deixar voar os sonhos,

saber exatamente

porque estamos tristonhos.

Ser ator contrariado,

querer agarrar e não ter quem,

sonhar acordado

com o dia que aí vem.

Desistir de acreditar,

virar realista,

em nada vai ajudar

mais vale ser otimista.

Se vieres vens,

se quiseres podes,

tempo ainda tens,

por favor não te acomodes.

Pensar que tudo acabou,

que tudo foi um jogo,

capaz disso eu não sou,

não acredito nesse logro.

Renuncio ao desistir,

devo ser bipolar...

Tão depressa falo em partir,

como decido ficar.

Sou Gémeos de signo,

tenho duas pessoas em mim,

uma tem um amor fidedigno

a outra recusa-se a viver assim.

No meio desta dualidade,

encontra-se o meu coração,

umas vezes vê a verdade,

outras prefere ver a ilusão.

Renunciar ao meu sentimento

seria uma enorme asneira,

é ele o meu melhor alimento,

é ele a minha única bebedeira.

Embebedo-me em sensações,

divago de qualquer maneira,

solto as emoções

e tento levar a vida na brincadeira.

Sou assim, nada há a fazer,

sou um verdadeiro caso perdido,

mas renunciar ao que me deu tanto prazer,

seria da minha parte um ato pouco agradecido.

Espero e esperarei,

homens só mesmo à distância,

para ti aqui sempre estarei,

recordando a nossa velha infância...

(Mafalda)

12-09-2013 21:51

Quero o que não posso ter,

quero recomeçar a viver,

quero aprender a suster

a vontade de te ir ver.

Quero ser o vento

que acaricia o teu rosto,

quero deixar de ser o lamento

motivado pelo desgosto.

Quero ser a neve

com que brincas na rua,

quero deixar de ser quem escreve

apenas por culpa tua.

Quero ser a almofada

onde descansas durante a noite,

quero continuar apaixonada

e voltar a ser a cama onde o teu corpo pernoite.

Quero ser o teu abrigo,

quero ser o teu aconchego,

quero que estejas longe do perigo,

quero esperar-te depois do emprego.

Quero ser a tosta que comes com prazer,

quero ser a ameijoa que te delicia,

não sei mais o que hei-de querer,

estar contigo era tudo o que eu queria...

(Mafalda)

12-09-2013 21:38

12-09-2013 20:31

Três dias costuma ser o Carnaval,

mas não é neste mês,

agora só é mesmo retiro espiritual,

mais um, mais uma vez...

Sozinha a tempo inteiro,

dá para pensar no que não quero,

neste meu presente tão rotineiro,

sorte a minha que já não desespero.

Passa-me muita coisa pela cabeça,

recordo com saudade muitos momentos,

a solidão faz com que não esqueça,

faz com que se reavivem todos os sentimentos.

Dir-me-ão que sou uma tosca,

eu sei, mas eu sou mesmo assim.

Depois de termos feito tanta marosca,

a solidão só sobrou para mim.

Mas a minha solidão tem paz,

tem um descanso difícil de explicar,

só faço o que se me apraz,

o resto nem vale a pena alguém tentar.

Estou livre, estou como queria,

mas às vezes deito-me e penso...

Penso que feliz que eu seria

se continuasse a viver o meu amor imenso.

Sei que vou dormir sozinha o resto da minha vida,

sei que não te vou ter para abraçar,

não me perguntem porque o destino me pregou mais esta partida,

não me peçam para voltar a amar.

Por incrível que possa parecer,

imaginar sequer um beijo com outra pessoa,

faz-me imediatamente desfalecer,

é um simples ato que mortalmente me enjoa.

Nada tenho contra os homens,

desde que não me ponham a mão em cima,

aproximações só me consomem,

não é isso que quero para a minha vida.

Voto de celibatária por opção,

castidade quanto baste,

já tive todos os meus momentos de verdadeira paixão,

não vai haver ninguém que para a cama me arraste.

Nojo, repulsa, enjoo,

o mais longe possível de qualquer intimidade,

para mim não vai haver mais nenhum logro,

guardada a sete chaves ficará toda a minha sensualidade.

De nada vale criarem expetativas,

o meu coração tem um dono certo,

estou farta de relações intempestivas,

vivo só para quem está por perto.

Família, amigos, clientes,

para todos estou disponível,

mas que todos fiquem bem cientes

que noutros aspetos sou uma pessoa inatingível.

Tudo o que contigo vivi,

muitas pessoas não vivem durante uma vida inteira.

Tudo o que por ti senti...

a única vez em que fui totalmente verdadeira.

Como esquecer isso,

como tentar apagar?

Peço desculpa se perdi o meu juízo,

perdoem-me se ainda o continuo a amar.

(Mafalda)

12-09-2013 20:30

12-09-2013 10:56

12-09-2013 10:22
"A maior solidão é a do ser que não ama.
A maior solidão é a dor do ser que se ausenta,
que se defende, que se fecha,
que se recusa a participar da vida humana.
 
A maior solidão é a do homem encerrado em si mesmo,
no absoluto de si mesmo,
o que não dá a quem pede o que ele pode dar
de amor, de amizade, de socorro.
 
O maior solitário é o que tem medo de amar,
o que tem medo de ferir e ferir-se,
o ser casto da mulher, do amigo,
do povo, do mundo.
 
Esse queima como uma lâmpada triste,
cujo reflexo entristece também tudo em torno.
Ele é a angústia do mundo que o reflete.
 
Ele é o que se recusa às verdadeiras fontes de emoção,
as que são o patrimônio de todos, e,
encerrado em seu duro privilégio,
semeia pedras do alto de sua fria e desolada torre."
 
(Vinícius de Moraes)
 
12-09-2013 10:14
"Nada! 
Horas e horas neste ponto morto 
Onde caiu agora a minha vida... 
Nem um desejo, ao menos! 
 
Só instintos pequenos: 
Apetite de cama e de comida! 
Nem sequer ler um livro 
Ou conversar comigo, discutir... 
 
Nada! 
Neutro, morno, a dormir 
Com a carne acordada."
 
(Miguel Torga)
 
12-09-2013 10:07

Anos e anos que passam,

uma vida em conjunto que se vive,

admiro os que as façam,

hoje em dia pouco é o casamento que sobrevive.

Momentos bons,

momentos menos bons,

saúde, doença,

riqueza, pobreza.

Por tudo isto passam

as pessoas que se amam.

Será amor,

será habituação,

será ter horror

de viver na solidão...

Tudo junto,

tudo somado,

cinquenta anos em conjunto

é um feito que mereceu ser comemorado!

(Mafalda)

11-09-2013 10:10

"Um dia, meu amor (e talvez cedo,

Que já sinto estalar-me o coração!)
Recordarás com dor e compaixão 
As ternas juras que te fiz a medo...  
 
Então, da casta alcova no segredo, 
Da lamparina ao trémulo clarão, 
Ante ti surgirei, espectro vão, 
Larva fugida ao sepulcral degredo...  
 
E tu, meu anjo, ao ver-me, entre gemidos 
E aflitos ais, estenderás os braços 
Tentando segurar-te aos meus vestidos...  
 
Ouve! espera!
 
Mas eu, sem te escutar, 
Fugirei, como um sonho, aos teus abraços 
E como fumo sumir-me-ei no ar!"
 
(Antero de Quental)
 
11-09-2013 10:07

“Recomeça...

se puderes, sem angústia e sem pressa
e os passos que deres,
nesse caminho duro do futuro,
dá-os em liberdade,
enquanto não alcances não descanses,
de nenhum fruto queiras só metade.”
 
(Miguel Torga)
 
11-09-2013 10:05

“O caminho da sabedoria é não ter medo de errar.”

(Paulo Coelho)
 
11-09-2013 09:59

"Eu, agora - que desfecho!

Já nem penso mais em ti...
Mas será que nunca deixo
De lembrar que te esqueci?"
 
(Mário Quintana)
 
11-09-2013 09:56
"Metade de mim agora é assim
de um lado a poesia, o verbo, a saudade,
do outro a luta, a força e a coragem pra chegar no fim.
 
E o fim é belo, incerto... 
Depende de como você vê."
 
(Fernando Anitelli)
 
11-09-2013 09:53
"Over and over, I look in your eyes
You were all I desire
You have captured me
I want to hold you
I want to be close to you
I never want to let go
I wish that this night would never end
I need to know
 
Could I hold you for a lifetime?
Could I look into your eyes?
Could I have this night to share this night together?
Could I hold you close beside me?
Could I hold you for all time?
Could I, could I have this kiss forever?
Could I, could I have this kiss forever? Forever
 
Over and over I've dreamed of this night
Now you're here by my side
You are next to me
I want to hold you
And touch you and taste you
And make you want no one but me
I wish that this kiss could never end, no no
Oh, baby please
 
Could I hold you for a lifetime?
Could I look into your eyes?
Could I have this night to share this night together?
Could I hold you close beside me?
Could I hold you for all time?
Could I, could I, could I have this kiss forever?
Could I, could I, could I have this kiss forever? Forever
 
I don't want any night to go by
Without you by my side
I just want all my days
Spent being next to you
Lived for just loving you
And baby, oh by the way
 
Could I hold you for a lifetime?
Could I look into your eyes?
Could I have this night to share this night together?
Could I hold you close beside me?
Could I hold you for all time?
Could I, could I, could I have this kiss forever?
Could I, could I, Could I have this kiss forever? Forever
 
Could I have this kiss forever?
Could I have this kiss forever?
Could I have this kiss forever?"
 
(Enrique Iglesias)
 
11-09-2013 09:48

"Que você volte depressa

Que você não se despeça
Nunca mais do meu carinho
 
E chore, se arrependa
E pense muito
Que é melhor se sofrer junto
Que viver feliz sozinho 
 
Tomara 
Que a tristeza te convença
Que a saudade não compensa
E que a ausência não dá paz
 
E o verdadeiro amor de quem se ama
Tece a mesma antiga trama
Que não se desfaz 
 
E a coisa mais divina
Que há no mundo
É viver cada segundo
Como nunca mais..."
 
(Vinicius de Moraes)
 
11-09-2013 09:42

Quem serei eu,

que me deixei abandonar?

Quem serás tu,

que não decidiste arriscar?

Quem seremos nós,

separados,

sem voz,

esperando um momento menos atroz?

(Mafalda)

10-09-2013 22:16
"Sei lá! Sei lá! Eu sei lá bem
Quem sou? Um fogo-fátuo, uma miragem...
Sou um reflexo... um canto de paisagem
Ou apenas cenário! Um vaivém
 
Como a sorte: hoje aqui, depois além!
Sei lá quem sou? Sei lá! Sou a roupagem
De um doido que partiu numa romagem
E nunca mais voltou! Eu sei lá quem!...
 
Sou um verme que um dia quis ser astro...
Uma estátua truncada de alabastro..
Uma chaga sangrenta do Senhor...
Sei lá quem sou?! Sei lá! Cumprindo os fados,
Num mundo de maldades e pecados,
Sou mais um mau, sou mais um pecador..."
 
(Florbela Espanca)
 
10-09-2013 21:45

Que importância desmedida damos a pequenas coisas,

que dor, que sofrimento, que angústia...

O dia em que deixarmos de olhar para o nosso próprio umbigo,

será aquele em que aprenderemos a viver com astúcia.

Dar importância ao que realmente importa,

à fome, à doença, às mortes provocadas por guerras,

nunca passaremos da cepa torta

enquanto não nos obrigarmos a descer à terra.

Pensamos em nós, primeiro em nós,

no que temos, no que sentimos,

deixamos fora do nosso horizonte quem sofre,

quem não tem pequenas coisas com que se importe.

O ser humano é egoísta, eu sou egoísta,

passamos e só vemos o que queremos ver,

mendigamos por momentos de puro prazer,

escutamos mas nunca nos deixamos prender.

Tragédias verdadeiras que ao de leve nos tocam,

porque acontecem sempre a pessoas distantes de nós,

vemos muitas imagens que nos chocam,

mas nem sequer nos damos ao trabalho de levantar a voz.

Somos uma espécie surda e obtusa,

às vezes fazemos caridadezinha,

perdoem-me se me sinto confusa,

se afinal não me sinto assim tão boazinha.

Mas não sou só eu, somos quase todos,

primeiro nós, sempre nós,

pequenos gestos que podiam mudar tantas vidas,

mas primeiro pensamos em nós...

Não tenho nada contra os poderosos,

mas não gostaria de fazer parte dessa classe social,

têm todas as possibilidades de ser caridosos,

mas o que fazem pelos outros, afinal?

Dinheiro não é tudo mas ajuda,

principalmente para quem não tem nada,

longe vai o tempo em que eu era uma miúda

que acreditava na entreajuda da humanidade...

Hoje estou demasiado acutilante no que digo,

é melhor mesmo ficar por aqui,

nunca se esqueçam que amanhã podem ser vocês o mendigo,

perdoem-me...se ofendi alguém, não foi porque quis.

(Mafalda)

NY

10-09-2013 21:26

Não posso deixar de escrever

sobre um dia que foi uma tragédia,

nunca ninguém vai esquecer,

nunca aconteceu uma coisa tão séria.

A todos os que pereceram,

sem qualquer razão lógica,

a todos os que sofreram

naquela madrugada tão trágica.

A todos os que ajudaram,

sem olhar ao seu próprio sofrimento,

a todos os que se calaram

mas que viveram intensamente o momento.

A todos eles dedico estas simples palavras,

é do fundo do meu coração que o faço,

que nunca,

mas mesmo nunca,

haja um ato igual,

que sempre,

mas mesmo sempre,

haja a paz habitual!

God Bless You, NY.

(Mafalda)

10-09-2013 21:17

Estou num trinta e um

do qual não consigo sair,

é sempre a somar um

neste caso a diminuir.

Trinta um que me bate à porta

que vejo todos os dias,

às vezes a vida é mesmo torta,

a este trinta um não pensei que ias.

Trinta e um é um fim de ano.

é mais um dia em que nasce muita gente,

bebés à espera de obter ganho

com um prémio sempre presente.

Trinta e um agora e sempre

é um número que há muito me acompanha,

hoje é véspera de alguém ficar contente

pena que amor já não tenha.

(Mafalda)

09-09-2013 23:26

09-09-2013 23:17

Dia longo mas bem conseguido,

apenas quis vir dizer que ainda existo,

nenhum do meu tempo foi perdido,

perante as adversidades eu não desisto.

Assim fosse em relação ao que não depende de mim,

e seria uma mulher perfeitamente realizada,

infelizmente há coisas que não funcionam assim

e agora a única coisa que quero é permanecer deitada.

Amanhã será a ocupação será igual,

ou ainda mais agitada,

eu sempre fui uma pessoa muito jovial

ultimamente é que andava um pouco magoada.

Magoada comigo e com o mundo que me rodeia,

por ter de suportar tanta situação desagradável,

mas de nada adiantava continuar a insistir na ideia,

de nada servia viver num sonho pouco expectável.

(Mafalda)

09-09-2013 09:29

Mas uma palavra vaga

que existe na nossa linguagem,

mais uma palavra que acaba,

que não acompanha toda a viagem.

Perdem-se as palavras ao longo do tempo,

conhecem-se os significados numa determinada altura,

depois de partirem ficam os momentos,

que se recordam com muita ternura.

Felicidade, onde estás?

Porque fugiste assim?

Felicidade que eu deixei para trás

ao deixar-te ir para longe de mim.

Palavras compridas e complicadas,

difíceis de pronunciar,

palavras vãs e desadequadas,

para quem é obrigado a ficar.

Se fosse à procura de mais,

por certo as encontraria,

palavras outrora reais

que se perderam numa pessoa vazia.

(Mafalda)

09-09-2013 09:21

Esperar é uma palavra complicada,

difícil de digerir.

Obriga uma pessoa a estar parada

quando tem vontade de partir.

Esperar pode ser desesperar,

pode também ser alcançar,

mas de que adianta esperar

quando não há nada para o justificar...

Esperar pelo que há-de vir,

esperar pelo que já partiu,

esperar sempre a sorrir

como o mundo sempre me viu.

Esperar, esperar...

Passamos a vida a esperar!

Esperamos para nascer,

esperamos para crescer,

depois esperamos para envelhecer,

até ao dia em que esperamos para morrer.

A vida é uma espera constante,

esperamos, esperamos...

Temos um destino itinerante,

mas nem sempre o aproveitamos.

Hoje espero pelos compromissos do dia,

amanhã de igual forma esperarei,

houve dias em que alguém me ouvia,

agora falar já nem sei.

(Mafalda)

08-09-2013 23:13

08-09-2013 22:38

08-09-2013 22:21
Usar figuras de retórica
é uma jogada de mestre,
não faltei à aula teórica,
tive excelente no teste.
 
Não tenho outra solução,
que não ironizar com tudo o que me incomoda,
de que me adianta dar permissão
se quem quer se acomoda...
 
Excelente opção a minha,
já devia ter pensado nisso antes,
ironia, sarcasmo, zombaria,
e levar sempre a vida avante.
 
Corro o risco de pensarem que nada sinto,
seja em relação ao que for,
mas assim não consinto
que entre novamente a dor.
 
Ironia quanto baste,
sorriso sempre pronto,
pode ser que assim afaste
qualquer hipótese de confronto.
 
Afinal isso não será novidade,
usei e abusei durante anos,
antes isso que infelicidade
que só provoca muitos danos.
 
Ironia agora e sempre,
estou lindamente como estou,
calo este coração demente
só a ironia aqui ficou!
 
(Mafalda)
 
08-09-2013 22:06

Estrela cadente concede-me um desejo,

só um e não peço mais nada,

permite-me apenas o ensejo

de não me sentir abandonada.

Estrela cadente que passas apressada,

retém-te um pouco na minha visão,

permite-me apenas ficar descansada

e acatar bem a minha solidão.

Estrela cadente que brilhas de uma forma especial,

ilumina sempre o meu caminho,

permite-me apenas viver uma vida real

permite-me não ter de me picar em mais nenhum espinho.

Estrela cadente não caias,

se não for para concederes o meu desejo,

desse céu estrelado não saias

sem ti nada de bom antevejo.

(Mafalda)

08-09-2013 20:18

08-09-2013 20:16

07-09-2013 22:58

Era uma vez uma menina

que sonhava poder ir à Lua,

mas a menina era muito pequenina

e não conseguia sair da sua rua.

Tinha esse sonho desde o berço,

subir, subir, subir,

atingir um outro terço

ir para um mundo a fingir.

As estrelas queria agarrar,

para as contar uma a uma,

vivia a sonhar,

em suma...

A menina cresceu,

e deixou de ver o cor de rosa,

os sonhos perdeu

até arranjar uma mariposa.

Com ela sentiu-se solta,

adotou as suas asas e voou,

mas mesmo assim a vida deu mais uma reviravolta

e até à Lua não chegou.

Andou lá perto algumas vezes,

pensou que tinha lá chegado em outras tantas,

mas sempre aparecem os reveses,

sempre acabam as esperanças.

A menina cresceu,

deixou de sonhar.

Digamos que aprendeu

a não se deixar ludibriar.

As estrelas continuam lá,

rodeadas da brilhante Lua,

a menina ficou por cá

mas a culpa não é sua.

(Mafalda)

07-09-2013 22:06

Se os olhos são o espelho da alma,

pelos olhos se conhece uma pessoa,

nos meus olhos apenas há calma,

e um grande vazio que ecoa.

Quem tiver capacidade de ver,

mas de ver mesmo a sério,

facilmente conseguirá perceber

e então deixarei de ser um mistério.

Mas poucos têm essa aptidão,

poucos olham bem no fundo do nosso interior,

talvez por isso haja tanta solidão,

talvez por isso haja tão pouco amor.

Olhos sem brilho, embaciados,

secos de tanto terem chorado,

olhos tristes e calados,

com um reflexo embaciado.

Todas as pessoas têm olhos bonitos,

nunca ninguém ouviu dizer o contrário,

mas se esses olhos ficam constritos

apenas revelam pertencer a um dono solitário.

Fecho os olhos para que não se veja,

não se vislumbre qualquer indício,

usarei óculos onde quer que seja

para que não mostre nenhum resquício.

A claridade incomoda,

a escuridão atordoa,

fechar os olhos é uma solução que se acomoda,

mantê-los sempre bem fechados evita que doa.

(Mafalda)

07-09-2013 21:29

Dei por mim numa gare vazia

onde ecoavam os meus passos,

nem vivalma havia,

nada existia entre os espaços.

O combóio não chegava,

não estavam afixados horários,

este local devia ser assombrado,

tão longe estava dos rituais diários.

Queria-me sentar mas só tinha o chão,

queria descansar mas não conseguia,

esta gare estava repleta de solidão

mas também de uma perfeita acalmia.

Eis que então começa um som,

que cada vez, mais perto estava,

atrás desse som, um outro som,

e dei por mim acompanhada.

As pessoas chegavam à pressa,

para não perderem aquele único combóio,

eu a mim própria fiz a promessa

de nessa viagem mudar o repertório.

Esperei e entrei,

agora já me podia sentar,

sem destino viajei

sem qualquer intenção de voltar.

Nem bilhete tirei,

mas se o tirasse era só de ida,

à aventura entreguei

todo o resto da minha vida.

(Mafalda)

07-09-2013 20:50

Ser mãe é ser amiga para o que for preciso,

não prender, não sufocar.

Ás vezes pôr algum siso

mas dar sempre asas para voar.

A liberdade é fundamental,

independência quanto baste,

ser mãe é ser um apoio real

e deixar que um filho se afaste.

Criar uma vida nova,

seguir o seu próprio destino,

em tempos idos também a mãe fez tudo isso,

mas muitas vezes perdeu o tino.

Faz parte do crescimento,

faz parte da aprendizagem,

mas em nenhum momento

esta mãe vai travar qualquer viagem.

Pode ser que isso seja

o que faz a diferença,

mas apenas quero que ele tenha

uma vida de crença.

Crer no ser humano,

nas relações interpessoais,

seguir em frente com o seu plano

e não se preocupar com os demais.

Independência que tanto prezo,

liberdade pela qual muito lutei,

só nisso posso dizer que rezo

para que nunca passe pelo que eu passei.

Amor de mãe é incondicional,

dos únicos intemporais,

mãe é, afinal,

um reduto protetoral.

(Mafalda)

07-09-2013 20:28

Linha do horizonte que se esvanece

de uma forma extremamente delicada,

o mundo escurece

mas a humanidade não está preparada.

É a noite que se avizinha,

a escuridão estrelada,

isto não é uma adivinha,

nem tão pouco uma charada.

Estados de alma escurecida,

vento que tudo levanta,

maresia enegrecida

que pela areia se implanta.

Muito negra é a noite,

mas às vezes o dia também,

tudo o que me afoite

eu agradeço a alguém.

(Mafalda)

06-09-2013 23:29

Apenas um conselho deixo,

antes de ir tentar esquecer...

Amor, dedicação,

sentir a nossa falta de forma verdadeira,

isso só se tem no nosso cão,

é essa a única verdade verdadeira!

Os amigos são o nosso pilar,

falam connosco, ouvem-nos.

A família não nos deixa exilar,

mas de resto... poupem-nos!

De pessoas crédulas está o mundo cheio,

vivemos em falsidades e enganos,

desculpem este devaneio,

mas uma simples foto causou imensos danos.

Sentir-me enganada por mim própria,

perceber que vivo numa utopia,

como estou errada na arte adivinhatória,

devo ter alterado a minha dioptria.

Que cega, que obtusa,

acabou, porque não percebo isso?

Agora já não vou estar mais confusa

não há mais qualquer compromisso.

Concertos, férias, saídas,

nada como gastar o que não se tem,

mas assim as coisas ficaram esclarecidas,

e eu tenho de me fazer à vida, como convém.

Fim! Acabou! Encerrado!

Apetece-me bater em alguém,

mas só eu mereço um estalo

por acreditar no que me convém.

Chega! Basta! Parou!

Muitas felicidades para o dia que está a chegar,

para mim o mundo parou

e de nada vale pô-lo novamente a girar.

(Mafalda)

06-09-2013 23:14

Que ridícula eu sou!!!

06-09-2013 23:07

Parece que adivinhava quando escrevi o poema anterior...

no meio de tanta tecnologia, acabei de ver o teu esplendor.

Estás bem, e sempre muito bem acompanhado,

falta nenhuma algum dia te fiz,

desculpem-me, mas totalmente errada tenho andado,

já nada faz sentido do que aqui escrevi.

Convenci-me que pensava como eu,

queria acreditar que sentia o mesmo que eu,

pensava que sonhávamos o mesmo os dois,

afinal, o erro foi meu,

há muito que ele me esqueceu

e eu fui sempre deixando para depois.

(Mafalda)

06-09-2013 22:19

Não me compete julgar,

ajuizar ou criticar,

se fiz asneira estou a pagar

e tenho pena que não consigas perdoar.

Amor que não perdoa não é verdadeiro,

todos temos o direito de errar,

dizer o que nos vem à cabeça sem pensar primeiro...

e depois o resto da vida a aguentar.

Fui má, bruta e mal educada,

perdi as estribeiras e disse asneiras,

mas se só uma vez eu estive errada...

não te desculpes com as minhas baboseiras.

Sim, ainda gosto muito de ti e já não devia,

estou a entrar na fase da raiva,

raiva que me atinge e me agonia,

mas tenho de o dizer para que se saiba.

Da mesma forma que sou terna e meiga,

também posso ser muito acutilante,

mas perdoa-me se ainda teimo

em que perdoar devia ser uma atitude constante.

Nunca, mas mesmo nunca te falhei,

fosse em que circunstância fosse,

se um dia eu descarrilei...

tudo o que havia até então evaporou-se!

Perdoar quem trai é muito fácil,

perdoar quem fala é muito complicado,

está mesmo na hora de desistir deste sentimento dócil,

está mesmo na altura de dar tudo como acabado.

Cinco estágios na perda, luto ou tragédia,

que passo a enumerar,

esta vida é uma grande comédia,

está na hora de Acordar!

(Mafalda)

........

"Negação e Isolamento: "Isso não pode estar acontecendo."
 
Raiva: "Por que eu? Não é justo."
 
Negociação e diálogo: "Me deixe viver apenas até meus filhos crescerem."
 
Depressão: "Estou tão triste. Por que me preocupar com qualquer coisa?"
 
Aceitação: "Tudo vai acabar bem."
 
(in Wikipédia)
 
06-09-2013 22:13

06-09-2013 22:03
"No fadário que é meu, neste penar,
Noite alta, noite escura, noite morta,
Sou o vento que geme e quer entrar,
Sou o vento que vai bater-te à porta...
 
Vivo longe de ti, mas que me importa?
Se eu já não vivo em mim! Ando a vaguear
Em roda à tua casa, a procurar
Beber-te a voz, apaixonada, absorta!
 
Estou junto de ti, e não me vês...
Quantas vezes no livro que tu lês
Meu olhar se pousou e se perdeu!
 
Trago-te como um filho nos meus braços!
E na tua casa... Escuta!... Uns leves passos...
Silêncio, meu Amor!... Abre! Sou eu!..."
 
(Florbela Espanca)
 
06-09-2013 22:00
"Escreve-me! Ainda que seja só
Uma palavra, uma palavra apenas,
Suave como o teu nome e casta
Como um perfume casto d'açucenas!
 
Escreve-me! Há tanto, há tanto tempo
Que te não vejo, amor! Meu coração
Morreu já, e no mundo aos pobres mortos
Ninguém nega uma frase d'oração!
 
"Amo-te!" Cinco letras pequeninas,
Folhas leves e tenras de boninas,
Um poema d'amor e felicidade!
Não queres mandar-me esta palavra apenas?
 
Olha, manda então...brandas...serenas...
Cinco pétalas roxas de saudade..."
 
(Florbela Espanca)
 
06-09-2013 21:56
"Eu sou a que no mundo anda perdida, 
Eu sou a que na vida não tem norte, 
Sou a irmã do Sonho, e desta sorte 
Sou a crucificada ... a dolorida ... 
 
Sombra de névoa ténue e esvaecida, 
E que o destino amargo, triste e forte, 
Impele brutalmente para a morte! 
Alma de luto sempre incompreendida! ... 
 
Sou aquela que passa e ninguém vê ... 
Sou a que chamam triste sem o ser ... 
Sou a que chora sem saber porquê ... 
 
Sou talvez a visão que Alguém sonhou, 
Alguém que veio ao mundo pra me ver 
E que nunca na vida me encontrou!"
 
(Florbela Espanca)
 
06-09-2013 21:12

06-09-2013 20:59

Recolho-me ao silêncio,

abrigo-me dos sons do mundo,

não procuro nenhum indício,

mas fujo de atingir o fundo.

Isolo-me da vida quotidiana,

entrei num retiro espiritual,

com paciência mediana

e conversa apenas casual.

Não me apetece! Não quero!

Isolar-me é um descanso.

Mas se às vezes ainda espero

é apenas porque não me canso.

Réstia de esperança absurda,

coração que dá vontade de arrancar,

como é possível sobreviver a esta chafurda,

e ainda continuar a gostar...

Sou parva, eu sei,

sou naif e sonhadora.

Mas sei que assim sempre serei,

é essa a minha faceta assustadora.

Acreditar até morrer,

mesmo que não faça qualquer sentido,

haverá aí alguém capaz de me perceber,

capaz de atravessar este deserto comigo?

(Mafalda)

06-09-2013 20:58

06-09-2013 20:45

Da mesma forma que o fado é tristeza,

poesia é dor que brota bem do nosso interior,

mas nós não temos nenhuma esperteza

e juntamos ambas no mesmo recetor.

Cantar não funciona comigo,

desafino em qualquer melodia,

escrever versos é um hábito muito antigo

que regressou à tona nesta agonia.

Tento esquecer-te mas sem convicção,

tento não me lembrar dos teus traços,

mas o que fazer ao meu coração

que está desfeito em pedaços?

Não há cola que o una,

passe por mim quem passar,

perdoem-me alguma lacuna

mas de nada adianta negar.

Complicado de gerir,

só aqui sou eu própria,

não sei o que está para vir,

mas desistir é inglório.

Estou quieta mas sinto o mesmo amor,

apenas não o demonstro a ninguém,

mas vou ter de sair deste torpor

seja a mal seja a bem...

(Mafalda)

06-09-2013 20:31

Escrever...

Escrever o quê?

Sempre que penso em o fazer

pergunto-me sempre para quê...

Se escrevia muito em tempos idos,

tinha sempre resposta pronta,

mas esses tempos estão perdidos

e eu continuo feita tonta.

Caiu o post-it da minha carteira,

acompanha-me onde quer que vá,

ler o que lá está é pura doideira,

cada recordação mais me magoará.

Rotinas e mais rotinas,

lembranças aqui e ali,

esconder-me em todas as esquinas

e tentar esquecer o que vivi.

Como fazê-lo se foi tão exultante,

se me completaste como ninguém,

que raio de solidão desesperante

que a nenhum de nós convém.

Serei idiota ao ponto de pensar,

de imaginar que pensas o mesmo,

serei incrédula em ainda te amar,

porque continuo a andar a esmo?

Tenho de mudar de temática,

isto cansa quem me lê todos os dias,

como eu gostava que a vida fosse pura matemática,

como eu desejava ver se já não sofrias.

(Mafalda)

06-09-2013 11:37

06-09-2013 11:28

Quero esconder-me de mim própria,

quero sair do meu interior,

preciso de arranjar um sósia

que usufrua da vida no seu esplendor.

Quero perder a cabeça,

quero não ter de pensar,

não quero que ele me esqueça,

não quero que deixe de me amar.

Como fazer o que quero,

como lhe dizer que ainda existo,

como não entrar em desespero,

como será que ainda resisto?

Quero ser louca todos os dias,

quero rir à gargalhada,

se tu não soubesses a falta que me fazias...

aí perceberia e ficaria calada!

Mas tu sabes como eu sei,

nada do que dissemos foi engano,

se eu ainda não me passei,

foi apenas porque ainda te chamo.

Chamo-te no meu coração,

chamo-te na minha cabeça,

o meu corpo precisa da tua mão,

o meu todo não permite que te esqueça.

Quero ser feliz contigo,

quero acreditar que tu ainda acreditas,

o tempo passa e ambos continuamos de castigo,

porque temos de suportar tamanhas desditas?

O que pensas, o que sentes,

recordas tudo como eu?

Por favor, não te apoquentes

porque quem te ama não te esqueceu.

(Mafalda)

06-09-2013 11:04

Há uma voz que me diz,

que ainda te preocupas comigo,

que não estás feliz,

que não estás protegido.

Há uma voz que me diz,

que sentes a minha falta,

que não tens a tua força motriz,

que te escondes da ribalta.

Há uma voz que me diz,

que um dia vais acordar,

e que vais perceber que o que eu sempre quis,

foi ter a oportunidade de te poder amar.

Há uma voz que me diz,

que sentes falta da minha loucura,

que já não sorris,

que vives sem ternura.

Há uma voz que me diz,

tudo isto e muito mais,

enquanto eu não calar essa voz,

esquecer-te... jamais!

(Mafalda)

05-09-2013 22:20

05-09-2013 22:13

Sempre ouvi dizer:

"dias de muito, vésperas de nada"!

É um facto...

Hoje não tive cabeça para vir aqui,

limitei-me a deixar o meu pensamento vaguear,

sem destino certo.

Apenas consegui fazer pesquisa de imagens.

Amanhã será outro dia.

Boa noite.

(Mafalda)

04-09-2013 23:48

"Só existem dois dias no ano em que nada pode ser feito.

Um se chama ontem e o outro se chama amanhã,

portanto,

é hoje o dia certo para amar,

acreditar, fazer e principalmente viver."

(Dalai Lama)
 
04-09-2013 22:41
"... E se aquilo,
aquilo que nos dão todos os dias não for coisa que se cheire ou nos deslumbre,
que pelo menos nunca abdiquemos de pensar com direito à ironia,
ao sonho,
ao ser diferente.
 
E será talvez uma forma inteligente de, afinal, nunca...
nunca,
nunca ser tarde demais para viver,
nunca ser tarde demais para perceber,
nunca ser tarde demais para exigir,
nunca ser tarde demais para ACORDAR. "
 
(Pedro Barroso)
.......
 
(E este era o meu sonho neste momento...)
04-09-2013 20:11

Um arrepio percorre o meu ser,

um frio entranha-se nas minhas veias,

sempre que procuro esquecer

parece que o mundo acende as candeias.

Gela-se-me o pensamento,

não saio do mesmo rame rame,

nunca mais entrarei em sofrimento,

nunca mais terei quem me ame.

Abri as portas da minha vida,

escancarei as portadas do meu interior,

para quê, se tudo acaba numa partida,

para quê, se não se consegue usufruir do seu esplendor.

De nada vale mostrar o meu eu verdadeiro,

de nada adianta ser um livro aberto,

tu foste e serás sempre o primeiro,

mas nunca estiveste por perto.

Quando faz falta o ombro amigo,

quando preciso de um mimo,

fico sentada sozinha no meu postigo,

fico bloqueada perante o meu destino.

Estou bem, tenho dito,

e é uma verdade muito sincera,

mas entre tudo o que tenho escrito,

só uma coisa me desespera.

Queria-te ver aqui na nossa casa,

queria chegar e ter-te à minha espera,

mas o tempo passa e passa,

e... quem espera desespera.

Se me tivesses dito que tudo acabou,

em vez de desviares o olhar e não responderes...

Por muito que pense o teu silêncio em nada se adequou

à atitude que fizeste questão em teres.

Que frieza, meu Deus,

e eu não sou de chamar pelo divino,

mas no dia desse teu adeus,

achei que tinha perdido completamente o tino.

Que estranha é a vida

que tanto nos obriga a sofrer,

sim, foi a tua despedida,

mas eu sei que nos vamos tornar a ter.

E isso dá cabo de mim,

porque não sei o quando,

é tão triste ter de viver assim

sempre a acelerar o entretanto...

(Mafalda)

04-09-2013 19:11

Há imensas alturas em que penso,

que para ser poeta não é preciso rimar,

basta libertar o pensamento

e deixar os dedos voar.

Há muitas alturas em que sinto

que nada disto faz sentido,

mas agora já não minto

ao dizer que lamento todo este tempo perdido.

Nunca devia ter sido o que não sou,

nunca devia ter feito o que não achava bem,

mas sim, também eu tenho defeitos,

e não sou mais do que ninguém.

Tenho direito a errar,

embora o amor não seja motivo,

mas paguei o preço a pagar,

e pago sempre enquanto estou viva.

Correr atrás de um amor,

faz-nos ser insensatos,

nas horas de maior calor,

não pensamos sequer nos factos.

O que me distingue é a dedicação,

nada mais além de isso,

entreguei-me com toda a minha paixão

mas depois pedi um compromisso.

Não resultou, não deu certo,

sei que tudo correria bem,

mas se tu estás no sítio certo,

só tu saberás e mais ninguém.

Pode ser que ainda penses em mim,

pode ser que ainda visualizes os meus momentos,

pode ser que já não seja assim

e que tudo já esteja no teu baú dos esquecimentos.

Perguntas exigem respostas,

frases faladas, concretas e definidas,

na ausência das respostas...

restam sempre as despedidas.

Mas uma fresta bem escondida deixaste numa janela

ao fechares a tua porta com sete chaves,

não sei se a ideia era dares uma escapadela,

se era colocares-me todos estes entraves.

Assim ficaria a pensar,

(tu sabes, conheces-me bem),

e enquanto eu ficasse a marinar

tu farias o que te convém.

E era isso que estava a acontecer,

és esperto, jogaste bem,

mas chegou a minha hora de te esquecer,

porque o tempo urge e nada de bom advém.

Limites que se atingem,

timings que se esgotam,

pensamentos que já não me afligem,

dores que já se suportam.

(Mafalda)

04-09-2013 18:57

Todos temos de envelhecer um dia.

Seja pela idade que avança,

seja pela mentalidade que atrofia.

Podemos levar a vida como uma dança

ou podemos decidir não aceitar a realidade.

Mas digam-me de que adianta

fugir da simples verdade?

Envelhecer é sinal que estamos vivos,

é sinal que a vida nos deixa marcas,

é sinal que superamos todos os perigos

e que estamos aptos para o que se avizinha.

Aceitar o envelhecimento é a única atitude saudável,

rugas são sinais do tempo que por nós já passou,

são experiências de vida que adquirimos,

são conhecimento que muitos ambicionam ter,

envelhecer é continuar a viver.

Com algumas limitações,

podemos sentir o chão meio torto,

mas continuarmos vivos é um conforto.

Há dias bons, há dias que são ruins,

temos dor aqui, temos dor ali,

envelhecer é uma lista sem fim,

mas se envelheço é porque muito já vivi.

Quase meio século de experiência,

mas há coisas que nunca vou aprender...

Um dia pode ser que haja uma ciência,

dedicada apenas a como esquecer.

A idade tudo isso traz,

mas eu aí contorno-a bem,

se soubessem como me apraz

pensar que um dia vou ter aqui o meu alguém...

A idade devia-me dar juízo,

devia-me fazer ver apenas o que é real,

mas penso que para conseguir isso

muitos anos ainda terão de passar, afinal!

(Mafalda)

04-09-2013 11:02

"A verdade é que não há verdade."

(Pablo Neruda)
 
04-09-2013 11:00

"O importante não é o que se dá, mas o amor com que se dá."

(Madre Teresa de Calcutá)
 
04-09-2013 10:58

"Quando você deseja uma coisa, todo o universo conspira para que possa realizá-la."

(Paulo Coelho)
 
04-09-2013 10:54
 
04-09-2013 10:42

Há dois dias que a escrita não sai,

temia que isso fosse acontecer...

quando eu digo ao amor: "Vai",

dificilmente consigo escrever.

Desistir do que me é querido,

é do mais difícil que pode haver,

mas este era um momento temido

que mais cedo ou mais tarde tinha de fazer.

Deixo o coração de lado,

guardo-o num resistente cofre,

desisto do sonho ambicionado

e assim o meu coração não sofre.

Mas com tudo isso perco o dom,

deixo de me guiar pelos sentimentos,

resisto a escutar o eterno som

que é emitido pelos meus pensamentos.

Ocupo as horas do dia,

obrigo-me a não pensar,

mas depois fico vazia

e sem capacidade para divagar.

Saiu este poema neste momento,

pode ser que afinal ainda consiga escrever,

mas é muito triste viver sem sentimento,

é muito triste viver sem te ter.

(Mafalda)

04-09-2013 10:40
"Sorria, embora seu coração esteja doendo
Sorria, mesmo que ele esteja partido
Quando há nuvens no céu
Você sobreviverá...
 
Se você apenas sorri
Com seu medo e tristeza
Sorria e talvez amanhã
Você descobrirá que a vida ainda vale a pena se você apenas...
 
Ilumine sua face com alegria
Esconda todo rastro de tristeza
Embora uma lágrima possa estar tão próxima
Este é o momento que você tem que continuar tentando
 
Sorria, pra que serve o choro?
Você descobrirá que a vida ainda vale a pena
Se você apenas...
 
Se você sorri
Com seu medo e tristeza
Sorriso e talvez amanhã
Você descobrirá que a vida ainda vale a pena
 
Se você apenas Sorrir...
Este é o momento que você tem que continuar tentando
 
Sorria, pra que serve o choro
Você descobrirá que a vida ainda vale a pena
 
Se você apenas Sorrir"
 
(Charles Chaplin)
 
04-09-2013 10:38
"Já chorei vendo fotos e ouvindo musica;
Já liguei só para ouvir uma voz;
Me apaixonei por um sorriso;
Já pensei que fosse morrer de saudade;
 
E tive medo de perder alguem especial... (e acabei perdendo)
Já pulei e gritei de tanta felicidade;
Já vivi de amor e fiz muitas juras eternas... "quebrei a cara muitas vezes!"
 
Já abracei para proteger;
Já dei risadas quando não podia;
Já fiz amigos eternos;
Amei e fui amado;
Mas tambem já fui rejeitado;
Fui amado e não amei..."
 
(Charles Chaplin)
 
04-09-2013 10:34
"Tua caminhada ainda não terminou....
A realidade te acolhe
dizendo que pela frente
o horizonte da vida necessita
de tuas palavras
e do teu silêncio.
 
Se amanhã sentires saudades,
lembra-te da fantasia e
sonha com tua próxima vitória.
Vitória que todas as armas do mundo
jamais conseguirão obter,
porque é uma vitória que surge da paz
e não do ressentimento.
 
É certo que irás encontrar situações
tempestuosas novamente,
mas haverá de ver sempre
o lado bom da chuva que cai
e não a faceta do raio que destrói.
 
Tu és jovem.
Atender a quem te chama é belo,
lutar por quem te rejeita
é quase chegar a perfeição.
 
A juventude precisa de sonhos
e se nutrir de lembranças,
assim como o leito dos rios
precisa da água que rola
e o coração necessita de afeto.
 
Não faças do amanhã
o sinônimo de nunca,
nem o ontem te seja o mesmo
que nunca mais.
 
Teus passos ficaram.
Olhes para trás...
mas vá em frente
pois há muitos que precisam
que chegues para poderem seguir-te."
 
(Charles Chaplin)
 
03-09-2013 23:13
"Quando renunciamos aos nossos sonhos e encontramos a paz, temos um pequeno período de tranqüilidade.
 
Mas os sonhos mortos começam a apodrecer dentro de nós e a infestar todo o ambiente em que vivemos.
 
O que queríamos evitar no combate, a decepção e a derrota, passa a ser o único legado de nossa covardia."
 
(Paulo Coelho)
 
03-09-2013 20:24
 
"¿Quién no ha sentido alguna vez la sensación de no ser correspondido por el otro? ¿Quién no ha tenido alguna vez el corazón partío? La temida frase de no es por ti…soy yo o el prefiero que seamos amigos…” genera un dolor emocional fácilmente identificable en nuestros gestos y estado de ánimo pero cuya región cerebral responsable de este dolor, se desconocía.
 
Recientemente, el equipo de Tor Wager de la Universidad Ann Arbor de Michigan (EEUU) han llevado a cabo un estudio que muestra que el rechazo social activa las mismas zonas cerebrales que el dolor físico. Para ello, seleccionaron a un grupo de voluntarios cuya característica en común fue haber sufrido en los últimos seis meses una ruptura amorosa traumática.
 
El experimento consistió en que los participantes veían fotos de su ex pareja mientras recordaban alguna experiencia del pasado con el ser amado. Simultáneamente, los investigadores observaban su cerebro mediante imágenes de resonancia magnética. Estas imágenes, se compararon con las correspondientes a una experiencia de dolor físico producido por una pequeña quemadura en el brazo, similar a “como si se derramase una taza de café caliente, doloroso pero tolerable”.
 
En ambos casos, su cerebro activó la misma región, como si el dolor emocional y el físico fuesen capaces de despertar la misma área cerebral. Concretamente se trataba del córtex secundario somatosensorial y así como la ínsula dorsal posterior, que reaccionaron activándose por igual en ambas situaciones.
 
Los autores concluyen que este hallazgo podría ser el comienzo para entender cómo en algunas personas, las experiencias de dolor emocionalmente intensas, desencadenan auténticos síntomas físicos, como dolores de cabeza, de estómago o dolores musculares.
 
El amor duele, y parece que para nuestro cerebro al menos tanto, como si nos quemáramos o nos dieran un fuerte pisotón."
 
(Sara Herrera)
 
02-09-2013 23:17

Extremamente cansada,

mas sem vos querer abandonar,

vou permanecer aqui deitada

mas só volto quando acordar...

Boa noite!

(Mafalda)

02-09-2013 21:39
"A boa mãe é aquela que vai se tornando desnecessária com o passar do tempo.
Várias vezes ouvi de um amigo psicanalista essa frase, e ela sempre me soou estranha.
Chegou a hora de reprimir de vez o
impulso natural materno de querer colocar a cria embaixo da asa,
protegida de todos os erros, tristezas e perigos.
Uma batalha hercúlea, confesso.
Quando começo a esmorecer na luta para
controlar a super-mãe que todas temos dentro de nós, lembro logo da
frase, hoje absolutamente clara.
Se eu fiz o meu trabalho direito, tenho que me tornar desnecessária.
Antes que alguma mãe apressada me acuse de desamor, explico o que significa isso.
Ser “desnecessária” é não deixar que o amor incondicional de
mãe, que sempre existirá, provoque vício e dependência nos filhos,
como uma droga, a ponto de eles não conseguirem ser autônomos,
confiantes e independentes
Prontos para traçar seu rumo, fazer suas
escolhas, superar suas frustrações e cometer os próprios erros também.
A cada fase da vida, vamos cortando e refazendo o cordão umbilical.
A cada nova fase, uma nova perda é um novo ganho, para os
dois lados, mãe e filho.
Porque o amor é um processo de libertação permanente e esse
vínculo não pára de se transformar ao longo da vida.
Até o dia em que os filhos se tornam adultos, constituem a própria família e
recomeçam o ciclo.
O que eles precisam é ter certeza de que estamos
lá, firmes, na concordância ou na divergência, no sucesso ou no
fracasso, com o peito aberto para o aconchego, o abraço apertado, o
conforto nas horas difíceis.
Pai e mãe - solidários - criam filhos para serem livres.
Esse é o maior desafio e a principal missão.
Ao aprendermos a ser “desnecessários”, nos transformamos em porto
seguro para quando eles decidirem atracar.
"Dê a quem você Ama :
- Asas para voar...
- Raízes para voltar...
- Motivos para ficar... "
 
(Dalai Lama)
 
02-09-2013 09:11

Que irritação constante,

querer apagar e não conseguir,

tudo me persegue de uma forma penetrante,

oiço sempre o que não quero ouvir.

Pequenas coisas do quotidiano,

músicas, sons, expressões,

como eu queria que o mundo fosse plano

para não ter de andar aos trambolhões.

Não me mostres o que não quero ver,

não me obrigues a recordar,

por favor deixa-me permanecer

na casa a que eu chamo o nosso Lar.

Não me faças andar na rua,

deixa-me só e em paz,

porque recordar em nada atenua,

e assim esquecer... não sei se serei capaz.

Quero guardar bem no meu interior

tudo o que me fez feliz um dia,

mas preciso de mostrar ao mundo exterior

que sem ti também tenho alegria.

É teatro, eu sei,

mas tenho de me mostrar assim.

Já muito preocupei

quem verdadeiramente gosta de mim.

Custa-me muito mostrar que dou pouca importância,

ao melhor sentimento que alguma vez senti,

mas de que adianta mostrar a minha itinerância,

de que adianta dizer que não sei viver sem ti?

Estás na tua vida, como escolheste,

a opção foi apenas tua.

Se agora percebes o que perdeste...

Faz as malas e vem para a rua.

Mas enquanto não o fizeres deixa-me respirar,

deixa-me dormir um sono descansado,

não faças com que tenha de escutar

um coração que está demasiado afastado.

A nossa empatia sempre foi imensa,

falávamos sem ser preciso falar,

mas agora entre nós há uma neblina muito densa

e precisas de te convencer que tens de me libertar.

Não me prendas mais,

deixa-me partir.

Esquece os teus sentimentos reais,

ou então decide-te a vir.

Assim não posso continuar,

quero afastar-me e tu não o permites.

Por favor deixa de me preservar,

deixa-me ultrapassar todos os limites.

Não me chames durante o meu sono,

não penses em mim de madrugada,

se me deixaste totalmente ao abandono,

porque insistes nesta charada?

(Mafalda)

02-09-2013 09:05

Dormir é uma tarefa complicada,

quando a mente não tem sossego,

se calhar estou a ver tudo da forma errada,

mas é a melhor maneira de não entrar em desespero.

Preciso de paz e tranquilidade,

preciso de deixar de acreditar em utopias,

tenho tudo para atingir um estado de felicidade,

e todos sabem a falta que sempre me fazias.

Mas não posso continuar à espera,

de um dia que nunca vai chegar,

por isso pára de ocupar os meus sonhos,

dá-me a liberdade que eu quero alcançar.

De nada adianta fazeres-me acordar,

se depois não fazes nada,

pára de me enganar,

ou faz alguma coisa quando estou acordada!

(Mafalda)

01-09-2013 23:01

Travei grandes batalhas,

perdi completamente a guerra,

mas se não cometer mais gralhas,

atravessarei novamente a serra.

Se um dia quiseres,

volta que aqui estarei,

isso se ainda souberes

que eu nunca te abandonarei.

Posso seguir a minha vida,

já o fiz em tempos idos,

mas fica com a certeza devida

que tu és o mais importante dos meus "queridos".

Se me deixaste nada te devo,

posso encontrar novos caminhos,

mas se tanto ainda escrevo,

não é preciso sermos adivinhos...

Só aqui falo em ti,

no resto do tempo é assunto encerrado,

mas nunca esquecerei o que contigo vivi,

porque foi o tempo do sonho realizado.

(Mafalda)

01-09-2013 22:23

Acreditem se quiserem,

foi preciso muita coragem para decidir avançar,

mas se os instantes me aprouverem,

terei todas as condições para superar.

Não faço agora nada de diferente,

do que antes por ele foi feito.

Também eu tenho o direito de seguir em frente,

embora continue a achar tudo isto um desproveito.

A maior prova do meu amor foi dada,

quando deixei de o procurar,

doeu-me imensamente ficar calada,

mas assim não o fui baralhar.

Deixei-o seguir a vida dele,

amando-o incondicionalmente,

sem cobranças nem chantagens emocionais,

mas senti bem no fundo da minha pele,

que tudo o que me importava verdadeiramente,

tinha sido arrancado por violentos vendavais.

Agora apenas digo que estou muito calma,

que me sinto bem em estar sozinha,

digo-vos que já não me dói a alma,

e que quero viver a vida que se avizinha.

Sem sentimentos profundos,

sem emoções desmesuradas,

neste ou noutros mundos,

um dia farei parte das pessoas verdadeiramente Amadas.

(Mafalda)

01-09-2013 22:02

Podem achar estranho o que escrevo

porque eu sei que não é fácil de entender,

mas é o resultado de ser obrigada a um degredo,

ao fim de duas longas décadas a aprender.

Já esperei tempo que baste,

já não faz sentido continuar,

não haverá mais ninguém que me arraste,

para viver o significado de amar.

Tudo o que escrevo é porque sinto,

sinto muita coisa por uma só pessoa,

mas prometo que não vos minto

ao dizer que o meu tempo voa.

Meio ano no meio de vinte,

é apenas uma gota num oceano,

mas já não há ano seguinte,

já não considero nenhum plano.

Mas sim, escreverei com sentimento,

só na escrita o vou deixar vir à superfície,

mas a minha vida é apenas o presente momento,

e dela só quero uma grande e vasta planície.

Estou farta de andar em montanhas russas,

cansei-me de atravessar tantos caminhos sinuosos,

por amor já tive todas as minhas expensas,

está na hora de viver dias apenas espirituosos.

(Mafalda)

01-09-2013 21:48

Não há mágoa, não há dor,

não pensem que isso ainda aqui existe,

finalmente saí do imenso torpor

em que fiquei quando partiste.

Não há lágrimas a cair,

não há aperto no coração,

finalmente consegui sair

de um mundo de ilusão.

Não há palpitações sem motivo,

não há vontade de fazer amor,

finalmente deixei de sonhar contigo

e vou dizê-lo com todo o clamor.

Gostar de quem já não gosta,

preocupar com quem já não se preocupa,

é das coisas que mais me esgota,

finalmente não vou ficar chalupa...

(Mafalda)

01-09-2013 21:29

Pensar que ninguém pode ocupar o nosso lugar,

é dos maiores erros que cometemos,

ninguém nasceu para eternamente ficar,

embora por isso muito ansiemos.

Não há pessoas insubstituíveis,

fazemos falta até um certo ponto,

perante decisões irreversíveis,

temos de evitar todo o confronto.

Que necessidade haveria,

de encontrar quem me dizia coisas tão belas?

Que maldade isso seria,

olhar e não ouvir dizê-las.

Dirá por certo a outras pessoas,

pessoas que ocuparam o meu lugar,

ou apenas à sua apessoada,

a quem muito deve amar.

O lugar nunca foi meu,

fui apenas uma passageira,

a recordação do lugar já se esvaneceu,

pensar que era meu foi apenas uma tonteira...

(Mafalda)

01-09-2013 21:18

Muito fundo, enterrado na areia,

encontrei um pequeno coração,

pensava que pertencia a uma sereia,

guardei-o aconchegado na minha mão.

Procuro e volto a procurar,

nada de sereia à vista,

tenho medo por tanto tempo demorar,

tenho imenso receio que não resista.

Com o pequeno coração na mão,

já não sei mais o que fazer,

não sei se o devo devolver ao chão,

não sei se o devo manter...

(Mafalda)

01-09-2013 10:30

Bom domingo!

Até logo ao final do dia.

31-08-2013 22:31

31-08-2013 22:21

Faço sempre o que prometo,

não é meu hábito falhar,

se depender de mim nunca me esqueço

do que digo que vou efetuar.

Passei um dia muito tranquilo,

em que só tratei de mim,

fiz tudo isto e tudo aquilo

que estava à espera de um fim.

Corpo e alma renovados,

coração guardado ad eternum,

mas os meus poemas não vão ser encerrados,

não vou deixar de escrever, de modo nenhum.

Gosto muito de aqui divagar,

gosto de dizer o que me vem à cabeça,

eu sei que nem sempre vão concordar,

mas do que não gostarem... esqueçam.

Amanhã nascerá um novo dia,

com obrigações que não me vão deixar descansar,

mas há muito que não me sentia

tão pronta para as contrariedades atravessar.

(Mafalda)

31-08-2013 21:13

31-08-2013 20:53

O pobre Cupido foi atacado,

por quem não quis aceitar o amor,

o pobre Cupido caiu e permaneceu deitado,

e perdeu todo o seu fulgor.

Tentou por duas vezes impor a sua vontade,

na segunda, quase, quase conseguiu,

mas mais uma vez, na hora da verdade,

o seu eterno Amor novamente fugiu...

O pobre Cupido isso não esperava,

foi totalmente apanhado de surpresa,

deixou de ter o retorno desejado

e não estava preparado para jogar à defesa.

Pobre Cupido que andou à deriva,

sem saber que opção tomar,

isolou-se da sua habitual comitiva,

e sozinho deixou-se ficar.

Mas um dia decidiu avançar,

decidiu criar forças e partir,

mal sabia o Pobre Cupido,

o que estava para vir...

Com toda a confiança,

seguiu sem sequer olhar para trás,

deixou de ter esperança,

mas foi apanhado... e zás.

A sua seta transformou-se numa arma muito fria,

que se instalou sem ele dar por nada.

A sua eterna paixão, afinal tinha sido muito fugidia

e o Pobre Cupido já nada esperava...

(Mafalda)

31-08-2013 20:24

Porquê amar uma só pessoa,

se há tanta coisa no mundo que se pode amar.

Porquê tentar ouvir o que não ressoa,

se há tanta coisa no mundo para se escutar.

O simples chilrear dos passarinhos,

o leve restolhar do silêncio,

os murmúrios das folhas que se ouvem em todos os caminhos,

o forte bater das ondas bem no fundo do precipício.

Porquê dedicar uma vida a alguém,

se há tanta coisa no mundo que merece a nossa atenção.

O prazer de descobrir pequenas coisas que nos apaziguem,

o prazer de viver, mas usufruindo de tudo quanto é sensação.

A sensação de aproveitar a cor, o cheiro, o tato,

deixar de ter receio do que é abstrato.

Viver o sublime sentimento de descansar a vista bem longe,

bem para lá dos confins do horizonte.

Aproveitar a vida com todo o seu esplendor,

permitir que pequenas coisas se tornem enormes.

Porquê dedicar a uma só pessoa o nosso amor,

se essa pessoa faz a sua vida sem deixar que a transformes...

(Mafalda) 

31-08-2013 17:20

31-08-2013 17:01

Tenho um problema de surdez seletiva,

em que só oiço o que me convém,

tantos conselhos ouvi ao longo da minha vida,

e sempre me esqueci que quem mos dá só me quer bem...

Mas finalmente ouvi,

interiorizei e segui,

se os tivesse escutado devidamente,

nunca teria passado por uma situação tão deprimente...

Faz parte do meu crescimento,

como mulher, como pessoa,

de nada adianta soltar um lamento

se ele bate na parede e não ressoa.

Chegou a minha hora,

tenho de alterar a minha forma de estar,

quase seis meses de demora,

está na altura de EU acordar.

(Mafalda)

31-08-2013 16:55

Se a vida são dois dias

e o Carnaval são três,

tudo faz sentido,

mas só tu é que não vês...

Mascaramo-nos do que gostaríamos de ser,

fingimos durante três dias,

depois temos de voltar a viver

fora de todas essas alegorias.

Regressar ao mundo real,

há quem consiga e quem não...

A vida é um Carnaval,

e a ninguém pede opinião.

(Mafalda)

31-08-2013 16:41

31-08-2013 16:34

Avisei que o faria, 

aqui estou dedicada aos meus leitores,

com este calor nada mais me apeteceria

do que usufruir de frescos sabores.

Querer ir mas querer ficar,

a vontade que se contradiz,

mas hoje não estou para amar

apesar de começar a estar feliz.

Se o coração está fechado,

menos mal, consegui superar...

Se não conseguisse teria ficado

o resto da minha vida a marinar.

Como explicar a quem lê,

que fechar não é esquecer?

É apenas esperar que o tempo nos dê

uma nova oportunidade de viver.

Não, não procuro nenhum homem,

quero-os bem longe da minha vista,

mas amores que nos consomem???

Tenho de ser realista!

Não é perder a esperança,

não é desistir dos sonhos,

é arranjar perseverança,

é simplesmente abrir os olhos.

(Mafalda)

31-08-2013 15:18

Passam-se anos, passam-se meses,

a vida dá imensas voltas...

Sofrem-se alguns reveses,

as emoções ficam soltas.

Passam-se semanas, passam-se dias,

muita coisa acontece entretanto,

esquecemo-nos do que se dizia,

avançamos rumo a um novo antro.

Passam-se horas, passam-se minutos,

em todos temos oportunidade de mudar,

a coragem não habita em muitos,

tudo por medo de magoar.

Mas os segundos são o fim,

de nada adianta inventar.

Se tu não voltas para mim,

de que me adianta esperar?

(Mafalda)

31-08-2013 14:05

Em tempos idos conheci uma nova sensação,

gostei imenso do que senti,

se estive num turbilhão

foi só por ter vivido o que já vivi.

Senti-me subir ao céu,

voar, planar,

atingi um horizonte sem qualquer breu

onde gostava muito de estar.

Mergulhava fundo nos oceanos,

nem para respirar vinha à tona,

nadar para sempre fazia parte dos meus planos,

nunca pensei em engasgar-me com uma azeitona...

Deixei de respirar,

deixei de nadar,

senti-me a sufocar

e sem ter onde me agarrar.

Se hoje já não me incomoda escrever sobre isso,

é apenas porque aceitei a realidade,

neste momento não há qualquer compromisso

que me faça afastar da verdade.

Perdi o pé e quase me afoguei,

salvou-me quem me deu a mão.

Tropecei e muito me magoei,

de nada adianta proteger o meu coração.

Ele insiste em seguir um caminho

que nem sempre é a direito,

mas desde que o corpo fique aqui bem quietinho

pode ser que o mantenha escorreito.

Estou bem, posso dizê-lo,

talvez por isso escreva menos,

para escrever tenho de estar a sofrer

e neste momento isso não está a acontecer.

Não quer dizer que não ame,

não quer dizer que não sinta muitas saudades,

só que como não há quem me chame

não posso viver rodeada de infelicidades.

Bloqueei esses sentimentos,

estou novamente como estive muitos anos,

depois de ter tido tantos bons momentos,

apenas desejo que continuemos humanos.

(Mafalda)

31-08-2013 10:09

Tirar o dia para não fazer nada,

é sempre uma excelente solução,

hoje, por vós, vou estar aqui sentada

e escrever até à exaustão.

Precisava mesmo de o fazer,

sinto-me incompleta quando não escrevo,

é uma excelente forma de não sofrer,

mas se continuo, aos meus leitores o devo.

Quando comecei este relato,

tive esperança que ele me descobrisse,

escrevi sempre com um sentido lato

em que o impulso era a expetativa.

Agora apenas escrevo por mim,

para desanuviar a minha cabeça,

de que adiantava não ser assim?

Assim pode ser que esqueça...

(Mafalda)

30-08-2013 23:43

Os meus dias precisam de mais horas,

de mais descanso e de mais ilusão,

às vezes penso que choras

por teres perdido a tua paixão...

Assim é bom, não dá tempo para nada,

ocupações diferentes e constantes,

só tenho pena de ter que ficar calada

e não poder escrever os meus poemas itinerantes.

Festa de aniversário por duas vezes,

noventa anos são uma vida,

só espero que ainda rezes

para que isto não seja uma partida.

É tarde, mais uma vez,

pareço o coelho da Alice...

mas hoje tudo se fez,

e estar aqui mais tempo seria uma tolice.

Cansaço em demasia,

dia pequeno para tanta obrigação.

Dor onde antes nada existia,

está na minha hora de entrar na ilusão...

(Mafalda)

29-08-2013 22:40

Falo demais,

uso este blogue como desabafo,

aqui escrevo os meus pensamentos reais

e liberto todo o meu enfado.

Não me conhecem, não sabem quem sou,

sou tudo o que queiram imaginar,

posso ser o que sou,

não posso ser quem me faça calar.

Digo o que me vem à cabeça,

sem pudores ou receios,

de algumas coisas talvez me esqueça,

mas não entro em devaneios.

Falo de mim no dia-a-dia,

falo dos amigos e da família chegada,

este blogue apenas refletia

a minha afeição desenganada.

Posso ser demasiado faladora,

posso escrever coisas de que não gostem,

por favor... não sou conspiradora

e não gosto de escrever coisas que magoem.

Peço desculpa aos meus leitores,

se de alguma forma se sentem atingidos,

não acreditem em meros rumores,

não são atos dirigidos.

Sou frontal e às vezes áspera,

não consigo ser sempre um pote de mel,

mas não serei nunca uma espora

apontada a quem me é fiel.

Devia tentar moderar a escrita,

ser menos transparente e menos sincera.

Mas então para que me serviria a dita,

a não ser para ser o que não era?

(Mafalda)

29-08-2013 22:31

Depois de ter escrito estes dois poemas,

mais sons se atravessam no meu pensamento,

eu sei que vivo rodeada de dilemas,

mas não posso perder o meu acreditar, nem por um momento.

Deixo-te aqui o que sempre te prometi,

o que tu gostas e que te faz vibrar,

eu não gosto de estar aqui sem ti,

mas já estou mentalizada para aceitar.

Aceitar mas não para sempre, não penses,

sei que um dia vais voltar a estar aqui.

Até esse dia voltar,

vou ter de me manter assim...

(Mafalda)

29-08-2013 22:23

Hoje é o dia dos sons,

não sei o que me deu...

passo do trim trim ao trrrrim

e atinjo o apogeu.

Se queria o telefone a tocar,

muito mais queria uma surpresa,

que bom seria nada esperar

e chegar aqui, e ver-te à mesa.

Sonho muitas vezes com esse dia,

com o que diria, com o que faria...

Chego à conclusão que não sei,

porque atingiria o que sempre sonhei.

A minha surpresa seria grande,

mas não tanto assim,

acredito que ainda aí ande

um restinho de saudades de mim...

(Mafalda)

29-08-2013 22:09

Quando Graham Bell inventou um certo aparelho,

pensava ele que ia ajudar o comum mortal.

Que pena eu tenho em ter perdido a centelha

de ouvir a tua voz... afinal.

Se antes tocava exaustivamente,

agora instalou-se um silêncio ensurdecedor,

depois de tantas conversas frementes,

o aparelho queimou com tanto calor.

Se alguém o souber arranjar,

por favor diga-me a solução,

eu tenho sempre de salvaguardar

o meu direito à negação.

Foi a invenção que se estragou,

caducou por ser antiga,

no entanto aqui ficou

intacta... nunca partida.

(Mafalda)

29-08-2013 21:58

É tarde...

Tenho a cabeça a girar,

informação atrás de informação,

sinto um calor que arde,

não consigo parar,

não saio deste turbilhão.

Com isto tudo a circular,

continuas bem enraízado em mim

mas já nem tempo tenho para pensar,

nos últimos dias tem sido assim...

Mas as músicas tocam constantemente,

os outdoors são permanentes,

as estradas estão sempre presentes

e no carro recordo intensamente...

No meio do descalabro,

algumas coisas que puxem por mim,

já que o teu sentimento é vago

e que nada restou, enfim.

Gostava de não ter de atravessar isto sozinha,

adorava ter-te em casa a meu lado,

seria bem mais fácil traçar o caminho

caminhando lado a lado.

Onde andas?

(Mafalda)

28-08-2013 23:00

Estou demasiado cansada,

para estar aqui a escrever,

vou ter uma noite abençoada,

em que nem por um segundo te vou esquecer.

Boa noite!

(Mafalda)

28-08-2013 22:58
"Ter um sonho, um sonho lindo,
Noite branda de luar,
Que se sonhasse a sorrir…
Que se sonhasse a chorar…
 
Ter um sonho, que nos fosse
A vida, a luz, o alento,
Que a sonhar beijasse doce
A nossa boca… um lamento…
 
Ser pra nós o guia, o norte,
Na vida o único trilho;
E depois ver vir a morte.
 
Despedaçar esses laços!…
…É pior que ter um filho
Que nos morresse nos braços."
 
(Florbela Espanca)
 
28-08-2013 22:56
"Ao longe, ao luar, 
No rio uma vela, 
Serena a passar, 
Que é que me revela ? 
 
Não sei, mas meu ser 
Tornou-se-me estranho, 
E eu sonho sem ver 
Os sonhos que tenho. 
 
Que angústia me enlaça ? 
Que amor não se explica ? 
É a vela que passa 
Na noite que fica."
 
(Fernando Pessoa)
 
28-08-2013 22:54
"O luar,
é a luz do Sol que está sonhando.
O tempo não pára!
A saudade é que faz as coisas pararem no tempo...
...os verdadeiros versos não são para embalar, 
mas para abalar...
A grande tristeza dos rios é não poderem levar a tua imagem..."
 
(Mario Quintana)
 
28-08-2013 22:52
"Longe de ti são ermos os caminhos
Longe de ti não há luar nem rosas
Longe de ti há noites silenciosas
Há dias sem calor, beirais sem ninhos.
 
Meus olhos são dois velhos pobrezinhos
Perdidos pelas noites invernosas
Abertos sonham mãos cariciosas
Tuas mãos doces, plenas de carinho.
 
Os dias são outonos: choram, choram
Há crisântemos roxos que descoram
Há murmúrios dolentes de segredo
Invoco o nosso sonho, entendo os braços
e é ele oh meu amor, pelos espaços
fumo leve que foge entre os meus dedos."
 
(Florbela Espanca)
 
28-08-2013 22:18

Cada vez que como massa,

uma imagem aparece no meu interior,

tenho pena que ela passe

e que não possa usufruir do seu esplendor.

Esparguete é um prato de que gosto,

comê-lo acompanhada sabe bem melhor,

continuo a ser uma pessoa de bom gosto,

continuo à espera do teu amor...

(Mafalda)

28-08-2013 21:14

Longa ausência a minha,

sinal que estou muito ocupada,

mas não deixo de escrever estas linhas

antes de dar a lide por encerrada.

Se há coisas que correm bem,

há outras que correm melhor,

quem amigos assim tem,

não tem tempo para pensar em dor.

Ajudas que surgem quando não se esperam,

oportunidades que se abrem perante nós,

obstáculos que constantemente se superam,

e em frente seguimos todos nós.

(Mafalda)

27-08-2013 22:46

27-08-2013 22:44
"Sorriso audível das folhas 
Não és mais que a brisa ali 
Se eu te olho e tu me olhas, 
Quem primeiro é que sorri? 
 
O primeiro a sorrir ri. 
Ri e olha de repente 
Para fins de não olhar 
Para onde nas folhas sente 
 
O som do vento a passar 
Tudo é vento e disfarçar. 
 
Mas o olhar, de estar olhando 
Onde não olha, voltou 
E estamos os dois falando 
O que se não conversou