Blogue 3

15-05-2015 21:03
Comecei este blogue dia 11 de abril de 2013 porque precisava de um escape onde libertasse tudo o que me passava pela cabeça, pelo coração.
 
Dois anos passados, encontro-me exatamente na mesma situação. Mas desta vez não vou permitir que uma pessoa recém chegada na minha vida faça tantos estragos. 
 
Apaixonei-me. Não esperava que acontecesse. E desde que esta relação de curta duração acabou, percebi o quanto ele era importante para mim. Não era uma atração, não era um devaneio e também não era um caso meramente sexual.
 
Estive dois anos a “curar-me” de um amor que me atacou durante duas décadas. Que me deixou no chão, sem qualquer vontade de me levantar. Que me fez bater no fundo.
 
Em meados do ano passado cruzei-me com uma pessoa que me “libertou”, que me fez voltar a acreditar em mim e no meu valor como pessoa, como mulher. Estou-lhe grata até à eternidade, mas o que houve entre nós nunca passou disso mesmo: da minha libertação. Posso dizer que adoro essa pessoa, que nunca a vou esquecer e que terá sempre um lugar no meu coração. Mas nunca o amei, não era suposto isso acontecer. Não estava escrito que fosse para acontecer.
 
Mas ao libertar-me fiquei disponível para acreditar. E quando acreditei, envolvi-me sem esperar e gostei do que estava a sentir. A sensação de ter uma cumplicidade total, uma empatia brutal, uma química como existem poucas, um desejo que me enlouquecia, e que tudo era correspondido. E desta vez sem entraves, sem escondimentos, sem justificações e sem mentiras.
 
Era algo real. Era algo muito bom, que me fazia querer mais e mais. Mas acabou. Não por minha opção, mas acabou.
 
Mas desta vez, apesar de estar mal, não me vou deixar ir nas asas da dor. Vou ter de reagir da única forma que sei: fechar-me, isolar-me, bloquear as minhas emoções e os meus sentimentos.
 
E para conseguir fazer isso, não posso continuar a escrever. Porque cada palavra que escrevo é um reviver de tudo, um relembrar de um amor que foi morto à nascença, contra a minha vontade.
 
Não o posso fazer. Não o devo fazer. Não o quero fazer.
 
Perdoem-me. Eu sei que foram a minha companhia durante dois anos, mas neste momento tenho de pensar em mim. Apenas em mim.
 
A minha veia de poeta tem de ser guardada a sete chaves, pois para mim, a poesia é a melhor forma de libertar a dor. Poeta sofre. E eu não quero sofrer mais. 
 
Muito, muito obrigada pela vossa presença constante. Não vou fechar o blogue. Apenas vou deixar de escrever.
 
Desejo-vos tudo o que desejo para mim. E mais ainda, se assim o desejarem.
 
Até um dia...
 
Mafalda Ling
 
15-05-2015 19:50
Estou cansada...
Cansada de andar com um sorriso nos lábios, quando só me apetece chorar.
Estou tão cansada...
Cansada de estar sozinha tendo eu tanto para dar.
 
Tenho três dias com o meu cão,
A juntar a tantos outros,
Tornei a bater com os burros chão,
Apenas porque acredito que os sentimentos não são loucos.
 
Hoje atingi o meu limite,
Já não tenho força para mais,
Pouco adianta que grite,
Ninguém ouve os meus desgostos reais.
 
Estou cansada,
Estou sem forças para continuar,
Não é só hoje que me sinto angustiada,
Isto chegou e não me quer abandonar.
 
Choro...
Choro lágrimas de esquecimento.
Demoro ...
Preciso de ter de volta o meu alento.
 
Não sei onde anda,
Não sei porque se foi embora,
Viver assim cansa
E já não é só de agora.
 
Sem vontade,
Movo-mo porque tenho de o fazer,
Com o avançar da idade
Sempre pensei que ia aprender.
 
Aninho-me no meu sofá
E deixo toda a dor sair,
Eu sempre continuo cá
Mas todos acabam por partir.
 
(Mafalda)
 
14-05-2015 21:33
Dizem-me que a Mafalda anda em contradições,
Que tem de ser mais calma em relação à vida,
Se ela soubesse gerir as situações
Não passava o tempo a sentir-se perdida.
 
Perde-se quando se apaixona,
Quando ama e se entrega,
Mas das emoções ela não é dona
E nem escolhe a quem se apega.
 
Quando não consegue controlar,
Quando não está ao seu alcance a decisão,
Sente-se sempre a marinar
E isso dá-lhe cabo do coração.
 
Gosta de decidir a sua vida,
(Mas nas emoções isso nunca acontece)
E como há sempre a eterna despedida,
A Mafalda, às vezes, enlouquece.
 
É um querer que tem de ser calado,
Um desejar que não pode transparecer,
Contradiz agora o que disse há um bocado,
Por isso escreve, para tentar entender...
 
(Mafalda)
 
14-05-2015 20:32
Quando a audição fica apurada,
E nos transmite um som deveras desejado,
Não consigo ficar mais tempo calada,
Pois partiu dos meus olhos aquele olhar tão amargurado.
 
Olho-me ao espelho e vejo uma réstia de alegria
Onde antes existia o negro do vazio,
A neura do dia tornou-se fugidia
E agora... apenas... sorrio.
 
Quando o som nos envolve,
Quando sentimos o seu calor,
Pensamos porque não se resolve
Tudo aquilo que nos causa dor.
 
Demasiado tempo na ignorância
Em nada pode ajudar,
Amanhã poderá ser um dia de abundância
Pois talvez descanse o meu olhar...
 
(Mafalda)
 
13-05-2015 20:59
Ser-se coerente faz todo o sentido,
Apesar de nem sempre a verdade ser eterna,
Mas se por causa da coerência se dá o tempo como perdido
É melhor afogar a coerência bem fundo numa taberna.
 
Hoje li uma frase que me ficou a martelar:
“só os burros não mudam de opinião”.
Talvez fosse isso mesmo que queria escutar,
Pois logo acelerou o meu coração.
 
Confesso que tenho saudades,
Que os momentos não me desaparecem da retina,
Não foi mais um caso de leviandades,
foi um grande combate de esgrima.
 
Querer mas não assumir,
Desejar mas não avançar,
Adorava quando me fazia rir
E amava tudo o que se sentia no ar.
 
É extremamente inteligente,
Espero que mude rápido de opinião,
Não é que eu não tente,
Mas cabe-lhe a ele a decisão...
 
(Mafalda)
 
12-05-2015 22:12
Consegui deixar de sentir,
Tornei-me uma completa ausente,
De nada adianta andar a carpir
Quando a outra pessoa não quer estar presente.
 
Consegui deixar de ter emoção,
Voltei a fechar-me para a vida,
Morreu de vez o meu coração,
Já não vai ter de suportar mais nenhuma despedida.
 
Consegui viver em modo autónomo,
Sem dar importância a coisas imaginárias,
Nem me vou dar ao trabalho de consultar nenhum astrólogo,
Vou viver apenas as minhas rotinas diárias.
 
Consegui ir espreitar e não reagir,
Daqui a uns dias nem isso vou mais fazer,
Se na vida nos queremos divertir,
“Amar” é tudo o que temos de esquecer...
 
(Mafalda)
 
11-05-2015 22:49
Ao abrir um coração
Tem de haver sempre muito cuidado,
Se ao início há muita sofreguidão,
Passados uns dias tudo está acabado.
 
Tem de se avançar com cautela,
Como se sobre brasas se andasse,
Um coração não é uma bagatela,
Mas muitos tratam-no como se nunca se quebrasse.
 
Entregar-se de olhos fechados,
Deixar a vida rolar,
Depois apanham-se os bocados
Porque alguém não o quis conservar.
 
Amar quem não quer ser amado,
Embora “Amar” seja apenas mais uma palavra,
Fica o coração todo equivocado
Quando apenas de um dos lados acaba.
 
Querer dar a quem não quer receber,
É a constante de uma vida rotineira,
Escrever para quem não vai ler,
Serve apenas para soltar a palavra que está prisioneira.
 
Amar de braços abertos,
Sem receios nem hesitações,
Mas de braços fechados estão sempre os mais espertos,
Aqueles que não querem manter as situações...
 
(Mafalda)
 
07-05-2015 20:36

Apaixonei-me pelo Horácio,
Que em Pinóquio acabou por se transformar,
Não quis sair do prefácio,
Porque teve receio de se apaixonar.

 

Ficar rico ou ficar pobre,
De nada lhe vai adiantar,
Porque quando se foge de algo nobre,
Passa-se o resto da vida a mendigar.

 

Mendiga quem o queira amar,
Sem segundas intenções escondidas,
Mendiga porque vai desejar
Não ter feito aquelas despedidas.

 

Gosto de me convencer do que acabei de dizer,
Torna-se tudo mais fácil de suportar,
Sei que gostava de o ver,
Sei que gostava de o voltar a abraçar...

 

(Mafalda)

 

07-05-2015 20:36

É um dia como outro qualquer,
Mas algo não está no devido lugar,
Quando se sabe o que se quer,
Passa-se o tempo a questionar.

 

Dar o coração a quem não o quer,
Dar o coração a quem não pode retribuir,
Vive aqui um coração de mulher
Que apenas anseia voltar a sorrir.

 

Mas agora está tão encarcerado,
Fechado, sem hipótese de escapar,
Nos últimos meses foi bastante abandonado
E não tem forma de voltar a despertar.

 

Foi a frieza que se instalou,
Aquela que alguém pensou ser real,
Foi a tristeza que matou
A ternura que lhe era tão vital.

 

Modo automático sem emoções,
Mas às vezes vem a dureza em demasia,
Sem paciência para muitas situações
Em relação às quais antes apenas se ria.

 

Foi a tristeza que se instalou,
Aquela que alguém percebeu não ser real,
Alguém que aqui não ficou,
Que fugiu de uma ternura viral...

 

(Mafalda)

 

07-05-2015 20:35

Pensava eu descansar,
Nada fazer e repousar,
Mas dei por mim a recordar
Tudo aquilo que ainda paira no ar.

 

Pensará em mim?
Sentirá curiosidade sobre o que faço?
Foi rápido o afastamento porque quis assim,
E eu cometo sempre o mesmo erro crasso...

 

Penso que deixo saudades,
Que vai sentir a minha falta,
Tudo não passa de meras leviandades
Eu é que crio castelos no topo de uma montanha alta!

 

Continuo a perguntar:
Porque não são as pessoas sinceras?
Tudo fazem até nos conquistar
Mas tudo não passa de meras quimeras.

 

Conseguem a nossa atenção,
Perdem as vontades avassaladoras,
Nem um convite para um serão,
Nem mais palavras encantadoras.

 

Tenho vontade de procurar,
Provavelmente nem me iria atender...
Ou de convidar para jantar,
Embora fosse dizer não ter tempo para comer.

 

Palavras, atos e situações,
Não, não estou a rezar um “Credo”,
Quando deixar de viver em ilusões,
A minha vida perde finalmente todo o enredo.

 

Procuro?
Será que encontro?
Estou num lugar obscuro
Em que preciso constantemente de um ponto.

 

Cabeça versus coração,
Falam, falam, e não se entendem,
Sempre a eterna confusão
Apenas porque todos os homens mentem.

 

Mentem nas suas intenções,
Mentem nas suas palavras,
São peritos em arrasar corações
Porque dão sempre com as mulheres parvas...

 

(Mafalda)

 

03-05-2015 11:09
Que mania ser-se carente
De um mimo, de um abraço,
Isso só se passa com gente
E isso é sempre o que eu faço.
 
Necessidade de contato humano,
Vontade de ter quem me oiça,
Mas tudo acaba sempre em dano
Quando alguém se lembra de partir a loiça.
 
Que mania de mostrar o que nos vai na alma,
De dar trunfos a quem não os pede,
Tenho de viver a vida com mais calma,
Mas o raio do coração sempre o impede.
 
Agarra-se a coisas difíceis,
Pensando que é importante para elas,
Sentimentos são usualmente perecíveis
Mas deixam sempre demasiadas sequelas.
 
Há telefones que estão mudos,
Chat’s que não têm retorno,
E depois voltam os dias sisudos
E o olhar volta a ficar tristonho.
 
Que mania de ser “boa”,
De tentar exaustivamente entender o outro lado,
Para evitar que doa
Nada melhor do que se ficar afastado.
 
Por muito que isso me custe,
Por muito que deseje o contrário,
Não há homem nenhum que não se assuste
Com o meu carinho diário.
 
Não vale a pena!
Não sigam isto como lei,
Mas a vida é demasiado pequena
E ao fim de meio século ainda só sei que nada sei.
 
Passo dias sem falar,
Com um cão como companhia,
Mato-me a trabalhar
Para não pensar em demasia.
 
É esta a minha realidade,
De nada adianta fugir ou negar,
A esperança é que dada a minha idade
Pouco mais devo ter de suportar.
 
Às vezes apetecia-me que fosse rápida,
Essa travessia para a paz prometida,
Tenho uma vida demasiado árida,
Onde poucos se importariam com uma despedida.
 
Faço falta a quem me rodeia,
A quem é do meu sangue por herança ou opção,
De resto não sou das que incendeia
Quem eu desejo de coração.
 
Seria um descanso para o homem,
Saber que eu deixei de existir,
As minhas palavras consomem
O oxigénio em que ele gosta de se divertir...
 
(Mafalda)
 
03-05-2015 10:52
Para quê mostrar o que sou,
Se nada adianta para a minha felicidade,
A partir de hoje apenas vou
Mostrar a minha grande inacessibilidade.
 
Se não me “tocarem” ando bem,
Vivo de acordo com o que tenho,
Fechei de vez a porta a alguém,
Escusam de testar mais o vosso engenho.
 
Fria!
Como nunca devia ter deixado de ser,
Assim não sinto mais a agonia
De querer e não poder ter.
 
Acabaram-se os monólogos intermináveis,
Acabou qualquer contato com o exterior,
Amizades e trabalho são palpáveis
E nada mais quero em meu redor.
 
Não vale a pena investir,
Quando o retorno é sempre igual.
Sim, talvez esteja a desistir
Porque de nada adianta, afinal...
 
(Mafalda)
 
02-05-2015 22:42
Três noites seguidas
Em jantares com grupos de amigos,
Mas sinto-me no rol das esquecidas
E só em casa me sinto a salvo dos perigos.
 
Não me apetece socializar,
Apetece-me encerrar para o mundo,
Só gostava de não ver o tempo a passar
E perceber o que perco em cada segundo...
 
(Mafalda)
 
02-05-2015 17:15
Às vezes pergunto a mim própria
O porquê de estar assim,
A resposta é inglória
Mas eu continuo a acreditar em mim.
 
Sem querer encontrei,
(E não levem a mal o que vou dizer)
Alguém com quem me identifiquei
E que de forma alguma quero perder.
 
Hoje em dia é difícil
Encontrar quem consideremos no nosso patamar,
Desde o princípio que me pareceu muito apetecível,
Embora tivesse dificuldade em acreditar.
 
Inteligente, giro e livre,
Bom conversador e bem disposto,
Culto, como eu nunca tive
E até no clube desportivo temos o mesmo gosto.
 
Bom demais para ser verdade,
Deixei-me avançar com precaução,
Também ele sofreu ao longo da idade
Com os problemas de coração.
 
Disse que despertei o seu lado meigo,
Que abri a porta para ele se libertar,
Saboreei o seu melhor beijo
E a loucura de o poder amar.
 
Às vezes pergunto a mim própria
O porquê de estar assim,
A resposta é inglória
Mas continuo a acreditar que isto não vai acabar assim...
 
(Mafalda)
 
02-05-2015 17:13
Estou cansada de estar cansada,
Cansada de ter tudo e de nada ter,
Se há dias em que me sinto mais inspirada
São só aqueles em que me permito sofrer.
 
Hoje disseram-me que sirvo de inspiração,
Que ajudo muita gente com o que escrevo,
Mas se nem eu aprendo a lição,
Como ajudo alguém com este enredo?
 
Tenho uma taxa total de insucesso,
Mas apenas a nível sentimental,
Em tudo o resto rumo sempre ao progresso
Porque sempre me empenho da forma habitual.
 
A solução deve ser diferente,
Pois de nada adianta ter empenho sentimental,
Para mim a vida não é deferente
Pois nunca me dá o meu ideal...
 
(Mafalda)
 
02-05-2015 17:11
Dois copos de vinho...
E dou por mim a falar,
A procurar e a não calar
Tudo o que me apetece ainda dizer...
 
O silêncio abate-se sobre mim,
Apenas sei que a mensagem é transmitida,
Porque tem de ser sempre assim,
Porque continuo a andar perdida?
 
Lua cheia pode influenciar,
Mas sem lua sinto exatamente a mesma coisa,
Sei que me apetece estar
Sei que me apetece que me oiça.
 
Faço bem, faço mal?
Não sei responder a tal questão,
Sei que se não aceitar este final
Dou uma réstia de esperança ao meu coração.
 
Sinto falta daqueles abraços,
Onde me sentia protegida do mundo,
Foi pouco tempo mas criei laços
E não me apetece largá-los num segundo.
 
Sou coerente no que digo,
Gosto e luto pelo que quero,
Mantê-lo apenas como amigo
É duro e severo.
 
Quero aqueles beijos que me enlouquecem,
Que me dão vontade de o amar,
São pequenas coisas que não se esquecem,
Daí eu o continuar a procurar...
 
(Mafalda)
 
02-05-2015 17:10
Devia morder os dedos
Sempre que não consigo evitar mandar mensagens,
Mas tenho momentos mais negros
Em que ainda acredito em miragens.
 
Não devia ser tão sincera,
Devia saber calar,
Mas de que me adianta ser severa
Se tenho tanta vontade de te amar?
 
(Mafalda)
 
29-04-2015 22:22
Tenho tudo o que faz falta para me sentir feliz...
Porque não sinto?
Continuo eterna aprendiz
Num mundo demasiado faminto.
 
Sou uma mulher empenhada
Que luta pelo seu projeto,
Meia volta sou chamada
A receber prémios de intelecto.
 
Sou uma pessoa independente
Que não precisa de mendigar,
Mas tenho em mim um ser carente
Que nunca se sabe calar.
 
Devia estar realizada,
Devia ser feliz,
Mas debaixo desta fachada
Sinto-me completamente infeliz.
 
Tenho o respeito dos parceiros,
A amizade de quem eu gosto,
Mas os dias nunca são pioneiros
No que toca a sofrer um desgosto.
 
É um Karma que me persegue,
Querer quem não me quer mais,
Não haverá "o senhor que se segue",
Acabaram aqui os meus carnavais.
 
Foi muito difícil libertar,
Mas acabei por deixar o gelo partir,
Agora voltei a hibernar
Mas nunca mais vou voltar a cair.
 
Batam-me se me ouvirem fantasiar,
Insultem-me se eu começar a delirar,
Não me voltem a deixar apaixonar,
Acabou! Fim! Nada mais tenho para dar...
 
(Mafalda)
 
29-04-2015 22:06
Apetece-me odiar os homens todos
Pelo que eles me obrigam a ser,
Fazem-me chorar lágrimas a rodo
E obrigam-me sempre a desaparecer.
 
Apetece-me ter raiva,
Chamar-lhes nomes e dizer palavrões,
Haverá alguma mulher que saiba
Como chegar aos seus corações?
 
Apetece-me provocá-los,
Deixá-los em vassalagem eterna,
Depois deixá-los
A afogar as mágoas numa taberna.
 
Apetece-me ser severa,
Desprezar as suas presenças,
Impôr-lhes uma vida austera
Sem direito a recorrer das sentenças.
 
Apetece-me ignorá-los,
Odiar cada um que apareça à minha frente,
Deixá-los cair nos ralos,
Fazer com que nem sequer se sintam gente...
 
(Mafalda)
 
28-04-2015 21:48
Bom dia de manhã!
 
Tenho de escrever, tenho de libertar...
 
Disse-te que não sou mulher de andar atrás de um homem... Menti-te. Em condições normais seria isso que eu faria. Mas tu não és uma condição normal.
 
Não uso palavras de “Adoro-te” ou “Amo-te”, porque as ouvi inúmeras vezes e no final revelaram-se vazias, falsas. Com o tempo talvez tas dissesse. Quando acreditasse que não ias fugir a meio com medo de uma relação sincera.
 
Acontece que, podes não ter percebido, mas apaixonei-me por ti. E agora não faço outra coisa senão pensar em ti, em nós, no que tivemos, no que impediste que tivéssemos. 
 
Não entendo o teu receio. Temos bagagem pesada connosco, sim. Temos vidas complicadas que nos atrapalham os encontros. Mas temos uma relação sincera em que gostamos um do outro e queremos estar um com o outro.
 
O futuro? Não sabemos. Agora sair da estrada a meio por causa de um possível acidente, não faz sentido para mim. O que aconteceu ao “prefiro arriscar do que não tentar”?
 
Não te procurei, não me procuraste. Aconteceu. E foi bom demais para acabar por esses motivos. Não entendo, a sério. Eu sei que não sobes escadas que já desceste, mas eu também não ando atrás de homens. E neste caso... ando. Porque és demasiadamente importante para mim para eu simplesmente te deixar ir embora.
 
Não devias precisar que eu tirasse os óculos para veres se sou sincera ou não, para veres se gosto de ti ou não. Se não gostasse, não tinha estado contigo, não te procurava, não tinha feito amor contigo.
 
Não sei se continuas a ler a Mafalda, se tens curiosidade em ver as minhas publicações no facebook. Lá está tudo o que eu sinto por ti. Poucos entenderão, mas tu és inteligente e percebes a que me refiro em cada coisa que publico.
 
Não nos faças isto. A vida são dois dias e a nossa já vai longa. Não somos meninos de escola. Pode nunca mais acontecer o que nos aconteceu a nós: encontrar, sem procurar, uma pessoa à nossa altura que nos satisfaz em tudo. Não desistas, querido. Eu ajudo no que for preciso para conseguires viver em paz quando não for possível manter o que se combina. 
 
Eu não cobro. Talvez seja diferente das mulheres que tens encontrado. Sou diferente. Eu sei que sou. E tu? Sabes?
 
Gosto de ti, estou apaixonada por ti e não te quero perder!
 
Beijos. Tantos...
 
(Mafalda, 28/4/2015)
 
28-04-2015 21:10
A vida ensina.
Eu sou burra...
Cinquenta anos a apender
E ainda não sei evitar sofrer.
 
A vida dá-nos o que somos capazes de suportar.
Eu sou de ferro...
Tombo atrás de tombo
E ainda não me decidi suicidar.
 
A vida é madrasta.
Eu sou enteada...
Estou cansada em demasia
Vem razia atrás de razia.
 
(Mafalda)
 
28-04-2015 21:08
Quando uma mulher se retrata
E abre a alguém o coração,
Recebe silêncio que a maltrata,
Sem qualquer hipótese de conversação.
 
Quando uma mulher se apaixona
E já nada tem a perder,
Liberta-se de uma enorme redoma
E depois volta a não entender.
 
Quando uma mulher quer
Mas continua a dançar sozinha,
De nada lhe adianta sequer
Supor que uma presença se avizinha...
 
(Mafalda)
 
28-04-2015 21:05
Passamos a vida a esperar...
E depois encontramos sem querer,
Mas há sempre algo que nos faz agoniar
E chegamos a um ponto em que já não sabemos o que querer.
 
Erro meu, ou não,
Querer sempre o que não é possível,
Confesso-me cansada desta situação
De gostar sempre de algo difícil.
 
Talvez tenha uma aptidão inata
De gostar de me meter em confusões,
Podia ter uma vida pacata
Se não vivesse em constantes turbilhões.
 
Acerta-se quase na lotaria,
Mas há um número que sempre nos escapa,
Já não sei mais o que faria
Mas sei que aos poucos isto mata.
 
Mata sentimentos,
Mata ambições,
Restam os momentos
Em que outrora fomos campeões...
 
(Mafalda)
 
25-04-2015 19:45
Hoje é o dia da liberdade,
Aquela palavra que ninguém sabe definir,
Tira-se o cinto de castidade
Mas continua-se a não existir.
 
A liberdade a que nos habituamos,
Aquela por que tanto ambicionávamos,
Liberdade que traz enganos
Não era bem isso com que sonhávamos.
 
Ser livre, querer voar,
Ter asas que não funcionam,
A liberdade é uma palavra espetacular
Mas são outras coisas que sempre se equacionam.
 
Deixar de ser livre,
Voltar a ter uma amarra,
E assim se vive
Entre o começa e o acaba.
 
Liberdade que tanto ambicionei,
Mas da qual às vezes ainda me disponho a abdicar,
Se num ou noutro momento me baralhei
Foi apenas por estar cansada de não voar...
 
(Mafalda)
 
25-04-2015 19:42
Dia de telha total,
Mau tempo, papeladas em dia,
O que quero eu, afinal?
Apenas algo por que sorria.
 
Dia de falar com o cão,
Apenas essa é a minha companhia,
Às vezes choro até à exaustão
Outras vezes durmo e espero pelo novo dia.
 
Hoje nada me apetece,
Tudo está feito e arrumado,
Só gostava de ter quem me desse
A oportunidade de passar um bom bocado.
 
É... A solidão cansa,
Principalmente quando se é “inteligente”,
Não gosto de entrar na dança
Mesmo quando a situação é emergente.
 
Talvez seja seletiva em demasia,
Mas tenho pavor de voltar a sofrer,
Quando avanço um pouco lá vem a razia,
Mais vale ficar quieta e sem nada para fazer.
 
As séries estão em dia,
Os jogos esgotaram as vidas...
Vai longe o tempo em que sempre me sentia
Como uma “princesa” nos seus melhores dias...
 
(Mafalda)
 
22-04-2015 21:55
Jogos de computador,
Séries gravadas e ainda por ver,
Tudo serve para fugir da dor
De te saber por perto e não te ter.
 
Que parvoíce a minha
Chorar por quem não me merece,
Afinal estar sozinha
É ter a certeza de que nunca se arrefece.
 
Não falhamos connosco,
Não criamos sonhos disparatados,
Continuo a falar convosco
E tento manter os meus dias muito atribulados.
 
Se parar por uns momentos,
Que venham os vícios que nos distraem,
Os amigos fornecem os alentos
São eles que daqui nunca saem.
 
Tenho de dormir,
De voltar a recuperar a minha paz,
Não estou a desistir,
Apenas percebi que ele não é capaz.
 
De nada vale esperar,
Porque escada que se desceu não se volta a subir,
Em vez de estar aqui a matutar
Só tenho mesmo é de voltar a sorrir...
 
(Mafalda)
 
22-04-2015 21:42
Passamos a vida a recordar o que foi bom,
Passamos o tempo a sonhar com o passado,
Continuo sem ouvir um único som,
Mentalizo-me agora que tudo está acabado.
 
Acabou o que mal tinha começado,
Sem qualquer justificação aparente,
Os muros não devia ter abandonado
Porque agora continuava isolada de gente.
 
Queremos acreditar em manhãs soalheiras,
Em fins de dia relaxantes e amenos,
Depois chegam as atitudes sorrateiras
E sem darmos conta, sofremos.
 
Algo de estranho se passa comigo,
Devo ter sido vítima de algum bruxedo,
Com isto tudo perdi o recente amigo
Aquele que foi o meu apoio num momento negro.
 
Coisas a mais em cima dos meus ombros,
O peso está a cansar-me em demasia,
quando os barcos sofrem rombos,
vem sempre à tona o cheiro da maresia...
 
(Mafalda)
 
20-04-2015 22:25
Quando as pessoas têm medo,
Quando não querem voltar a sofrer,
Porquê criar um enredo
Se depois deitam tudo a perder?
 
Quando as pessoas têm problemas de confiança,
Quando lhes custa acreditar nos outros,
Porquê criar esperança
E depois não aproveitar os louros?
 
Quando as pessoas transmitem um certo tipo de discurso
E depois a meio mudam as vontades,
Porque não deixam o rio seguir o seu curso
E se escamoteiam em ambiguidades?
 
Quando não sabemos o que queremos
E queremos sem sabermos,
Porquê optar pelo menos
Em vez de ampliarmos o que pretendemos?
 
(Mafalda)
 
20-04-2015 21:57
É triste nada saber de quem se gosta,
Parece que sumiu da face da terra,
Silêncio sempre foi uma situação de desgaste
E o silêncio vai pesando mais enquanto se espera.
 
Não faz sentido nenhum o que se está a passar,
Porque não acredito que tudo fosse invenção,
Não entendo a recusa em falar
Não aceito um fim por antecipação.
 
Procurar está fora de questão,
Não por orgulho mas por receio de ser "pesada",
Entretanto fico remetida à minha normal solidão,
Muito a estranho, já estava a ficar desabituada.
 
Não falo de um homem normal,
Falo de quem tem receios como eu,
Esta forma de proceder não é usual,
Não faço ideia do que é que lhe deu.
 
Será que não entende que às vezes se falha,
Que não se conseguem cumprir os compromissos?
Nem sempre conseguimos seguir por uma só calha,
Às vezes acontecem muitos imprevistos.
 
Mas quando há vontade,
Quando há desejo,
Quando abunda a cumplicidade,
Não entendo esta falta de ensejo.
 
Cansa-me o teu silêncio obstinado,
Desespero por não saber o que pensar,
Eu não quero dar isto como acabado,
Mas não sei mesmo para que lado me virar.
 
Hoje o dia foi vazio,
Falta-me o timbre de que tanto gosto,
Não te fazia fugidio,
Não esperava que me desses este desgosto.
 
Aceitava se percebesse o que mudou num dia,
Mas confesso-me ignorante na totalidade,
Devias ter entendido que eu te queria,
Que és para mim demasiado importante para cometeres esta leviandade.
 
Deixas-me na escuridão,
Depois de teres acendido milhares de velas,
Não me incomoda estar na solidão,
Incomoda-me sim ainda acreditar em novelas.
 
Procuraste-me e fizeste-me acreditar,
Mostraste o que de pior podias ser,
Foi essa a tua forma de averiguar
Se eu seria merecedora do teu prazer.
 
Superei todas as provas,
Consideravas-me uma pessoa inteligente,
Agora vejo o passar das horas
E cada vez mais me sinto menos gente...
 
(Mafalda)
 
20-04-2015 09:32
Chega de comiseração,
O meu tempo é demasiado precioso,
Devia saber de antemão
Que o futuro não ia ser auspicioso.
 
Chega de ter pena de mim,
De chorar lágrimas por causa de alguém,
Eu não sei viver assim
Com expetativas que ficam sempre aquém.
 
Acabou o tempo da doçura,
Da meiguice e do carinho,
Prefiro viver sem ternura
Do que andar sempre a perder-me pelo caminho.
 
Chega de acreditar,
De dar hipóteses a quem não as merece,
Eu tenho é de aproveitar
O tempo em que algo acontece.
 
Não vale a pena continuar a ser assim,
Mais vale fechar-me de vez,
Sinto que deixo de estar em mim
Cada vez que sofro mais um revés.
 
Esqueçam a sensível,
A que chora por sentimentos descabidos,
Deixei de ser apetecível
Aos olhos dos mais atrevidos.
 
Voltem os muros, mas definitivos,
Sem qualquer hipótese de derrocada,
Relações são momentos repetitivos
Em que só eu acabo sempre magoada.
 
Esqueçam a menina meiga
Que gosta e se preocupa,
Chega o tempo de ser leiga
Perante um mundo que comigo não se preocupa...
 
(Mafalda)
 
20-04-2015 09:22
Verdadeiramente amada,
Só por um pai e por um filho,
Não estou equivocada
Quando digo que a minha vida é um constante sarilho.
 
Pouco importa como se é,
Alta, baixa, gorda ou magra,
Amor é um ato de fé
Que nesses parentescos nunca acaba.
 
Não é por ser sangue,
Não é por ser carne,
Hoje sinto-me exangue
Com um ferida aberta que muito arde.
 
(Mafalda)
 
20-04-2015 09:15
Preciso que volte o gelo,
Aquele que nunca devia ter desaparecido,
A minha vida não é um segredo
E novamente o horizonte se encontra enegrecido.
 
Acabo por ser uma ingénua repetente,
Que acredita que tudo pode mudar,
Mas o passado é o presente
E de nada adianta divagar.
 
O erro só pode ser meu,
Ou então fui vítima de algum feitiço,
Desaparece quem apareceu
Tudo não passou de um leve esquisso.
 
Não faz diferença o estado civil,
Tudo acaba por ser igual,
O homem é um ser imbecil
E eu sou a parva habitual.
 
Porque quebrei o meu isolamento,
Porque me permiti acreditar?
Agora estou em fase de lamento
Mas já não devia estranhar.
 
Não entendo.
Palavra que não percebo.
Eu tento
Mas tudo parece placebo.
 
Repete-se a estória,
Repetem-se as incertezas,
Mais uma relação inglória
A somar a todas as outras tristezas.
 
Tenho de me mentalizar
Que relações não são para mim,
O que é isso de apaixonar,
Porque tem de ser sempre assim?
 
Há sempre obstáculos
Para quem não quer assumir,
Sinto-me envolta em tentáculos
Que me impedem de sorrir.
 
Não me posso permitir acreditar
Que um dia vou rir com vontade,
A vontade inicial depressa acaba por passar
E é apenas e só esta a minha realidade.
 
Confesso que desta vez não esperava,
Que me permiti construir castelos,
Apesar de pouco exigir, tudo acaba,
E volto-me a ver enredada em novelos.
 
Destesto o homem,
Porque ele não sabe o que quer,
As esperanças somem
E eu vou deixar de ser mulher.
 
Se for cínica e fria,
Se gozar e ironizar,
Nunca mais sofro a razia
De ver quem quero se afastar.
 
É a minha sina, o meu fado,
Nem de outra forma seria normal,
Cansa-me o enfado
De tudo ser sempre igual...
 
(Mafalda)
 
19-04-2015 21:35
Hoje tive um convite para jantar,
Um jantar ameno e informal,
Optei por lá ficar
E entrou em ação todo o lado sensual.
 
Procurei os teus lábios ávidos de mim,
As tuas mão quentes que me acariciaram,
O teu abraço forte é sempre assim
E todos os meus receios se dissiparam.
 
Senti-me louca,
Desvairada de prazer,
A minha voz foi ficando rouca
Só se ouvia o nosso próprio gemer.
 
Os meus dedos exploraram cada pedacinho de ti,
Os meus lábios a tua sofreguidão,
Um dos melhores momentos que vivi
Foi fazer amor contigo até à exaustão...
 
(Mafalda)
 
19-04-2015 21:20
Por acaso gostava de entender
O que leva o ser humano a deixar de fazer...
 
Deixar de falar,
Deixar de sonhar,
Desistir de procurar
Optar por se isolar.
 
Gostava de entender o ser humano,
Mas parece que não é esse o meu destino,
Será o receio do novo dano
Ou é simplesmente um momento de desatino?
 
Vou desistir de tentar,
Apenas canso a cabeça,
Quando não há vontade de procurar
É mesmo melhor que se esqueça.
 
Esquecer o que nos faz bem,
O que nos mima e aconchega,
O ser humano faz sempre o que melhor lhe convém
Mas a mera vontade às vezes não chega.
 
Gostava de não me preocupar,
De viver a vida sem interrogações,
Ermita vou mesmo virar
Assim nunca mais cedo às tentações...
 
(Mafalda)
 
19-04-2015 20:46
Eu escrevo...
Escrevo porque quero falar e não posso,
Porque preciso de libertar o que me ocupa o pensamento,
Houve tempo em que me afundei num poço
Mas na escrita encontrei o meu alimento.
 
Eu escrevo...
Falo contigo, comigo, com toda a gente,
Deixo os meus pensamentos fluir,
Exponho a dúvida do que me apoquente,
Escrevo, liberto, deixo sair.
 
Eu escrevo...
Digo o que penso sem rodeios,
Falo de castelos que gostava de construir,
Partilho os meus anseios,
Choro, rio ou limito-me a sorrir.
 
Eu escrevo...
Quem lê não sei,
Mas há pessoas que se identificam,
O que eu escrevo não é lei,
São meros pensamentos que se materializam.
 
Eu escrevo...
Regra geral quando tenho incertezas,
Quando as atitudes me baralham os sentidos,
Procuro em vão certezas,
Tento fugir de dias enegrecidos.
 
Eu escrevo...
Escrevo quando gosto,
Quando me envolvo com alguém,
Quando sofro o desgosto
De não ser procurada por ninguém.
 
Eu escrevo...
Se calhar não devia.
Se calhar devia guardar para mim.
Era isso que antes fazia
E acabei por me prender num lugar que não foi nenhum festim.
 
Eu escrevo...
Podem gostar ou detestar,
Achar que devia estar calada ou falar mais,
Entendam que só consigo descansar
Quando transfiro para aqui as situações reais.
 
Eu escrevo...
Sempre escrevi,
Sempre escreverei.
Depois de tudo o que já vivi
Dou por mim na fase do... Nada sei...
 
(Mafalda)
18-04-2015 15:13
Há o medo de mostrar,
De deixar transparecer o que se sente,
Equaciona-se se não estamos a pressionar
E a tornar a presença ausente.
 
Há o receio de não mostrar,
De não deixar perceber o que é real,
De deixar a dúvida no ar
E seguir a vida na forma habitual.
 
Há a insegurança de dar passos demasiado largos,
Mas a vontade de construir raízes sólidas,
Depois receia-se o regresso de momentos amargos
E paramos perante bifurcações inglórias.
 
Não saber o que se quer,
Querer-se mas não saber se se deve avançar,
Às vezes cansa-me ser mulher,
Às vezes apetece-me nada escutar.
 
Seguir ao sabor do vento,
Avançar sem medos nem hesitações,
Viver uma vida sem lamento,
Deixar em liberdade as minhas emoções...
 
(Mafalda)
 
18-04-2015 14:57
Talvez...
Talvez devamos procurar,
Mostrar o que nos vai na alma,
Talvez devamos calar
E fazermos por manter a calma.
 
Talvez...
Talvez tenhamos medo de avançar,
De deixar o sentimento fluir,
Talvez nos estejamos a deparar
Com uma situação que não estava prevista vir.
 
Talvez...
Talvez o receio seja dos dois lados,
Porque nos habituamos a viver assim,
Talvez não devêssemos ficar calados
Para conseguirmos colocar um fim.
 
Talvez...
 
Talvez devêssemos pensar menos,
Deixar de equacionar o futuro,
Talvez devêssemos aproveitar os dias amenos
E não temer que se volte a um momento obscuro.
 
Talvez...
Talvez o passado nos tenha ensinado
Que na vida nada é permanente,
Mas quando acontece sem termos procurado,
Não valerá a pena seguir em frente?
 
Talvez...
Talvez tenhamos medo de voltar a sofrer,
De que um dia tudo o que agora se constrói se dissolva,
Mas devíamos saber que vale a pena arriscar,
Porque é muito bom que a paixão nos envolva.
 
Talvez...
Talvez ande a sonhar acordada,
Talvez ande a pairar equivocada...
Sei que tenho de aprender a ficar calada
E saber esperar até ser procurada...
 
(Mafalda)
13-04-2015 23:08
Hoje é o Dia do Beijo...
Quente,
Ardente,
O beijo que eu gosto para mim.
 
O beijo que percorre o meu corpo,
Que deixa marcas por onde passa,
Sedento,
Ansioso.
 
O beijo descontrolado
Onde línguas se misturam com prazer,
Desvairado,
Como eu gosto de o ter.
 
Hoje é o Dia do Beijo...
O beijo doce de quem se entrega,
De quem abandona defesas
E apenas fica à espera.
 
O beijo que se repete incessantemente,
Cada vez mais abrangente,
Cada vez mais ousado
Num corpo totalmente desnudado.
 
Hoje é o dia do Beijo...
O dia em que se “deve” beijar,
Não vai ser só hoje...
Confesso que estou para ficar!
 
(Mafalda)
 
12-04-2015 10:10
Um mês...
Mas podia acontecer uma coisa de cada vez!
 
Dormi mal,
Dormi pouco,
É a história habitual
O mundo deve estar totalmente louco.
 
Tento viver a minha vida
Da melhor forma que posso,
Tornei-me uma pessoa contida
Que acaba sempre com a corda ao pescoço.
 
Pessoas que não se entendem
E depois desabafo aqui,
Atitudes de que não se arrependem
E os últimos dias foram sem ti.
 
Precisava de estar contigo,
Precisava de conversar,
Em vão procurei o ombro amigo
Mas ele lembrou-se de se afastar.
 
Inseguranças nos relacionamentos,
Dúvidas que ocupam as nossas mentes,
Não sabemos interpretar só os momentos
E depois tomamos atitudes dementes.
 
Parece que atraio a confusão,
Hoje equaciono se devia ter arriscado,
Não falo só do coração
Falo de tudo um bocado.
 
Trabalho não me falta,
Falta-me respeito e entendimento,
Como conseguir gerir malta
Que anda sempre à procura de um aborrecimento?
 
Faz hoje um mês...
Tudo se baralha à minha volta,
Pode ser que um dia chegue a minha vez
De viver uma vida livre e solta.
 
Não tenho estado nos meus dias,
Tudo acontece ao mesmo tempo,
Mas pensei que sabias
Que eras a fonte do meu contentamento.
 
Afastas-te porque queres,
Nada fiz para isso acontecer,
Vens aqui para saberes
Em vez de falares e entenderes.
 
(Mafalda)
 
10-04-2015 21:29
Como confiar em alguém?
Como acreditar na sinceridade?
As pessoas jogam como melhor lhes convém
E eu não tenho paciência para esse tipo de adversidade.
 
Como estar descansada?
Como confiar que tudo está a correr bem?
Às vezes dou por mim muito enganada
Com as atitudes que ficam sempre muito aquém.
 
Como merecer a Paz?
Como acabar com as confusões?
Responda-me quem for capaz
Que estou possessa destas situações...
 
(Mafalda)
 
10-04-2015 21:19
Põe-se o muro,
Alivia-se num momento menos duro,
Pôr muro, tirar muro
Faz parte da rotina de quem é mais maduro.
 
Questionamos se o devemos fazer tremer,
Perguntamos o que poderá acontecer,
Apalpamos o terreno com precaução
Decidimos baseados na emoção.
 
Mas nem sempre é como pensamos ser,
Inícios intensos acabam por se desvanecer,
Depois pensamos no porquê disso acontecer
E ficamos na dúvida sem saber o que fazer.
 
Pôr muro, tirar muro,
Um passo à frente e de seguida dois atrás,
O tempo torna-se duro
Quando de nada se é capaz.
 
Dias intensos sem um momento de paz,
Problemas cretinos sem razão de ser,
Viver é para quem é capaz
Mas desde ontem que me sinto prestes a desfalecer.
 
Misturam-se as situações,
Abundam as confusões,
Nada fiz para o merecer
Mas tudo acaba por me entristecer...
 
(Mafalda)
 
30-03-2015 23:02
Quando uma pessoa normal
Anda com um guarda noturno,
O que esperar afinal
Senão um momento mais taciturno?
 
Quando os fusos estão trocados
E não há um ponto no meio,
Serão os destinos que estão traçados
Sem lugar para um devaneio?
 
Quando o tempo é escasso
Apesar da vontade ser imensa,
Como é que eu faço
Para soltar a pressão que se adensa?
 
Quando as semanas são curtas em demasia
E os dias têm cada vez menos horas,
Como há quem ainda sorria
Se só aparecem longas demoras?
 
Quando, quando quando,
Como resistir ao tempo?
Eu tenho noção que ando
Num ritmo demasiado lento...
 
(Mafalda)
 
30-03-2015 23:02
Gosto do que sinto...
Gosto do que vejo...
Aqui não minto
Espero que não seja só o desejo.
 
Gosto do rumo,
Gosto do que me dá luta,
Aqui assumo
Que só assim resulta.
 
Gosto da expetativa,
Gosto da descoberta,
Aqui me sinto recetiva
A uma hora que é incerta.
 
Gosto do que tenho,
Gosto de querer mais,
Aqui sempre venho
Sonhar e muito mais...
 
(Mafalda)
 
30-03-2015 23:01
Na varanda bem acompanhada,
Copo cheio daquilo que eu gosto,
Apetece-me ser ousada...
Hoje não há espaço para o desgosto.
 
Deve ser a lua a mudar,
Devo ser eu que estava farta de me enganar,
Hoje, na varanda ao luar,
Aninho-me em ti e não quero descansar.
 
Quero ser o que um dia longínquo já fui
E estou a tentar não me esquivar,
Só assim flui
O que tanto esforço fiz para mudar.
 
(Mafalda)
 
28-03-2015 21:34
Faz hoje vinte e cinco anos
Que vivi o melhor momento da minha vida,
Podem ter sido muitos os meus enganos
Mas desse momento nunca ficarei arrependida.
 
És a razão da minha existência,
O Amigo que nunca falha,
Tudo o resto é mera aparência,
Tudo o resto que tenho feito é mera tralha.
 
Criei um Filho exemplar,
Uma pessoa com princípios e valores,
Acreditem que não me estou a gabar,
Ele é o mais importante dos meus amores.
 
Nada decido sem o seu aval,
Procuro sempre a sua compreensão,
É o meu Filho, afinal,
O único homem que não é mera ilusão.
 
Parabéns por este teu dia,
Que tenhas tudo o que mais queiras,
Por ti tudo faria,
São estas as únicas relações verdadeiras...
 
(Mafalda)
 
28-03-2015 20:45

Podia  falar sobre amor,

Tentar explicar o que é,

Iria entrar num grande torpor

Que apenas significaria que tinha fé.

 

Mas já não sou crente,

A vida ensinou-me a questionar

E muitas vezes sinto-me demente

Por ter passado tantos anos a acreditar.

 

É a mais pura das contradições

Tudo o que acabei de dizer,

É um emaranhado de confusões,

De quem tem receio de voltar a perder.

 

Mais perdas não,

O copo ficou definitivamente cheio,

A grande vantagem da solidão

É conseguir viver sem ter esse receio.

 

Não se perde o que não se tem,

Ninguém é pertença de ninguém,

Mas sem esperar eis que uma pessoa vem

E com ela, o receio de ficar tudo muito aquém.

 

Medo de derrubar paredes,

Com receio da derrocada final,

Os degraus são um entrelaçado de redes

Em que os pés se movem na diagonal...

 

(Mafalda)

28-03-2015 20:30
Ligo a televisão
Mas nada me apetece ver,
Tenho a eterna sensação
De continuar a viver sem entender.
 
Quero-me divertir
Mas as companhias não estão presentes
E também não me apetece sair
Do meio das minhas mantas quentes.
 
Queria estar acompanhada
Mas os imprevistos acontecem,
Já devia estar habituada
Aos obstáculos que sempre aparecem.
 
Queria conversar,
Nem que fosse conversa sem nexo,
Depois dou por mim a pensar
Num presente sem regresso.
 
O futuro não existe,
O passado já acabou,
Há sempre algo que resiste
Mas é no presente que estou.
 
Há sempre rosas
Que depois revelam os espinhos,
São demasiadas as mossas
Que se deparam nos caminhos.
 
Há sempre receios
Em acreditar no presente,
Não sei se são meros devaneios
Ou se virá uma situação latente.
 
Perguntas sem sentido
De quem nada quer fazer,
O dia é cada vez mais comprido
E pouco mais tenho a dizer.
 
Se não questionasse tanto,
Se não tentasse entender,
Nunca entrava em pranto,
Aprendia de vez a viver.
 
Mas eu sou assim,
Carente e insegura,
Habituei-me a só confiar em mim
E agora acredito que estou mais madura.
 
Não entro em ilusões,
Porque todas se revelam iguais,
Tento-me arredar de paixões
Que se resumem sempre a ingratos finais.
 
Que ganho com isso?
Talvez nada, talvez tudo.
Receio o compromisso,
O Homem é um sortudo...
 
Nada exijo, mas tudo peço,
Mas tudo o que sempre pedi me foi negado,
Dói quando me despeço
De quem por mim um dia foi amado.
 
Mistura de sensações,
Tenho os tempos todos baralhados,
Passado, presente e futuro repletos de ilusões,
Em que o tempo foi totalmente exterminado.
 
Sem relógios, sem horas,
A não ser nos compromissos profissionais,
Não tenho tempo para demoras
Nos assuntos mais superficiais,
 
São caprichos de uma mulher,
Querer algo que não existe,
Se só um de vós souber,
Diga-me onde está, não hesite!
 
(Mafalda)
 
21-03-2015 11:30
Não te vou ler nenhum poema,
Não vou recordar nada em especial,
Vou tentar que a minha mão não trema
Quando chegar o momento final.
 
Não vou dizer palavras sentidas
Pois tudo seria demasiado repetitivo,
Fiz em vida as minhas despedidas
E tu sabes como funciona este coração enegrecido.
 
Vou-te dar a paz que mereces,
Vou realizar o teu último desejo,
Eu não sou mulher de preces,
Mas tu conheces bem todo o meu ensejo.
 
Não preciso de falar,
Como a maioria das vezes não precisei,
Sabes o que se está a passar,
Sabes tudo, até o que eu ainda não sei.
 
Nove dias depois,
Finalmente chegarás a casa,
O que virá depois...
Não sei, ninguém diz o que se passa.
 
Terceira morte sentida,
Três estrelas que tomam conta de mim,
Reúnam-se numa investida
Para que encontre o meu lugar, por fim.
 
Umas vezes pendo para a direita,
Outras olho para a esquerda,
Pareço um catavento que não se endireita,
Às vezes equaciono se não me tornei lerda...
 
Nada procuro,
Tudo se atravessa no meu caminho,
O futuro é obscuro
Por isso me recolho no meu ninho.
 
Às vezes avanço um pouco,
Tento apagar os gritos de medo,
Mas o mundo é sempre louco
E pouco varia no seu enredo.
 
São as minhas estrelinhas da sorte
Que me guiam e me protegem,
Só aumentam quando chega mais uma morte,
Brilham sempre, mesmo quando não devem.
 
Hoje o dia é cinzento,
Está da cor da minha vida,
Felizmente não sopra o vento
Que me faria sentir totalmente despida.
 
Estar forte ou ser forte,
Foi uma questão que me colocaram há dias,
Não sei... talvez tenha tido a sorte
De já ter lidado com demasiadas agonias...
 
(Mafalda)
 
21-03-2015 11:05
A vida é uma poesia sem rimas
Que corre apressada para lado nenhum,
Passar por ela evitando brigas...
Sinto-me a escrever um lugar comum.
 
Quem não quer paz,
Quem não ambiciona ser feliz?
Um ou outro é capaz,
Covardia só torna o homem infeliz.
 
Escrevo sem sentido,
Sem nexo nem motivação,
O dia hoje é enegrecido
Pelos afazeres que ocupam o meu coração.
 
Parto rumo a um lugar de emoções mistas,
Satisfaço os desejos de quem partiu,
Passado, presente... vejo tudo às riscas,
Hoje está desfocado o que um dia nítido se viu.
 
Sinto-me a pairar,
Sem chegar à concentração,
Hoje o dia vai durar,
Vai ter momentos de muita consternação.
 
Pode ser que depois “aterre”,
Que caia em mim de uma vez por todas,
Já nada impede que desespere
E que deixe as minhas palavras soltas.
 
Sinto-me bloqueada,
Com afazeres em demasia,
Estou deveras cansada,
Com a constante sensação de me sentir vazia.
 
São os que partem sem querer,
São os que querem ficar mas acabam por partir,
Este Dia da Poesia obrigou-me a escrever,
Estou perdida, não sei para onde ir...
 
(Mafalda)
 
19-03-2015 10:50
Quando estamos sem norte,
Quando não sabemos o que queremos,
Como chegar à sorte
De esquecer o que já sabemos?
 
Quando as coisas se atrapalham,
Quando tudo se baralha,
Como fugir dos que ralham
Deixando para trás toda a tralha?
 
Como despir os sentimentos,
Como deixar de ser humana,
Como evitar os lamentos
Se até o dever me chama?
 
Preciso de tempo para mim,
De fugir da minha vida,
Não consigo deixar de ser assim
E acabo por não ser esquecida.
 
Preocupo-me por natureza,
Sou uma pessoa normal,
Mas preciso de ter alguma esperteza
Para não cair no velho erro habitual.
 
Não me posso dar a ninguém,
Preciso de manter a independência,
A vida sempre ficou aquém
Do que ao início mostra a aparência.
 
Não sou “orgulhosamente só”,
Tenho sempre os meus pilares,
Tenho mãe, filho e avó
Que são os amores mais exemplares.
 
Para quê criar ilusões,
Para quê correr riscos desnecessários,
Não ambiciono mais grilhões
Apenas preciso de alguns momentos imaginários.
 
Sonhar que estou feliz,
Imaginar que tudo é real,
Continuo a eterna aprendiz,
Continuo sempre igual...
 
(Mafalda)
 
19-03-2015 10:35
Foram cinquenta anos,
Sempre com um Pai presente,
Hoje tentam-se superar os danos
De um Amor que está ausente.
 
Dia do Pai são todos os dias,
São as pessoas que mais nos amam,
Havia momentos em que ainda sorrias
Só para tentar causar-nos enganos.
 
Sabias o que estava a acontecer,
Foste a fortaleza em pessoa,
Muito mais tenho a dizer
Mas não consigo evitar que doa.
 
Estou cansada disto tudo,
Mas o momento não é meu,
Considero-me um ser sortudo
Por ter tido um Pai que sempre me defendeu.
 
Mesmo contra as suas convicções,
Mesmo com situações menos normais,
Não eram necessários grandes sermões,
Bastavam os olhares mais habituais.
 
Amaste-me em vida,
Protege-me agora na morte,
Nunca haverá uma despedida,
Sou uma filha com toda a sorte...
 
(Mafalda)
 
19-03-2015 10:32
No leito da morte,
À espera que o pulsar pare,
Até para morrer é preciso ter sorte,
Mesmo agora não há quem o ampare.
 
Neste quarto de hospital,
Agradeço o que me foi dado,
O meu pai sempre foi o meu ideal,
Sempre esteve presente a meu lado.
 
Espera-se o fim anunciado,
Com o consolo de não ter dor,
Mas é um tempo deveras angustiado,
Devia acabar rápido todo este torpor.
 
A morfina protege quem parte,
Quem fica nada pode tomar,
Pedra no lugar do coração é uma arte
Para quem, neste lugar, não deve chorar.
 
Minutos que parecem horas, 
Segundos que custam a passar,
Alongam-se as demoras
De quem já nada tem a esperar.
 
Nem para morrer temos opção,
Já nascemos com o destino traçado,
Desculpem ser esta a minha opinião,
Mas não gosto de o ver tão angustiado.
 
Falta o empalidecer,
A veia deixar de latejar,
E eu para aqui a escrever
Só para evitar começar a chorar.
 
Não me toquem, não me abracem,
Quem me conhece sabe que não o deve fazer,
Gosto que por aqui passem
Mesmo que já nada possam dizer.
 
Morre mais um dos meus amores,
Doenças fatais e terminais,
Mas se assim lhe passam as dores,
Por favor abreviem-se os momentos finais...
 
(Mafalda)
 
04-03-2015 20:58
Escondo-me no meu computador,
Falo através das letras do teclado,
Estou calma, não sinto dor,
Estou tipo ser inanimado.
 
Paz confusa que por aqui anda,
Num imenso misto de sensações,
É a vida que manda
E que nos faz andar aos tropeções.
 
Acorda-se bem e feliz,
O dia avança ao sabor do vento,
Mas depois alguém nos diz
Que em breve começará um grande tormento.
 
Não são questões pequenas,
Como tribunais descabidos ou paixões desgastadas,
São obstáculos com muitas empenas
Que não vão conseguir ser ultrapassadas.
 
Falta o alento,
Falta a força para me mover,
Estou ao sabor do vento
E não sei o que vou fazer...
 
(Mafalda)
 
04-03-2015 20:49
Semanas...
 
Quando tudo se resume a “semanas”,
Quando sabemos o que se aproxima,
Como não ser consumido pelas chamas
De um futuro quente que se avizinha?
 
“Semanas” é uma palavra dura,
Que não deixa espaço de manobra,
Não vai dar tempo de fermentar a levedura,
E depois vem um belo bico de obra.
 
Não assustam as semanas,
Assustam os momentos até lá,
É preciso proteger o corpo com escamas
Não desperdiçar o tempo ao Deus dará.
 
Hoje a lua está cheia,
Noite bela e amena,
Mas a calma não permeia
Quem se tenta manter serena.
 
Primeiro é a sensação do vazio,
Depois as questões vão surgindo,
As vidas estão presas por um fio
Que aos poucos se vai partindo.
 
Parte-se aqui e agora,
Partiu-se ontem e no passado,
Algo em mim chora
E o semblante está muito carregado.
 
Só hoje tenho autorização,
Não o permito por mais tempo,
Tenho de manter a castração
De não mostrar nunca qualquer sofrimento...
 
(Mafalda)
 
23-02-2015 20:55
Viver em função de dinheiro,
Trabalhar horas a fio,
Torna o ser humano num prisioneiro
que nem sempre consegue superar o desafio.
 
Trabalhar torna-se um vício,
Há sempre mais e mais para fazer,
Mas depois acaba-se num hospício
E pouco mais se pode dizer.
 
Há que saber gerir a vida,
Trabalhar, mas também viver,
Uma pessoa acaba esquecida
Se nada mais consegue fazer.
 
Fugir da vida e trabalhar,
Já o fiz em tempos idos,
Mas o cansaço acabou por ganhar
E agora lamento os tempos perdidos.
 
Tem de haver equilíbrio em tudo,
Também temos de pensar em nós,
Nem todo o homem é sortudo
Ao ponto de ter quem lhe desate os nós.
 
Horas para trabalhar,
Horas para se divertir,
Um dia a vida vai acabar
E de nada adianta passar o tempo a fugir.
 
O dinheiro não pode ser a engrenagem principal,
Por muita falta que faça,
Quem vive assim não vive uma vida real
Quer estar presente mas não passa de fumaça.
 
Será que compensa,
Será que vale mesmo o sacrifício?
Pára um pouco e pensa
Se tudo não passa de um artifício.
 
Uma fuga do que não queremos,
Uma ocupação total que não nos permite desacatos,
Eu faço parte do grupo dos que sabemos
Que fugir só ajuda os mais pacatos.
 
Acabamos por nos revoltar,
Por dar um murro e virar a mesa,
Então para que nos estamos a cansar
Se nada vai ficar na mesma?
 
(Mafalda)
 
23-02-2015 20:39
Há alturas...
Em que o tempo
É demasiado lento
E só traz desalento...
 
Há alturas...
Em que o tempo
É tão escasso
Que nem podes descansar no meu regaço.
 
Há alturas...
Em que tudo acontece,
Em que nada apetece,
Em que se esquece
Que tudo se esvanece.
 
Há alturas...
Alturas que passam a correr,
Sem mais tempo a perder,
Sem nada de novo a acontecer.
 
Há alturas...
Alturas em que se pensa
Se tudo isto compensa
Ou se é o nevoeiro que se adensa.
 
Há alturas...
Divertidas
E outras complicadas,
Com zero de investidas,
Com todas as horas esgotadas.
 
(Mafalda)
 
10-02-2015 21:23
Podia encher centenas de páginas em branco,
Podia escrever até adormecer sobre o teclado,
Hoje a vida tingiu-se de branco,
Apesar de por aqui ainda não ter nevado.
 
Sem cor,
Sem contornos,
Não há esplendor,
Foram-se os adornos.
 
Começa-se sempre com muita vontade,
Mas aos poucos vai-se esquecendo a construção,
É triste constatar esta realidade,
É um acumular de coisas que nos leva a esta constatação.
 
O tempo é escasso para quem não quer,
Para quem se vicia em estar fora de casa,
Para quem arranja mil coisas para fazer,
É fácil de entender que, aos poucos, a vontade... passa.
 
Proclamam sentimentos que não sentem,
Dizem palavras que nada querem dizer,
A realidade é que todas as pessoas mentem
Quando vivem a vida a seu bel-prazer.
 
Não importa o que pensem de mim,
Nunca fui pessoa de fugir das situações,
Nada procurei, mas aconteceu assim
E agora apenas restam boas recordações.
 
Falo no passado porque o presente já não existe,
Mas nada fiz para que isso acontecesse,
Agora é esperar para ver o que resiste,
Só gostava que isto não me entristecesse.
 
Mas sou humana e sinto,
Tenho sentimentos como qualquer outra pessoa,
Desculpem-me, mas eu aqui não minto,
E voltou o meu receio de que a ausência doa...
 
Não baixei defesas nem destruí muros,
Mas aos poucos fui voltando a confiar,
Existiram alguns momentos mais duros
Mas acreditei que podia ser para continuar.
 
Será o destino que não quer,
Ou será alguém que deixou de querer,
Pedi desde sempre para me dizer
O preciso momento em que isso estivesse a acontecer.
 
Continuo “querida”,
Continuo “doce”,
Mas sinto que fui remetida
Para um universo de agridoce...
 
(Mafalda)
 
10-02-2015 18:30
"Existe uma irmandade mais silenciosa que a solidão, que, quando corretamente compreendida, é solidão perfeita."
 
(Robert Louis Stevenson)
 
10-02-2015 18:26
Arreliada comigo própria,
Apenas por ponderar acreditar,
A situação tornou-se inglória
E pouco ou nada já há a esperar.
 
Palavras que o vento leva e traz,
Tempo cada vez mais escasso,
Aceitar tudo o que se faz
Nem sempre significa dar um novo passo.
 
Ou é uma luta interna,
Ou apenas mera diversão,
E eu que tinha apagado a lanterna,
Agora sinto na pele a minha própria privação.
 
Demasiado perto e não se deixar ver,
Combinações que são sempre adiadas,
Desta vez não demorou para eu perceber
Que as emoções estavam equivocadas.
 
São curtos os reinados das princesas,
Nunca se sobrepõem a uma rainha presente,
Cavaleiros galantes existem às resmas
É melhor mantê-los bem longe para que nada nos apoquente.
 
(Mafalda)
 
03-02-2015 22:07

Fala o cansaço,

A falta do teu abraço,

Está vazio o meu regaço,

Sigo em frente mas já não sei o próximo passo.

 

Há dias em que tudo falta,

Em que não queremos estar na ribalta,

É o amanhecer que nos sobressalta,

É o anoitecer que nos aperalta.

 

Dormir dias seguidos,

Não pensar nos momentos perdidos,

Recordar sonhos esquecidos,

Tentar atravessar caminhos enegrecidos.

 

É apenas o cansaço

Que faz trocar palavras de embaraço,

Estou aqui e tudo faço

Mas falta sempre aquele fino laço.

 

Estou cansada,

No lar fico angustiada,

No hospital sinto-me sobressaltada,

Na estrada guio sem ver nada.

 

Preciso de parar,

De fugir do que me está a apoquentar,

Quero partir mas algo se está a atravessar

E sempre de impede de descansar.

 

É o cansaço...

Apenas o cansaço...

(Mafalda) 

 

20-01-2015 20:24
Quando um homem procura uma mulher,
Perde um tempo precioso,
A mulher sabe bem o que quer
E tem sempre um objetivo ambicioso.
 
Quando uma mulher procura um homem,
Perde anos de uma vida curta,
O homem faz parte dos seres que fogem
Quando sentem que a distância se encurta.
 
Agora quando um homem e uma mulher se cruzam,
Sem nenhum andar à procura,
São momentos que não se recusam
Pois podem levar os dois à loucura.
 
Quando o destino nos marca a hora,
Quando o caminho nos é apresentado sem opção,
De nada vale escolher a demora,
De nada adianta não seguir o coração.
 
A vida é demasiado curta,
Para perdermos tempo em procuras,
A obsessão de uma pessoa culta
Apenas lhe acarreta mais agruras.
 
Estamos de olhos fechados,
Até ao dia em que alguém nos chama a atenção,
De nada adianta viver encerrados
E não aproveitar todos os momentos com paixão.
 
Não procurem o que não existe,
Estejam recetivos ao que vem ao vosso encontro,
Há sempre uma pessoa à qual o nosso coração não resiste,
E depois constrói-se uma estrada, ponto por ponto.
 
Quando maior a ansiedade,
Menos sucesso nos é ofertado,
Sem preocupações com a idade
Pois o nosso trajeto está pré-determinado.
 
Atentos ao que nos rodeia,
Mas com capacidade de seleção,
Aproveitemos o tempo que permeia
Entre o sofrimento e uma nova paixão...
 
(Mafalda)
 
20-01-2015 20:09
De que adianta saber todos os passos
Se eles te levam para longe de mim,
Existem sempre demasiados percalços
Que não deixam concretizar o fim.
 
É demasiado bom para ser verdade,
Já não sei passar sem a doçura,
Mas no meio desta grande cidade
Algo impede que se concretize a ternura.
 
Andei arredada da escrita,
Sem inspiração sobre nenhuma matéria,
Hoje regressou a veia erudita
Apenas porque o meu corpo reclama da miséria.
 
Ando cansada mas satisfeita,
Com desafios novos todos os dias,
Eu não sou uma pessoa perfeita,
Também sofro de algumas agonias.
 
A vontade de estar,
A vontade de fazer amor,
Mas de que me adianta queixar,
Se sinto em mim todo o seu calor?
 
O tempo é sempre uma benção,
Para fazer esquecer mas também para aproximar,
Enganam-se os que pensam
Que tudo não passa de uma estória de encantar...
 
(Mafalda) 
 
01-01-2015 16:06
"Há dias em que a alma fica num desassossego estranho que eu não consigo explicar...procuro no fundo de mim, em busca de uma razão que me faça entender os sentidos que são meus...mas não encontro nada além de uma sensação de vazio preenchido por...ti...
 
Hoje...queria-te comigo...de um jeito infinito...em que o tempo deixasse de correr nas horas, que o mundo apagasse à nossa volta eliminando toda a memoria, todo o pensamento que não fosse apenas dos dois...hoje apetecia-me...ser apenas alma!
 
Queria ter o dom de te prender em mim nem que fosse por alguns segundos, apenas para sentir o teu coração...batendo apenas para mim...queria saber usar a magia para te ter só minha...libertando-te depois, devolvendo-te a vida que é tua, aos teus amores...mas comigo guardado no fundo da tua alma...
 
Hoje vai para além do pensamento...bate-me no coração...é aquilo que eu quero e faria se me fosse permitido ser dono do teu coração.
 
Hoje...só quero dizer que te amo."
 
(Sons Calados)
 
31-12-2014 19:52
Quem estará aqui a ler,
Num dia tão mundialmente festejado,
De facto nada mais tenho para fazer
E os dedos insistem em tocar o teclado.
 
Troco letras em cada palavra,
Talvez seja por estar desatenta,
Devia ser  hoje o dia em que acordava
E via o passado em camara lenta.
 
Mas nada disso aconteceu,
Não fiz qualquer balanço da minha vida,
Amanheceu, escureceu
E eu aqui continuo rendida.
 
Mas a paz habita por estes lados,
Às vezes até em demasia,
Podemos estar todos equivocados
Mas não creio em nova razia.
 
A serenidade é fundamental,
A noção da realidade é uma presença constante,
Vivo num sonho real
Mas avanço com um passo sempre hesitante.
 
Nada mais espero além do que o que já tenho,
Não faço planos para futuros distantes,
Para viver assim é preciso algum engenho
Mas pertencem ao passado os dias angustiantes...
 
(Mafalda)
 
31-12-2014 19:40
Na vida tudo se resume
Ao Homem que nada assume
E é de volta da inconstância
que se vive sempre na ignorância.
 
Não saber o que esperar,
Não saber o que está para vir,
Querer acreditar,
Querer ter motivos para sorrir.
 
Talvez esteja melancólica,
Ou simplesmente cansada,
Pena não poder virar alcoólica
E sair desta longa estrada.
 
Relações com ralações,
Ralações que originam atrações,
Atrações que levam a relações,
Relações em que crescem as emoções.
 
Na vida tudo se resume
A saber aproveitar cada momento,
Se é o Homem que nunca assume,
Imaginar cenários não tem qualquer cabimento.
 
Mas há dias em que algo apetece,
Há dias simbólicos que teimam em se mostrar,
Parva da Mulher que não esquece
E que gostava de o estar a abraçar.
 
Na vida tudo se resume
A nada ser dado como certo,
Se o Homem permanece impune
É apenas porque é muito mais esperto.
 
Mensagens, encontros ocasionais,
Palavras doces recheadas de mel,
As Mulheres são seres passionais
Que saboreiam até o próprio fel.
 
Na vida tudo se resume
A viver sem pensar,
Sentimentos a que se devia estar imune,
Chegaram e vieram para ficar...
 
(Mafalda)
 
30-12-2014 20:49
"A porta está aberta,
Para um ano…
Com permissão para parar de sonhar.
O melhor mesmo é congelar!
 
Congelar os sonhos.
 
Isso, implicaria mais estagnação,
Menos loucura, mais compreensão.
 
Que chato que é correr pelos campos,
Querer ver o azul do mar…
O dourado do sol a brilhar.
Era tudo tão mais fácil,
Se num cubo de gelo,
Nos conseguirmos transformar.
 
2015 Está chegar!
A escolha é tua…
Tem um Bom Ano!"
 
(F.F.)
 
30-12-2014 20:46
"Tenho tanto sentimento
Que é frequente persuadir-me
De que sou sentimental,
Mas reconheço, ao medir-me,
Que tudo isso é pensamento,
Que não senti afinal.
 
Temos, todos que vivemos,
Uma vida que é vivida
E outra vida que é pensada,
E a única vida que temos
É essa que é dividida
Entre a verdadeira e a errada.
 
Qual porém é a verdadeira
E qual errada, ninguém
Nos saberá explicar;
E vivemos de maneira
Que a vida que a gente tem
É a que tem que pensar."
 
(Fernando Pessoa)
 
30-12-2014 20:40
"Não deixes que termine o dia sem teres crescido um pouco, 
sem teres sido feliz, sem teres aumentado os teus sonhos. 
 
Não te deixes vencer pelo desalento. 
 
Não permitas que alguém retire o direito de te expressares,
que é quase um dever. 
 
Não abandones as ânsias de fazer da tua vida algo extraordinário. 
 
Não deixes de acreditar que as palavras e a poesia podem mudar o mundo. 
 
Aconteça o que acontecer a nossa essência ficará intacta. 
 
Somos seres cheios de paixão. 
 
A vida é deserto e oásis. 
 
Derruba-nos, ensina-nos, converte-nos em protagonistas de nossa própria história. 
 
Ainda que o vento sopre contra, a poderosa obra continua: 
tu podes tocar uma estrofe. 
 
Não deixes nunca de sonhar, porque os sonhos tornam o homem livre."
 
(Walt Whitman)
 
30-12-2014 20:30
Novo Ano a caminho,
Sem desejos para pedir,
Superei a pedra no caminho
Mas muito ainda há-de estar para vir.
 
Novo Ano a chegar,
Tinha de vos vir deixar um mimo,
Eu vou aqui ficar,
E vou permanecer sozinha no meu ninho.
 
Novo Ano que se aproxima
Não sei mesmo o que mais posso querer,
Num futuro que se avizinha
A única coisa que quero é nada perder...
 
(Mafalda)
 
25-12-2014 12:08
Hoje ficava aqui,
No sossego do meu lar,
Indisposta do que comi,
Dava tudo para não ter de o abandonar.
 
São datas de obrigações,
Que nada me dizem desde há muito tempo,
Não vou entrar na minha espiral de lamentações,
Tenho de ir a qualquer momento.
 
Hoje ficava aqui,
A escrever para vós todo o dia,
Mas sabem tudo o que vivi,
Sabem tudo o que me dá alegria.
 
Ser livre e com um quê de loucura,
Ser independente e divertida,
Se hoje vivo em brandura
A uma pessoa apenas estou agradecida.
 
É gira a forma como o esquecimento se processa,
Primeiro gritamos e bradamos contra a dor,
Depois só queremos que toda a gente nos esqueça,
Mas só até ao dia em que encontramos um novo clamor.
 
Tudo se desvanece,
Tudo vira passado longínquo e distante,
O coração esquece
E envereda por um novo caminho como se fosse um principiante.
 
O tempo...
O famoso tempo que toda a gente renega,
Faz esquecer o sofrimento
E torna a vida menos negra.
 
Vivo uma vida colorida,
Alguns dias até em demasia,
Considero-me uma pessoa decidida
Que vive em função da alegria.
 
Obrigada a quem ma devolveu,
A quem muito me dá sem me pedir nada de volta,
Foi um doce que por aqui apareceu,
Que finalmente conseguiu que eu me sentisse solta.
 
É a liberdade sem amarras,
Aquela que eu tanto apregoei,
Se soubesse que tanto me davas...
Nunca teria chorado tudo o que chorei!
 
(Mafalda)
25-12-2014 11:54
Toda a gente percebe que algo se passa comigo,
Mas ninguém sabe o porquê,
Todos temem que eu entre novamente em perigo,
Porque amor é fogo que arde mas não se vê.
 
Conhecem-me bem as minhas disposições,
Os meus risos e formas de estar,
Têm medo que eu ande envolta em emoções
Que um dia me façam novamente desesperar.
 
Como dizer o que não posso,
Como explicar o que vivo neste momento,
Não vou mais entrar em nenhum fosso
Apenas porque não tolero mais sofrimento.
 
É o que é quando é,
E se não é nada me apoquenta,
Envolver-me sabendo porquê,
É esse o ânimo que agora me sustenta.
 
Tirar da vida tudo o que ela me quer dar,
Viver como se não houvesse um dia seguinte,
Nos meus poemas posso sempre perpetuar,
Sem medos de não ter um ouvinte.
 
É Dia de Natal, 
Um dia como qualquer outro do ano,
Talvez viva de forma surreal
Mas assim não há perigo de qualquer dano.
 
Se sou recordada ou esquecida,
Se sou lembrada se permanecer desaparecida,
São questões a que não sei responder,
Pouco me importa, apenas quero viver...
 
(Mafalda)
 
24-12-2014 17:17

Paz e Saúde é só o que vos desejo.

Se vier Amor e Dinheiro serão bónus interessantes...

Feliz Natal!

Beijinhos 

22-12-2014 09:31
“Amante é a denominação dada ao homem ou à mulher que mantém um relacionamento duradouro com uma pessoa casada com uma terceira. Tal relação é geralmente estável e semipermanente, entretanto, o casal não vive abertamente junto, pois o relacionamento é ilícito.”
 
Hoje pergunto-me o porquê de existirem amantes,
O porquê de as pessoas não assumirem as vontades,
Tudo acaba por ser igual a antes,
Secretismo e romance atinge todas as idades.
 
Porque gostam os homens de ter outra,
Porque não lhes chega o que têm em casa,
Será que há alguma mulher que seja suficientemente louca
Para não perceber quando o marido anda a arrastar a asa?
 
Porque não há relações sinceras,
Sem traições e devaneios loucos,
Hoje as minhas palavras são severas
Mas os sons saem totalmente roucos.
 
Não entendo a mente humana,
Não consigo perceber as relações pessoais,
Em pouco tempo faço a minha cama
E agora os pensamentos são apenas banais.
 
Quando há terceiras pessoas,
Quando há necessidade de alguém por fora,
São as relações que não são boas
E por dentro alguém chora.
 
Tudo em prol da família,
Aquela que não se quer perder,
Um dia vou entrar numa vigília
Só para tentar entender.
 
Assumo que não estou em mim,
Que sempre tive coragem para lutar pelo que quero,
Mas o homem não vê as coisas assim
Prefere enganar-se porque gosta do desespero.
 
“Amante”... é uma palavra forte,
Que define toda uma realidade,
Há pessoas que têm sorte,
Outras há que vivem na obscuridade.
 
Necessidade absoluta de terem mais que uma mulher,
A todas dizem palavras sinceras e sentidas,
Alguém me explique, se souber,
Como aguentam viver uma vida inteira às escondidas.
 
Há pessoas com o fado traçado,
Nada de novo, o mesmo caminho,
O ser humano gosta de andar equivocado,
Tem pavor a sentir-se sozinho.
 
É a estupidez ao mais alto nível,
O ver mas querer manter os olhos fechados,
Uma situação destas nunca pode ser aprazível,
A amante tem sempre os dias contados.
 
É a história de algumas vidas,
O repetir e repetir de enganos,
Amante vive no lote das perdidas,
Tornar-se fria devia estar sempre nos seus planos.
 
Alguém conhece uma pessoa qualquer
Que tenha ficado com a amante em vez da mulher?
Alguém consegue entender
Quando um homem diz que amante não quer perder?
 
Expliquem-me por favor,
Não devo fazer parte deste mundo,
Tenho dificuldade em entender o pavor
De perder a amante apenas num segundo.
 
Se fosse importante não era amante,
Era a companheira do dia a dia,
Ninguém aguenta uma relação constante
Quando não é aquela pessoa que se queria.
 
É porque querem,
É porque gostam do que têm em casa,
Amantes não desesperem,
Mas libertem-se e soltem a asa...
 
(Mafalda)
 
20-12-2014 22:25
Não posso escrever mais,
Não posso ambicionar seja o que for,
De nada vale ter pensamentos surreais,
Quando me falta o teu calor.
 
Sou humana,
Sou carente,
Durmo numa cama
Onde existe falta de gente.
 
Não é a sexo que que me refiro,
É a vontade de me enroscar em ti...
Mas há uma coisa que eu admiro,
Já teres ficado uma noite inteira aqui.
 
O ser humano quer sempre mais,
Nunca está satisfeito com o que vai conseguindo,
Será pedir muito que os sonhos passem a ser reais,
Que ambicionemos mais do que agora tem vindo?
 
Como virar as costas a uma pessoa assim,
Como combater a nossa própria vontade?
Perdoem-me... não estou em mim...
Regressou à base toda a minha insanidade!
 
Que raio de feitio o meu,
Que adora ser mimado e desejado,
E depois fico aqui eu
A desejar que os segundos não tivessem acabado.
 
É pouco, muito pouco,
Com promessas de tempos melhores,
O meu mundo está outra vez louco
E eu a preparar-me para novos dissabores.
 
Não me digam que tenho de pensar positivo
Quando num único dia tudo corre mal,
Vou dormir para o meu abrigo
E esperar que amanhã isto não vire habitual...
 
(Mafalda)
 
20-12-2014 21:18
Não é por ser Natal,
Não é por nenhum dos motivos habituais,
Talvez ele seja o tal,
O que tem intenções reais.
 
Digo talvez porque não sei,
Não consigo perceber o objetivo,
Tem acontecido o que sempre sonhei
Mas sinto-me envolta em grande perigo.
 
Se não fosse a conjuntura
Não hesitaria em me deixar ir,
Mas tenho medo de saborear a amargura
De um dia ter de o ver partir.
 
Hoje tudo correu ao contrário,
Desde o acordar até agora,
Queria fugir para um mundo imaginário
E fugia já, sem mais qualquer demora.
 
Quero confiar e já dou uns passos,
Quero acreditar que tudo é verdadeiro,
Mas a vida é feita por compassos
Em que o ponto do fim é o mesmo que o primeiro.
 
É complicado querer algo mais,
Quando o tempo é demasiado escasso,
Hoje preciso de me encostar a beirais
Para não dar mais um tombo crasso.
 
Talvez seja a insegurança a falar,
Talvez seja o medo de estar enganada,
Depois começo para aqui a pensar
E vem a certeza de uma nova derrocada.
 
Deverei fugir do que quero?
Deverei parar por aqui?
Se for para evitar um novo desespero...
Vai-me restar a memória do que já vivi.
 
Não sei o que faça,
Não sei o que faço,
Hoje estou uma desgraça,
Precisava do teu regaço.
 
Há dias negativos,
Em que tudo corre mal,
Surgem pensamentos destrutivos
E depois nada fica igual.
 
Não sei o que faça,
Não sei o que pense,
Estou recolhida em casa
À espera do teu abraço quente.
 
Mas ele não chega,
Nem sei se um dia vai chegar,
Porque é que uma pessoa se apega
Quando sabe que um dia o sonho vai acabar?
 
(Mafalda)
 
20-12-2014 10:12
"Tu és,
Tudo aquilo que homem pode querer
Dás-me prazer, tás ao meu lado para me defender
Adoro o teu sorriso
Quando me olhas com ternura acredita eu paraliso
És bonita, simpática, tão atraente
Derretes-me todo com o teu olhar inocente
Palavras doces na tua boca parecem brisas
Tu não andas, tu deslizas
Enfeitiçaste-me no dia em que te conheci
Fico fulo da vida quando eles olham para ti
Ao mesmo tempo sinto-me tão bem
Por saber que por te ter, mais ninguém tem
 
Princesa,
Beija-me outra vez
Diz que me amas baby diz mais uma vez
Princesa
(Beija-me outra vez ya)
Princesa
 
Adoro fazer-te adormecer no meu peito
Quando te tenho a meu lado pra mim o mundo é perfeito
Adoro os fins-de-semana passados na cama
Apaixonados na cama, abraçados na cama
Fazer amor contigo é ir ao céu e voltar,
É morrer e ressuscitar
Adoro os nossos momentos picantes
Engraçado como anos podem parecer instantes
A tua pele é mel o teu toque é magia
Adoro falar contigo, a tua doce companhia
Antes que seja que tarde demais, quero dizer
Que faço tudo para não te perder, para não te perder
 
Princesa,
Beija-me outra vez
Diz que me amas baby diz mais uma vez
Princesa
(Beija-me outra vez ya)
Princesa
 
Schhhh, não digas nada,
Beija-me outra vez com esses teus lábios de fada
Há palavras que ainda estão por inventar
Por mais que tente nunca hei-de conseguir explicar
Não sei se é calor, não sei é frio
Só sei que sem ti sinto-me vazio
Adoro quando no sentamos no sofá com edredon
A luz apagada, Sade é o som
Tocamo-nos no escuro, o silêncio diz tudo
O amor é cego e por vezes também é mudo
És tu quem eu quero, eu sou sincero
Não digas nada, beija-me outra vez
 
Princesa,
Beija-me outra vez
Diz que me amas baby diz mais uma vez
Princesa
(Beija-me outra vez)
Princesa
 
Princesa,
Beija-me outra vez
Diz que me amas baby diz mais uma vez
Princesa
(Beija-me outra vez)
Princesa"
 
(Boss AC)
 
 
17-12-2014 19:02
Talvez seja a altura certa
Para falar sobre o ano que agora acaba,
Comecei em parte muito incerta,
Hoje vivo muito bem acarinhada.
 
Consegui tudo o que planeei,
E mais com que não tinha sequer sonhado,
Vim para cá e aqui fiquei
E tudo o que quero se tem concretizado.
 
As metas foram todas superadas,
Saúde, trabalho e paz,
Apareceu no lote das não esperadas
A atenção de um novo rapaz.
 
Não fazia parte dos meus planos,
Nem tão pouco queria isso,
Mas desde que não cause muitos danos,
Estamos os dois mas sem compromisso.
 
Amizade colorida,
Poderá ser esse o nome correto,
Sei que estou totalmente rendida
Às suas demonstrações de afeto.
 
2014 foi um ano de renascimento,
Em que atingi a paz que pretendia,
Houve um ou outro momento
Em que passei por situações de mais agonia.
 
Pouco importa o que aconteceu,
Foram momentos pontuais num ano em beleza,
Mas o meu mundo verdadeiramente tremeu
Quando passei a integrar a nobre realeza...
 
(Mafalda)
 
17-12-2014 18:44
Os dias deviam ser maiores,
Terem horas a duplicar,
Acabavam-se os horrores
De se estar sempre a modificar.
 
São os planos que não correm como queríamos,
É o dia que é demasiado curto,
Quando penso que num momento nos veríamos,
Algo surge e instala-se como um surto.
 
Quando as horas começam a não chegar...
Quando os minutos passamos a contar...
Eu avisei que me podia vir a apaixonar
E que novamente ia ter de me obrigar a parar.
 
Os dias têm a duração certa,
Qualquer minuto a mais seria uma loucura,
O meu pensamento hoje anda em parte incerta,
Arde ao lume sem nenhuma brandura.
 
Gostava de ter mais momentos,
Mas tenho todos os que são possíveis,
Credo... começam os lamentos
Sobre um sentimento tão apetecível...
 
(Mafalda)
 
14-12-2014 19:16
Porque escrevo senão para vós,
Para acompanhar quem precisa de de alguém,
Liberto aqui a minha tímida voz,
Digo tudo aquilo que mais nos convém.
 
Como superar amores sofridos,
Como guerrear com o que a vida nos dá,
Como remeter certos assuntos para o lote dos esquecidos,
Como viver sem nos sentirmos ao Deus dará.
 
Não sou um poço de virtudes,
Nunca o fui nem o pretendo ser,
Mas tenho tomado diversas atitudes
Que me permitiram simplesmente crescer.
 
Tudo tem um tempo nas nossas vidas,
Tudo acontece por uma razão pré-determinada,
Sempre fui do lote das pessoas sofridas,
Parvoíce a minha, que estava tão enganada.
 
Contrariedades todos temos,
Dinheiro, saúde, amor,
Mas somos apenas o que fazemos
E de nada adianta não viver no calor.
 
Porque escrevo senão para vós,
Para que acreditem que tudo é possível,
Nunca calarei a minha voz
Não haverá ninguém que me diga que algo é impossível.
 
Tenho uma força dentro de mim,
Que às vezes se sente fraca e deprimida,
Sempre fui assim,
Mas também sempre fui uma pessoa bastante divertida.
 
Cabeça erguida, 
Olhar em frente,
Deixei de andar perdida,
Nada tenho que me apoquente.
 
Gosto do que tenho,
Quero mais do que gosto,
Não é preciso ter nenhum engenho,
Não vai haver mais nenhum desgosto...
 
(Mafalda)
 
14-12-2014 18:53
Hoje precisava de me permitir sonhar,
De me deixar ir com o vento,
Em vez disso estou aqui a marinar
E lá vem um poema em forma de lamento.
 
Tenho um sonho em mim,
Pegar em ti e fugir por uns dias,
Gostava tanto que fosse fácil assim
Mas sei de antemão o que tu me dirias.
 
Vontade não te deve faltar,
Seria uma forma de descanso forçado,
Mas seria difícil justificar
O porquê de um passeio tão prolongado.
 
Obrigações que temos de cumprir,
Horários que não nos permitem descansar,
Empregos que servem para suprir
As dificuldades que nos estão sempre a minar.
 
Mas apetece-me sonhar,
E tu fazes parte desse sonho,
Chegará o dia em que vamos improvisar
E tirar do semblante o sorriso tristonho.
 
Cada vez gosto mais de estar contigo,
Dos teus mimos e palavras quentes,
Caminho a passos largos para o perigo,
Porque estamos os dois a ficar dementes...
 
(Mafalda)
 
12-12-2014 18:39
Às vezes é preciso silêncio,
Deixar o sossego instalar-se,
Nem sempre temos vontade de sorrir
Mas o ser humano tem a capacidade de habituar-se.
 
Habituamo-nos ao dia a dia,
Às rotinas que nos agradam,
Da envolvência tiramos a estima
e são pequenos momentos que nos agarram.
 
Hoje foi um dia relaxante,
Em que respirei toda a paz,
Não me sinto nada hesitante
E de superar todos os obstáculos serei capaz.
 
Gosto da minha tranquilidade,
Das imagens que me acompanham,
É excelente ver claridade
Onde poucos são os que se empenham.
 
(Mafalda)
 
09-12-2014 21:23
"Quando olho para trás
Não me entrego ao passado
Tento dar á minha paz
Um arco iris dourado
Já esgotei todas as cores
Tonalidades... mistura
Do negro das minhas dores
Retirei o da amargura
Misturei-o na alegria
De que nunca me afastei
E, aos poucos... dia a dia
Do negrume regressei....
Ser poeta me salvou
Para que enquanto viver
Eu seja assim como sou
Mais menina que mulher...."
 
(M.A.R.)  
 
09-12-2014 21:17
"É preciso abrir todas as portas que fecham o coração.
Quebrar barreiras construídas ao longo do tempo,
Por amores do passado que foram em vão
É preciso muita renúncia em ser e mudança no pensar.
É preciso não esquecer que ninguém vem perfeito para nós!
É preciso ver o outro com os olhos da alma e se deixar cativar!
É preciso renunciar ao que não agrada ao seu amor...
Para que se moldem um ao outro como se molda uma escultura,
Aparando as arestas que podem machucar.
É como lapidar um diamante bruto...para fazê-lo brilhar!
E quando decidir que chegou a sua hora de amar,
Lembre-se que é preciso haver identificação de almas!
De gostos, de gestos, de pele...
No modo de sentir e de pensar!
É preciso ver a luz iluminar a aura,
Dando uma chance para que o amor te encontre
Na suavidade morna de uma noite calma...
É preciso se entregar de corpo e alma!
É preciso ter dentro do coração um sonho
Que se acalenta no desejo de: amar e ser amada!
É preciso conhecer no outro o ser tão procurado!
É preciso conquistar e se deixar seduzir...
Entrar no jogo da sedução e deixar fluir!
Amar com emoção para se saber sentir
A sensação do momento em que o amor te devora!
E quando você estiver vivendo no clímax dessa paixão,
Que sinta que essa foi a melhor de suas escolhas!
Que foi seu grande desafio... e o passo mais acertado
De todos os caminhos de sua vida trilhados!
Mas se assim não for...
Que nunca te arrependas pelo amor dado!
Faz parte da vida arriscar-se por um sonho...
Porque se não fosse assim, nunca teríamos sonhado!
Mas, antes de tudo, que você saiba que tem aliado.
Ele se chama TEMPO... seu melhor amigo.
Só ele pode dar todas as certezas do amanhã...
A certeza que... realmente você amou.
A certeza que... realmente você foi amada."
 
(Carlos Drummond de Andrade)
 
08-12-2014 23:17
Quero-me mostrar desprendida,
Que não dou importância ao que se está a passar,
Mas é difícil deixar de me sentir rendida
Quando tudo o que quero está apenas a descansar.
 
É a minha insegurança que fala,
O peso de um passado pesado,
Quando o silêncio chega tudo cala
E fico com o meu ser todo alvoroçado.
 
Não posso continuar assim,
A desconfiar e a não acreditar,
Tenho de ser boa para mim
E permitir-me apaixonar.
 
Como são profundas as cicatrizes,
Que tendência tão grande de desacreditar,
Basta seguir as diretrizes
E olhar para o presente sem hesitar.
 
Fácil de dizer,
Complicado de aplicar,
Depois recomeço para aqui a escrever
E não tenho forma de parar.
 
Não posso ter medo de viver,
Não devo ter receio de avançar,
Dava tudo para o ver,
E muito mais para simplesmente o abraçar.
 
Preciso de mimo,
Preciso de o sentir ao vivo,
Complicado olhar sempre pelo postigo
E não ter um minuto a sós com o meu amigo...
 
(Mafalda)
 
08-12-2014 23:06
Se calhar...
 
Estou apreensiva,
O comportamento mudou,
Sem direito a qualquer missiva
Não sei o que se passou.
 
Cansaço acumulado,
Situações complicadas,
Nota-se que está desgastado,
Mas eu precisava de algumas palavras.
 
Quase se instalou o mutismo,
Não sei o que está a acontecer,
Devo ser ter alguma forma de autismo
Que não me está a deixar entender.
 
Se calhar não quero perceber,
Se calhar pensei que era verdade,
Se calhar não acredito que pudesse voltar a acontecer,
Se calhar sonhei e nada disto foi realidade...
 
(Mafalda)
 
03-12-2014 21:51
Que é feito da confiança,
De não duvidarmos do que nos dizem,
De desejar a bonança
De não deixar que velhos traumas se enraízem?
 
Como voltar a acreditar,
Se o que hoje é amanhã já mudou,
Como deixar avançar
Quando o tempo simplesmente parou?
 
O que acontece a uma pessoa
Quando quer mas não consegue,
Porque tem medo que doa,
Tem medo do que se segue.
 
Como viver na superficialidade,
Sem conseguir criar laços,
Não tem a ver com a idade
É o resultado de muitos embaraços.
 
Como superar a dualidade,
Como calar a experiência passada,
Quero apenas um pouco de claridade
Sentir-me de novo bem iluminada.
 
Mas o que quero não é real,
Porque o tenho e não confio,
Vivemos num mundo animal
Em que a confiança está presa por um fio.
 
Oscila o fio com o vento,
Tiramos logo conclusões,
Somos duros num momento
Calamos logo os nossos corações.
 
Tenho o que queria ter,
Mas falta-me acreditar que o tenho,
Tenho tanto medo de voltar a sofrer
Que tenho tudo e nada tenho.
 
Ou há paciência para esperar,
Ou se desiste e segue-se em frente,
Não sei se um dia vou superar
E voltar a confiar plenamente.
 
A culpa é do meu passado
Que me ludibriou com juras eternas,
Não é que não me tivessem avisado
Mas escusei-me sempre a ver as lanternas.
 
Alertavam-me para o perigo,
Ceguei e deixei de ver,
E hoje existe um amigo
Que está magoado por eu não crer.
 
Não é culpa minha,
São as minhas proteções a falar mais alto,
Não sei o que se avizinha
Mas sinto em mim um grande sobressalto.
 
Não quero perder o que ainda não tenho,
Mas tudo o que já tenho eu quero manter,
Para confiar vai ser preciso muito engenho,
Cabe-lhe a ele fazer por o merecer.
 
Sou exigente com os outros,
Mas ainda mais o sou comigo própria,
Nesta vida não há louros
Nem ambiciono um lugar de glória.
 
Sou uma mulher outrora ferida,
Magoada e que foi ao chão,
Estive demasiado tempo perdida
Para agora entregar tudo de mão.
 
Não é que não queira,
(e se quero)
É porque não sei se dessa maneira
Não haverá em breve um novo desespero.
 
Faz-me confiar,
Faz-me acreditar,
Não fales em amar
Não insistas no apaixonar.
 
Mostra-me em atitudes,
Prova-me o teu afeto,
Supera as vicissitudes
E serei tua, eu prometo.
 
Sem medos,
Sem barreiras,
Sem segredos,
Já não tenho espaço para mais brincadeiras...
 
(Mafalda)
 
02-12-2014 20:27
Dezembro é o mês das grandes festas,
Daquelas a que eu fujo a sete pés,
Escondo-me atrás das giestas
E espero que não chegue mais nenhum revés.
 
Dezembro foi sempre um mês de solidão,
De perda, morte e sofrimento,
Sempre ambicionei que caísse um grande nevão
Que cobrisse o meu ser de um profundo esquecimento.
 
Dezembro é a altura falsa,
Onde toda a gente gosta de toda a gente,
Foram tantos anos a viver esta farsa
Que este ano já não ligo, finalmente...
 
Mas continuo a dizer que não gosto,
Que os pobres o são todo o ano,
Organiza-se caridade para atenuar o desgosto,
Dá-se só nesta altura para compensar o dano.
 
Anos inteiros a contragosto,
Os danos de vidas inteiras de miséria,
Hipocrisia é o que lhe chamo,
Definitivamente de Dezembro eu não gosto...
 
(Mafalda)
02-12-2014 20:13
Assumo quem eu sou,
Sem qualquer motivo de receio,
As palavras que aqui vos dou
Apenas denunciaram todo o meu anseio.
 
Não tenho medo de me revelar,
De expor ao mundo os meus sentimentos,
Se nuns dias quero amar
Noutros apenas consigo viver os lamentos.
 
Podem-me facilmente descobrir,
Não devo nada a ninguém,
Falei muito em trair
Mas nunca enunciei a quem.
 
Não tenho segredos obscuros,
Vivo como qualquer pessoa normal,
Às vezes os caminhos apresentam-se escuros
Cabe-nos lutar pelo nosso ideal.
 
Muitos já me identificaram,
Já falam comigo fora da Mafalda,
Diversos temas aqui se desmistificaram
Mas não trato nenhum assunto à balda.
 
Respeito pessoas e emoções,
Acato decisões e partidas,
Vivi num mundo de ilusões
Mas regressei às terras prometidas.
 
Sou assim, frontal e sincera,
Nem de outra forma saberia viver,
Às vezes sou demasiado severa
Mas apenas porque fui obrigada a aprender...
 
(Mafalda)
 
02-12-2014 20:02
Obrigada às 32.000 pessoas que me seguem, com uma paciência infinita, tanto na minha página do facebook, como no meu blog.
 
Estou-vos muito grata!
 
29-11-2014 21:17
Há dias assim...
Em que a escrita fui sem eu nada pedir,
Em que não me sinto em mim,
Em que não tenho medo do que há-de vir.
 
Há dias loucos,
Silenciosos e calmos,
Em que escrevo para moucos
Que palavras não calam.
 
Há dias sem nexo,
Sem razão aparente,
Em que olho o reflexo
De uma presença ausente.
 
Há dias enfadonhos,
Desastrados e sem objetivos,
Em que vivo nos sonhos
E não tenho medo dos perigos.
 
Há dias que nunca acabam
Mas que deviam acabar,
Em que os poucos que falam
Se deviam calar.
 
Há dias lindos,
Radiantes e vistosos,
Em que os minutos findos
Nunca são receosos.
 
Há dias em que mais vale ir dormir cedo,
Do que escrever coisas sem sentido,
Poderia ficar toda a noite neste enredo
Mas iam pensar que tinha perdido o tino...
 
(Mafalda)
 
29-11-2014 21:05
Gosto do teu sabor,
Do toque da tua mão,
Fazes-me voltar a sentir calor
Onde antes existia apenas solidão.
 
Gosto de olhar para ti,
De ver o teu sorriso sincero,
De tudo o que já vivi
Este é o momento menos austero.
 
Gosto dos teus olhos profundos,
Onde mergulho sem saber nadar,
Entrego-me em todos os segundos
Não vá o tempo acabar.
 
Gosto de estar contigo,
Da tua gargalhada sonora,
Tornaste-te um porto de abrigo
Mas pecaste pela demora.
 
Gosto de tudo o que me dás
E de tudo o que eu te dou,
Não vamos nunca olhar para trás,
Para o tempo em que a vida parou.
 
Gosto de te ver dormir,
Da paz que emana do teu corpo,
Dou por mim a imaginar-te e a sorrir,
Desta vez o caminho não é torto.
 
Gosto do que me dizes,
Da forma como me mimas,
Parecemos dois petizes
A brincar aos enigmas.
 
Gosto de tudo em ti,
Mas ainda conheço muito pouco,
Mas fazeres-me sentir o que senti...
Só podes mesmo ser considerado louco.
 
Gosto do que temos,
Não me preocupa o que poderemos ter,
Às vezes o tempo é a menos
Mas mais oportunidades irão aparecer.
 
Gosto de começar a acreditar,
De deixar a imaginação fluir,
Mas às vezes obrigo-me a parar
Não vá o caminho ruir.
 
Gosto de ser como sou,
Do que sou quando estou contigo,
Afinal algo de mim sobrou
Apenas esperava pelo teu afeto amigo.
 
Gosto de me deixar ir,
De ter prazer sem preocupações,
Contigo voltou a vontade de rir,
De viver intensamente as emoções.
 
Gosto que me adores,
Que me chames querida constantemente,
Virão para ti dias melhores,
Anseio por isso arduamente.
 
Gosto de me preocupar contigo,
De tentar ajudar no que posso,
Sinto que pode ser um grande perigo
Mas para já o presente é só nosso.
 
Gosto de me sentir desejada,
Acarinhada e bem amada,
Bendita a hora em que a decisão foi tomada
E falaste comigo sem receios de derrocada.
 
Gosto de gostar de ti,
Há muito que podias ter avançado,
Foram momentos que perdi
Porque eu nunca te teria procurado.
 
Gosto de perder o medo,
De me deixar ir com o vento,
A minha vida não é um segredo
Todos sabem que vivo o momento...
 
(Mafalda) 
 
29-11-2014 20:42
A rua está escura,
Acabou toda a diversão,
Foi uma decisão obscura
De quem não tem qualquer razão.
 
Fecham-se espaços felizes
Que nos deram momentos de prazer,
É o que faz lidar com petizes
Com pouca vontade de aprender.
 
Foi bom enquanto durou,
Trouxe-me uma alegria verdadeira,
Agora que fechou
Estou em casa, prisioneira.
 
Nada acontece por acaso,
Há sempre algo que permanece,
Foi lá que eu dei azo
A encontrar a minha prece.
 
Mas é triste ver a escuridão
Onde outrora havia risos,
Conformamo-nos com a situação
Mas novos momentos são precisos.
 
Não me posso queixar em demasia
Porque em tempo aproveitado fiquei a ganhar,
Mas olho e vejo a razia
Do local onde te fui encontrar.
 
Foram momentos muito divertidos
Que nunca irei esquecer,
Alguns tornaram-se atrevidos
E foi o melhor que podia acontecer.
 
Agora é um espaço fechado
Carregado de recordações,
Mas aqui tudo foi conquistado
E encontraram-se dois corações...
 
(Mafalda)
 
29-11-2014 20:29
Vou apagar o meu passado,
Esquecer as juras de amor,
O que está há muito acabado
Não merece permanecer no meu computador.
 
Ficam os poemas que escrevi,
As missivas que tornei públicas,
O que com ele vivi
Não passaram de experiências lúdicas.
 
Tomo esta decisão de cabeça fria,
Não tenho dúvidas que o devo fazer,
Há um ano quem diria
Que hoje isto ia acontecer.
 
Não vivo o meu passado,
Vivo apenas o que o presente me destinou,
Foi um fim desde sempre anunciado
Mas só agora a ordem aqui chegou.
 
Vivo o que tenho para viver,
De nada adianta guardar recordações,
Algumas irão permanecer
Mas no presente não tenho grilhões.
 
Tomo a decisão em consciência,
Sem qualquer interferência exterior,
Esquecer o que magoou tornou-se uma ciência
Hoje quero da vida todo o seu esplendor...
 
(Mafalda)
 
28-11-2014 20:56
"Foi uma era feliz
Experiencia vital
Ás vezes o que se diz
É bem a fugir do mal
 
Foi...passou....perdeu a voz
Vinculados, descobrimos
Que a vida passa por nós
E nem sempre a pressentimos
 
No palacete da dúvida
Há vidraças de algodão
Com as carícias da chuva
Ficam manchas de perdão
Da chaminé encardida
Sobe uma fumaça espessa
O sol por mais que apareça
Não sabe que fazer á vida
Parece que nos convida
A não termos tanta pressa....´"
 
(M.A.R)

28-11-2014 20:52
"Da vida , não lamento nada 
Amei e fui amada 
Acendi o sol possivel em cada madrugada
E sobrevivi a longas noites apagadas
Passei as pontes que tive de passar
Atravessei os desertos que se me impunham atravessar
Bebi das fontes que tinham a mesma sede de mim
Fiz os caminhos que que tinha de fazer 
Se isto foi viver? 
Foi! 
E da vida não lamento nada 
Pois amei , e fui amada"
 
(Isaura Pires Vieira)
 
28-11-2014 20:44
"A minha Poesia
Aconteceu em mim 
Quando nasci
E veio para cantar...
 
Igual é a canção
Do canário aprisionado
No palácio do patrão
Ou na cave do criado...
 
Não estranha nada...nada encontra errado
E não pretende nunca criticar
E não tem credo...nem pendão...nem brado
Só paira a perfumar...
 
São irmãs na floração
No perfume e na raiz
As violetas do ladrão
As violetas do juiz...
 
E não se perde mais ....ou esmorece
Pura nasceu e pura se mantem
Nem é um mal...um bem
Aquece....
 
A acha crepitante
Que embala os leves sonhos do pastor
É a nota elegante
Dos salões do embaixador..
 
Diluída e branca se dispersa...e foca
As perspetivas mais díspares...divina
Se reparte...e nada exige em troca
Dá-se...e ilumina...
 
Andam o sol e o luar
A fazer suas visitas
Aos ecos do lupanar
E ás preces das Carmelitas..
 
Sim ...podem os astros
Ser melhor caminho
Os homens comungar lodo...de rastos
E beber sangue fartos já de vinho...
Pode o mundo rolar
E repartir-se
Pela encosta rochosa e sobranceio imutável destino que o domina,
Que sempre a poesia verdadeira
Virá...e será..e há-de cumprir-se :
 
CANTA....PERFUMA....AQUECE ...E ILUMINA"
 
(M.A.R.)
 
28-11-2014 20:16
Quase dois anos passados
desde que me mudei para aqui,
muitos eventos foram dados como terminados
em muitos outros eu simplesmente renasci.
 
Talvez tenha sido a minha melhor opção,
sair daqueles ambientes saturados,
apesar dos muitos momentos de frustração
também tive imensos outros bastante animados.
 
Perdi-me assim que cheguei,
passei alguns meses à deriva,
mas também foi aqui que exterminei
a dor provocada por uma insistente urtiga.
 
Era uma obsessão sem cabimento,
de transformar sonhos em situações reais,
mas paixão envolta em tanto sofrimento
nunca augura grandes finais.
 
Encontrei-me no local onde me perdi,
descobri novas sensações para mim,
superei assim que te vi
e agora apenas quero que seja sempre assim.
 
Uma vida colorida,
onde se recebe e se dá,
não quero ser mais esquecida,
mas se não o serei, só o futuro o dirá.
 
A melhor opção da minha vida,
direi isso até que morra,
sinto-me fénix renascida,
sem me preocupar que o tempo corra.
 
Se o acompanhar, muito bem,
se me cansar fico pelo caminho,
a minha imaginação estava muito aquém
de voltar a sentir todo este carinho.
 
Estou melhor do que alguma vez imaginaria,
sinto-me a planar para além dos limites,
estou numa fase que há muito queria,
sigo o vento não aceito palpites...
 
(Mafalda)
 
27-11-2014 21:34
Fui encostada à parede
sem qualquer hipótese de escapar,
sinto-me a entrar na rede
de voltar a acreditar.
 
Não quero contestar,
nem tão pouco me desagrada a ideia,
não sei mais o que esperar,
sinto que a coisa pode virar feia.
 
O dia. Apenas o dia.
Importará mais alguma coisa?
Recordo de quando sorria
e não me importava de partir a loiça.
 
Viver sem emoção é uma monotonia,
fugir do que a vida nos quer dar é pura demagogia.
 
Sinto-me renascer de um luto pesado,
a abrir cautelosamente o meu coração,
lentamente deixa de ser um sentimento emboscado,
se vou ou não acreditar... perdoem-me, mas não sei não!
 
É o malvado do receio,
aquele me me remeteu à minha vida,
são momentos por que anseio
e aos poucos vou ficando rendida.
 
O dia. Apenas o dia.
Nada mais ambiciono por agora,
sabe Deus o que eu não faria
para superar esta longa demora.
 
Deixo andar sem nada prever,
sigo em frente sem saber se me vou arrepender,
há sempre o medo de voltar a sofrer,
mas se não arriscar nunca irei saber.
 
Arrependimentos que sejam pelo que fiz,
nunca pelo que gostaria de ter feito,
há situações que nascem de raíz,
que aceleram o interior do meu peito.
 
O dia. Apenas o dia...
 
(Mafalda)
 
25-11-2014 22:44
“És minha para sempre”,
diz um dia um homem charmoso,
não é situação que lamente,
mas parece demasiado pomposo.
 
O “sempre” é tão relativo,
sem qualquer prazo de validade,
dizer isso é um grande perigo,
é um largo passo para a insanidade.
 
“Quero-te para mim”,
diz um dia um cavalheiro bem falante,
será que vai ser mesmo assim
ou não passa de um momento delirante?
 
O “querer” é tão relativo,
mudamos de vontades todos os dias,
o rico vira mendigo
e sofre na pele todas as agonias.
 
As palavras são vãs e dispensáveis
se as ações forem verdadeiras,
sentimentos não são palpáveis
e podem ser apenas brincadeiras.
 
Não é preciso falar,
é preciso ser apenas sincero,
desculpem-me se estou a divagar
mas hoje o meu dia foi severo.
 
Acordar com um sorriso,
passar a um estado de nervosismo,
chorar foi mesmo preciso
para acalmar todo este antagonismo.
 
Talvez esteja mais sensível,
ou talvez esteja cansada da banalidade,
gostava de ter sempre uma vida aprazível
mas nem sempre é essa a minha realidade.
 
Momentos de dor que estragam o colorido,
imprevistos tontos que abalam as fundações,
palavras duras que causam alarido
e voltam à memória os motivos das hesitações.
 
Porque não são as pessoas sinceras,
porque há tanta falsidade na vida,
bolas... hoje sinto-me no meio de megeras,
sem saber qual delas é a verdadeira perdida...
 
(Mafalda)
 
25-11-2014 22:26
Bate a mágoa do engano,
a dor de de nada poder fazer,
fica sempre um imenso dano
de quem tudo dá sem nunca se arrepender.
 
Toca a vida na porta errada,
passa por lá mas sai depressa,
mas a dor de ser enganada
não atenua com uma simples compressa.
 
Assobia o vento na direção oposta,
o carrocel movimenta-se ao contrário,
quando se atinge uma resposta
consegue-se um feito extraordinário.
 
Mas a resposta é a que se temia,
o enganador passou a enganado,
se hoje de dia eu tremia
agora estou num pântano estagnado.
 
Como cobrar a quem me deve,
como ir buscar a quem nada tem,
sinto a água que cada vez mais ferve,
sinto a raiva que supera o desdém.
 
Ser ignóbil que existe à face da terra,
que cospe no prato onde já comeu,
é esta a raiva que desespera
quem um dia tudo já lhe deu.
 
Não gosto de me sentir assim,
não sei lidar com sentimentos destes,
tiraram todo o dinheiro de mim,
mas não se vão livrar de momentos agrestes.
 
A falsidade é sempre desmascarada,
a traição vem sempre à superfície,
eu sei que sou afortunada
por me poder socorrer de quem sempre existe...
 
(Mafalda)
 
20-11-2014 22:18
Abre os teus olhos
Que encantados andam
Na incerteza das palavras vãs
Os sentimentos nem sempre comandam
O fulgor das manhãs!
Pedes licença para seres quem és
Como se um raio te tivesse aberto
Novas crateras em teu peito nu...
Não deixes de ser tu
De qualquer modo,
A existência vale pelo todo
E a vida, essa, tem que ser cumprida...
Guarda só para ti o que há-de vir
Guarda só para ti o que passou
Que um rio só é rio se fugir
Á fraga dura onde começou.
Corre para o mar
E tudo leva à frente
Dando às margens seus cansados bordos
E só no mar encontra quem o entende...
E ali... só ali
Os rios morrem todos....
Como eu morri...
 
(M.A.R.)
 
20-11-2014 22:14

E é aqui...

No silêncio da minha casa,

na solidão de um pássaro sem asa...

Que eu penso em ti.

 

Releio o que consigo alcançar,

sonho com o que se poderia passar,

engulo a azia do nada acontecer,

espero por amanhã para te ver.

 

E é aqui...

Nesta paz sincera e real,

que sonho com o momento ideal,

aquele que contigo já vivi.

 

Recordo o que a memória permite,

ultrapassei o meu limite,

senti-me de novo a acreditar

deixei a minha vontade voar.

 

E é aqui...

Que o sonho comanda a vida,

que assumo que não quero uma despedida,

que se de novo sonho, o devo a ti.

 

Sinto o que é proibido,

o que pensava já ter esquecido,

vivo um sentimento indefinido

mas que não vou dar como perdido.

 

E é aqui...

Que volto a ser uma crente,

que me envolvo no seio da gente,

que esqueço o que um dia sofri.

 

Quero!

Quero por muito tempo,

sem poder acontecer o lamento,

sem permitir a chegada do desespero.

 

E é aqui...

Que revivo momentos intensos,

que tenho sonhos imensos,

que desejo o melhor para ti...

 

(Mafalda)

19-11-2014 09:46
Tonta,
exigente,
abandonei a montra
de um amor ausente.
 
Meiga,
apaixonada,
mas continuo leiga
e com medo de ser amada.
 
Preocupada,
carinhosa,
sigo numa estrada
que é sempre sinuosa.
 
Receio de sofrer,
com muros que estremecem,
sinto-me a endoidecer
mas há pessoas que me merecem.
 
Como conseguir acreditar?
Como confiar novamente?
Sei que tenho muito para dar,
mas se dou muito tenho receio que o afugente.
 
Será a paixão que anda no ar?
Será apenas uma amizade muito boa?
Não me posso por a equacionar,
senão lá vem o medo que doa.
 
Não posso expressar certas emoções,
apenas porque deixaram de ter significado,
mas estou envolta em situações
que pensava já terem acabado.
 
Afinal continuo humana,
afinal não me tornei uma pedra,
do amor só afloro a rama
não vá ter uma recaída severa...
 
(Mafalda)
 
11-11-2014 21:27
Interessante a forma como a poesia se desenrola
como está ausente durante dias a fio,
de repente surge em forma de bola
e não há dedos que acompanhem o desafio.
 
Dias mais inspirados
com vibrações que nos fazem sonhar,
dias há muito esperados
que tornam fácil a arte de improvisar.
 
Serenidade que não tem preço,
paz interior que tudo nos proporciona,
é imenso o meu apreço
a quem me conseguiu tirar da minha redoma.
 
Saí muito a medo,
com passos pequeninos,
para vós não constitui segredo
que edifiquei muros contra certos perigos.
 
Mas avanço com cuidado,
de acordo com a minha vontade,
mas se não tivesse ousado
hoje não teria esta tranquilidade.
 
Custou-me a decidir,
demorei a acreditar,
mas quando voltamos a sorrir
não vale a pena continuar a negar.
 
Devagar, muito devagar,
momento a momento e sem grandes sonhos,
permito-me momentaneamente pairar
apenas porque perdi os meus olhos tristonhos.
 
Recuperei o brilho do meu olhar,
voltei a recordar-me de como muitas vezes era,
é demasiado bom sentir que estou a voltar
pouco importa o que no futuro me espera...
 
(Mafalda)
 
11-11-2014 21:08
Sete dias sem nada escrever,
apenas porque me sinto demasiadamente bem,
também tenho tido muito para fazer
e as horas do dia ficam sempre muito aquém.
 
Quando não há dor nem sofrimento,
quando a vida nos corre da forma que queremos,
não se consegue sequer imaginar um momento
em que haja algo de novo para dizermos.
 
O poeta não é fingidor,
não consegue escrever o que não sente,
apesar do frio tenho um novo calor,
nos últimos tempos voltei a sentir-me "gente".
 
Sensações há muito adormecidas,
desejos que permaneciam escondidos,
a vida é um misto de investidas
mas para isso temos de libertar os corações sofridos.
 
Deixar o vento soprar,
deixar a maré impor a sua vontade,
esperar que da noite saia um novo despertar,
crescer na vida enquanto ainda se vislumbra claridade.
 
Sempre disse que é apenas o “Hoje” que deve importar
mas nunca tinha conseguido seguir esse conceito,
sinto agora uma imensa vontade de o adotar
e viver da melhor forma o momento perfeito.
 
Sinto-me uma verdadeira princesa,
(vá-se lá entender porquê),
nunca fiz parte de nenhuma realeza,
mas hoje é apenas a princesa que se vê.
 
Sinto-me bem comigo
e com o mundo que me rodeia,
é demasiado bom ter um amigo
que todos os dias com algo nos presenteia.
 
Acabou o tempo da escuridão,
(embora ainda receie a claridade extrema),
é bom sonhar com quem me dá a mão,
com que me torna uma mulher serena.
 
Quem não gosta de ser mimado,
quem não sonha com o carinho de quem gostamos?
Há muito que este momento era ambicionado,
quando chegar o “a seguir”, pelo menos o “hoje” já aproveitamos.
 
Posso morrer neste preciso momento,
posso não ter tempo de concluir este poema,
da minha vida apenas lamento
ter tantas vezes entrado num eterno dilema.
 
Pensar menos,
agir mais,
não somos o que temos,
somos simples pessoas reais.
 
Com desejos,
com sentimentos,
com ensejos
de aproveitar todos os momentos.
 
Somos carne,
somos paixão,
somos fogo que arde
sem exteriorizar a combustão...
 
(Mafalda)
 
11-11-2014 20:36
Há sempre uma réstia de esperança
uma vontade em acreditar,
voltamos a sentir-nos na infância
quando sentimos que nos estamos a aproximar.
 
Há sempre um desejo escondido,
uma vontade de fugir da solidão,
sentimos que o tempo não foi perdido
quando encontramos alguém a quem queremos dar a mão.
 
Há sempre uma vontade de brincar,
de ser feliz ao sabor do vento,
fugimos da palavra “Amar”
mas deixamos de estar em sofrimento.
 
Há sempre um sentimento que permanece,
que vem à tona quando menos esperamos,
é o corpo que desfalece
e que por momentos esquece os danos.
 
Há sempre uma alegria,
um sorriso que nos é roubado,
se eu há algum tempo diria
que haveria um lugar ao sol que me era destinado.
 
Há sempre um sonho perdido em nós,
um lutar constante entre o querer e o não ter,
é complicado soltar a voz
quando ainda se tem muito medo de voltar a sofrer.
 
Há sempre uma vida colorida
que se nos apresenta sem se fazer anunciar,
viver é uma experiência muito divertida
e é a única coisa em que tenho de acreditar...
 
(Mafalda)
 
04-11-2014 20:38
Vale sempre a pena correr riscos
quando a loucura nos invade,
evitamos sentir-nos ariscos
brincamos sem pensar na eternidade.
 
Vale a pena arriscar
quando as sensações são inebriantes,
se é ou não para durar,
são perguntas nada inquietantes.
 
É o momento,
aquele desejo que sentimos,
sem dar azo ao lamento,
aproveitamos e sorrimos.
 
Amanhã já posso ter morrido,
de nada adianta protelar o ambicionado,
assim posso-me orgulhar de ter vivido
um momento único e muito desejado.
 
Pouco me importa a opinião alheia,
se pensam bem ou mal de mim,
quem quer semeia...
E cultivar faz parte de mim.
 
Gosto de viver com emoção
de não viver em modo automático,
se algo vier que seja paixão
que o resultado nunca é problemático.
 
É fácil de acontecer,
quando a vontade é dos dois,
prometo não me esquecer
de vos vir contar como foi.
 
Mesmo que nada aconteça,
tudo já aconteceu,
e se não houver nada que o impeça
um dia destes o meu sorriso é teu...
 
(Mafalda)
 
04-11-2014 20:21
Ando arredada,
fugida da minha escrita,
tenho sido bastante mimada
digamos que de forma muito erudita.
 
Ando ausente dos meus desabafos,
talvez porque não sinta falta de os ter,
tenho passado momentos bem animados
só com a perspectiva do que poderá vir a acontecer.
 
Ando bem disposta e satisfeita,
sinto-me muito colegial,
apesar de já ser uma mulher feita
há coisas que não nos caem nada mal.
 
Espero que não haja nenhuma desfeita,
mas se houver será apenas “mais” uma,
ando-me a sentir a mulher perfeita,
acho que estou feliz... em suma!
 
(Mafalda)
 
29-10-2014 22:22
Hoje sinto-me desiludida,
mas apenas com a atitude humana,
passei dias extremamente divertida
mas hoje só me apetece enfiar na cama.
 
Cansam-me as palavras ocas,
as promessas de felicidade a rodos,
não entendo porque as pessoas ficam roucas
depois de combinarem momentos muito loucos.
 
Cansa-me a falta de objetividade,
o escamotear dos verdadeiros intentos,
porque não usar apenas a sinceridade
em vez de criar ilusões de momentos?
 
Cansa-me o homem,
com a sua mania de bajular,
são dele as palavras que me consomem,
é dele que eu tenho de me afastar.
 
Há sempre um que quer sem querer,
e depois há sempre outro que não quer mas também quer,
viver rodeada de homens faz-me perder
qualquer ponta de esperança em me sentir novamente mulher.
 
Mantê-los longe quanto baste,
não vale a pena investir seja no que for,
falar de homens é sempre um desgaste,
tentar entendê-los é um verdadeiro horror.
 
Se só querem ir para a cama,
não façam rodeios disparatados,
é fértil a imaginação de quem clama,
é idiota a atitude dos menos ousados.
 
Digam o que querem diretamente,
arranjem coragem para falar,
é dececionante perceber que alguém mente
e que não tem mesmo nada para nos dar.
 
Não é orgulho nem paixão,
não é amor nem ilusão,
foi apenas uma forte atração
e uma ténue esperança de voltar a sentir o meu coração...
 
(Mafalda)
 
29-10-2014 21:59
Nasce o dia,
acaba o dia,
tudo dizia
mas nada fazia.
 
Passam as horas,
contam-se os minutos,
chegam as demoras,
entendam os mais astutos.
 
Nascemos apenas uma vez,
morremos a cada desilusão...
Perceber? Talvez...
Mas apenas numa outra dimensão...
 
(Mafalda)
 
29-10-2014 21:51
Triste sina a da borboleta
que cria ilusões de poder voar,
nuns dias tem conversa de treta
noutros não tem com quem falar.
 
Triste fado a que foi destinada,
começava a acreditar, mas com receio,
mas a doença foi-lhe diagnosticada
e o desejo dela nem chega a meio.
 
Triste sorte teve de lhe calhar,
de nada lhe vale fugir da realidade,
acreditar que podia voar
foi mais um devaneio da sua insanidade.
 
Triste voo lhe reserva a vida,
bate as asas mas não se movimenta,
de nada lhe vale recomeçar a ser atrevida,
vê-se estagnada e tudo lamenta.
 
Triste vida de uma borboleta errante,
que deixou as asas no passado,
por muito que queira mudar o semblante,
tudo acaba mesmo antes de ter começado.
 
Triste mágoa que a imobilização lhe acarreta,
é malfadada em todos os voos que intenta,
olha para o ar e faz uma careta,
olha em frente e nada a alenta.
 
Triste de quem tem asas e não consegue voar,
de quem tem sonhos e não os consegue concretizar,
é triste passar a vida a imaginar
o que se faria se asas lhe permitissem escapar...
 
(Mafalda)
 
27-10-2014 22:25
"Ponto por ponto,
tecem-se caminhos,
transformam-se vidas
inteiras em desalinhos.
 
Pintam-se os dias
em laivos de cores brilhantes,
Desenham-se as horas
em momentos inconstantes.
 
Ponto por ponto,
gera-se a mudança
Constroem-se pontes,
vence-se com perseverança."
 
(Cátia Isabel Silva)
 
27-10-2014 22:11
A mente humana é deveras interessante,
rege e comanda todo o nosso ser,
nuns dias anda hesitante,
noutros só lhe apetece espairecer.
 
A cabeça controla tudo,
faz e desfaz consoante lhe convém,
ontem chamei-lhe sortudo
mas a palavra "sortudo" fica-lhe muito aquém.
 
Conseguiu mexer com as minhas emoções,
trabalhou bem a minha cabeça,
passa os dias a criar ilusões
e faz tudo para que não o esqueça.
 
Mensagens constantes que me fazem vibrar,
atenção sempre presente que tanto me apraz,
entrelinhas discretas que me permitem imaginar,
a mente do ser humano de tudo é capaz.
 
Acreditar no que não existe,
imaginar o que ainda não foi inventado,
mas há um coração que ainda resiste,
joga à defesa, porque foi muito maltratado.
 
Mas a cabeça não pára um segundo,
dá voltas e voltas sem qualquer contemplação,
grita bem alto para eu não fugir do mundo,
sussurra exasperada para que eu saia desta solidão.
 
Mas o coração tem medo,
tem medo de voltar a bater,
entretanto ando aqui neste enredo,
sem saber para que lado vou um dia pender.
 
Cala-te coração,
deixa a cabeça comandar,
nunca pode ser uma ilusão
quando ainda não existe nada para imaginar.
 
Deixa a vida seguir o seu caminho,
aceita o que o destino planeou para nós,
se nos atraem as pessoas que se atravessam no nosso caminho
deixemo-las instalar, não continuemos sós...
 
(Mafalda)
 
27-10-2014 21:52
Hoje apetecia-me ir à deriva
até encontrar o teu abraço,
queria deixar de me sentir uma mendiga,
mas não tenho força nem para dar um passo.
 
Gostava de te poder dizer:
“Faz-me feliz, dá-me a tua mão”,
mas tenho medo de sofrer
e de tudo não passar de mais uma ilusão.
 
Será que a atração é suficiente,
ou quererei eu algo mais?
Às vezes sinto-me doente
e nesses dias só quero a companhia dos animais.
 
Não falam,
não fazem promessas,
assim não falham
e também nunca nos esquecem.
 
Gostava de me poder entregar,
de te abrir o meu coração,
mas é grande o medo de avançar
porque não quero mais nenhuma desilusão.
 
O que posso esperar de ti,
que continuas a insistir em que me vais conquistar,
que não vou saber passar sem ti
e que me devo entregar sem sequer hesitar.
 
Eu sei que a vida é demasiado pequena
e que ando a perder um tempo precioso,
mas se antes andava serena
agora vivo num verdadeiro alvoroço.
 
Beijaste-me...
Gostei em demasia.
Abraçaste-me...
Todo o meu corpo tremia.
 
Instalou-se um desejo atroz,
mas o breve momento não deu para mais,
por favor calem esta voz
deixem-me continuar só rodeada pelos animais...
 
(Mafalda)
26-10-2014 15:32

Apetece-me tocar-te...

sentir os teu lábios meigos,

nem sequer amar-te

nem dar azo a sentimentos leigos.

Apetece-me beijar-te,

sentir-te próximo de mim,

mas se continuares a afastares-te

nunca conseguirá ser assim.

Apetece-me ter-te,

envolver-te no meu desejo,

mas se continuares a abster-te

acabaremos por perder todo o ensejo.

Apetece-me estar contigo,

sem nada que nos separe,

mas não deixar voltar o perigo,

nem gritar para que pares.

Apetece-me fazer amor,

ser louca de prazer,

emoção em todo o seu fulgor,

pode ser o que um dia viremos a ter...

(Mafalda)

26-10-2014 09:41
Podem encontrar o "Devaneios" à venda nos seguintes espaços:
 
Chiado Editora;
 
Wook;
 
Bertrand;
 
 
Desassossego:
Rua de São Bento, nº34
1200-815 Lisboa
 
RG Livreiros
Alameda dos Combatentes da Grande Guerra, 270A
2750-326 Cascais 
 
Livraria Apolo 70
Centro Comercial Apolo 70
Av. Júlio Dinis, 10A - Loja 26/27
1069-216 Lisboa
 
Livraria Apolo 70
Av. 5 Outubro, 35-B
1050-047 Lisboa
 
Livraria Apolo 70
Centro Comercial Fonte Nova
Estrada de Benfica 503 - Loja 13/15
1500-083 Lisboa
 
Livraria Apolo 70
Centro Comercial Riviera
Rua Bartolomeu Dias, 47 Loja 10
2775-551 Carcavelos
 
Livraria Apolo 70
Av. Portugal Centro Civico Lote 6 Loja 1
2790-129 Carnaxide
 
26-10-2014 09:20

Eram essas as palavras que precisava ouvir

para acordar de um torpor que se instalava,

dei por mim novamente a sorrir,

às vezes mereço mesmo uma grande estalada.

Para quê ter sentimentos profundos

se só servem para tudo complicar,

temos de abraçar todos os mundos

e levar a vida sempre a brincar.

De nada vale construir castelos no ar,

sonhar, imaginar, desejar,

acabamos sempre por aqui ficar

e nunca nada acaba por se concretizar.

Estava-me a esquecer do dia-a-dia,

de não fazer planos para nada,

de não deixar instalar a agonia

quando a vontade sai totalmente gorada.

Aproveitar o brilho do sol,

transformar o nevoeiro em alegria,

seria exaustivo fazer um rol

de tudo o que contigo eu faria...

(Mafalda)

26-10-2014 09:12

Não resisti a transcrever para aqui o comentário de uma poetisa de renome sobre os meus livros...

Obrigada pelas suas palavras.

(Mafalda)

 

"Não há duvida que é uma poetisa, tem grande facilidade na escrita e um ritmo muito agradável. 

Ela é muito sofrida e parece que isso é um mal de família, assim como o jeito para a escrita. 

Ainda não li tudo, mas dir-lhe-ia que olhasse á sua volta e vivesse a vida com mais entrega, o amor está fora de moda, infelizmente."

(MAR)
 
25-10-2014 22:31

Hoje a tristeza bateu forte,

sem qualquer motivo aparente,

acordei virada para Norte

e passei todo o dia dormente.

Hoje está complicado,

quem me dera saber porquê,

não tem a ver com o passado,

esse está distante e já não se vê.

Hoje precisava de um abraço,

de um mimo e um carinho,

já não sei mais o que faço

se avance ou arrepie caminho.

Quando os obstáculos são muitos,

quando nada corre como queremos,

sentimo-nos transformar em defuntos

e da vida já nada sabemos.

Hoje estou em dia não,

pode ser que amanhã acorde melhor,

às vezes cansa-me esta solidão,

tenho de pensar nela como sendo um mal menor...

(Mafalda)

22-10-2014 22:34

Tenho medo de ter medo

de não conseguir avançar,

de criar um novo enredo

que só vai servir para me torturar.

Tenho medo de acreditar,

de deixar a imaginação fluir,

tenho medo de voar

e depois voltar a cair.

Tenho medo de ter medo

de não me conseguir libertar,

de viver outra vez em segredo,

sem ninguém com quem dançar.

Tenho medo de confiar,

de voltar a ser eu própria,

mas depois desta semana a imaginar

a minha sede está-se a tornar imprópria.

Tenho medo de ter medo,

de que tudo não passe de uma cantada,

mas chega deste degredo

apetece-me voltar a ser amada...

(Mafalda)

22-10-2014 20:12

Não sei o que se está a passar,

mas gostava de o ter visto,

já passou uma semana a improvisar

mas mal de mim que já deu nisto.

Aguça-se a vontade constantemente,

imprevistos que aparecem, ou talvez não,

só gostava de saber se mente

ou se fala mais alto apenas a atração.

Duvidar de toda a gente...

Fica complicado viver assim,

mas depois daquele amor latente

já não acredito em ninguém a não ser em mim.

Questiono os motivos desta aproximação,

ou se vem mandado por alguém,

está aqui instalada a confusão,

confiar é agora uma palavra que fica muito aquém.

Atrai-me, sem dúvida alguma,

gosto do jogo que se instalou,

mas certeza tenho só uma,

combina muito mais ainda aqui não entrou.

Será o acaso que se intromete,

será o meu anjo da guarda que não quer,

vou ter de lhes mandar um lembrete

para nunca se esquecerem de que sou uma Mulher.

Não me quero envolver,

custa-me acreditar em alguém,

mas hoje apetecia-me mesmo ver

aqueles olhos bonitos que só ele tem.

Está a dar conseguir dar-me a volta,

com a sua atenção constante e muito carinho,

hoje gostava de me sentir envolta

e estar com ele apenas um bocadinho.

Mas algo se atravessa nesta estrada,

há obstáculos novos todos os dias,

é melhor mesmo ficar aqui acomodada

antes que chegue a época das novas razias...

(Mafalda)

20-10-2014 21:23

Charmoso,

sedutor,

palavreado dengoso

num corpo que emana muito calor.

Atraente,

sorriso que parece sincero,

será que estou demente

ou acabou o tempo austero?

Quem te falou em mim,

quem fez com que te metesses comigo,

serás tu mesmo assim

ou apenas olhas pelo teu umbigo?

Olhos claros com um olhar profundo,

cabelos brancos de sabedoria,

vais-me ajudar a conquistar o mundo

ou vais-me trazer de volta muita agonia?

(Mafalda)

20-10-2014 20:53

Chegaste...

De mansinho, como quem não quer a coisa.

Instalaste-te,

dizes que vens para ficar,

que não vou passar sem ti,

que me vais fazer apaixonar

e que a vida sempre nos sorri.

Chegaste...

Com olhares velados e palavras doces.

Dizes que me vais fazer acreditar,

que me vais saber amar,

que eu não vou hesitar

e que nunca te vou querer abandonar.

Chegaste...

Com a segurança que tu tens,

com a mesma atenção que só têm as mães.

Observaste.

Pouco a pouco com suavidade,

aproximaste-te.

E agora queres aproveitar

a única hipótese do sol voltar a brilhar...

Chegaste...

(Mafalda)

20-10-2014 09:29

Preparem-se queridos leitores

muito vão ter para ler nos próximos tempos,

depois lá virão os horrores,

os desesperos e os lamentos.

Sempre me habituei a nada ter,

porque nunca tenho nada realmente,

mas entre o ter e o não ter

vou brincando como se fosse gente.

Preparem-se que estou de volta,

com inspiração logo pela manhã,

deixo novamente o meu espírito à solta

mas nada espero do dia de amanhã.

É giro como a poesia se processa,

a importância que tem sentirmos afeto,

vou devagar sem nenhuma pressa,

não me vou permitir sair do meu teto.

Demorei a conquistar a minha paz,

prezo a alegria com que vivo neste momento,

mas vou ver se ainda sou capaz

de nutrir por alguém um novo sentimento.

Sentimento sem amarras descabidas,

sem promessas de um futuro brilhante,

para mim algumas palavras foram remetidas

a um passado longínquo e distante.

Não digo o que não sinto,

não mostro o que não faz parte de mim,

vou entrar num novo labirinto

mas sair dele só dependerá de lhe querer por um fim...

(Mafalda)

20-10-2014 09:19

Abri a porta da garagem,

entraste com passo apressado,

fui tomada pela forte aragem

de um menino muito endiabrado.

Envolveste-me no teu abraço,

deste-me um beijo apaixonado,

pareceu existir um laço,

mas por favor permanece calado.

Sem promessas nem palavras,

apenas viver o que for rolando,

se soubesse a aceleração que me davas

há muito que já tinha avançado.

Não me vou apaixonar,

não vou construir castelos na areia,

vou deixar simplesmente andar

pode ser que recupere esta fraca veia.

Foi um beijo intenso e doce,

daqueles que tinha saudades de dar,

a vida quis que assim fosse,

quem sou eu para a contrariar?

(Mafalda)

19-10-2014 17:01

Deixei a porta entreaberta

na esperança de ele poder entrar,

mas a casa continua deserta

e eu passo a vida a esperar.

Abri a janela de mansinho

com medo de entrar um vendaval,

mas todo o mundo continua sozinho

pois é essa a nossa sina, afinal.

Tentei passar despercebida,

não dar azo a devaneios descabidos,

mas apareceu uma pessoa decidida

a fazer-me recuperar todos os momentos perdidos.

Mas a vida não quer que assim seja,

parece que há uma pessoa que intervém à distância,

por muita vontade que haja

vamos permanecer longe da abundância...

(Mafalda)

16-10-2014 21:20
"1. Gosto de você não por quem você é, mas por quem sou quando estou contigo.
 
2. Ninguém merece tuas lágrimas, e quem as merece não te fará chorar.
 
3. Só porque alguém não te ama como você quer, não significa que este alguém não te ame com todo o seu ser.
 
4. Um verdadeiro amigo é quem te pega pela mão e te toca o coração.
 
5. A pior forma de sentir falta de alguém é estar sentado a seu lado e saber que nunca vai poder tê-lo.
 
6. Nunca deixes de sorrir, nem mesmo quando estiver triste, porque nunca se sabe quem pode se apaixonar por teu sorriso.
 
7. Pode ser que você seja somente uma pessoa para o mundo, mas para uma pessoa você seja o mundo.
 
8. Não passe o tempo com alguém que não esteja disposto a passar o tempo contigo.
 
9. Quem sabe Deus queira que você conheça muita gente errada antes que conheças a pessoa certa, para que quando afinal conheça esta pessoa saibas estar agradecido.
 
10. Não chores porque já terminou, sorria porque aconteceu.
 
11. Sempre haverá gente que te machuque, assim que o que você tem que fazer é seguir confiando e só ser mais cuidadoso em quem você confia duas vezes.
 
12. Converta-se em uma pessoa melhor e tenha certeza de saber quem você é antes de conhecer alguém e esperar que essa pessoa saiba quem você é.
 
13. Não se esforce tanto, as melhores coisas acontecem quando menos esperamos."
 
(Gabriel García Márquez)
 
16-10-2014 21:09

Há olhos bonitos bem perto de mim

que parecem olhar na minha direção,

não sei se deva pensar assim

se não será mais uma desilusão.

Os olhos falam por si,

absorvem a atmosfera em que me movo,

depois de tudo o que já vivi,

como acreditar que não é um logro?

Olhos bonitos com um sorriso envolvente,

que sabem como agradar à minha pessoa,

mas se só a conversa é tão ardente,

como vou conseguir evitar que doa???

(Mafalda)

14-10-2014 22:42

Às vezes torna-se complicado

arranjar um tema sobre o qual escrever,

falava-se de um sentimento acabado

e agora já nada mais há para dizer.

Às vezes acordamos com os pés de fora

e sem vontade para enfrentar o dia,

olhamos para um tempo que chora

e embrulhamo-nos na agonia.

Às vezes sabe bem que nos alimentem o ego,

é sempre bom ouvir elogios desmedidos,

fica-se satisfeito, não o nego,

mas em nada altera os nossos sentidos.

Às vezes a vida torna-se banal

e sem excitação que nos atinja,

que mais quero eu afinal,

além de saber que sou sempre bem vinda?

Às vezes as coisas não correm bem,

não tomam o rumo que era suposto acontecer,

mas aí aparece sempre alguém

que, com carinho, nos ensina a reerguer.

Às vezes tudo se conjuga

daquela maneira como nós mais queremos,

existe sempre quem dê uma ajuda

e que nos prove que não somos nós os pequenos.

Às vezes as coisas aparecem do nada

sem qualquer aviso de chegada,

hoje a minha escrita está demasiado vaga,

vou mesmo optar por continuar calada...

(Mafalda)

07-10-2014 21:46
"Uma roupa desacertada, uns dentes ligeiramente tortos, uma mediocridade requintada da alma – estes são os tipos de detalhes que fazem uma mulher real, viva.
 
As mulheres que vemos nos cartazes ou em revistas de moda – aquelas que todas as mulheres tentam imitar hoje em dia – como é que podem ser atraentes?
 
Elas não têm realidade própria; são apenas a soma de um conjunto de regras abstratas.
 
Elas não nascem de corpos humanos; elas nascem prontas a servir a partir de computadores."
 
(Milan Kundera)
 
07-10-2014 21:42

07-10-2014 21:30

Tenho sido muito ingrata

com quem me acompanhou aqui desde sempre,

se a minha vida deixou de ser chata

devo isso a toda esta gente.

Deram-me forças para continuar,

incentivaram-me a escrever,

não me deixaram estagnar,

ensinaram-me a sobreviver.

Foi dessa força que recebi

que me tornei na pessoa que hoje sou,

de vós não me esqueci,

mas alguém tudo baralhou.

Não tenho tido tempo para nada,

os dias tornaram-se demasiado curtos,

não sou mulher de ficar parada,

combato com força todos os surtos.

Projetos novos no papel

têm roubado o vosso tempo,

prometo continuar-vos fiel

mas está difícil neste momento.

Não se preocupem que estou feliz,

com ambições que se estão a concretizar,

tudo o que em mim nasce de raíz

nunca será motivo para me preocupar...

(Mafalda)

01-10-2014 22:14
Dois dias sem escrever,
em que as farsas foram todas desmascaradas,
já nada mais tenho a temer,
sociedade e “amizade” estão dadas como encerradas.
 
Pena que ainda me falte o meu dinheiro,
que tenham ficado 6.000€ a voar,
eu sei que não sou a primeira
que eles têm o prazer de enganar.
 
Calculo qual seja a próxima presa,
uma simples funcionária com dinheiro disponível,
se ela não agir depressa
daqui a um ano será impossível.
 
Hoje penso em como fui enganada,
em como deixei a praga se instalar,
apanharam a minha família numa altura desesperada
e claro está, toca de aproveitar.
 
Sentiram o cheiro do “papel”,
tornaram-se pessoas sempre presentes,
esticaram ao limite o cordel,
ficamos entalados e meros sobreviventes.
 
Como é possível haver pessoas assim,
sem escrúpulos e sem sentimentos,
eu não devia estar em mim
quando aceitei construir uma empresa com estes “portentos”.
 
É difícil acreditar que fui dispensada do que construí,
que aproveitaram os meus conhecimentos para crescer,
quando a faturação chegou ao nível que eu vi,
limitaram-se a fazer-me desaparecer.
 
Mas eu não desapareço facilmente,
sempre fui teimosa e muito determinada,
não é preciso que ninguém me leia a mente
porque sobre este assunto nunca vou estar calada.
 
Podem-me ameaçar,
podem até pensar em me tocar,
leiam: “Eu nunca me vou calar”,
até o meu dinheiro voltar a entrar.
 
Escusam de me difamar,
de fazer levantamentos bancários à meia noite,
enquanto as dívidas não saldar,
gritarei ao mundo para que acordada eu pernoite.
 
O Karma costuma ser um fulano tramado,
e sei que tudo se paga nesta vida,
eu sou daquelas que não gosta de ser enganada
muito menos por quem se dizia ser muito amiga.
 
Amiga pelo cheiro do que podia vir a construir,
que se foi insinuando lentamente,
fez-me crer que sem mim não sabia existir,
pessoas pequenas nunca chegam a gente...
 
(Mafalda)
 
28-09-2014 21:36

O que fazer quando a hipocrisia é desmascarada,

quando nos sugam o sangue das veias,

será possível entrarmos numa cilada

sem que possamos permanecer nas ameias?

O que fazer quando sabemos que o fim é inevitável,

que se resume a uma questão de horas,

bem que eu digo que não há um sentimento viável,

quando pensas que ris, passado um momento choras.

Como se pode ludibriar tão descaradamente,

como se pode pensar que uma pessoa é assim tão parva,

fica sempre tensa a pessoa que mente,

há sempre uma frase ou palavra que encrava.

É a falsidade em ação,

a trapaça atrás da mentira,

já não devia estranhar a deceção,

mas mais uma vez alguém tudo me tira...

(Mafalda)

25-09-2014 22:30

Sinto o silêncio do vazio

a invadir a casa que me abriga,

ar pesado, doentio,

calmaria antes da briga.

Sinto adversidades esbatidas,

entranhadas nas cores da escuridão,

ecoam como vozes repetitivas,

quebram a paz da minha solidão.

Sinto tempestades intensas

que se aproximam com uma velocidade atroz,

envolta em teias densas

vou acabar por perder a voz.

Sinto que esta paz está a chegar ao fim

e que são fortes os ventos que me assolam,

aos poucos deixei de pertencer a mim,

mas nunca serei daqueles que se imolam.

Sinto que sem obstáculos não há vitórias,

que sem choro não há alegria,

profiro estas palavras inglórias

para que adocem o regresso da agonia.

Sinto uma insatisfação crescente,

uma falta não sei de quê,

se me virem continuo sorridente,

só me entende quem ainda me lê...

(Mafalda)

24-09-2014 23:36

São inabaláveis os muros à minha volta

porque foram construídos num mar de lágrimas salgadas,

se hoje vivo a minha vida sempre solta

há alturas em que me sinto afundar em águas estagnadas.

Bloqueei o melhor de mim,

a capacidade de amar e ser amada,

sinto-me quase sempre bem assim,

mas há alturas em que me apetece ser acarinhada.

Deverei voltar a sentir?

Será que me devo libertar?

Se alguém me souber instruir,

por favor, vai ter de me ensinar.

Ninguém irá transpor estas barreiras,

embora haja momentos em que me apetece,

meia volta sinto-me a perder as estribeiras,

a calar um desejo que aos poucos me enlouquece.

Gostava de poder a voltar a ser eu,

mas sei que nunca mais o conseguirei,

são estes os dramas de quem um dia sofreu,

literalmente hoje considero que hibernei.

Escondo-me das emoções,

sou um autómato feliz e bem disposto,

há dias em que é marcante a recordação das deceções,

em que há uma dor latente no rescaldo do desgosto.

Gostava de poder superar,

de me entregar de corpo e coração,

hoje não está fácil de acalmar

esta enorme sensação de devastidão.

Sofri uma razia profunda

em que aos poucos me apercebo da dimensão dos danos inflingidos,

hoje sinto-me um verdadeira vagabunda,

sinto que faço parte dos para sempre perdidos...

(Mafalda)

21-09-2014 21:00

Tenho andado demasiado cansada

e sem qualquer imaginação para escrever,

mas hoje apesar de esgotada

senti saudades de vos rever.

Nunca sonhei ser poeta,

nem tão pouco ter alguns seguidores,

queixava-me da minha vida ser uma treta,

de ter pouca sorte nos amores.

Hoje sei a sorte que tenho,

mas esta sorte fui eu que a fiz,

alguns amigos tiveram um forte desempenho

no facto de eu poder dizer que agora sou feliz.

Nada me falta,

tenho todo o tempo por minha conta,

nunca precisei das luzes da ribalta

e contra a vaidade sempre fui contra.

Tenho tudo o que é necessário

e tenho pessoas das quais não prescindo,

o meu blog deixou de ser diário,

mas acreditem que "eu vou indo".

Se não escrevo com tanta frequência

é apenas porque ando muito bem,

nem sempre me chega a apetência,

nem sempre faço o que mais convém.

Sou uma rebelde por natureza,

mas a minha rebeldia é muito salutar,

não anseio dar-me com a realeza,

mas gosto de ter sempre o meu lugar.

Estou numa fase verdadeiramente calma,

foi o meio século de vida que trouxe a sabedoria,

vivo a minha vida com toda a alma

e sinto-me rodeada de uma imensa alegria.

Batam na madeira para que o Diabo não oiça,

façam figas para que tudo continue assim,

não sinto mais necessidade de partir a loiça,

tenho toda a paz do Mundo dentro de mim...

(Mafalda)

21-09-2014 20:57

Já há data marcada:

Dia 11 de Outubro de 2014, pelas 16.00, na Biblioteca Municipal de Cascais, na Casa da Horta da Quinta Santa Clara.

Espero-vos lá!!!

15-09-2014 22:54
Hoje conversava com uma amiga
sobre o que a inveja pode causar,
pode destruir uma amizade antiga
e não deixar nada para contar.
 
Porque não podem ficar felizes
quando nos sentimos realizadas?
Porque insistem em quebrar raízes
quando elas estão tão bem enraizadas?
 
Afinal a Amizade também pode ser complicada,
quando os sentimentos não são verdadeiros,
enquanto uns vivem uma vida desesperada
outros são sempre uns eternos escuteiros.
 
A vida é uma canseira,
para quem não a vive com leveza,
mas se a amizade for verdadeira
todos se movem com mais destreza.
 
Podemos resolver o problema,
se só dermos a quem nos dá,
a amizade é um vasto tema
não podemos entregá-la ao Deus dará.
 
Procurar quem nos procura,
ajudar quem nos ajuda,
a amizade pode ser uma loucura,
pode ser um haja quem nos acuda.
 
Amigos sinceros são poucos,
amigos verdadeiros ainda menos,
no fundo todos somos uns loucos
por imaginarmos amizade onde não a temos...
 
(Mafalda)
 
15-09-2014 19:06

Gosto de deixar a dúvida no ar,

de permitir que as imaginações esvoacem,

de nada adianta falar

se não queremos que todos nos macem.

Silêncio sepulcral,

ausência de qualquer confissão,

será que vivo num mundo real

ou apenas dou asas à minha imaginação?

Gosto do jogo da vida,

do toca e foge  que todos os dias se depara,

em nada estou arrependida,

hoje posso dizer que já ninguém me pára.

Sou uma força motriz,

sou o vento que enfola as velas,

mas serei sempre uma mera aprendiz

da vida que apenas se vê nas novelas.

Atinjo sempre o que é mais importante

mas a presunção não faz parte de mim,

vamos ver se daqui para diante

consigo manter o meu ritmo assim.

Se hoje me perguntassem o que me incomoda,

não saberia que resposta dar,

mas ainda tenho pena de quem se acomoda

e não deixa a vida governar.

Ir ao sabor do vento,

naufragar em águas agitadas,

tudo na vida tem o seu momento,

mas há palavras que jamais serão pronunciadas.

Viver em paz,

sem ralações de maior,

todos sabiam que eu ia ser capaz

de levar a minha vida para um lugar muito melhor...

(Mafalda)

13-09-2014 22:44

Hoje não se vê a lua,

apenas nuvens que passam apressadas,

posso dizer que já não sou tua,

que acabaram para sempre as horas angustiadas.

Não gosto de proclamar a vitória,

não vá o destino trocar-me as voltas outra vez,

mas sinto que estou no auge da minha glória

e sempre disse que não haveria uma terceira vez.

De vez em quando ainda recordo, mas por breves momentos

pois logo outras ambições ocupam esse lugar,

hoje que foi um dia de tormentas,

usei a intempérie para mais uma vez triunfar.

Danço feliz ao ritmo do mar feroz,

uso a luz dos relâmpagos para me preparar,

hoje dei um bom uso à minha voz,

quando me disponho... eu sei como conquistar!

(Mafalda)

 

11-09-2014 21:08

Renasce a vida das cinzas da morte...

"Você pode ter certeza que o espírito americano irá prevalecer sobre esta tragédia."
 
(Colin Powell)
 

08-09-2014 22:08

Sinto que defraudo os meus seguidores,

que tenho ficado aquém das expetativas,

inúmera paciência têm tido os leitores

que seguem dia-a-dia as minhas investidas.

Nem sempre consigo escrever,

(sinal que a cicatrização já está terminada),

outras vezes surgem novas coisas para fazer

e acabo o dia completamente extenuada.

Dizem que a rima tem de se praticar,

que quanto mais se escreve melhor surge o poema,

eu aí permito-me discordar,

posso passar meses sem escrever e depois surgir um tema.

Só preciso de sentir,

de dar importância a um assunto qualquer,

depois limito-me a deixar sair

o turbilhão de ideias que ocupa a cabeça duma mulher.

Pode ser um texto explicito e sentido

ou pode conter mensagens ocultas nas entrelinhas,

mas alguns resultam dum espírito imaginativo

que nunca deixa as pessoas sentirem-se sozinhas...

(Mafalda)

08-09-2014 21:43

Como é complicado confiar,

quando nem sequer há vontade o fazer,

hoje permito-me duvidar

e nada me fará voltar a crer.

Perde-se tudo num segundo,

sem que nada o possa impedir,

sentimos desabar o mundo

e temos de continuar a sorrir.

Deixei de acreditar!

Deixei de confiar!

Vivo a minha vida devagar

com a certeza que nada disso irá mudar.

Confiamos cegamente em quem gostamos,

não acreditamos nas evidências que a todos saltam à vista,

depois surgem aqueles momentos em que nos desenganamos

e em que percebemos que não fomos nada realistas.

Sentimentos toldam a visão,

negócios não se misturam com amizades,

desculpem... estou em dia não,

vou ter de lidar com algumas adversidades...

(Mafalda)

"Se um dia você perder a confiança em mim, eu quero que você continue confiando nas pessoas."

(Batman - O Cavaleiro das Trevas)
08-09-2014 21:11

São milhões as palavras escritas sobre o amor,

mas há sempre demasiada dificuldade em o definir,

sonhadores que, em vão, procuram esse calor,

hoje equaciono se esse sentimento tem pernas para existir.

O que é isso de amar,

de dedicar uma vida a uma única pessoa?

São respostas que já não ando a averiguar,

assim protejo-me de tudo o que, eventualmente, doa.

Amor, paixão, não saber viver sem esses sentimentos,

perdoem-me a frieza, mas tudo não passa de breves momentos.

Imaginações férteis com palavras deveras sentidas,

juras e promessas e depois... As despedidas.

"Amor".... Já Camões o tentou explicar

e muitos outros se esforçaram por o entender,

acreditem que nada se deve esperar,

porque como nós não há mais nenhum ser.

Somos únicos e exclusivos,

com visões completamente distintas,

mas as palavras que mais entram nos nossos ouvidos

são aquelas que há muito se deviam considerar extintas.

Juras, promessas, amor para a eternidade...

Palavras que soam vãs quando se vive na realidade.

Todos somos levianos,

todos dizemos mil vezes as mesmas coisas a diferentes pessoas,

pouco importa se se causam danos,

amor... paixão... juras.... são meras palavras que ressoam... e ressoam... e ressoam...!

(Mafalda)

04-09-2014 21:26
"É um lugar encantado 
entre o mundo e a solidão 
onde se espreita estrelas 
e a vida cabe nas mãos.
 
Sento-me em frente ao mar 
olho para longe do fim 
perdem-se barcos na espuma 
não sei é dentro de mim.
 
E fico um pouco mais 
gosto de anoiteça aqui 
só neste lugar tudo faz sentido 
mesmo sem ti.
 
É uma praia onde a noite 
me faz lembrar quem eu sou 
sem ouvir o que me pedem 
sem importar o que dou.
 
Antes de todas as mágoas 
havia o mesmo luar 
só eu cumpri a promessa 
de cá voltar.
 
E fico um pouco mais 
gosto de anoiteça aqui 
só neste lugar tudo faz sentido 
mesmo sem ti."
 
(Susana Félix)
 
 
04-09-2014 21:02

Ando arredada da escrita

e sem qualquer motivo de inspiração,

mas já não sofro nenhuma desdita,

nem há dor no meu coração.

Ando arredada da poesia

e de toda a forma de divulgar a minha vida,

perdoem-se se estou a cometer uma heresia

mas para se escrever tem de ser de forma sentida.

Estou arredada das emoções

e daqueles sentimentos nobres e imensuráveis,

mas já não sofro de palpitações

nem de pressentimentos pouco palpáveis.

Estou arredada da dor

e as lágrimas secaram definitivamente,

mas deixei de sentir o calor

de juras de amor ditas constantemente.

Arredei-me das paixões

e do desejo de ter sempre alguém a meu lado,

vivo sem consternações

e todo o meu tempo anda esgotado.

Arredo-me do que me faz mal

e do que sempre acaba por causar dor,

sempre vivi a minha vida, afinal,

envolta num imenso fogo sem calor...

(Mafalda)

01-09-2014 22:34
"Há quem diga que todas as noites são de sonhos.
 
Mas há também quem garanta que nem todas, só as de verão.
 
No fundo, isto não tem muita importância. 
 
O que interessa mesmo não é a noite em si, são os sonhos. 
 
Sonhos que o homem sonha sempre, em todos os lugares, em todas as épocas do ano, dormindo ou acordado."
 
(William Shakespeare)
 
01-09-2014 22:28
“A consciência de uma planta no meio do inverno não está voltada para o verão que passou, mas para a primavera que irá chegar.
 
A planta não pensa nos dias que já foram, mas nos que virão.
 
Se as plantas estão certas de que a primavera virá, por que nós – os humanos – não acreditamos que um dia seremos capazes de atingir tudo o que queríamos?”
 
(Khalil Gibran)
 
01-09-2014 22:16
"Começa a haver meia-noite, e a haver sossego, 
Por toda a parte das coisas sobrepostas, 
Os andares vários da acumulação da vida... 
Calaram o piano no terceiro andar... 
Não oiço já passos no segundo andar... 
No rés-do-chão o rádio está em silêncio... 
 
Vai tudo dormir... 
 
Fico sozinho com o universo inteiro. 
Não quero ir à janela: 
Se eu olhar, que de estrelas! 
Que grandes silêncios maiores há no alto! 
Que céu anticitadino! — 
Antes, recluso, 
Num desejo de não ser recluso, 
Escuto ansiosamente os ruídos da rua... 
Um automóvel — demasiado rápido! — 
Os duplos passos em conversa falam-me... 
O som de um portão que se fecha brusco dóí-me... 
 
Vai tudo dormir... 
 
Só eu velo, sonolentamente escutando, 
Esperando 
Qualquer coisa antes que durma... 
Qualquer coisa."
 
(Álvaro de Campos)
 
01-09-2014 22:13
"Vivo na esperança de um gesto 
Que hás-de fazer. 
Gesto, claro, é maneira de dizer, 
Pois o que importa é o resto 
Que esse gesto tem de ter. 
Tem que ter sinceridade 
Sem parecer premeditado; 
E tem que ser convincente, 
Mas de maneira diferente 
Do discurso preparado. 
Sem me alargar, não resisto 
À tentação de dizer 
Que o gesto não é só isto... 
Quando tu, em confusão, 
Sabendo que estou à espera, 
Me mostras que só hesitas 
Por não saber começar, 
Que tentações de falar! 
Porque enfim, como adivinhas, 
Esse gesto eu sei qual é, 
Mas se o disser, já não é... "
 
(Reinaldo Ferreira)
 
01-09-2014 22:05
"Meu ser evaporei na luta insana 
Do tropel de paixões que me arrastava: 
Ah! cego eu cria, ah! mísero eu sonhava 
Em mim quasi imortal a essência humana! 
 
De que inúmeros sóis a mente ufana 
Existência falaz me não dourava! 
Mas eis sucumbe Natureza escrava 
Ao mal, que a vida em sua origem dana. 
 
Prazeres, sócios meus, e meus tiranos! 
Esta alma, que sedenta em si não coube, 
No abismo vos sumiu dos desenganos 
 
Deus, ó Deus!... quando a morte a luz me roube, 
Ganhe um momento o que perderam anos, 
Saiba morrer o que viver não soube."
 
(Bocage)
 
31-08-2014 11:44

Dizem-me que estou má,

que me tornei completamente fria,

é isto o que dá

ter passado por tamanha agonia.

Dizem-me que estou desprovida de sentimentos,

que tenho barreiras incontornáveis,

só eu sei o horror dos momentos

em que chorei lágrimas intermináveis.

Sim, 

sei que tenho novamente muros intransponíveis,

mas quando disse que voltei para mim

assumi que apenas quero minutos apetecíveis.

Não quero sentimentos,

não quero amor,

depois de todos os meus lamentos

atingi este estado de torpor.

Estou feliz com a vida que levo,

estou bem com o que tenho alcançado,

emoções dão sempre em desespero

e nada disso é por mim ambicionado.

Deixem-me ser fria,

deixem-me ter muros,

as palavras que tanto dizia,

hoje não passam de meros sussurros.

Consigo amar o calor,

a praia que tanto adoro,

o fim de dia enternecedor

que sempre tenho no local onde moro.

Consigo adorar os amigos,

a família e o meu cão,

são esses que nunca me vão causar os perigos

de me sentir novamente na escuridão.

Estou com frieza seletiva,

com muros para quem não confio,

foi difícil tornar-me objetiva,

mas mais uma vez superei o desafio.

Não confio em homem nenhum,

nem nunca mais vou confiar,

não me vou manter em jejum,

mas nunca mais me vou permitir acreditar.

Acredito em mim,

acredito nos que me são queridos,

gosto de viver assim,

divertida mas sem grandes alaridos...

(Mafalda)

30-08-2014 11:09
"Gostaria que você soubesse que existe dentro de si uma força capaz de mudar sua vida, basta que lute e aguarde um novo amanhecer."
 
(Margaret Thatcher)
 
27-08-2014 21:26

Voltei para mim,

para o meu pensamento egoísta,

não estava mais a fim

de fugir de uma visão realista.

Sempre dei tudo o que podia,

muitas vezes fui mais além,

sempre sofri a razia

de ver sentimentos que ficavam muito aquém.

Fui para umas férias de paz

que me deram uma visão sem ser deturpada,

eu sei que sempre serei capaz

de viver uma vida muito mais animada.

Eu!

O meu prazer e as minhas vontades!

No fundo quem perdeu,

foi quem esqueceu as minhas leviandades.

É esta a minha característica:

cair e levantar-me mais forte,

vou aproveitando esta veia artística

que resurgiu nos escombros de um amor sem sorte.

Voltei!

Vim para ficar,

se um dia tudo sonhei,

agora vivo sem nada esperar.

É o dia!

É a emoção que existe em cada segundo!

Lembro-me do tempo que perdia,

a tentar entender o mundo...

(Mafalda)

19-08-2014 22:00

Prezados leitores que me têm acompanhado nestes largos meses:

Não vou deixar o meu blog.

Não vou deixar de escrever. 

Vou de férias!

Volto dia 27 e espero-os a todos, da mesma forma que os espero todos os dias.

Aproveitem para reler os vossos poemas favoritos e para fazerem comentários em mafaldaling1@gmail.com.

Aproveitem  para pensar que, graças à vossa presença constante, eu consegui superar o que me levou a iniciar este blog.

Obrigada a todos pela vossa companhia diária e por me terem feito acreditar em mim.

Sem a vossa assiduidade, há muito que eu teria desistido de tudo!

Até já...

19-08-2014 21:59

Data prevista de lançamento: Outubro de 2014!

19-08-2014 21:58

Só restam 40 exemplares com a hipótese de autógrafo...

Não percam mais tempo!!!

 

18-08-2014 22:59

Talvez seja um lugar comum

dizer que é fácil ter casos quando ambos são casados,

ninguém espera mais nada de nenhum

e passam-se momentos muito animados.

Talvez seja banal

dizer que o segredo é a maior paixão,

ninguém sabe nada afinal

e vivem-se momentos de perfeita comunhão.

Talvez seja pecado,

talvez seja só o desejo do fruto proibido,

vive-se um amor recatado

em que nunca se considera o tempo como perdido.

Talvez seja tudo isso e mais alguma coisa

que leva as pessoas a trair,

mas quando se parte a loiça

logo passa a vontade de sorrir.

Traições dão emoção,

libertam desejos que de outra forma estariam escondidos,

sai-se de uma vida de negação

em que todos os sentimentos estão subtraídos.

Começa-se sempre sem compromisso,

e muitas vezes é apenas a parte carnal,

mas quando o amor não fica submisso

alguém, um dia, vai acabar por se dar muito mal...

(Mafalda)

17-08-2014 20:30

Passei a minha vida a questionar,

a tentar entender as atitudes e as omissões,

findou o tempo de indagar,

vivo agora uma vida sem questões.

É o que tem de ser,

no momento em que calhar,

quando nada se pode fazer,

só ao acaso nos podemos agarrar.

Agora que o tempo tudo amenizou,

continuam as coincidências fatais,

mais uma vez o mundo pactuou

e aconteceram situações irreais.

Passei o desvio para o lugar onde mora,

começa a tocar a "Primavera",

sorte que quem muito chora,

ou desespera ou supera!

(Mafalda)

www.youtube.com/watch?v=C2z9sbWnzBw

16-08-2014 23:20

Cabelo preso num travessão,

vestido drapeado esvoaçante,

numa mão a trela do cão,

na outra um pensamento hesitante.

Convidava-te para seres meu,

para te entregares sem pudores,

fala quem já tudo perdeu,

desde os amores aos desamores.

Desafiava-te para seres louco,

para a ousadia de momentos a dois,

não és só tu que és mouco,

também eu deixo sempre para depois.

Em frente ao mar não morro de sede,

nem na floresta morro de fome,

há sempre o receio de se ser apanhado na rede,

receio infundado de quem já não se comove.

Convidava-te para viajar,

para sair daqui por uns dias,

fazer tudo sem nada planear,

é sempre o que traz mais alegrias.

O imprevisto pode sempre acontecer,

os momentos definem as situações,

nada mesmo há a fazer,

apenas não resistir às tentações...

(Mafalda)

16-08-2014 23:12

Convidam-me para sair,

digo que não,

se tu pudesses vir

ia entrar em excitação.

Habituo-me a conversar,

deixo de ter quem me ouvir,

passo a noite a telefonar

só para arranjar um motivo para sorrir.

Fins de semana prolongados,

cães para passear com hora marcada,

dias completamente inanimados,

em que sou obrigada a me manter calada.

Sinto falta de uma bebida,

da companhia de quem não está,

eu sei que não estou esquecida,

mas apetecia-me mesmo.... já!

(Mafalda)

16-08-2014 21:30

Não faz sentido ter medo de ficar sozinha,

não tem qualquer nexo pensar num futuro que ainda não é,

sim, é verdade que o fim se avizinha,

mas até ao final devemos permanecer de pé.

Não estou nunca sozinha,

tenho o meu pensamento e as minhas recordações,

talvez por isso me apeteça uma taça de vinho

acompanhada de um corpo sedento de emoções...

(Mafalda)

13-08-2014 22:38

De que adianta terminar com uma vida,

que solução é alcançada dessa maneira,

por muito que uma pessoa ande perdida,

a morte nunca pode ser considerada uma brincadeira.

Desistir dos sonhos,

deitar tudo a perder,

depois ler obituários enfadonhos

de quem já não sabe mais o que dizer?

Suicídio não tem solução,

para tudo o resto há sempre uma alternativa,

desistir da vida não tem perdão,

de nada vale ter uma tendência suicida.

Quem ganha com o nosso fim,

quem fica feliz por nos ver desaparecer,

se um ator consagrado desiste assim,

o que esperar de quem não tem mais nada a perder?

Suicídio não é solução,

mas é um ato de coragem desmedida,

foi mal direcionada na decisão,

como eu gostava que ele não fosse suicida...

(Mafalda)

www.youtube.com/watch?v=lZqGA1ldvYE

13-08-2014 22:25

É a vida que brinca na rua,

que solta gargalhadas inocentes para quem quiser ouvir,

é só nesta idade que a pessoa deve estar nua

e sonhar com a beleza do futuro que está para vir.

Correm atrás de uma bola,

desgastam-se até à exaustão,

daqui a pouco chega a hora

de ir descansar de toda a excitação.

São risos felizes os que ecoam lá fora,

com despreocupação total em relação à vida,

oiço-os brincar e um sorriso aflora,

olho para eles e fico rendida.

Inocência em estado puro,

alegria que transpira por todo o corpo,

para eles o mundo ainda é seguro,

é em linha reta e nunca dá para o torto...

(Mafalda)

13-08-2014 20:43

Perdi o tema,

deixei-o partir,

não vivo num dilema

nem me limito a existir.

Perdi o dom,

deixei de rimar,

continuo no meu tom,

com capacidade de me adaptar.

Perdi a doçura,

deixei de chorar,

tenho só a brandura

que seria de esperar.

Perdi emoções,

deixei de sentir,

libertei os grilhões

que me faziam cair.

Perdi calor,

deixei de sonhar,

mas para que serve o amor

se só nos faz sufocar?

Perdi a tristeza,

deixei de me enervar,

vejo com muita clareza

tudo o que o mundo tem para me dar...

(Mafalda)

11-08-2014 22:55
"Sentir em nós
Sentir em nós
Uma razão
Para não ficarmos sós
E nesse abraço forte
Sentir o mar
Na nossa voz
Chorar como quem sonha
Sempre navegar
Nas velas rubras deste amor
Ao longe a barca louca perde o norte
 
Ammore mio
Si nun ce stess'o mare e tu
Nun ce stesse manch'io
Ammore mio
L'ammore esiste quanno nuje
Stamme vicino a Dio
Ammore
 
No teu olhar
Um espelho de água
A vida a navegar
Por entre o sonho e a mágoa
Sem um adeus sequer
E mansamente
Talvez no mar
Eu feita espuma encontre o sol do teu olhar
Voga ao de leve, meu amor
Ao longe a barca nua a todo o pano
 
Ammore mio
Se nun ce stess'o mare e tu
Nun ce stesse manch'io
Ammore mio
L'amore esiste quanno nuje
Stamme vicino a Dio
Ammore
Ammore mio
Si nun ce stess'o mare e tu
Nun ce stesse manch'io
Ammo re mio
L'amore esiste quanno nuje
Stammo vicino a Dio
Ammore"
 
(Andrea Bocelli and Dulce Pontes)
 
 
11-08-2014 22:34
"When I was young
It seemed that life was so wonderful
A miracle, oh it was beautiful, magical
And all the birds in the trees
Well they'd be singing so happily
Oh joyfully, oh playfully watching me
But then they sent me away
To teach me how to be sensible
Logical, oh responsible, practical
And they showed me a world
Where I could be so dependable
Oh clinical, oh intellectual, cynical
 
There are times when all the world's asleep
The questions run too deep
For such a simple man
Won't you please, please tell me what we've learned
I know it sounds absurd
But please tell me who I am
 
Now watch what you say
Or they'll be calling you a radical
A liberal, oh fanatical, criminal
Oh won't you sign up your name
We'd like to feel you're
Acceptable, respectable, oh presentable, a vegetable
 
At night when all the world's asleep
The questions run soo deep
For such a simple man
Won't you please, please tell me what we've learned
I know it sounds absurd
But please tell me who I am, who I am, who I am, who I am"
 
(Roger Hodgson)
 
08-08-2014 09:39

Não prendas,

não deixes prender,

mas não dês oferendas

à espera de um retorno receber.

Não amarres,

não deixes amarrar,

tudo o que fazes

não tem um dia que acabar.

Não te apaixones,

não me deixes apaixonar,

porque não ambiciono

nada mais do que o que me podes dar.

Não idealizes,

não deixes idealizar,

mas tudo o que realizes

deve para sempre perdurar.

Não fujas,

não deixes fugir,

emoções que não são sujas,

não têm motivo para não sorrir.

Não esqueças,

não deixes esquecer,

até que apareças

tem de se esperar para te ter.

Não te canses,

não me deixes cansar,

se há dias em que danças,

outros há em que deves descansar.

Não ignores,

não deixes ignorar,

mas não te demores

que o tempo custa a passar...

(Mafalda)

08-08-2014 09:29

Quando um homem faz sexo sem sentir amor,

apenas pelo prazer do momento em si,

é alvo de todo o louvor,

conta o feito e toda a gente ri.

Quando uma mulher faz sexo sem sentir amor,

apenas pelo prazer do momento em si,

é logo chamada de grande estupor,

é uma depravada como nunca vi.

Século vinte um em que nos encontramos,

mentes tacanhas e com falsos pudores,

todos nós um dia ambicionamos

viver a vida sem pensar em amores.

Um homem ter muitas mulheres é um ato natural,

uma mulher com muitos homens é uma aberração surreal.

Moralismos de um tempo há muito passado,

preconceitos de quem gosta de viver enganado...

(Mafalda)

08-08-2014 09:20

Ai como me apetecia,

sem qualquer razão em especial,

ter-te a meu lado neste dia,

desde o amanhecer até ao final.

Apenas ter a tua companhia,

o teu riso e o teu descanso,

que mal isso faria,

como se quebraria o encanto?

Ai como me apetecia,

ter dias em que o tempo voa,

já vai longe o tempo sem alegria,

já não há motivos para que o passado doa.

Ai como me apetecia,

ouvir o som da tua voz,

quem um dia diria

que iríamos finalmente olhar por nós...

(Mafalda)

06-08-2014 22:48

Dobram os sinos na torre da igreja,

apelam aos que andam perdidos na noite,

são muitos os que olham mas não há quem veja,

são alguns os que por lá passam mas não há quem pernoite.

Dobram os sinos muito perto do céu,

gritam em sussurros o que lhes vai no pensamento,

pedem a quem um dia se perdeu

que aprenda a viver a preciosidade do momento.

Dobram os sinos com a brisa de verão,

removem os resquícios das poeiras alojadas,

repicam subtilmente no calor da escuridão,

começam a assomar pessoas em algumas portadas.

Dobram os sinos com muito calor humano,

soltam uma melodia bem fácil de seguir,

é um som suave que não faz qualquer dano,

tem inúmeros acordes que nos fazem sorrir..

(Mafalda)

06-08-2014 22:20

Foi um amanhecer como outro qualquer

apenas com a diferença de me sentir mulher.

Quando a vida sorri,

quando não há preocupações,

fico grata pelo que vivi

e também pelos trambolhões.

Podia ser um dia banal

ou ser um dia angustiante,

mas não passou afinal

de mais um dia inebriante.

Não troco nada do que conquistei até agora,

pelo que um dia pensei ter,

de que vale dizer que se adora

se depois se deita tudo a perder?

Palavras vãs e irreais

que se pronunciam como se fossem um marco importante,

eu passei a ser das tais

que já não abre a boca nem por um instante...

(Mafalda)

04-08-2014 20:39

Há muita gente a entrar e a sair,

companhias que prezo e me fazem feliz,

nunca ninguém fica para dormir,

só isso me põe um pouco infeliz.

Questiono muitas vezes a mim própria

se algum dia voltarei a ter uma presença na minha cama,

quando penso nisso fico imprópria,

é melhor mesmo ir para o dever que me chama...

(Mafalda)

02-08-2014 16:55

É tão fácil quanto isto:

bloqueei a capacidade de gostar,

aqui o deixo escrito

para que nunca ninguém se possa equivocar.

Gosto de sair

ou gosto de ficar acompanhada,

mas nada mais irá advir

além dum copo e duma gargalhada.

Sabias que isto iria acontecer

e é só nisso que não te dou o meu perdão,

sabias bem que nunca te ia esquecer

e mesmo assim condenaste-me à solidão...

(Mafalda)

01-08-2014 09:22
Perdi todo o brilho,
ganhei alguma cor,
saí de um sarilho
mas perdi o amor.
 
Perdi a loucura,
ganhei a paz,
havia tanta brandura
que pensei que fosse capaz.
 
Perdi o calor,
ganhei a tranquilidade,
foi falso o clamor
de ser para a eternidade.
 
Perdi o desejo,
ganhei vida,
não era esse o ensejo,
não esperava uma despedida.
 
Perdi o que não era meu,
ganhei o que sempre tive e não sabia,
só fala assim quem já sofreu
a dor de uma partida...
 
(Mafalda)
 
30-07-2014 21:24

Desenganem-se se pensam que estou a sofrer,

apenas sinto a falta da minha metade,

há muito que decidi que não tenho nada a perder,

que tenho de viver a vida de acordo com a minha realidade.

Desenganem-se se pensam que me sinto só,

nem tal coisa me passa pela cabeça,

já vai longe o tempo em que eu metia dó,

hoje fiz da minha vida a minha única pertença.

Desenganem-se se pensam que um dia vou encontrar alguém,

porque isso não está mesmo no meu plano de vida,

sempre que me dei o retorno ficou muito aquém,

de amores não quero sofrer mais nenhuma despedida...

(Mafalda)

30-07-2014 20:36

Era uma vez uma menina

que acreditava no Pai Natal,

estava sempre sozinha

mas ninguém lhe queria mal.

Era uma vez uma miúda

que acreditava em contos de fadas,

fazia-o de forma amiúde,

e em todos eles levava umas palmadas.

Era uma vez uma adolescente

que acreditava no sol para todos,

esperava pelas estrelas cadentes,

criava filmes a rodos.

Era uma vez uma mulher

que aceditava no Pai Natal,

que acreditava em contos de fadas,

que acreditava no sol para todos...

(Mafalda)

30-07-2014 20:23

O que eu quero ninguém me pode dar,

porque quem pode não o quer fazer,

do que eu mais preciso ainda estou a averiguar,

adoro a vida que construí mas falta-me usufruir desse prazer.

O que eu quero é fácil e barato,

que aquele  homem acorde a meu lado,

que passe a noite num verdadeiro desacato,

que tudo corra como foi um dia desejado.

O que eu quero ninguém mais me pode dar,

fechei as portas a todas as emoções,

deitei fora as chaves para nunca mais as encontrar,

atirei-as ao mar, foram levadas pelos arrastões.

O que eu quero nem eu sei bem se quero,

se teria capacidade para esquecer o passado,

se não entraria num novo desespero,

se não estaria na dúvida que sempre existe num ser que foi abandonado.

O que eu quero, o que me faria feliz,

era ter tudo o que agora tenho

mais o que um dia acreditei vir a ter,

esgotou-se-me o engenho,

viver é estar sempre a aprender...

(Mafalda)

29-07-2014 18:50
Penetra-me com suavidade,
como se eu não tivesse fim,
derrama em mim a tua insanidade,
sabes bem como gosto de te sentir em mim.
 
Dá asas à tua língua molhada,
não pares até eu me vir,
nunca essa área tinha sido tão bem explorada,
ainda agora não percebo como pudeste desistir.
 
Lençois debotados,
com manchas de sémen e fluidos vaginais,
nós dois bem aconchegados,
em abraços apertados como não há iguais.
 
Penetra cada orifício do meu corpo,
deixa-me sentir o pulsar dessa tesão contra a minha vagina,
sexo por amor nunca pode ser porco,
o que me vale é o que o meu corpo ainda te imagina...
 
(Mafalda)
 
28-07-2014 22:10
Pincel & Pena
 
segunda-feira, 21 de Julho de 2014
 
Pensamentos - Mafalda Ling
 
 
"Chamou-lhe Pensamentos, mas poderia ser igualmente Sentimentos. 
 
Este livro de bela poesia é uma obra de, com e sobre sentimentos, escrito em jeito, aparentemente, auto-biográfico e que nos derrete do início ao fim.
 
Em Pensamentos, Mafalda Ling fala-nos de Amor, de Saudade, da Perda e da Amizade. 
 
Mas desengane-se quem pensa que a autora escreveu apenas sobre a triste inevitabilidade da dor romântica. 
 
Ao ler esta obra, é-nos transmitida muita força e coragem. 
 
É-nos dito que uma perda não é o suficiente para acabar connosco.
 
Faz-nos acreditar em nós e manda-nos seguir em frente.
 
E para confirmar o que digo e abrir a cortina da curiosidade, aqui fica um poema, com palavras vindas directamente do coração."
 
 
Querer ou não querer,
é a verdadeira questão.
Isso do "ser ou não ser"
já não é nenhuma interrogação.
Quem quer vai,
Quem quer procura,
Quem quer sai,
Não espreita pela ranhura.
Quem quer luta,
Quem quer não desiste,
Quem quer exulta,
E sempre insiste.
Quem quer preocupa-se,
Quem quer teima,
Quem quer desloca-se
não se contenta com uma guloseima."
 
Mafalda Ling, "Queres?"
In Pensamentos, página 232
 
28-07-2014 21:28

Três dias de solidão absoluta

em que a minha cabeça não pára de processar,

já tenho idade para ser mais astuta,

já nada disto me devia incomodar.

Viver as oportunidades quando elas surgem,

aproveitar cada momento como se mais não houvesse,

tudo isto são premissas que urgem,

mas o que eu daria para que alguma me aprouvesse.

Não consigo estar parada,

mas não tenho tido vontade para escrever,

tenho a casa toda arrumada,

já não sei mais o que inventar para fazer.

Há alturas na minha vida

em que quem lucra é a arrumação,

estou ocupada, não me sinto perdida,

fico cansada, vou até à exaustão.

Assim não penso,

assim não faço perguntas sem resposta possível,

se até com os amigos o ambiente se torna tenso

ficar quieta no meu canto é a única solução plausível.

Não gosto de "ser pesada",

não gosto de procurar quem não está para me aturar,

assim tenho uma ocupação improvisada

em que arrumo tudo até já não mais aguentar.

Eu sei que fujo de mim,

que fujo dos meus bloqueios,

mas com uma castração assim

não há espaço para permeios.

Foi bruxedo que me lançaram,

seria fácil se acreditasse nisso,

os meus sentimentos acabaram

no momento em que me tornei um ouriço...

(Mafalda)

28-07-2014 21:16

É tão fácil de dizer,

mas muito complicado de fazer,

às vezes nem eu me consigo entender

e vai passando o tempo e nada de novo tenho para dizer.

Bloqueei emoções,

associei sexo a amor,

procuro em vão algumas sensações,

mas não consigo superar este torpor.

Se dei a volta à minha vida,

se fiz coisas que nunca pensei vir a fazer,

porque estou neste campo perdida,

porque não consigo entregar-me ao prazer?

É complicado de perceber

e a cabeça tem uma força brutal,

porque não se consegue esquecer

e seguir em frente até ao final?

Tenho medo de relacionamentos,

afasto qualquer homem que se aproxime,

só gosto de passar bons momentos

e  às vezes ter alguem que me anime.

Assim não vou longe,

tenho noção que tenho de superar,

é tarde para me tornar monge,

é demasiado tarde para continuar a hibernar...

(Mafalda)

26-07-2014 20:52
"What do you get when you fall in love?
A guy with a pin to burst your bubble
That's what you get for all your trouble
I'll never fall in love again
I'll never fall in love again
 
What do you get when you kiss a guy?
You get enough germs to catch pneumonia
After you do, he'll never phone you
I'll never fall in love again
I'll never fall in love again
 
Don't tell me what is all about
'Cause I've been there and I'm glad I'm out
Out of those chains, those chains that bind you
That is why I'm here to remind you
 
What do you get when you fall in love?
You get enough tears to fill an ocean
That's what you get for your devotion
I'll never fall in love again
I'll never fall in love again
 
What do you get when you fall in love?
You only get lies and pain and sorrow
So, for at least until tomorrow
I'll never fall in love again!
I'll never fall in love again!
 
Don't tell me what it's all about
`Cause I've been there and I'm glad I'm out
Out of those chains, those chains that bind you
That is why I'm here to remind you
(here to mind you)
 
What do you get when you fall in love?
You only get lies and pain and sorrow
So, for at least, until tomorrow
I'll never fall in love again"
 
(Dionne Warwick)
 
 
26-07-2014 20:48

26-07-2014 20:45
"Quero ignorado, e calmo 
Por ignorado, e próprio 
Por calmo, encher meus dias 
De não querer mais deles. 
 
Aos que a riqueza toca 
O ouro irrita a pele. 
Aos que a fama bafeja 
Embacia-se a vida. 
 
Aos que a felicidade 
É sol, virá a noite. 
Mas ao que nada espera 
Tudo que vem é grato."
 
(Fernando Pessoa)
 
26-07-2014 20:42
"Para ti dei voz
às minhas mãos
abri os gomos do tempo
assaltei o mundo
e pensei que tudo estava em nós
nesse doce engano
de tudo sermos donos
sem nada termos
simplesmente porque era de noite
e não dormíamos
eu descia em teu peito
para me procurar
e antes que a escuridão
nos cingisse a cintura
ficávamos nos olhos
vivendo de um só
amando de uma só vida"
 
(Mia Couto)
 
26-07-2014 20:37
"Estou cansado, é claro,
Porque, a certa altura, a gente tem que estar cansado.
De que estou cansado, não sei:
De nada me serviria sabê-lo,
Pois o cansaço fica na mesma.
A ferida dói como dói
E não em função da causa que a produziu.
Sim, estou cansado,
E um pouco sorridente
De o cansaço ser só isto —
Uma vontade de sono no corpo,
Um desejo de não pensar na alma,
E por cima de tudo uma transparência lúcida
Do entendimento retrospectivo...
E a luxúria única de não ter já esperanças?
Sou inteligente: eis tudo.
Tenho visto muito e entendido muito o que tenho visto,
E há um certo prazer até no cansaço que isto me dá,
Que afinal a cabeça sempre serve para qualquer coisa."
 
(Álvaro de Campos)
 
23-07-2014 21:05
"I lose control because of you babe
I lose control when you look at me like this
There's something in your eyes that is saying tonight
I'm not a child anymore, life has opened the door
To a new exciting life
 
I lose control when I'm close to you babe
I lose control don't look at me like this
There's something in your eyes, is this love at first sight
Like a flower that grows, life just wants you to know
All the secrets of life
 
It's all written down in your lifelines
It's written down inside your heart
 
You and I just have a dream
To find our love a place
where we can hide away
You and I were just made
To love each other now, forever and a day
 
I lose control because of you babe
I lose control don't look at me like this
There's something in your eyes that is saying tonight
I'm so curious for more just like never before
In my innocent life
 
It's all written down in your lifelines
It's written down inside your heart
 
You and I just have a dream
To find our love a place
where we can hide away
You and I were just made
To love each other now, forever and a day
 
Time stands still when the days of innocence
Are falling for the night
I love you girl I always will
I swear I'm there for you
Till the day I die
 
You and I just have a dream
To find our love a place
where we can hide away
You and I were just made
To love each other now, forever and a day"
 
(Scorpions)
 
 
23-07-2014 20:17

Terra queimada pelo calor que um dia se fez sentir,

imprópria para novo cultivo de qualquer espécie vegetal,

se uns estão a chegar quando outros começam a partir,

dá-se sempre repovoamento neste imenso mundo animal.

Troncos queimados que restavam numa fogueira já extinta,

fagulhas que esvoaçavam desnorteadas em direção ao luar,

a espécie humana anda sempre faminta,

por muito que faça tem sempre a vida de pernas para o ar.

Restos queimados por um homem impiedoso,

que cobrem uma terra agora seca mas que um dia foi muito fértil,

na vida tudo se pode tornar muito doloroso,

para se ser fénix renascida é necessário ser-se extremamente versátil.

Cinzas que cobrem vulcões em erupção,

que deixam marcas por onde passam apressadas,

antes corpos reduzidos a cinzas numa cremação

do que serem entregues para repasto da bicharada...

"Nasceste do pó e ao pó hás-de voltar"
 
(Mafalda)
23-07-2014 19:55

Ambiguidade que a tal me obrigas,

leva no vento a minha vontade,

eu sei que tu gostas de brigas,

que estás sempre por perto para me toldar a objetividade.

Mas não há tristeza quando me acompanhas,

soltas-me o riso pelas dores do passado,

ambiguidade só não me apanhas

enquanto o meu desejo permanece recatado.

Ser livre não é só ter liberdade,

é ser-se livre no verdadeiro sentido da palavra,

é deixar à solta toda a insanidade,

é deixar andar sem nos preocuparmos como acaba.

É ambígua a forma que adotei,

mas encaixa perfeitamente na minha forma de ser,

sempre foi só isto que desejei

mas nunca tinha percebido até o obter.

Ambiguidade que me toldas a visão,

que baralhas os sentidos de quem já nada sabe sentir,

não me abandones, não me devolvas à solidão,

promete que vais sempre fazer-me sorrir...

(Mafalda)

23-07-2014 19:45

Calmaria desmedida,

sensação de paz inebriante,

de volta à casa da partida

e o que resta é sempre para diante.

Movimentos pausados,

sem pressas nem tempos contados,

afastam-se os passados

e os momentos atribulados.

É inata a vontade de viver,

de superar e de aprender,

tornou-se pacata a sede de ver

o que o futuro ainda irá trazer.

Se os momentos falassem,

se os minutos contassem,

se as emoções ecoassem,

se os sonhos se concretizassem...

(Mafalda)

23-07-2014 19:32

Toco uma pele que me repele,

inalo um odor que me causa torpor,

é forte a aragem que agita a sebe,

é intenso o aroma que me recorda fulgor.

Brisa fresca num dia quente,

sorriso rasgado em quem o cansaço persiste,

remédio certo para quem se sente doente,

é o aproximamento de quem não resiste.

Águas frescas que renovam os sentidos,

momentos de falar e também de calar,

correm minutos deveras divertidos,

renovam-se esperanças de para sempre continuar.

É a beleza do mistério,

a insinuação que só os olhos sabem transmitir,

devagar se constrói um império,

pouco a pouco reaprende-se a sorrir...

(Mafalda)

21-07-2014 16:58

Ando afastada por opção,

sinto que cada vez a frieza se instala mais,

nada tenho a acrescentar nesta história de emoção,

sonhos vividos não voltam jamais.

Ilusões que me deram alento,

que criaram em mim uma crença de amor,

nenhuma contribuiu em nada para o meu sustento,

mas todas me ensinaram a dar a mim própria o devido valor.

Não sou egoísta,

não me alheio da realidade à minha volta,

apenas me cansei de ser altruísta

e bater sempre com a cara numa porta.

Agora que tenho as prioridades no lugar certo,

vou-me obrigar a viver tudo o que tenho evitado,

amor,  não o quero nem por perto,

vou ser novamente a mulher que vive sem nada planeado.

Dissociar o sexo do sentimento,

a paixão do envolvimento emocional,

preciso de ter um e outro momento,

preciso de puro amor carnal...

(Mafalda)

19-07-2014 22:35
"Serei tudo o que disserem
por inveja ou negação:
cabeçudo   dromedário
fogueira de exibição
teorema   corolário
poema de mão em mão
lãzudo   publicitário
malabarista   cabrão.
Serei tudo o que disserem:
Poeta castrado   não!
 
Os que entendem como eu
as linhas com que me escrevo
reconhecem o que é meu
em tudo quanto lhes devo:
ternura  como já disse
sempre que faço um poema;
saudade que   se partisse
me alagaria de pena;
e também uma alegria
uma coragem serena
em renegar a poesia
quando ela nos envenena.
 
Os que entendem como eu
a força que tem um verso
reconhecem o que é seu
quando lhes mostro o reverso:
 
Da fome já não se fala
- é tão vulgar que nos cansa -
mas que dizer de uma bala
num esqueleto de criança?
 
Do frio não reza a história
- a morte é branda e letal -
mas que dizer da memória
de uma bomba de napalm?
 
E o resto que pode ser
o poema dia a dia?
- Um bisturi a crescer
nas coxas de uma judia;
um filho que vai nascer
parido por asfixia?!
- Ah não me venham dizer
que é fonética a poesia!
 
Serei tudo o que disserem
por temor ou negação:
Demagogo   mau profeta
falso médico   ladrão
prostituta   proxeneta
espoleta   televisão.
Serei tudo o que disserem:
Poeta castrado   não!"
 
(Ary dos Santos)
 
19-07-2014 22:31

É o vinho que fala,

hoje não sou eu que estou aqui,

pobre de quem cala

o motivo por que a vida lhe sorri.

É o vinho que fala,

fala sempre que a vontade é calar,

pobre de quem cala

e se esquece do que é desejar.

É o vinho que fala,

fala hoje e fala aqui,

hoje tudo acaba,

foi a ti que eu esqueci...

(Mafalda)

 

 

19-07-2014 22:27
"Despe-te. Precisamos de falar. Despe-te dos teus medos. Das tuas inseguranças. Despe-te daquilo que não és tu e não te faz bem. Despe-te de preconceitos. Ideias feitas e juízos de valor. Despe-te dos outros e fica só tu.
 
Despe-te. Temos de falar. Despe-te e deixa só aquilo que és tu. Deixa aquilo que te apetece. Deixa aquilo que te faz bem. Deixa só aquilo por que te faz sentido lutar. Deixa o fundo de ti e daquilo que és e pretendes.
 
Despe-te. Eu deixei um nada vestido.
Vamos falar?!
 
(Rita Leston)
 
17-07-2014 23:34

Como gosto de me sentir assim,

leve, fresca, sem ralações,

finalmente olho só por mim

e não quero saber de mais ilusões.

Gosto de rir e brincar,

de provocar e ser provocada,

ter tudo sem nada a atrapalhar,

viver fora da permanente emboscada.

Estou como nunca me senti,

rio agora do que um dia me fez tanto chorar,

ao ouvir o que um dia escrevi,

pergunto a mim própria se será mesmo para acreditar.

Não é fácil tamanha mudança,

tanto desapego de ralações tão intensas,

bem haja a minha perseverança

e quem me ajudou a atravessar as alturas mais densas.

Já posso dizer que me sinto feliz,

mas até receio dizê-lo em voz alta,

bem haja quem sempre me diz

que a vida é para se viver na ribalta...

(Mafalda)

15-07-2014 09:19

Quem me conhece desde há muito,

diz que sempre tive medo de ficar sozinha,

que toda a minha vida gira à volta desse assunto

e que nada de novo no horizonte se avizinha.

Medo de não ser amada,

de não ter a quem dar a mão,

aí permaneci calada

e pensei no que é a minha verdadeira solidão.

Não é estar sozinha sem ter com quem conversar,

porque tenho família e amigos sempre presentes,

é não ter a pessoa certa para amar,

é passar a vida a pensar em pessoas que estão ausentes.

Sempre me debati com essa questão,

talvez seja esse o meu maior medo,

depois reencontro a minha verdadeira paixão

mas meses depois volta tudo ao mesmo enredo.

Não nasci para ter uma presença constante ao meu lado,

talvez por leviandade minha ou outro motivo qualquer,

quem um disse que me muito me amava hoje permanece calado,

e em mim não existe qualquer motivo para não entristecer.

Hoje sou nova e faço uma vida independente,

amanhã não sei o que o destino me reserva,

imaginar sequer um novo amor ardente,

assemelha-se a andar na areia à procura de uma pequena erva.

Não sei mais amar alguém,

não consigo sequer imaginar uma nova pessoa a meu lado,

toda a minha vida sentimental ficou muito aquém

do que era esperado ou mesmo desejado.

Talvez quem procure nunca encontre,

talvez tenha sido esse o grande erro que cometi,

embora o reencontro tivesse sido num lugar onde,

nunca pensei  que o pudesse encontrar ali.

O destino não quer uma pessoa a meu lado,

não quer um ombro onde me possa apoiar,

quer-me longe de qualquer pecado,

devia ter ido para freira sem sequer pestanejar...

(Mafalda)

12-07-2014 21:26

É parva a minha reação,

mas nada consigo fazer contra mim própria,

quem um dia me prometeu ver o avião

agora deixa-me numa situação deveras inglória.

Pensou por acaso na música que me cantava,

imaginou sequer no que me prometeu um dia,

bolas, eu andava tão descansada

e agora sinto novamente a dor do que já sabia.

Lugares sagrados que não são respeitados,

músicas nossas que foram devassadas,

não sei se tudo não passou de um aglomerar de momentos equivocados,

mas sei agora que tudo têm de ser águas passadas.

Não vou perder mais tempo em devaneios,

não vou pensar nisso nem mais um segundo,

atiro para bem longe todos os anseios,

começa agora a minha conquista do mundo.

Talvez seja a sangria a falar,

mas hoje não foi feita por quem um dia amei,

é bom ter estes momentos para ser obrigada a acordar,

para perceber que de mais um mero caso eu não passei.

Tanta devoção, tanda dedicação,

nada disso se revelou ser verdade,

bolas, errei a vocação,

aprendo à minha custa como se adquire a serenidade.

Não perder mais tempo com quem não quer saber de nós,

não deixar um coração massacrar uma vida,

desatar de vez todos os nós,

considerem isto agora a minha despedida.

Não quero saber mais nada,

não quero informações de qualquer tipo,

quero seguir a minha vida apoiada

por quem existe para mim sempre que preciso.

Estou cansada de pensar naquele ser humano,

que de humano pouco teve comigo,

vou construir um novo plano,

vou partir para longe deste constante perigo.

Estou desiludida com a falsidade,

com a pouca sinceridade com que as palavras são ditas,

foram ocas as promessas de eternidade,

foram vãs essas palavras malditas.

Acaba de uma vez por todas,

não possuo mais tempo para dispender neste assunto,

vou aproveitar da vida todas as coisas boas,

declaro agora este amor como defunto...

(Mafalda)

12-07-2014 15:06
"Num momento, num olhar, o coração apanha-se para sempre.
 
Ama-se alguém.
 
Por muito longe, por muito difícil, por muito desesperadamente.
 
O coração guarda o que nos escapa das mãos.
 
E durante o dia, e durante a vida, quando não está lá quem se ama, não é ela que nos acompanha, é o nosso amor, o amor que se lhe tem."
 
(Miguel Esteves Cardoso)
 
11-07-2014 23:42

Um dia vou dar de caras contigo,

vamos olhar nos olhos um do outro,

vamos sentir avisos de perigo,

manter um silêncio que a todos parecerá louco.

Não teremos palavras para proferir,

apenas mensagens que os olhares irão revelar,

hesitaremos entre ficar ou partir,

tão presos ficaremos na intensidade desse olhar.

Um dia vamos ter de nos encarar,

vamos ser obrigados a proferir aquelas palavras tão banais,

enquanto esse dia puder evitar,

vou acreditar que o destino não me vai criar situações tão irreais...

(Mafalda)

11-07-2014 23:30

O que quero na minha vida?

Não sei responder a essa questão,

se nuns dias me sinto muito perdida,

noutros amo a minha solidão.

Nunca estou só,

no sentido de ter uma companhia,

apenas tenho um nó

no local onde um dia alguém existia.

É um buraco demasiado profundo

que nem o mundo inteiro conseguiria tapar,

mas a vida é apenas um breve segundo

e mais vale já não me apoquentar.

Quando morrer podem dizer que vivi,

que não me limitei a seguir as ideias alheias,

que me empenhei em tudo o que construí,

que de palavras deixei muitas páginas cheias.

Sou uma pessoa normal,

decidida e determinada,

às vezes não vivo num mundo real,

muitas vezes sonho enquanto estou acordada.

Sou assim, nada há a fazer,

com a idade vou ficando mais ponderada,

de nada adianta hoje eu dizer

o que amanhã já é uma ideia ultrapassada...

(Mafalda)

11-07-2014 15:15
"Não é pela falta de pessoas à nossa volta que se define a solidão; é pela falta de nós à nossa volta.
 
Estar acompanhado só exige uma pessoa."
 
(Pedro Chagas Freitas)
 
09-07-2014 21:49

Noite estrelada,

calor que me envolve,

tenho de permanecer calada,

falar já nada resolve.

Quase lua cheia,

maré baixa com água muito fria,

só colhe quem semeia,

já no passado se dizia.

Semeio a minha própria vida,

a paz com que adormeço todas as noites,

a serenidade foi por mim escolhida,

mas só depois da vida me ter dado inúmeros açoites.

Opto por observar as pequenas coisas do mundo,

o que a natureza nos dá sem nada pedir de volta,

quando vacilo, faço-o apenas por um segundo,

no resto do tempo deixo a minha natureza completamente à solta.

Não há palavras que descrevam,

não consigo dizer mais do que isto,

por muitos versos que se escrevam,

da minha própria vida eu nunca desisto.

Gosto do restolhar que oiço na minha sala,

do barulho das ondas contra a areia parada,

do silêncio que se ouve, porque já ninguém fala,

da inspiração que nem sempre vem muito apurada.

Gosto de viver na casa que é minha,

no local que escolhi para morar,

se hoje estou aqui sozinha,

nada importa, porque tenho todo o mar.

A água sempre me deu paz,

passei horas a fio a contemplar a linha do horizonte,

se um dia alguém não souber como se faz,

caiam, sofram e depois levantem-se que o caminho é sempre em frente...

(Mafalda)

09-07-2014 21:26

Sou uma mulher independente,

e é só nisso em que devo pensar,

pouco importa quem está ausente,

quem optou por não ficar.

Chamem-lhe egoísmo,

chamem-lhe o que quiserem,

fartei-me do altruísmo,

digam lá o que disserem.

Nunca fui de olhar para o meu umbigo,

nem de pensar que era o centro do universo,

mas demasiada confiança pôs-me sempre em perigo

e depois nada me resta senão estar para aqui a escrever em verso.

Para quê um homem permanente,

porque temos de abdicar da nossa liberdade,

eu devia andar mesmo muito dormente,

mas agora começo a perceber a realidade.

Não faz falta uma presença constante,

não preciso de um homem para viver,

pode haver um ou outro momento mais angustiante,

mas tudo o resto compensa o fato de não o ter.

Dores de cabeça constantes,

noites sofridas e mal dormidas,

jogos de palavras acutilantes

e logo as emoções ficaram todas esquecidas.

Quem não acredita em mim não me merece,

quem não luta por mim não merece sequer o meu pensamento,

há sempre um amigo que me aparece,

que está presente quando é o momento.

Não preciso duma relação de dependência,

não devo satisfações a ninguém que pense em mim como sua pertença,

abençoada a hora em que fui obrigada a dar o grito de independência,

pode cair o mundo mas não haverá mais ninguém que me tire esta crença...

(Mafalda)

09-07-2014 21:13
"A criança que fui ficou na estrada,
Deixei-a ali quando me tornei quem sou.
E hoje, quando vejo que o que sou é nada,
Volto a buscá-la ali onde ficou."
 
(Fernando Pessoa)
 
07-07-2014 20:09
"Se sou amado,
quanto mais amado
mais correspondo ao amor.
Se sou esquecido,
devo esquecer também,
Pois amor é feito espelho:
-tem que ter reflexo."
 
(Pablo Neruda)
07-07-2014 14:29

Caros leitores, visitantes sempre presentes nesta minha jornada:

Recebi um novo contrato de publicação de um segundo livro. Será o "Devaneios" e estará no mercado português no final deste ano.

Agradeço-vos por isso, pois se não me seguissem, se não acompanhassem o que escrevo, nunca publicaria livro algum.

Assim já estou a caminho do segundo. Já está na editora, a ser preparado para o lançamento.

Por favor divulguem os locais onde pode ser encontrado o "Pensamentos". Pelo contrato que fiz, se atingir um determinado número de vendas, será traduzido para inglês e espanhol e lançado nos países onde se falem essas línguas.

Obrigada pela vossa companhia.

Deixo-vos a capa do "Devaneios".  Sempre borboletas... sempre a metamorfose, sempre a sensação de liberdade.

Mafalda Ling

07-07-2014 14:07

www.chiadoeditora.com/index.php?page=shop.product_details&flypage=flypage.tpl&product_id=1911&category_id=3&option=com_virtuemart&Itemid=171

www.chiadoeditora.com/index.php?page=shop.product_details&flypage=flypage.tpl&product_id=1911&category_id=3&option=com_virtuemart&Itemid=171

www.wook.pt/authors/detail/id/3187495

www.sitiodolivro.pt/pt/autor/mafalda-ling/46360/

www.bertrand.pt/autores/autor?id=3187495

Livraria Desassossego
Rua de São Bento, 34
1200-815 Lisboa
 
Livraria Nun’Álvares
Rua 5 de Outubro, n.º 59
7300-133 Portalegre
 
Livraria Papelaria 115
Praça 8 de Maio, n.º 29
3000-300 Coimbra
 
Livraria Celas         
Av Calouste Gulbenkian
Centro comercial Primavera, Loja 13          
3000-090 Coimbra
 
Livraria Caminho
Rua Pedro Santarém, n.º 41
2000-223 Santarém
 
Livraria BrincoLivro
Rua Alexandre Herculano, 301
3510 – 038 Viseu
 
Livraria de José Alves
Rua da Fábrica, n.º 74
4050-246 Porto
 
Livraria Esperança
Rua dos Ferreiros, 119
9000-082 Funchal
 
Nazareth e Filho
Praça do Giraldo, 46
7000-406 Évora
 
Livraria Graça
Rua da Junqueira, n.º 46
4490-519 Póvoa do Varzim
 
Aliete S Clara Brito
Avenida 25 de Abril, lote 24 R/C
8500-511 Portimão
 
Livraria Caravana 
Morada Sede: Av. 25 de Abril, Edf. Vila Flôr 6º 
 8100-596 Loulé 
 
Livraria Papelaria Meneses                             
Rua da Sobreira, n.º 206 Paços de Brandão
4535- 297 Aveiro     
 
Livraria Lusíada de Libânio Jorge   
Rua Teófilo Braga nº 110 
8900-333 Vila Real de Santo António  
 
Livraria Oswaldo Sá
Rua 25 de Abril, 435
4710-913 Braga        
           
Livraria Minho Ferreira e Salgado, Lda.
Largo da Senhora-a-Branca, 66
4710-443 Braga
06-07-2014 15:45
"Foste entrando sem pedires
E marcaste os teus sinais
Tatuaste a minha vida
Ferro e fogo e muito mais
Vasculhaste os meus segredos
E eu deixei
Sem reservas nem pudor...
 
Invadiste os meus sentidos
O que não fiz por amor
E deixaste a minha vida
Meio perdida
Neste beco sem saída..
 
Dei-te quase tudo
E quase tudo foi demais
Dei-te quase tudo
Leva agora os teus sinais...
 
Obrigaste-me a quebrar
Todas as leis
E deixaste-me ao sabor
Na loucura
Dei-te os dedos e os anéis
E o que tinha de melhor...
 
Dei-te quase tudo
E quase tudo foi demais
Dei-te quase tudo
Leva agora os teus sinais..."
 
(Paulo Gonzo)
 
 
06-07-2014 11:00
"Já não tenho paciência para algumas coisas, não porque me tenha tornado arrogante, mas simplesmente porque cheguei a um ponto da minha vida em que não me apetece perder mais tempo com aquilo que me desagrada ou fere.
 
Já não tenho pachorra para cinismo, críticas em excesso e exigências de qualquer natureza.
 
Perdi a vontade de agradar a quem não agrado, de amar quem não me ama, de sorrir para quem ...quer retirar-me o sorriso.
 
Já não dedico um minuto que seja a quem me mente ou quer manipular.
 
Decidi não conviver mais com pretensiosismo, hipocrisia, desonestidade e elogios baratos.
 
Já não consigo tolerar eruditismo seletivo e altivez académica.
 
Não compactuo mais com bairrismo ou coscuvilhice.
 
Não suporto conflitos e comparações.
 
Acredito num mundo de opostos e por isso evito pessoas de carácter rígido e inflexível.
 
Na Amizade desagrada-me a falta de lealdade e a traição.
 
Não lido nada bem com quem não sabe elogiar ou incentivar.
 
Os exageros aborrecem-me e tenho dificuldade em aceitar quem não gosta de animais.
 
E acima de tudo já não tenho paciência nenhuma para quem não merece a minha paciência."
 
(Meryl Streep)
 
04-07-2014 22:17

Há pequenos instantes que nos fazem sorrir,

momentos que não troco por nada na minha vida,

são esses instantes que me dão força para existir,

são esses momentos que fazem com que não me sinta perdida.

Era uma "coisa" embrulhada em problemas constantes,

agora sou uma mulher quase realizada,

se às vezes ainda tenho momentos hesitantes,

agora penso que nessas alturas devia permanecer bem calada.

Ganhei liberdade,

ganhei a casa que sinto ser minha,

vejo agora com toda a claridade,

acredito piamente na vida que se avizinha.

Gosto do que tenho e não o trocaria por nada,

considero-me uma pessoa bem sucedida,

falta muito pouco para me sentir realizada,

pouco a pouco vou recuperando a minha investida.

Hoje faria amor com prazer,

o desejo é muito e bem direcionado,

pena que não vá acontecer,

vai-se sempre embora e permanece calado...

(Mafalda)

04-07-2014 15:36
"Haja o que houver
Eu estou aqui
Haja o que houver
espero por ti
 
Volta no vento ô meu amor
Volta depressa por favor
Há quanto tempo, já esqueci
Porque fiquei, longe de ti
Cada momento é pior
Volta no vento por favor...
 
Eu sei quem és
pra mim
Haja, o que houver
espero por ti...
 
Há quanto tempo, já esqueci
Porque fiquei, longe de ti
Cada momento é pior
Volta no vento por favor
 
Eu sei quem és
pra mim
Haja, o que houver
espero por ti..."
 
(Madredeus)
 
 
04-07-2014 15:33
"Uma mulher apaixonada é até morrer uma mulher apaixonada: vive daquele amor que muitas vezes até nem é amor; é ao invés uma espécie de dependência, um vício, uma seringa que se espeta na veia e de lá não consegue ser retirada.
 
Uma mulher apaixonada alimenta de pedaços suculentos de vazio o que sente: basta um sorriso, uma palavra menos agressiva, um simples carinho, para tudo voltar afazer sentido e o amor ser perfeito – perfeito: um amor perfeito para uma mulher completamente apaixonada não é mais que uma conta de nada mais nada, que resulta em tudo para ela."
 
(Pedro Chagas Freitas)
 
03-07-2014 22:55
"What am I to you?
Tell me, darlin', true
To me you are the sea
Vast as you can be
And deepest shade of blue
 
When you're feelin' low
To whom else do you go?
I'd cry if you hurt
I'd give you my last shirt
Because I love you so
 
Now, if my sky should fall
Would you even call?
I've opened up my heart
I never want to part
I'm givin' you the ball
 
When I look in your eyes
I can feel the butterflies
I'll love you when you're blue
But tell me darlin' true
What am I to you?
 
If my sky should fall
Would you even call?
I've opened up my heart
I never wanna part
I'm givin' you the ball
 
When I look in your eyes
I can feel the butterflies
Could you find a love in me?
Would you carve me in a tree?
Don't fill my heart with lies
I will love you when you're blue
But tell me, darlin', true
What am I to you?"
 
(Norah Jones)
 
 
03-07-2014 21:50
"Eu sei
Que a vida tem pressa
Que tudo aconteça
Sem que a gente peça
Eu sei
 
Eu sei
Que o tempo não pára
O tempo é coisa rara
E a gente só repara
Quando ele já passou
 
Não sei se andei depressa demais
Mas sei, que algum sorriso eu perdi
Vou pedir ao tempo que me dê mais tempo
Para olhar para ti
De agora em diante, não serei distante
Eu vou estar aqui
 
Cantei
Cantei a saudade
Da minha cidade
E até com vaidade
Cantei
Andei pelo mundo fora
E não via a hora
De voltar p'ra ti
 
Não sei se andei depressa demais
Mas sei, que algum sorriso eu perdi
Vou pedir ao tempo que me dê mais tempo
Para olhar para ti
De agora em diante, não serei distante
Eu vou estar aqui
 
Não sei se andei depressa demais
Mas sei, que algum sorriso eu perdi
Vou pedir ao tempo que me dê mais tempo
Para olhar para ti
De agora em diante, não serei distante
Eu vou estar aqui"
 
(Mariza)
 
 

...

03-07-2014 21:43
"Diga que as lágrimas foram em vão.
Que as alegrias devem ser esquecidas.
Que os sorrisos não fizeram sentido.
Que o amor não foi verdadeiro.
Que os momentos devem ser esquecidos.
Que o tempo deva ser apagado.
E que o amor não devia ter acontecido.
Diga que tudo que passamos não significou de nada.
Diga que não mexeu contigo.
 
Mas você se recusa a entender...
Que as feridas ficaram pra sempre.
Que tudo que passamos tudo que senti, tudo que aconteceu ficará guardado em minha mente e principalmente em meu coração.
Sempre me lembrando que já fui feliz.
Apertando meu peito e me fazendo sentir saudade.
Me fazendo lembrar dos momentos inesquecíveis e me fazendo chorar.
 
Pedir pra esquecer é fácil.
Quem pede pra esquecer normalmente não tem idéia da dor de uma perda.
Nunca nem se quer amou.
Esquecer é difícil, principalmente quando estamos falando de amor.
A única maneira que temos de nos sentir bem é aprender a viver com a dor.
Aprender a viver com as feridas que abriu no coração.
Por mais que seja doloroso viver assim.
Essa é a única saída.
Ou é isso ou será o fim."
 
(Gabriel De Queiroz Ribeiro)
 
03-07-2014 21:37
"Já tentei te esquecer.
Mas isso seria impossível, tudo que escrevo, tudo que penso é sobre você.
Não adianta eu fingir que sou forte e que supero tudo.
Não adianta fingir que está tudo bem porque na realidade não está.
Quando a magia entre nós começou acreditávamos que seria pra sempre, que éramos os mais perfeitos do mundo.
Acreditávamos que nem a morte separaria a gente.
Mas não foi bem assim.
Um pequeno descuido e foi tudo embora.
Relembro nossos tempos em sonhos, cartas,históricos de conversas.
Minha meta de vida é encontra um outro alguém que me faça feliz como você me fazia.
Mais infelizmente não é possível.
Tento te encontrar em outro alguém...
Porém meu sentimento é mais forte, não posso tentar esconder, ou até mesmo esquecer que um dia ja fui feliz.
A ausência de sua presença me faz mal, sinto que sem você nada será como era antes.
Minha vida nunca será a mesma sem você.
Você é a razão do meu viver.
Necessito de sua presença ao meu lado, preciso de você !"
 
(Gabriel De Queiroz Ribeiro)
 
03-07-2014 21:16

Estou estranha...

Estranho a calma em que me encontro,

a falta de vontade para dar um passo,

sinto-me a viver num eterno conto

sigo em frente e não sei mais o que faço.

Estou estranha...

Apatia, desinteresse,

quem me rodeia já percebeu que estou diferente,

a única vontade é que adormecesse

e não tivesse que encarar o daqui para a frente.

Estou estranha...

Não sei o que se passa

ou qual o motivo da mudança,

sei que por muito que faça

voltas-me sempre à lembrança.

Estou estranha...

Sinto-me a andar ao sabor do vento,

a não resistir às correntes do mar,

sinto bem fundo um grande sofrimento

mas nada posso fazer para o superar.

Estou estranha...

A incerteza de um lugar ao sol,

o vazio permanente numa cama que foi nossa,

se começar aqui a desfilar o rol

vou ficar novamente na fossa.

Estou estranha...

Sinto-me estranha e não sei explicar porquê,

não sei responder a nada do que me possam perguntar,

o amor é algo que não se vê,

mas tenho a noção de que estou a começar a hibernar.

Estou estranha...

Falta-me a gargalhada feliz,

o passeio à beira mar,

de que adianta o que se diz

se nada acaba por se realizar.

Estou estranha...

Desiludida com o ser humano,

cansada de uma vida calma demais,

preciso de minimizar este dano,

preciso de ir brincar para os arraiais.

Estou estranha...

Sinto-me estranha...

(Mafalda)

03-07-2014 21:15
"Fugir do amor é como fugir da vida, e os que fogem da vida já estão a beira de seu fim."
 
(Gabriel De Queiroz Ribeiro)
 
03-07-2014 21:10
"Por você eu serei!
Serei aquele que te faz sorrir. 
Serei aquele que te abraçará nas horas de maior carência.
Serei aquele que você nunca esquecerá que pela sua vida já passou um dia.
Quando se sentir insegura da vida, e sem saída para seus problemas...
Quando você precisar de alguém te mostrando o caminho certo.
De alguém que não vai mentir
Que não quer te magoar.
Assim que você dormir
Comigo você sonhará
Tente me ouvir.
Veja o quanto a amo.
Perceba o quanto significo pra você.
Tente me entender.
Se for necessário, por você um outro alguém eu vou ser!
O melhor homem do mundo ?
Quem vai dizer é você.
Por você eu faço tudo
Mudo minha vida.
Meu modo de viver.
Tenho que confessar, a razão da minha vida é você."
 
(Gabriel De Queiroz Ribeiro)
 
03-07-2014 09:21
"- Prometes?
- Prometo.
Só há uma promessa que um humano pode fazer a outro: vou magoar-te. Por mais que tente não magoar outro (ou, por vezes, precisamente por não querer magoar outro): um humano magoa outro. 
Não é errar que é humano; é magoar."
 
(Pedro Chagas Freitas)
 
02-07-2014 21:15
"O poema me levará no tempo
Quando eu já não for eu
E passarei sozinha
Entre as mãos de quem lê
 
O poema alguém o dirá
Às searas
 
Sua passagem se confundirá
Com o rumor do mar com o passar do vento
 
O poema habitará
O espaço mais concreto e mais atento
 
No ar claro nas tardes transparentes
Suas sílabas redondas
 
(Ó antigas ó longas
Eternas tardes lisas)
 
Mesmo que eu morra o poema encontrará
Uma praia onde quebrar as suas ondas
 
E entre quatro paredes densas
De funda e devorada solidão
Alguém seu próprio ser confundirá
Com o poema no tempo"
 
(Sophia de Mello Breyner)
 
02-07-2014 21:10
"Turn Down the light, Turn up the radio.
There's a fire in your eyes, and its keeping me warm
Hold on to me like it was yesterday,
When we both felt our spirits collide
 
I remember the moment, being struck down by lightning
Since the first time I saw your face, and you smiled
Come and lay down with me
Fill the space that's between us
Feel the magic that keeps love alive
 
This time, can be like the first time
Close your eyes and soon you'll be there
No man could ever guess what you're feeling
Turn a spark to a flame,
Make a wish, close your eyes, won't you start
all over again.
 
Just like the first time you touched my skin,
All over again
I tasted heaven take me there again,
All over again
 
Your smile
Your touch,
Your taste,
It turns me on and on and on,
That I fall in love with you,
All over again
 
Come and step through the stars,
Take a ride though the universe.
As long as we're here, lets take this whole thing in
 
What I'm trying to say,
Is that you are so beautiful
Let me say it, all over again.
 
Coz this time can be like the first time,
Close your eyes, but you'll soon will be there
No man could ever guess what he's feeling,
 
Turn a spark to a flame,
Make a wish, close your eyes, won't you start
all over again.
 
Just like the first time you touched my skin,
All over again
I tasted heaven take me there again,
All over again
 
Your smile,
Your touch,
Your taste,
It turns me on and on and on.
That I fall in love with you,
I keep falling in love, with you.
All over again
 
All over again
All over again."
 
(Ronan Keating & Rita Guerra)
 
 
02-07-2014 19:10

02-07-2014 18:58

Deitada ao sol na minha varanda,

desnudada de pensamentos inquietantes,

adormeci a pensar nesta eterna demanda,

acordei com inúmeras sensações inebriantes.

Cada raio de sol que sentia em mim

eram os teus dedos que percorriam a minha pele,

fiquei quieta porque estava a gostar de me sentir assim,

mas a sensação desvaneceu-se e aqui estou de regresso ao papel...

(Mafalda)

02-07-2014 10:49
"A vida nos propõe caminhos
e não sabemos quais seguir
são tantos já traçados
são tantos para onde ir.
 
Entre o medo e a insegurança;
entre o sim e não;
Quem nos guiará,
o amor ou a razão?
 
As incertezas nos cercam,
nos tomam conta as ansiedades,
são dúvidas que nos afligem,
São mentiras e verdades.
 
Basta vivermos cada dia
para aprendermos a lição,
cada um nessa vida
tem que cumprir sua missão.
 
É um fato a ser lembrado,
um segredo a ser escondido,
são planos a serem traçados
e sonhos para serem vividos."
 
(Sofia)
02-07-2014 10:45
"Por te amar tanto, tanto
Fizeste troça de mim 
Mas contudo, no entanto
Não deixo de te amar assim
 
Para mim significavas tudo
Que um dia pensei almejar 
Foste minha por um segundo 
Que mais posso eu, desejar?
 
Em troca desse meu amor
Retribuíste-me humilhação
A qual fez perder o calor 
Existente no meu coração
 
Hoje de ti, resta a lembrança
Cheia de dor e muita tristeza 
O, que foi lindo de esperança
Se tornou nesta imensa frieza
 
Por isso, não me arrependo
De ter sentido esta paixão
Senti-me feliz, embora sendo
Apenas eu a entregar o coração
 
Por essa razão, e apesar de tudo 
Que tu, e a vida me ensinaram 
Continuo sonhador neste mundo 
Com o coração, que dilaceraram
 
Poderei viver muitos e longos anos
Considerem-me decrépito, se quiserem
Mas deixar de sonhar, por desenganos
Jamais, façam-me tudo, que fizerem"
 
(Luís Filipe D. Figueiredo)
 
01-07-2014 23:31
“O amor não se manifesta no desejo de dormir com alguém, mas dormir junto à alguém.”
 
(Milan Kundera)
 
01-07-2014 22:28

01-07-2014 22:19
“Mulher, uma fera com garras escondidas por luvas perfumadas...”
 
(Friedrich Nietzsche)
01-07-2014 21:32
“Qualquer um pode amar uma rosa, mas é preciso um grande coração para incluir os espinhos.”
 
(Clarice Lispector)
30-06-2014 21:28

Aqui escrevo tudo o que me vai na alma,

mas se passo alguns dias sem escrever

é apenas porque tenho muitas coisas para fazer

e não consigo encontrar a minha calma.

Aqui sou eu, nua de preconceitos,

sem esconder os meus defeitos,

sem vergonhas, nem pudores,

falando abertamente do meu passado de amores.

Aqui não preciso de me esconder,

de fingir felicidade onde existe um buraco vazio,

aqui posso queixar-me por não te ter,

gritar a falta que me faz ver o teu sorriso.

Aqui sou eu, sozinha,

de coração aberto aos meus leitores,

à espera de um fim que se avizinha,

de um resto de vida sem mais dissabores.

Aqui sou eu, desprovida de esperança,

sinto situações que não consigo explicar,

vivo uma vida de bonança,

mas falta-me aquele Homem para eu amar.

Aqui deixo fluir as palavras

que têm de ser contidas durante todo o resto do tempo,

liberto as minhas asas,

envolvo-me num longo emaranhado de sentimento.

Aqui grito por um amor perdido,

por um passado não esquecido,

por uma angústia de nada saber,

pela vontade de te voltar a ter.

Aqui.

Só aqui...

(Mafalda)

30-06-2014 21:15

Faço filmes onde não há telas,

construo castelos no meio do vento,

às vezes penso que esta história vai ter uma sequela,

depois obrigo-me a acordar e sinto-me em sofrimento.

Como se fica tão preso a uma pessoa,

como combater um sentimento que não se controla,

bolas.... podia estar a ter uma vida tão boa

e estou aqui a dar cabo da minha carola.

Quero esquecer que ele existe,

não quero pensar em quem não está comigo,

mas a intuição sempre persiste,

dá comigo em doida e faz-me ter vontade de voltar enfrentar o perigo.

Mas nunca nada irei fazer,

mais de mil vezes já o devo ter dito,

o famoso tempo  tudo há-de resolver,

não há nada que um dia não seja proscrito...

(Mafalda)

30-06-2014 20:59
"Poesia que chora com sentimentos,
Chora com a verdade no peito,
Chora suas mágoas com seu despeito,
Chora a saudade e seus desalentos.
 
Quando uma poesia chora calada,
Derrama lágrimas sem coerência,
Chorando vive em abstinência,
P'ra mostrar seu amor a pessoa amada.
 
Num campo de flores no amanhecer,
Mostra as rosas, os cravos em flor,
onde a poesia vive apenas de amor.
 
E quando ele não consegue ver,
A grandeza, a pureza desse amor,
Ela esconde p'ra ninguém adjazer."
 
(Izaura N. Soares)
 
30-06-2014 20:53
"- Então... para que servem os espinhos?
- Os espinhos são pura maldade das flores.
- O que? Eu não acredito! As flores são fracas, ingênuas. Defendem-se como podem. Elas se julgam terríveis com os seus espinhos.
 
(...) Se eu, por minha vez, conheço uma flor única no mundo, que só existe no meu planeta, e que um belo dia um carneirinho pode liquidar num só golpe, sem avaliar o que faz, - isto não tem importância?!
 
- Se alguém ama uma flor da qual só existe um exemplar em milhões e milhões de estrelas, isso basta para que seja feliz quando a contempla. Ele pensa: "Minha flor está lá, nalgum lugar..." Mas se o carneiro come a flor, é para ele, bruscamente, como se todas as estrelas se apagassem! E isto não tem importância??"
 
(Antoine de Saint Exupéry)
 
28-06-2014 18:56
"When you're living like a legend
When your feelings are so true
When your life keeps getting better
Because the world spins around you
Yes, you're living like a legend
 
One day, you'll be living your own dreams
And someday you'll be begging on your knees
And one day you'll see what I see
That is nothing but a lie
You must read between the lines
 
As I cruise along the journey
It's not easy anymore
Because they'll treat you like a package
They will patch you as before
Yes, you're living like a legend
 
One day, you'll be living your own dreams
And someday you'll be begging on your knees
And one day, you'll see what I see
That is nothing but a lie
You must see it with your eyes
 
There is still tomorrow
If you have the will
You got be true, got it by you, follow your soul
Keep it alive and up your goal
 
When you're living like a legend
When your feelings are so true
When your life keeps getting better
Because the world spins around you
Yes, you're living like a legend
 
One day, you'll be living your own dreams
And someday you'll be begging on your knees
And one day you'll see what I see
That is nothing but a lie
You must read between the lines
 
One day, you'll be living your own dreams
And someday you'll be begging on your knees
And one day you'll see what I see
That is nothing but a lie
You must see it with your eyes"
 
(André Indiana & Mónica Ferraz)
 
 
28-06-2014 18:39
"Gosto de ti como uma estrela no dia,
Gosto de ti quando uma nuvem começa,
Gosto de ti quando o teu corpo pedia,
Quando nas mãos me ardia,
Como silêncio na guerra,
Beijos de luz e de terra,
E num passado imperfeito,
Um fogo farto no peito
E um mundo longe de nós.
 
Enquanto não há amanhã,
Ilumina-me..."
 
(Pedro Abrunhosa)
 
28-06-2014 18:36
"Já gastámos as palavras pela rua, meu amor, 
e o que nos ficou não chega 
para afastar o frio de quatro paredes. 
Gastámos tudo menos o silêncio. 
Gastámos os olhos com o sal das lágrimas, 
gastámos as mão à força de as apertarmos, 
gastámos o relógio e as pedras das esquinas 
em esperas inúteis.
Meto as mãos nas algibeiras 
e não encontro nada. 
Antigamente tínhamos tanto para dar um ao outro! 
Era como se todas as coisas fossem minhas: 
quanto mais te dava mais tinha para te dar.
Às vezes tu dizias: os teus olhos são peixes verdes! 
e eu acreditava. 
Acreditava, 
porque ao teu lado 
todas as coisas eram possíveis. 
Mas isso era no tempo dos segredos, 
no tempo em que o teu corpo era um aquário, 
no tempo em que os meus olhos 
eram peixes verdes. 
Hoje são apenas os meus olhos. 
É pouco, mas é verdade, 
uns olhos como todos os outros.
Já gastámos as palavras. 
Quando agora digo: meu amor..., 
já se não passa absolutamente nada. 
E no entanto, antes das palavras gastas, 
tenho a certeza 
de que todas as coisas estremeciam 
só de murmurar o teu nome 
no silêncio do meu coração. 
Não temos já nada para dar. 
Dentro de ti 
não há nada que me peça água. 
O passado é inútil como um trapo. 
E já te disse: as palavras estão gastas.
 
Adeus."
 
(Eugénio de Andrade)
 
28-06-2014 18:31
"Não chame o meu amor de Idolatria 
Nem de Ídolo realce a quem eu amo, 
Pois todo o meu cantar a um só se alia,
E de uma só maneira eu o proclamo. 
 
É hoje e sempre o meu amor galante, 
Inalterável, em grande excelência; 
Por isso a minha rima é tão constante
A uma só coisa e exclui a diferença. 
 
'Beleza, Bem, Verdade', eis o que exprimo; 
'Beleza, Bem, Verdade', todo o acento; 
E em tal mudança está tudo o que primo, 
Em um, três temas, de amplo movimento. 
 
'Beleza, Bem, Verdade' sós, outrora; 
Num mesmo ser vivem juntos agora."
 
(William Shakespeare)
 
26-06-2014 21:52

A pensar nos meus leitores criei um email para que me possam dar as vossas opiniões:

mafaldaling1@gmail.com

Aguardo-vos!

26-06-2014 21:11
"Todos sabemos que cada dia que nasce é o primeiro para uns e será o último para outros e que, para a maioria, é só um dia mais."
 
(Mia Couto)
 
26-06-2014 19:00
"Sou entre flor e nuvem, estrela e mar.
Porque havemos de ser 
unicamente limitados em chorar?
 
Não encontro caminhos fáceis de andar
meu rosto vário desorienta as firmes pedras
que não sabem de água e de ar.
 
E por isso levito.
É bom deixar um pouco de ternura e encanto 
diferente de herança, 
em cada lugar.
 
Rastro de flor e estrela,
nuvem e mar.
Meu destino é mais longe 
e meu passo mais rápido:
A sombra é que vai devagar."
 
(Cecília Meireles)
 
24-06-2014 22:42

Volta, amigo imaginário,

preciso que ocupes o meu pensamento,

que me dediques o teu tempo

que faças algo mais temerário.

Volta, amigo inexistente,

preciso que me distraias da vida,

não podes ser um amigo ausente,

senão fico novamente perdida.

Volta, pilar da minha confiança,

companhia da minha solidão,

trazes-me sempre ventos de bonança

com o teu sorriso e a tua mão.

Volta, não me deixes à deriva,

ancora perto de mim,

não preciso de nenhuma comitiva,

apenas que tu te sentes e fiques até ao fim.

Volta, enebria-te comigo,

afasta-me do grande perigo

de voltar a um passado

onde tanto tempo já foi perdido.

Volta, não deixes de existir,

não queiras também partir,

devolve-me aquela crença

de que um dia vou voltar a ter motivos para sorrir...

(Mafalda)

24-06-2014 22:30

Há dias em que fujo da minha escrita,

em que tento me esquecer de mim,

em que tenho uma ocupação bendita

que me dá uma distração sem fim.

Há dias em que me nego a pensar,

em que tudo faço para não recordar,

em que vou ao limite da exaustão,

só para não encarar a minha própria solidão.

Mas há dias em que não páro de pensar,

em que não conigo evitar,

em que tudo me faz recordar,

em que tudo faço para não vacilar.

Há dias em que te sinto em mim,

a falar-me ao ouvido,

a dizeres-me que isto não vai ficar assim,

que agora tudo já está resolvido.

Há dias em que oiço o teu pensamento,

em que sinto o teu lamento,

em que sou envolta no teu sofrimento,

em que sinto a tua aragem mesmo sem haver qualquer vento.

Há dias mais complicados,

são aqueles em que vivemos enganados,

em que deixamos tudo entregue ao destino,

em que perdemos por completo o nosso tino.

Há dias em que a minha cara aquece sem motivo,

em que sinto que estás totalmente perdido,

em que sei que precisas de um ombro amigo

e em que nada posso fazer, apenas porque não estás mais comigo.

Dias e dias que passam velozes,

sem qualquer esperança no horizonte,

não fossem todas estas vozes

e eu já estaria muito muito longe...

(Mafalda)

24-06-2014 21:31

És tu que eu quero... e depois?

haverá alguém que possa criticar,

que possa negar um sentimento sempre presente?

Bastava ver-nos aos dois,

que percebiam o que era amar,

o que sentíamos verdadeiramente.

És tu que eu quero... e depois?

Só tu sabes:

o meu jeito de amar,

os sítios certos onde me tocar,

os beijos loucos que gostava de te dar.

És tu que eu quero... e depois?

Não há quem consiga mandar,

quem ache uma forma de enganar

um coração que não se quer desabituar.

Tu podes ser a melhor ou pior pessoa do mundo,

a mais altruísta ou egoísta,

mas ocupas cada segundo

desta minha vida de malabarista...

(Mafalda)

24-06-2014 21:29

24-06-2014 21:18

Triste sina a de um coração partido

que não se consegue arragar a mais lado nenhum,

o passado devia ser facilmente esquecido,

não devia haver um tão longo tempo de jejum.

Triste fado de quem é afastado

de uma vida sã e verdadeira,

não se é esquecido ou mal amado,

nem nada foi uma mera brincadeira.

Triste vida a de quem está sem estar,

de quem fica mas tem vontade de partir,

de quem esqueceu o sentido de amar,

de quem chora por dentro enquanto se mostra a rir.

É uma tristeza total,

sem sentido, sem qualquer justificação,

sabendo que o que dantes foi real

agora resta apenas uma longa imaginação...

(Mafalda)

24-06-2014 21:10

Este espaço tem um dono,

de nada adiantar afirmar que não,

apetece-me entrar num longo sono

até ao dia de voltar a tocar a sua mão.

Este espaço é habitado,

embora não tenha ninguém ao pé de mim,

olho para um e outro lado,

vou-me habituando a viver assim.

Este espaço ficou parado no tempo,

passem dias, meses ou anos,

de vez em quando solta um lamento,

ainda não sararam todos os danos.

Este espaço é uma prisão,

com a liberdade a rodeá-lo constantemente,

de vez em quando vislumbra uma solução,

momentanea, intermitente.

Este espaço é só teu,

sempre o foi, sempre o será,

não sei o que é que me deu

mas acredito que (um dia) ele voltará...

(Mafalda)

22-06-2014 22:11

22-06-2014 21:18
"Definitivo, como tudo o que é simples. 
Nossa dor não advém das coisas vividas, 
mas das coisas que foram sonhadas e não se cumpriram. 
 
Sofremos por quê? Porque automaticamente esquecemos 
o que foi desfrutado e passamos a sofrer pelas nossas projeções 
irrealizadas, por todas as cidades que gostaríamos de ter conhecido ao lado 
do nosso amor e não conhecemos, por todos os filhos que gostaríamos de ter 
tido junto e não tivemos,por todos os shows e livros e silêncios que 
gostaríamos de ter compartilhado, 
e não compartilhamos. 
Por todos os beijos cancelados, pela eternidade. 
 
Sofremos não porque nosso trabalho é desgastante e paga pouco, mas por todas 
as horas livres que deixamos de ter para ir ao cinema, para conversar com um 
amigo, para nadar, para namorar. 
 
Sofremos não porque nossa mãe é impaciente conosco, mas por todos os 
momentos em que poderíamos estar confidenciando a ela nossas mais profundas 
angústias se ela estivesse interessada em nos compreender. 
 
Sofremos não porque nosso time perdeu, mas pela euforia sufocada. 
 
Sofremos não porque envelhecemos, mas porque o futuro está sendo 
confiscado de nós, impedindo assim que mil aventuras nos aconteçam, 
todas aquelas com as quais sonhamos e nunca chegamos a experimentar. 
 
Por que sofremos tanto por amor? 
O certo seria a gente não sofrer, apenas agradecer por termos conhecido uma 
pessoa tão bacana, que gerou em nós um sentimento intenso e que nos fez 
companhia por um tempo razoável,um tempo feliz. 
 
Como aliviar a dor do que não foi vivido? A resposta é simples como um 
verso: 
 
Se iludindo menos e vivendo mais!!! 
A cada dia que vivo, mais me convenço de que o desperdício da vida 
está no amor que não damos, nas forças que não usamos, 
na prudência egoísta que nada arrisca, e que, esquivando-se do 
sofrimento,perdemos também a felicidade. 
 
A dor é inevitável. 
O sofrimento é opcional..."
 
(Carlos Drummond de Andrade)
 
22-06-2014 21:15
"Dizem que o tempo ameniza
Isto é faltar com a verdade
Dor real se fortalece
Como os músculos, com a idade
 
É um teste no sofrimento
Mas não o debelaria
Se o tempo fosse remédio
Nenhum mal existiria"
 
(Emily Dickinson)
 
22-06-2014 21:13
"A vida é um incêndio: nela
dançamos, salamandras mágicas
Que importa restarem cinzas
se a chama foi bela e alta?
Em meio aos toros que desabam,
cantemos a canção das chamas!
 
Cantemos a canção da vida,
na própria luz consumida..."
 
(Mario Quintana)
 
22-06-2014 21:10
"Tão bom viver dia a dia...
A vida assim, jamais cansa...
 
Viver tão só de momentos
Como estas nuvens no céu...
 
E só ganhar, toda a vida,
Inexperiência... esperança...
 
E a rosa louca dos ventos
Presa à copa do chapéu.
 
Nunca dês um nome a um rio:
Sempre é outro rio a passar.
 
Nada jamais continua,
Tudo vai recomeçar!
 
E sem nenhuma lembrança
Das outras vezes perdidas,
Atiro a rosa do sonho
Nas tuas mãos distraídas..."
 
(Mario Quintana)
 
22-06-2014 21:04
"Ainda pior que a convicção do não e a incerteza do talvez é a desilusão de um quase. É o quase que me incomoda, que me entristece, que me mata trazendo tudo que poderia ter sido e não foi. Quem quase ganhou ainda joga, quem quase passou ainda estuda, quem quase morreu está vivo, quem quase amou não amou. Basta pensar nas oportunidades que escaparam pelos dedos, nas chances que se perdem por medo, nas idéias que nunca sairão do papel por essa maldita mania de viver no outono. 
 
Pergunto-me, às vezes, o que nos leva a escolher uma vida morna; ou melhor não me pergunto, contesto. A resposta eu sei de cór, está estampada na distância e frieza dos sorrisos, na frouxidão dos abraços, na indiferença dos "Bom dia", quase que sussurrados. Sobra covardia e falta coragem até pra ser feliz. A paixão queima, o amor enlouquece, o desejo trai. Talvez esses fossem bons motivos para decidir entre a alegria e a dor, sentir o nada, mas não são. Se a virtude estivesse mesmo no meio termo, o mar não teria ondas, os dias seriam nublados e o arco-íris em tons de cinza. O nada não ilumina, não inspira, não aflige nem acalma, apenas amplia o vazio que cada um traz dentro de si. 
 
Não é que fé mova montanhas, nem que todas as estrelas estejam ao alcance, para as coisas que não podem ser mudadas resta-nos somente paciência porém,preferir a derrota prévia à dúvida da vitória é desperdiçar a oportunidade de merecer. Pros erros há perdão; pros fracassos, chance; pros amores impossíveis, tempo. De nada adianta cercar um coração vazio ou economizar alma. Um romance cujo fim é instantâneo ou indolor não é romance. Não deixe que a saudade sufoque, que a rotina acomode, que o medo impeça de tentar. Desconfie do destino e acredite em você. Gaste mais horas realizando que sonhando, fazendo que planejando, vivendo que esperando porque, embora quem quase morre esteja vivo, quem quase vive já morreu."
 
(Sarah Westphal)
 
19-06-2014 21:57

Foi um fim de tarde como outro qualquer

mas o incómodo instalou-se rapidamente,

dei por mim a pensar no que leva uma mulher

a escrever poemas sobre um tema tão inexistente.

Mágoa, dor, saudade,

amor, paixão, leviandade,

desejo, ternura, cumplicidade,

empatia, alegria, felicidade...

Tudo junto numa pessoa só,

a pessoa que sei ser a minha pessoa,

passei pelas brasas com este imenso nó,

acordei na esperança de que já nada lhe doa.

O meu sentimento é descabido,

não posso deixar o pensamento fluir,

de que adianta pensar nesse amor perdido,

de que vale esperar sem mais ninguém existir.

Mas a vontade não é nenhuma,

não imagino sequer outra pessoa a meu lado,

quis a sorte fazer-me sentir a brandura

de uma vida pacata mas com uma sensação de inacabado.

Não posso voltar a questionar os porquês,

não me posso permitir pensar nessa pessoa,

é certo que um coração que não vê

acaba sempre por andar muito à toa.

Porque tocam as músicas naqueles sítios exatos,

porque aparecem situações que me fazem reviver,

bolas, estes poemas estão a ficar chatos,

assim até eu me vou fartar de os escrever.

Amor ausente, amor esquecido,

expus a minha vida num blog e num livro,

não considero que tenha sido tempo perdido,

libertei sentimentos que me inflingiam muito perigo.

Mas ele deve permanecer calado,

porque nunca falou sobre ele com ninguém,

como é possível viver nesse estado,

sabendo o que sinto (e se o sabe bem)...

(Mafalda)

19-06-2014 18:38
"Conseguem ser tão calculistas e maldosas como qualquer homem, só que com muito mais nível.
 
Inventaram o telemóvel ao volante.
 
São corajosas e quando se lhes mete uma coisa na cabeça levam tudo à frente.
 
Fazem-se de parvas porque o seguro morreu de velho e estão muito escaldadas.
 
Fazem-se de inocentes e (milagre!) por esse acto de vontade tornam-se mesmo inocentes.
 
Nunca perdem a capacidade de se deslumbrarem.
 
Riem quando estão tristes, choram quando estão felizes.
 
Não compreendem nada.
 
Compreendem tudo.
 
Sabem que o corpo é passageiro.
 
Sabem que na viagem há que tratar bem o passageiro e que o amor é um bom fio condutor.
 
Não são de confiança, mas até a mais infiel das mulheres é mais leal que o mais fiel dos homens."
 
(Rui Zink)
 
18-06-2014 20:50
"O que tem de ser, tem muita força.
 
Ninguém precisa se assustar com a distância, os afastamentos que acontecem.
 
Tudo volta!
 
E voltam mais bonitas, mais maduras, voltam quando tem de voltar, voltam quando é pra ser."
 
(Caio F Abreu)
 
18-06-2014 20:48
"Fiquei tão só, aos poucos.
 
Fui afastando essas gentes assim menores, e não ficaram muitas outras.
 
Às vezes, nos fins de semana principalmente, tiro o fone do gancho e escuto, para ver se não foi cortado.
 
Não foi."
 
(Caio Fernando)
 
18-06-2014 20:46
"Quanto mais inteligente a mulher, tanto mais se afasta o homem."
 
(Friedrich Nietzsche)
 
18-06-2014 20:42
"A utopia está lá no horizonte.
 
Me aproximo dois passos, ela se afasta dois passos.
 
Caminho dez passos e o horizonte corre dez passos.
 
Por mais que eu caminhe, jamais alcançarei.
 
Para que serve a utopia?
 
Serve para isso: para que eu não deixe de caminhar."
 
(Eduardo Galeano)
 
16-06-2014 23:16

16-06-2014 22:53

Para quem escrevo palavras que nunca acabam,

quem habita em mim sem lhe ter dado permissão,

todas as palavras somadas, muitos livros davam,

mas só escrevo o que sai do meu coração.

É um orgão que se agarra com muita intensidade

a paredes viscosas que não o conseguem suster,

meia volta perde toda a sanidade

e faz com que eu volte aqui para escrever.

Disco riscado, 

repetições constantes,

tudo está acabado,

nunca nada voltará a ser como dantes.

Acredita coração tonto,

que deixaste de ter um rosto marcado,

és palerma se ainda consegues ver um ponto

no meio de um tão longo tracejado.

Se bates é apenas para me  manteres viva,

não tenhas ilusões de tempos dourados,

não sei mais o que te diga,

pára com devaneios tão desfocados...

(Mafalda)

16-06-2014 22:39

Há uma névoa cerrada em torno da minha casa,

não se vislumbra nada para além do aqui,

sinto que libertei a minha asa,

sinto que já consigo viver bem sem ti.

Mas o nevoeiro é frio e entranha-se na carne,

dá uma sensação de gelo constante,

se o amor é fogo que arde,

porque me sinto eu neste estado ainda hesitante.

Passou a curiosidade,

passou a preocupação permanente,

avança-se na idade

e cresce a sensação de se ser impotente.

Nada mais se pode fazer,

não vale a pena tentar novas ideias,

aprende-se a viver,

libertam-se todas as teias.

Nevoeiro cerrado que habitas em mim,

vedaste-me o vislumbre de uma nova emoção,

torna-se um hábito viver assim,

livre, solta, mas sem uma doce tentação...

(Mafalda)

16-06-2014 21:09

Já ninguém quer saber

de um amor proscrito

onde já tudo foi dito

e nada mais há para entender.

Já ninguém se interessa

por uma escrita repetitiva

onde surge sempre a promessa

de uma vida bem vivida.

Já ninguém dá valor

a sentimentos verdadeiros

onde se mostra o interior

sem nenhum tipo de receios.

Já ninguém tem capacidade de sonhar

com felicidade a tempo inteiro

sem saber onde se vai parar

tal é a incerteza do timoreiro.

Já não há ninguém

que cumpra os requisitos

de conseguir ir mais além

sem embarcar em navios esquisitos.

Já não há ninguém

que satisfaça a insatisfação

que sente um outro alguém

que foi remetido para uma eterna solidão...

(Mafalda)

13-06-2014 20:18
"Há momentos e situações em que o olhar comunica mais que as palavras, isso também é intimidade.
 
Creio que sou capaz de dizer muitas cosas sem falar, é o outro que também tem de compreender e de saber interpretar.
 
Quando se estabelece essa relação de intimidade e de amizade, não é necessário falar. (...)
 
Frequentemente é melhor não o fazer porque as palavras estão muito gastas."
 
(António Lobo Antunes)
 
11-06-2014 22:59

Vou sonhar com o dia em que vais entrar na minha vida,

com o toque suave da tua mão,

só de imaginar fico logo rendida,

basta idealizar para sentir a sedução.

Tu existes, és real,

apenas não chegou ainda o tempo certo,

lua cheia, sobrenatural,

chega esta altura do mês e o meu tino fica incerto.

É uma sedução dissimulada,

uma insensatez de ser amoral,

avançando fico sempre especada,

parando sinto-me imoral.

Hoje eu sei que te escondes

apenas pelo receio do meu toque,

podes avançar, não me rondes,

és tu o motivo de todo este enfoque.

Liberta a loucura que existe em ti,

não tenhas medo de te prender a mim,

depois de tudo o que já vivi,

espero o sonho que vai chegar bem no fim...

(Mafalda)

11-06-2014 22:43

Sinto saudades de uma gargalhada sentida,

de um olhar calado mas deveras revelador,

não, não me sinto deprimida,

apenas estou desprovida do teu calor.

Apetecia-me sair um pouco,

libertar anseios escondidos,

mas enquanto continuar a falar com um mouco

esses desejos vão permanecer esvanecidos.

Faz-me falta um pouco de loucura,

de uma dose de adrenalina que me faça acordar,

não, não estou numa fase de amargura,

apenas sinto a tua falta para conversar.

Dou por mim a pensar sem querer,

a tentar perceber o que não faz o mínimo sentido,

gostar de ti não é um capricho de não saber perder,

é um sentimento sincero que se sente oprimido.

Fazes falta no meu dia a dia,

nas pequenas coisas que acontecem normalmente,

o presente jamais se antevia,

pode ser que o futuro chegue em forma de presente...

(Mafalda)

11-06-2014 22:27

Aqui fica uma foto gentilmente cedida pela minha prima Gena...

11-06-2014 10:11
Jornada sem tréguas, com mágoas e angústias atrozes,
recheada de caminhos sinuosos sem atalhos que pudessem facilitar,
contra ventos, tempestades e marés sempre ferozes,
tinha sempre tudo contra, sem nada que pudesse ao menos ajudar.
 
Era o fim do caminho, já nada mais havia a esperar da luta contra uma vida ingrata,
o precipício chamava com sussurros de sereia que se ouviam à distância,
atravessava com prazer as últimas veredas de uma catástrofe inata,
mas enquanto avançava começaram as recordações dos seus tempos de infância.
 
Jardins floridos com crianças felizes nas suas brincadeiras,
um mundo perfeito cheio de ilusões inocentes e sem qualquer sombra de dor,
começaram a misturar-se os desesperos e as recordações das emoções verdadeiras,
avançar rumo ao fim ou voltar a sentir aquele tão desconcertante torpor?
 
Compensaria acabar com todo o seu passado, matar de vez uma hipótese de futuro,
só por não saber viver um presente doloroso onde só restava a amargura?
Parar em frente ao fim, olhar e não aceitar,
bater no fundo dentro de si, mas ter de arranjar força para continuar sem hesitar.
 
Com as costas voltadas ao fim que se aproximava a passos galopantes e decididos, 
recusou ser escravo de uma vontade assim tão egoísta,
um dia despertaria novamente todos os seus sentidos
e a desilusão desmedida, aos poucos, deu lugar a um recomeço muito mais otimista...
 
(Mafalda)
 
08-06-2014 21:00
“Teus sonhos são as letras do livro que sua vida está escrevendo.”
 
(Paulo Coelho)
 
08-06-2014 20:58

08-06-2014 20:33

Deixei de ter leitores em Portugal,

visitam-me centenas de outros países,

por cá não gostam de uma história real,

não querem mais acompanhar as minhas raízes.

Talvez deva começar a escrever em inglês,

assim é mais fácil entenderem o que digo,

a alternativa seria usar o chinês,

mas aprender esse idioma ia ser um verdadeiro castigo.

Vou-me manter fiel à minha nacionalidade,

talvez escreva um ou outro numa outra língua,

quando se atinge o meu grau de insanidade,

nada se pode esperar a não ser viver à míngua...

(Mafalda)

06-06-2014 22:28

Cheguei à brilhante conclusão

que o meu passado é maior que o meu futuro,

se não tiver mais a quem dar a mão,

não vou entrar mais em nenhum apuro.

Sou a soma do meu tempo,

a adição das experiências vividas,

não vou gastar mais nenhum lamento

em situações que já foram esquecidas.

Preciso de cultivar o meu jardim,

de regar as flores que me rodeiam,

se ainda há quem muito goste de mim

muitos outros haverá que apenas me odeiam.

Cometo erros, cedo a tentações,

sou humana, não duvidem,

gosto de alimentar ilusões

porque elas nunca me agridem.

Sonho com um mundo divertido,

em que a paz é o bem mais precioso,

aprendendo a discernir o colorido

vou traçando sempre um objetivo mais ambicioso.

Passo a passo, devagarinho,

como se estivesse a aprender a andar,

passou a maior parte do meu caminho

mas ainda tenho pernas para muito caminhar.

Que morra feliz e sem dor,

que possam dizer que aproveitei o que a vida me quis dar,

neste momento só quero aproveitar o calor,

deixar-me envolver e recomeçar a gostar.

Baixar um pouco as defesas, ir à aventura,

sem compromissos que me posam bloquear,

haverá sempre um sentimento que perdura

e é desse mesmo que não me quero afastar...

(Mafalda)

06-06-2014 22:01
"Quando as dores são cicatrizes o aprendizado tem que ser parte constante dos dias.
 
Não há nada mais desmotivador do que a culpa que joga o peso todo em cima das costas.
 
O perdão liberta, cura, engrandece o ser, mas, perdoar verdadeiramente nunca foi algo fácil, afinal somos orgulhosos.
 
O nosso ego por vezes esconde o quanto o paraíso pode ser bom, o quanto um abraço pode ser libertador.
 
Viver os dias na esperança de ser melhor, mais humilde e humano é acreditar que um dia o céu há de habitar por completo no coração.
 
Os escuros são espinhos, quando não deixamos o perfume do amor enfim florescer de dentro pra fora."
 
[Vitor Ávila]
 
06-06-2014 21:00

Com toda a minha ternura

beijo uns lábios que resistem,

hoje é um dia de brandura,

já são muitos os que agora existem.

Apraz-me sobremaneira

ter companhia à minha mesa,

eu sei que não sou a primeira

que se refugia no imaginar  para combater a tristeza.

Gosto de sentir o toque da tua pele,

o aroma que deixas ao passar,

note-se que não estou a falar dele,

deixo o meu espírito livremente vaguear.

Há pessoas que nos tiram

e há pessoas que nos devolvem,

não existir permite que não nos firam

e os sonhos constantes tudo resolvem.

É a candura de um beijo sincero,

é uma vontade em sentir o toque de quem não existe,

o tempo às vezes não é severo,

tira, devolve e uma pessoa resiste.

Sabe-me bem seduzir em imaginação,

sinto uma vontade louca de transpor barreiras,

hoje não é um dia de negação,

é o dia de tomar atitudes prazenteiras.

Um dia vai deixar de ser um sonho,

vou passar a ter esta presença constante,

aí perco o sorriso tristonho

e sigo por esse caminho sem me sentir hesitante.

Coloquei pedras no passado,

guardo-o no baú das recordações,

foi bom, mas está acabado,

estou livre e sem prisões.

Pode haver dias em que aparecem muitas questões,

mas a minha força não me deixa cair,

vivo uma vida cheia de ilusões

que há quem me deseja mas não quer assumir.

Gosto muito do que já tenho,

nada mais tem urgência em ser conseguido,

admiro muito o engenho

de quem quer mas ainda anda distraído...

(Mafalda)

05-06-2014 09:39

05-06-2014 09:33

O que eu temia aconteceu,

logo pela manhãzinha, sem qualquer hesitação,

pelo menos não esqueceu

quem um dia lhe entregou o coração.

Mas não queria que tivesse mandado nada,

preferia ter sido remetida à indiferença,

vou manter-me totalmente calada

perante quem nunca foi minha pertença.

É complicado de gerir,

custa um bocado manter a distância,

vou ter de fazer um grande esforço para sorrir,

tenho de dar ao assunto o mínimo de importância...

(Mafalda)

04-06-2014 21:26
"Pobre de quem teve medo de correr os riscos.
 
Porque este talvez não se decepcione nunca, nem tenha desilusões, nem sofra como aqueles que têm um sonho a seguir.
 
Mas quando olhar para trás - porque sempre olhamos para trás - vai escutar seu coração dizendo:
 
"O que fizeste com os milagres que Deus semeou por teus dias?
 
O que fizeste com os talentos que teu Mestre te confiou?
 
Enterraste fundo em uma cova, porque tinhas medo de perdê-los.
 
Então, esta é a tua herança: a certeza de que desperdiçaste sua vida".
 
(Paulo Coelho)
 
04-06-2014 21:20
"Quando depositamos muita confiança ou expectativas em uma pessoa, o risco de se decepcionar é grande.
 
As pessoas não estão neste mundo para satisfazer as nossas expectativas, assim como não estamos aqui, para satisfazer as dela.
 
Temos que nos bastar... nos bastar sempre e quando procuramos estar com alguém, temos que nos conscientizar de que estamos juntos porque gostamos, porque queremos e nos sentimos bem, nunca por precisar de alguém.
 
As pessoas não se precisam, elas se completam... não por serem metades, mas por serem inteiras, dispostas a dividir objetivos comuns, alegrias e vida.
 
Com o tempo, você vai percebendo que para ser feliz com a outra pessoa, você precisa em primeiro lugar, não precisar dela. 
 
Percebe também que aquela pessoa que você ama (ou acha que ama) e que não quer nada com você, definitivamente, não é o homem ou a mulher de sua vida.
 
Você aprende a gostar de você, a cuidar de você, e principalmente a gostar de quem gosta de você.
 
O segredo é não cuidar das borboletas e sim cuidar do jardim para que elas venham até você.
 
No final das contas, você vai achar não quem você estava procurando, mas quem estava procurando por você!"
 
(Mario Quintana)
 
04-06-2014 20:58
"Riscos, gosto eu de dizer, compensam sempre: aprendes o que fazer ou aprendes o que não fazer." (Jonas Salk)
 
"Há pessoas que gostam de correr riscos. Consciente e deliberadamente colocam-se em situações de perigo, ou, pelo menos, de grande desconforto.
 
Contudo é um engano pensares que, ficando quieto em casa, corres menos riscos. Não. Não é assim com a segurança física e não é assim com a segurança mental, social, financeira. Não.
 
Em tempos de mudança ficar parado é um risco maior do que engajar-se activamente em soluções.
 
Não penses que para correres riscos precisas de fazer alguma coisa.
 
O maior risco que corres é o de ficar parado na tua zona de conforto.
 
Quando vem um tsunami, os barcos ancorados no porto correm mais riscos de naufragar que aqueles que estão em alto mar. Estes, a maior parte das vezes, nem se apercebem de nada, mas o que estão no "porto seguro", afundam-se todos.
 
Pensas que os tempos actuais são de incerteza? Não são. São tempos de certeza. Mais, de certeza absoluta.
 
E essa certeza é esta: é maior o preço de não fazer nada do que de fazer alguma coisa, mesmo que essa "alguma coisa" se revele um fracasso.
 
Se achas que estás seguro aí onde estás, ancorado no teu emprego "seguro", no teu subsídio, na tua empresa e nos teus empregados, pensa melhor. O tsunami está aí e provavelmente tens poucas alternativas.
 
Sai do encolhimento e procura mais.
 
O que não falta são oportunidades a quem as procura!"
 
(in http://ow.ly/xD36B)
 
04-06-2014 20:55

Esta é a minha realidade...

Não sei porque estranho,

porque penso que algo podia ser diferente,

avanço na idade,

vão ter de me fazer um desenho,

explicar-me como deixar de ser a eterna crente.

O que é que eu podia esperar,

porque imaginei algo que nunca aconteceria,

não tarda nada vou-me deitar,

desatar a chorar não era bem o que eu previa.

Sim, estou sozinha,

mas isso é sempre assim,

sinto a telha que se avizinha,

que invade tudo o que há dentro de mim.

Hoje é mesmo um dia não,

entro nos cinquenta como entro no ano novo,

quando me começo a habituar a esta solidão,

aparecem os dias mais complicados em que ainda me comovo.

Tenho tudo o que queria ter,

mas não era nada disto que queria para mim,

é complicado tentar entender,

muito mais difícil é aceitar que vai ser sempre assim.

Alguém me disse que tudo isto era uma negação,

um escamotear da realidade escondida,

bolas, hoje estou cansada desta habituação,

apetecia-me divertir que nem uma perdida.

Mas a realidade não é essa

e eu tenho de viver no mundo que realmente existe,

espero que tudo isto passe depressa,

que a minha paciência há muito que já resiste...

(Mafalda)

03-06-2014 21:31
"Say something I'm giving up on you
I'll be the one if you want me to
Anywhere I would've followed you
Say something I'm giving up on you
 
And I
Am feeling so small
It was over my head
I know nothing at all
 
And I
Will stumble and fall
I'm still learning to love
Just starting to crawl
 
Say something I'm giving up on you
I'm sorry that I couldn't get to you
Anywhere I would've followed you
Say something I'm giving up on you
 
And I
Will swallow my pride
You're the one that I love
And I'm saying goodbye
 
Say something I'm giving up on you
And I'm sorry that I couldn't get to you
And anywhere I would've followed you
Say something I'm giving up on you
 
Say something I'm giving up on you
Say something"
 
(Christina Aguilera)
 
03-06-2014 20:48
O tempo parou sem qualquer razão aparente,
a voz expirou mas continuavam frente a frente. 
 
Palavras infinitas trocadas sem um único som,
quem olhasse não ia entender o que se passava,
falar com os olhos não é apenas um dom,
é A cumplicidade por que todo o mundo ansiava.
 
O tempo corria lentamente,
embora depressa demais para pessoas que se amavam,
não sei qual deles foi o primeiro a chegar,
mas isso pouco importa porque ambos se desejavam.
 
Olhos nos olhos sem necessidade de um outro tipo de contato,
revelações inusitadas de uma estória de vida relatada sem artefatos.
 
Há mais de três horas que ali estavam,
absortos na profundidade daquele olhar,
em seu redor muitos se aproximavam,
mas depois todos acabavam por se afastar.
 
Ninguém percebia o som do silêncio,
ninguém entendia como é possível falar sem nada dizer,
entender a sintonia em que não se deita nada a perder,
é mesmo muito complicado de entender.
 
Um silêncio cantado de uma paixão avassaladora,
um alheamento total do mundo exterior,
podiam surgir rajadas de uma metralhadora,
nada iria interferir com aquele tão denso torpor.
 
Para quê palavras se elas podem ser ocas,
para quê desperdiçar sons que se esvanecem,
aquele olhar trazia a lume todas as emoções tentadoras,
de quem sente e nunca se esquece.
 
Podiam passar longas horas ali,
numa comunhão total de velozes pensamentos,
eram segredos desvendados a um ritmo alucinante,
silêncios perdidos numa barulheira inebriante.
 
O tempo ajuda quem nada quer dizer, 
quem prefere agir ao simples ato de falar,
são os nossos olhos que nos fazem viver,
são eles que mostram o que não queremos revelar.
 
(Mafalda)
 
02-06-2014 23:07

02-06-2014 21:31

Alteração de data para dia 14 de Junho!

Depois confirmo a hora.

Obrigada!!!

02-06-2014 21:22

Há dias que batem mais forte,

que podiam ser vésperas de festa sentida,

são aqueles em que nos queixamos da sorte,

em que nascemos mas já fizemos a nossa despedida.

Há dores que não se esquecem,

amanhã podia ser um dia para comemorar,

mas há seres puros que desaparecem

sem sequer tererem uma oportunidade para sonhar.

Há uma recordação constante,

uma saudade daquele sorriso atrevido,

agora sei que estás distante,

mas o que sinto por ti não foi esquecido.

Parabéns, Marta!

(Mafalda)

31-05-2014 21:46

31-05-2014 21:44
"Vai, minha tristeza, e diz a ela
Que sem ela não pode ser
Diz-lhe, numa prece, que ela regresse
Porque eu não posso mais sofrer
Chega de saudade, a realidade é que sem ela
Não há paz, não há beleza
É só tristeza e a melancolia
Que não sai de mim, não sai de mim, não sai
Mas, se ela voltar, se ela voltar
Que coisa linda, que coisa louca
Pois há menos peixinhos a nadar no mar
Do que os beijinhos que eu darei na sua boca
Dentro dos meus braços
Os abraços hão de ser milhões de abraços
Apertado assim, colado assim, calado assim
Abraços e beijinhos e carinhos sem ter fim
Que é pra acabar com esse negócio de viver longe de mim
Não quero mais esse negócio de você viver assim
Vamos deixar desse negócio de você viver sem mim"
 
(Vinicius de Moraes)
 
30-05-2014 10:11
"Muitos gastam dinheiro que ainda não ganharam,
comprando coisas de que não precisam,
para impressionar pessoas de quem não gostam.” 
 
(Will Smith)
29-05-2014 23:01

O meu problema é começar a pensar,

sempre pensei em demasia,

é algo que não consigo evitar,

e quando penso muito não há quem ria.

Passam pela minha cabeça mil questões,

se me vais dar os parabéns no meu dia,

andam os pensamentos aos trambolhões,

porque só eu sei o quanto eu não queria.

Questiono se vais entrar em dilema,

ou se vais fazer como no ano passado,

depois de teres o meu livro conheces todo o esquema,

ou me desancas ou permaneces calado.

Imagino que te tenha feito mal,

leste tudo o que não querias saber,

sabes que a minha vida vai ter um final

mas não sabes quando isso vai acontecer.

Será que te debates com angústias silenciosas,

será que ainda pensas assim,

ultimamente tenho tido premonições ambiciosas,

sinto que ainda não desististe de mim.

Mas vais ficar novamente calado

porque nada de novo tens para me dizer,

o meu pensamento é muito rebuscado,

tento calá-lo mas não sei como o fazer.

Há marcas que ficam gravadas a ferro e fogo,

há vincos difíceis de sair,

sei que tudo não foi um logro

mas não sei se ainda algo está para vir.

Acreditar em palavras que se revelaram vãs,

mas que me deixaram encarcerada dentro de um sentimento,

vou chegar a velha e ter muitas cãs

e mesmo assim esperar por esse momento.

Nada vai acontecer, eu sei,

apenas o meu pensamento não consegue parar,

por um sonho, toda a vida esperei,

aconteceu e deixou-se findar.

Falta pouco para o dia em que vou deixar de pensar,

muito pouco mesmo para não me surpreender,

mas agora não consigo parar de me lembrar

na resposta aos parabéns que tive de ler.

Que eu veja...  foi surreal,

só te visualizo dentro de mim,

o que queres tu afinal,

se não abdicas de viver assim.

Vou parar de escrever,

senão vira lamechice pegada,

não vale a pena tentar entender,

quem insiste em permanecer de boca fechada...

(Mafalda)

29-05-2014 22:45

Existe um peso no ar

que torna impossível o simples ato de respirar,

luzes fundidas que revelam escuridão,

ambiente pesado que cheira a podridão.

Aproxima-se uma tempestade brutal,

um descobrir de segredos antigos,

se nada disto fosse real

nenhum de nós enfrentaria os perigos.

Acalmia desmedida antes do furacão,

só um negrume total é alcançado pela nossa vista,

não sou eu que estou em dia não,

mas não há mais paciência que resista.

Venham as chuvas torrenciais,

os ciclones desvastadores,

a perder não tenho nada mais,

só quero afastar-me de mais dissabores...

(Mafalda)

29-05-2014 21:46
Reparo num rosto muito louco e divertido, 
que não se enquadra com a penumbra do entardecer,
eu sei que sempre fui um grande introvertido
mas continuo a olhar para ela e nada consigo entender.
 
Euforia desmedida que deixa qualquer trauseunte estupefacto,
gargalhada descontrolada que culmina num soluçar desesperante,
olho para ela e não entendo se fez algum pacto,
olho para mim e não percebo como hei-de seguir avante.
 
Mulher viperina que ri incontroladamente,
sem receio de mostrar ao mundo o quão está feliz,
estagno perante aquela euforia demente
olho para ela e tento ser o seu fiel aprendiz.
 
Será felicidade real ou felicidade fictícia?
Será que ela sabe o que se está a passar?
Surge uma necessidade urgente em usar toda a minha perícia,
lentamente aproximo-me dela e deixo-me ficar.
 
“Sou uma mulher feliz sem um motivo aparente,
demorei anos a aprender a viver sem nada mais esperar,
se hoje canto e rio de forma convincente
é porque nada espero do que a vida ainda tem para me dar!”
 
(Mafalda)
 
29-05-2014 19:22

Hoje disse que me sentia castrada,

impedida de voltar a saber amar,

de nada vale dizerem-me que estou enganada,

só eu sei como é difícil o simples ato de imaginar.

Não fiz voto de castidade,

mas não tenho desejo algum,

foi demasiada a leviandade,

acabei neste lugar comum.

Fechei as portas do meu corpo,

não imagino sequer uma tentativa de reabertura,

posso ter vontade de seguir uma caminho torto,

mas recordo sempre a necessidade de ternura.

Algures neste planeta imenso,

houve um homem que me soube amar,

vivi um sentimento intenso

que em nenhum outro vou encontrar.

Repugna-me o contacto físico com outra pessoa,

não consigo sonhar com excitação,

por muito que o amor já não me doa,

vou ficar sempre presa a uma sublime recordação...

(Mafalda)

28-05-2014 23:34

Falta exatamente uma semana

para entrar no meio século de vida,

vou entrar nele deitada na minha cama,

estarei sozinha mas não esquecida.

Existirão pessoas que me vão recordar,

que vão escrever votos de parabéns sentidos,

pessoas que só nessa altura se decidem a falar,

que no resto do ano mantêm os pensamentos escondidos.

Pouco me importa que se lembrem nesse dia,

as minhas pessoas  vivem comigo o ano inteiro,

as outras vão-me tirar o motivo de alegria

ao simplesmente escreverem algo tão corriqueiro.

Não preciso de palavras uma vez por ano,

preciso de ações sentidas e verdadeiras,

do que um dia tanto precisei foi literalmente pelo cano,

hoje estou bem porque tenho sempre quem alinhe nas minhas brincadeiras.

Amo quem ama os meus defeitos,

as minhas limitações e ambições,

os que estão a meu lado são os meus eleitos,

sem eles ainda andaria aos trambolhões.

Cinquenta anos de uma existência conturbada,

com algumas paixões e um amor avassalador,

quase me dei como acabada,

mas dei a volta ao sentir tanto calor...

(Mafalda)

28-05-2014 23:15

Meia volta surge um revés,

uma anulação de planos feitos,

como já não é a primeira vez

tenho de fazer as alterações de acordo com os preceitos.

Parece que uma força suprema me controla,

que faz com que eu seja obrigada a não ir,

às vezes fico a bater mal da tola,

mas já sei reagir quando me sinto a cair.

Passo pelo espaço que me é proibido,

sigo em frente, sem sequer hesitar,

se o que agora quero não vai ser conseguido,

vou insistir até o alcançar.

Não tenho donos que me limitem,

não tenho exclusividade para quem não a quer,

fracos são os que desistem,

eu sou forte e hei-de sempre vencer.

Não permito que as contrariedades me impeçam,

se hoje não consigo, farei amanhã ou depois,

por muitas teias que momentaneamente me enlacem,

um dia vou ter um novo momento a dois.

Mas bate uma tristeza por não poder ser agora,

gostava mesmo de ser louca por um dia,

hoje é a minha alma que chora,

são reflexos de uma tão longa agonia...

(Mafalda)

27-05-2014 22:46

27-05-2014 22:45

Fiz um pacto de não agressão,

de manter o meu espírito em paz total,

há muito que devia ter tomado essa decisão,

aproveitar bem a vida, é o que se pretende afinal.

Já aprendi a viver,

já não acredito no Pai Natal,

demorou, mas obriguei-me a entender

que só posso contar com o que é real.

Agora custa-me a acreditar,

que um dia não fui assim,

que passava a vida a sonhar

com o que pensava ser melhor para mim.

Sinto-me leve como uma pena,

sem compromissos, sem obrigações,

não preciso de inventar nenhuma cena,

para deixar de andar aos trambolhões.

Que ideia mais disparatada,

deixarmos a nossa felicidade depender de um outro alguém,

não posso evitar ficar pasmada

perante as atitudes do passado que sempre se têm.

Que infantilidade atroz,

que dependência mais absurda,

como é bom poder soltar a voz

perante uma audiência que nem sempre é surda...

(Mafalda)

27-05-2014 21:35

26-05-2014 21:07
"As coisas são
As coisas vêm
As coisas vão
As coisas
Vão e vêm
As horas
Vão e vêm
Não em vão."
 
(Oswald de Andrad)
 
26-05-2014 21:04
"Estás só.
Ninguém o sabe.
Estás só.
Ninguém o sabe.
Cala e finge.
Mas finge sem fingimento.
Nada 'speres que em ti já não exista.
Cada um consigo é triste.
Tens sol se há sol, 
ramos se ramos buscas,
sorte se a sorte é dada."
 
(Fernando Pessoa)
 
26-05-2014 21:03

26-05-2014 21:01
"Creio que foi o sorriso, 
o sorriso foi quem abriu a porta. 
Era um sorriso com muita luz 
lá dentro, apetecia 
entrar nele, tirar a roupa, ficar 
nu dentro daquele sorriso. 
Correr, navegar, morrer naquele sorriso."
 
(Eugénio de Andrade)
 
24-05-2014 23:19
"Não posso adiar o amor para outro século 
não posso 
ainda que o grito sufoque na garganta 
ainda que o ódio estale e crepite e arda 
sob montanhas cinzentas 
e montanhas cinzentas.
 
Não posso adiar este abraço 
que é uma arma de dois gumes 
amor e ódio.
 
Não posso adiar 
ainda que a noite pese séculos sobre as costas 
e a aurora indecisa demore 
não posso adiar para outro século a minha vida 
nem o rneu amor 
nem o meu grito de libertação.
 
Não posso adiar o coração"
 
(António Ramos Rosa)
 
24-05-2014 22:21
"Apetece cantar, mas ninguém canta.
Apetece chorar, mas ninguém chora.
Um fantasma levanta
A mão do medo sobre a nossa hora.
 
Apetece gritar, mas ninguém grita.
Apetece fugir, mas ninguém foge.
Um fantasma limita
Todo o futuro a este dia de hoje.
 
Apetece morrer, mas ninguém morre.
Apetece matar, mas ninguém mata.
Um fantasma percorre
Os motins onde a alma se arrebata.
 
Oh! maldição do tempo em que vivemos,
Sepultura de grades cinzeladas,
Que deixam ver a vida que não temos
E as angústias paradas!"
 
(Miguel Torga)
 
24-05-2014 22:16
"Não sei se respondo ou se pergunto.
Sou uma voz que nasceu na penumbra do vazio.
 
Estou um pouco ébria e estou crescendo numa pedra.
Não tenho a sabedoria do mel ou a do vinho.
De súbito, ergo-me como uma torre de sombra fulgurante.
A minha tristeza é a da sede e a da chama.
 
Com esta pequena centelha quero incendiar o silêncio.
O que eu amo não sei. Amo. Amo em total abandono.
Sinto a minha boca dentro das árvores e de uma oculta nascente.
Indecisa e ardente, algo ainda não é flor em mim.
 
Não estou perdida, estou entre o vento e o olvido.
Quero conhecer a minha nudez e ser o azul da presença.
Não sou a destruição cega nem a esperança impossível.
Sou alguém que espera ser aberto por uma palavra."
 
(António Ramos Rosa)
 
24-05-2014 22:11
"Se eu pudesse havia de... de...
transformar as palavras em clava!
havia de escrever rijamente.
Cada palavra seca, irressonante!
Sem música, como um gesto,
uma pancada brusca e sóbria.
Para quê,
mas para quê todo o artifício
da composição sintáctica e métrica,
este arredondado linguístico?
Gostava de atirar palavras.
Rápidas, secas e bárbaras: pedradas!
Sentidos próprios em tudo.
Amo? Amo ou não amo!
Vejo, admiro, desejo?
Ou não... ou sim.
E, como isto, continuando...
 
E gostava,
para as infinitamente delicadas coisas do espírito
(quais? mas quais?)
em oposição com a braveza
do jogo da pedrada,
da pontaria às coisas certas e negadas,
gostava...
de escrever com um fio de água!
um fio que nada traçasse...
fino e sem cor... medroso...
Ó infinitamente delicadas coisas do espírito...
Amor que se não tem,
desejo dispersivo,
sofrimento indefinido,
ideia incontornada,
apreços, gostos fugitivos...
Ai, o fio da água,
o próprio fio da água poderia
sobre vós passar, transparentemente...
ou seguir-vos, humilde e tranquilo?"
 
(Irene Lisboa)
 
24-05-2014 16:00
"A vida começa onde termina o medo."
 
(OSHO)
24-05-2014 11:51
"Para ser grande, sê inteiro: nada
Teu exagera ou exclui.
Sê todo em cada coisa.
Põe quanto és
No mínimo que fazes.
Assim em cada lago a lua toda
Brilha, porque alta vive"
 
(Ricardo Reis)
 
22-05-2014 23:00

São onze da noite de uma quinta feira,

sinto que alguém fala de mim,

não, não é uma brincadeira,

ultimamente voltei a sentir-me assim.

Há uma sensação de impotência,

de já não querer saber de nada,

peço constantemente clemência,

mas continuo a ser incomodada.

Há algo que não me deixa repousar,

que não me permite uma boa noite de sono,

não sei mais o que se anda a passar,

só sei que cada um pertence a seu dono.

Deixem a minha cabeça em paz,

parece que gostam de me atormentar,

agir é só para quem é capaz,

de nada vale agora andarem a falar.

Não sou louca, nem nunca fui,

apenas tenho uma sensibilidade mais apurada,

a perceção sempre me flui

e acaba por me deixar deveras preocupada.

Queria que esquecessem que eu existo,

que não tocassem mais no meu nome,

às vezes não sei como ainda resisto

perante esta situação que me consome.

Parem!

Não pensem em mim!

Não se massacrem!

Eu estou muito bem assim!

(Mafalda)

22-05-2014 22:59

22-05-2014 22:43

Era eu que queria ter saído por aquela porta,

ter ido beber um copo e conversar com alguém,

a vida não passa da cepa torta

quando nos apetece mas ninguém vem.

São poucos os momentos assim,

mas há alturas em que nos sentimos endiabrados,

hoje sinto que não estou em mim,

vou dar os meus versos por acabados.

Corro o risco de falar de mais,

de deixar sair o que não faz sentido nenhum,

vivo sonhos que não são reais,

mais uma vez estou num lugar comum.

Sair à noite, beber um copo, dançar,

são coisas que me estão bastante vedadas,

infelizmente acabo por aqui ficar

a remoer situações há muito ultrapassadas.

Passado que se mistura com o presente,

sempre estive presente no passado,

continuo presente no presente,

anda todo o mundo equivocado,

no futuro continuarei em frente.

A vida é a soma de tudo,

é a subtração do tempo que se perde,

multiplica-se sempre, contudo,

a divisão que sempre me precede.

Dar demasiada importância a pormenores,

idealizar vezes sem fim,

meia volta chegam os dissabores,

às vezes faço por me esquecer de mim.

Tenho receio de agoirar,

quero que tudo continue como agora está,

da vida tenho muito a esperar,

vou aguardar calmamente pelo que ela me trará...

(Mafalda)

22-05-2014 22:35

Hoje precisava de um abraço,

se sentir o teu braço envolver a minha cintura,

de superar o embaraço,

de aliviar um pouco esta amargura.

Não é por ser o dia que é,

apenas precisava de me rir um pouco,

fica sempre uma réstia de fé,

de que um dia acabes por virar louco...

(Mafalda)

22-05-2014 22:29

20-05-2014 19:11

"Muitas vezes, uma pessoa encontra o seu destino na estrada que tomou para evitá-lo."

(Jean de La Fontaine)

20-05-2014 18:18

20-05-2014 17:58
"E quando nos beijávamos......
 
E eu perdia a respiração e, entre suspiros, perguntava:
 
Em que dia nasceste?
 
E me respondias com voz trémula:
 
Estou nascendo agora..."
 
(Mia Couto)
 
20-05-2014 17:51
Gota a gota a chuva cai,
vai enchendo a ribanceira,
só se molha quem daqui sai,
rumo a uma vida pioneira.
 
Gota a gota molho o rosto,
agora pálido e sem cor,
tem nos traços o desgosto,
de ter perdido o teu amor.
 
Gota a gota vou ensopando o corpo,
mas continuo sem hesitar,
o caminho deixou de ser torto,
mas sinto-me na mesma a naufragar.
 
Gotas gélidas da chuva de inverno,
que me fazem despertar os sentidos,
trazem de volta o inferno,
destapam os sentimentos escondidos.
 
Chuva intensa, mar revolto,
tudo se resume a água,
por aqui vou continuar a ficar,
até conseguir superar a mágoa.
 
Gota a gota vou limpando
tudo o que está mais baço,
mas se continuo aqui esperando,
é porque sinto falta do teu abraço.
 
Vale-me o calor dos candeeiros,
a temperatura da bebida,
à minha frente estão grandes timoreiros,
que se preparam para a partida.
 
Água que tudo leva de arrastão,
que não dá tréguas a quem passa,
leva para longe esta solidão,
esta dor que me trespassa.
 
Lava os caminhos de asfalto,
que estão cheios de impurezas humanas,
rouba tudo neste assalto,
não dês tréguas aos sacanas.
 
Arrasa o que for preciso,
mas deixa-me fora da confusão,
Olho para esta chuva e solta-se-me o riso,
saio finalmente da escuridão!
 
(Mafalda)
 
20-05-2014 17:49
"Quero ser livre insincero
Sem crença, dever ou posto.
Prisões, nem de amor as quero.
Não me amem, porque não gosto.
Quando canto o que não minto
E choro o que sucedeu,
É que esqueci o que sinto
E julgo que não sou eu.
De mim mesmo viandante
Olho as músicas na aragem,
E a minha mesma alma errante
É uma canção de viagem."
 
(Fernando Pessoa)
 
18-05-2014 22:45
"Passem-se dias, horas, meses, anos
Amadureçam as ilusões da vida
Prossiga ela sempre dividida
Entre compensações e desenganos.
 
Faça-se a carne mais envilecida
Diminuam os bens, cresçam os danos
Vença o ideal de andar caminhos planos
Melhor que levar tudo de vencida.
 
Queira-se antes ventura que aventura
À medida que a têmpora embranquece
E fica tenra a fibra que era dura.
 
E eu te direi: amiga minha, esquece...
Que grande é este amor meu de criatura
Que vê envelhecer e não envelhece."
 
(Vinicius de Moraes)
 
18-05-2014 22:43
"Daqui a alguns anos você estará mais arrependido pelas coisas que não fez do que pelas que fez.
 
Então solte suas amarras.
 
Afaste-se do porto seguro.
 
Agarre o vento em suas velas.
 
Explore. 
 
Sonhe. 
 
Descubra."
 
(Mark Twain)
 
18-05-2014 22:14

Brevemente farei meio século de vida,

é esta a altura certa para fazer um balanço,

se houve momentos em que ri como uma perdida,

noutros a tristeza não me deu descanso.

Sofri o que todos sofremos um dia,

passei por separações voluntárias e involuntárias,

sempre decidi que se a vida não me sorria,

cabia-me a mim tomar decisões mais temerárias.

Sempre avancei crente na esperança de que tudo iria correr bem,

houve coisas que sim, mas outras que não,

adaptei a realidade à forma que mais me convém,

ganhei muito mas perdi o meu coração.

Fiz as opções que considerei certas,

não me arrependo de nenhuma das investidas,

se hoje mergulho em águas desertas,

outrora vivi situações verdadeiramente sentidas.

Tudo tem um tempo certo,

o meu já passou por mim, mas não quis ficar,

meio século de uma vida incerta,

finalmente começo a sentir-me consolidar.

Cresço todos os dias como pessoa,

assimilo constantemente novas informações,

de cabeça erguida, sem que nada me doa,

vivo feliz  mesmo sem as grandes emoções.

É um retrato muito sincero,

quem me acompanhou neste último ano sabe que não minto,

passei por um tempo extremamente austero,

mas como de costume, a minha desgraça  eu sempre finto.

Agradeço a quem me ajuda no dia a dia,

a quem me ama incondicionalmente,

viver assim só pode ser motivo de uma grande alegria,

passou meio século, passou muita gente...

(Mafalda)

18-05-2014 21:59

Duas noites de  atropelo constante,

de imagens que se sobrepoêm a imagens,

viro-me para um lado e para o outro de forma hesitante,

tento perceber quais delas não passam de meras miragens.

Parece que alguém faz questão em me recordar,

que tem prazer em me dizer que existe,

quando estou disposta a avançar,

ocupam-me o sonho que nunca resiste.

Quero dormir e não consigo,

o pouco que durmo é em sobressalto,

aparece nos sonhos a dizer que está comigo,

que está prestes a conseguir dar o salto.

Não são sonhos destes que eu quero,

parecem mais pesadelos acutilantes,

quero viver a vida sem sentir o desespero,

sem passar por situações deveras inquietantes.

Deixem-me em paz enquanto durmo,

que acordada já me sinto muito bem,

não quero mais ter este sonho soturno,

chovem palavras ocas que ficaram muito aquém.

Não podem contaminar o meu descanso,

parem de me fazer recordar e idealizar,

anjos meus que sempre me deram esperança,

desta vez, por favor, deixem-se aquietar.

Não me criem ilusões sem fundamento,

não será por fazer anos que tudo vai mudar,

deixem-me continuar a viver apenas o momento,

sinto-me bem, não há motivo para não aproveitar...

(Mafalda)

17-05-2014 22:41
“Vê-se melhor quando não se vai para ver nada, quando os olhos procuram tudo o que possam achar.
 
E encontram tudo.”
 
(Miguel Esteves Cardoso)
 
17-05-2014 22:39
"Quem sabe um dia
Quem sabe um seremos
Quem sabe um viveremos
Quem sabe um morreremos!
 
Quem é que
Quem é macho
Quem é fêmea
Quem é humano, apenas!
 
Sabe amar
Sabe de mim e de si
Sabe de nós
Sabe ser um!
 
Um dia
Um mês
Um ano
Um(a) vida!
 
Sentir primeiro, pensar depois
Perdoar primeiro, julgar depois
Amar primeiro, educar depois
Esquecer primeiro, aprender depois
 
Libertar primeiro, ensinar depois
Alimentar primeiro, cantar depois
 
Possuir primeiro, contemplar depois
Agir primeiro, julgar depois
 
Navegar primeiro, aportar depois
Viver primeiro, morrer depois"
 
(Mario Quintana)
 
17-05-2014 22:28
"A simplicidade é o último degrau da sabedoria. "
 
(Khalil Gibran)
 
 
Pequenas coisas...
grandes olhares...
vastos horizontes!
17-05-2014 22:25
"Quem morre de tempo certo 
ao cabo de um certo tempo 
é a rosa do deserto 
que tem raízes no vento. 
 
Qual a medida de um verso 
que fale do meu amor? 
Não me chega o universo 
porque o meu verso é maior. 
 
Morrer de amor é assim 
como uma causa perdida. 
Eu sei, e falo por mim, 
vou morrer cheio de vida. 
 
Digo-te adeus, vou-me embora, 
que os versos que eu te escrever 
nunca os lerás, sei agora 
que nunca aprendeste a ler. 
 
Neste dia que se enquadra 
no tempo que vai passar, 
termino mais esta quadra 
feita ao gosto popular."
 
(Joaquim Pessoa)
 
17-05-2014 21:59
"Não queiras saber de mim
Esta noite não estou cá
Quando a tristeza bate
Pior do que eu não há
Fico fora de combate
Como se chegasse ao fim
Fico abaixo do tapete
Afundado no serrim
 
Não queiras saber de mim
Porque eu estou que não me entendo
Dança tu que eu fico assim
Hoje não me recomendo
 
Mas tu pões esse vestido
E voas até ao topo
E fumas do meu cigarro
E bebes do meu copo
Mas nem isso faz sentido
Só agrava o meu estado
Quanto mais brilha a tua luz
Mais eu fico apagado
 
Dança tu que eu fico assim
Porque eu estou que não me entendo
Não queiras saber de mim
Hoje não me recomendo
 
Amanhã eu sei já passa
Mas agora estou assim
Hoje perdi toda a graça
Não queiras saber de mim"
 
(Rui Veloso)
 
 
17-05-2014 21:55

Regressei ao meu quotidiano,

à vidinha que tanto me apraz,

não tenho qualquer novo plano,

o que vier a seguir tanto me faz.

Voltei ao meu porto seguro,

à casa que me dá tanta serenidade,

nada de novo auguro,

em cada dia que passa aumenta a minha simplicidade.

Sou o que sou sem qualquer subterfúgio,

sem pretensões do que poderia ambicionar vir a ser,

encontro nesta qualidade o meu refúgio,

gosto do que sou e não me quero perder...

(Mafalda)

17-05-2014 21:11
Leva-me contigo...
Queria ver onde começa o mundo, nem que fosse apenas por um segundo.
Vem comigo...
Não quero saber onde acaba o mundo, não me importa se sou um vagabundo.
 
Envoltos num abraço apertado, daqueles em que o ar é todo expirado,
deixa-nos ir à deriva, submissos à enorme expetativa.
Não importam os rumores, se se esvanecem os odores,
se retornam os tempos promissores, se vivemos momentos sonhadores.
 
Leva-me contigo, vem comigo, não tenhas medo de te perder!
Leva-me ao fim do arco-íris, à fonte da magia, deixa-me viver com alegria.
Queria ver onde começa o meu mundo, o teu mundo, o nosso mundo além da realidade,
liberta a saudade, vive a cumplicidade, não te percas na idade.
 
Leva-me contigo...
Diz-me que os rios têm peixes coloridos, que o céu nos enche os sentidos,
que o mar nos afaga em gemidos, que a terra nos sente comprometidos.
 
Vem comigo...
Leva-me para ver onde o mundo começa, onde a tristeza tropeça,
sem que nada nos impeça, mostra-me a ponte que à nossa frente se atravessa.
 
Leva-me contigo...
Recolhe-me no teu abrigo, fica comigo, nunca deixes de ser o meu Amigo...
 
(Mafalda)
 
10-05-2014 22:01

09-05-2014 22:05

Hoje é o meu dia das charadas,

também tenho direito a um,

podiam parecer favas contadas,

mas revelaram-se uma fonte de jejum.

Hoje é o meu dia das figuras de estilo,

aliteração, assonância, anáfora,

não sei se dê já entrada num asilo

ou se continue envolta nesta imensa metáfora.

Hoje não me apetece ser explícita,

prefiro manter-me bem disfarçada,

tudo o que digo tem uma história implícita

que eu prefiro manter bem recatada.

Hoje a minha alma não é transparente,

não tenho um livro aberto que todos podem consultar,

sinto que estou a ficar demente,

mas prefiro sempre continuar a sonhar...

(Mafalda)

09-05-2014 21:15

Queres-me?

Luta por mim...

Desejas-me?

Não continues a viver assim...

Só eu sei o que nem eu sei,

se saberei ou não nunca vou saber,

só sei que sei o que não sei,

e nem sei se um dia me vou entender.

Eu sei o quero e o que não quero,

quem desejo e quem não desejo,

não sei se a minha vida é um desespero,

só sei que me apraz todo este ensejo.

Não sei o que sinto

ou se sinto alguma coisa,

apenas sei que o que sinto

se pode escrever numa simples loisa.

Cansa-me pensar em tudo,

em não pensar em mais nada,

se serás tu o grande sortudo

que é capaz de decifrar esta imensa charada.

É um querer que não quer,

mas que quer tudo o que pode querer,

se ninguém nada fizer,

lá se deita tudo novamente a perder.

Gosto de gostar de quem gosta,

mas já não gosto de gostar de quem não gosta,

comunicar com gestos não é resposta,

mas é a única resposta de quem apenas gosta.

Não sei se sei o que quero,

se simplesmente quero sem saber,

se acabou o tempo austero,

só sei que não quero voltar a sofrer...

(Mafalda)

08-05-2014 20:52

É a nostalgia a falar,

hoje não consigo pensar de outra maneira,

não sei o que se está a passar,

mas estou a sentir-me novamente  uma prisioneira.

Estou presa num passado que já acabou,

que não tem razão de se fazer relembrar,

olho para mim e não sei o que sou,

se tenho vontade de rir ou se me apetece chorar.

Talvez seja a conjuntura a causar este desassossego,

é um velho ciclo vicioso que me envolve,

preciso tanto de sentir um aconchego

daquele ombro amigo que tudo sempre resolve.

Deixei a imaginação passar,

agora acordo e só vejo a realidade,

não sei se devo ir ou ficar,

mas apetece-me fugir para outra cidade.

Um sítio onde ninguém me conheça,

em que seja um simples rosto misturado na multidão,

como é possível que ainda não esqueça

quem literalmente me deixou no chão...

(Mafalda)

08-05-2014 18:51
"O ruído vário da rua
Passa alto por mim que sigo.
Vejo: cada coisa é sua
Oiço: cada som é consigo.
 
Sou como a praia a que invade
Um mar que torna a descer.
Ah, nisto tudo a verdade
É só eu ter que morrer.
 
Depois de eu cessar, o ruído.
Não, não ajusto nada
Ao meu conceito perdido
Como uma flor na estrada.
 
Cheguei à janela
Porque ouvi cantar.
É um cego e a guitarra
Que estão a chorar.
 
Ambos fazem pena,
São uma coisa só
Que anda pelo mundo
A fazer ter dó.
 
Eu também sou um cego
Cantando na estrada,
A estrada é maior
E não peço nada."
 
(Fernando Pessoa)
 
08-05-2014 18:47
"Tudo o que faço ou medito
Fica sempre pela metade,
Querendo, quero o infinito.
Fazendo, nada é verdade.
 
Que nojo de mim me fica
Ao olhar para o que faço!
Minha alma é lúcida e rica,
E eu sou um mar de sargaço ---
 
Um mar onde bóiam lentos
Fragmentos de um mar de alem...
Vontades ou pensamentos?
Não o sei e sei-o bem."
 
(Fernando Pessoa)
 
08-05-2014 18:42
Havia um mundo entre nós que eu não ousava aceitar, 
um mundo de obrigação, de falsidade, um mundo de dever,
foi muito o tempo em que fiz por me esconder
mas um dia apareceste-me à frente sem me dar hipótese de te evitar.
 
Havia um mundo entre nós sem qualquer espaço que nos separasse,
um mundo de amor, de desejo de nos revermos, de sintonia apaixonante,
foram longos os anos sem que nada se passasse,
fénix renascidas, encetamos novamente o nosso caminho de forma muito pouco hesitante.
 
Mas o mundo gira constantemente, para um lado e para o outro, para cima e para baixo,
Baralha e volta a repartir, nasce e morre vezes sem conta, nuns dias chove noutros faz sol.
E restou em nós o olhar cabisbaixo, abandono retratado, esgar de dor contida,
A profunda sensação de estar perdida, esquecida, desvanecida, presa num imenso anzol.
 
Há um mundo entre nós que é ingrato, egoísta, chantagista, falso, infeliz...
Vives no teu mundo, perdido, autómato sem emoção, submisso às agruras constantes.
Vivo no meu mundo, sobrevivo, aventuro-me numa mísera tentativa de ser feliz.
Felicidade que o nosso mundo sonega, sem dó, sem misericórdia, sem momentos inebriantes,
Sem paixões acutilantes, sem sentimentos sentidos, sem palavras mudas, sem carinho.
Cada um no seu caminho, qual caminhante mais errante, andamos devagar, devagarinho...
Há um mundo entre nós, um mundo em que cada um de nós teve de apender a viver sozinho.
O mundo era nosso, deixou de ser, voltou a ser e nós deitamos tudo novamente a perder...
 
(Mafalda)
 
06-05-2014 22:27
"O AMOR começa na sua casa ou na sua organização,
nas coisas simples que você faz, mas se consolida
com o seu COMPORTAMENTO
e na quantidade de AMOR
que você coloca nas suas AÇÕES."
 
(Madre Teresa de Calcutá)
 
06-05-2014 22:05
"I heard that you're settled down
That you found a girl and you're married now
I heard that your dreams came true
Guess she gave you things, I didn't give to you
 
Old friend
Why are you so shy
It ain't like you to hold back
Or hide from the light
 
I hate to turn up out of the blue uninvited
But I couldn't stay away, I couldn't fight it
I hoped you'd see my face and that you'd be reminded
That for me, it isn't over
 
Never mind, I'll find someone like you
I wish nothing but the best for you, too
Don't forget me, I beg, I remember you said
Sometimes it lasts in love
But sometimes it hurts instead
Sometimes it lasts in love
But sometimes it hurts instead, yeah
 
You'd know how the time flies
Only yesterday was the time of our lives
We were born and raised in a summery haze
Bound by the surprise of our glory days
 
I hate to turn up out of the blue uninvited
But I couldn't stay away, I couldn't fight it
I hoped you'd see my face and that you'd be reminded
That for me, it isn't over yet
 
Never mind, I'll find someone like you
I wish nothing but the best for you, too
Don't forget me, I beg, I remember you said
Sometimes it lasts in love
But sometimes it hurts instead, yeah
 
Nothing compares, no worries or cares
Regrets and mistakes they're memories made
Who would have known how bitter-sweet this would taste
 
Never mind, I'll find someone like you
I wish nothing but the best for you
Don't forget me, I beg, I remembered you said
Sometimes it lasts in love
But sometimes it hurts instead
 
Never mind, I'll find someone like you
I wish nothing but the best for you, too
Don't forget me, I beg, I remembered you said
Sometimes it lasts in love
But sometimes it hurts instead
Sometimes it lasts in love
But sometimes it hurts instead, yeah, yeah"
 
(Adele)
 
 
06-05-2014 21:55
"Somente aqueles que nada esperam do acaso são donos do destino."
 
(Matthew Arnold)
 
06-05-2014 21:53
"Um brinde ao acaso.
 
Um brinde ao que deu certo, ao que não deu em nada.
 
Um brinde ao caminho incerto, à pessoa errada.
 
Um brinde à tudo que acontece, um brinde ao que nunca vai acontecer.
 
Tudo que mudou, e a tudo que nunca vai mudar."
 
(Rodrigo Taveres)
 
06-05-2014 21:51
"Nada acontece por acaso.
Não existe a sorte.
Há um significado por detrás
de cada pequeno ato.
Talvez não possa ser visto
com clareza imediatamente,
mas sê-lo-á antes que
se passe muito tempo."
 
(Richard Bach)
 
06-05-2014 21:48
"Eu pensei em fazer.
 
Fiquei apenas pensando;
 
Não fiz.
 
Eu falei aos outros
 
Que ia fazer.
 
Fiquei apenas falando;
 
Não fiz.
 
Eu pedi aos outros
 
Que fizessem.
 
Fiquei apenas pedindo;
 
Não foi feito.
 
Então...
 
Depois de tudo isso
 
Cheguei à conclusão:
 
Tenho mesmo de fazer.
 
Decidi: Fui e fiz.
 
Moral:
 
Quem quer fazer
 
Pode pensar,
 
Pode falar,
 
Pode mandar.
 
Mas, acima de tudo
 
Tem de ir e fazer primeiro, OK?”
 
(Jorge Cosendey)
 
06-05-2014 21:45

"O universo é abundante; há o suficiente para todos.

Somos nós mesmos que limitamos a quantidade através do nosso modo de pensar."
 
(Jorge Cosendey)
 
05-05-2014 23:53

Refugio-me no silêncio,

na prudência de não emitir um som,

tudo para que não volte a demência,

tudo para recordar apenas o que é bom.

Envolvo o meu pensamento em sedas macias,

prendo-o com fitas de cetim,

avizinham-se dias de novas razias,

há alturas em que sinto que já não estou em mim.

Sempre uma contrariedade,

sempre um derrubar do que se constrói,

começo a já não ter idade,

tenho uma dor mas não sei evitar o que dói.

É a certeza de novas confusões,

a incerteza do que está para chegar,

porque temos tantas destas situações,

não seria já a altura certa de parar?

Já chegava deste problema,

não eram necessários mais passos a superar,

compreendo agora quem sempre trema

ao ouvir aquela malvada palavra a chegar.

Tudo o que ambicionei foi conseguido

nem eu própria sei bem como,

mas o mais importante permaneceu esquecido

e reapareceu agora como sendo um todo.

Antes sem nada para mim,

sem conquistas nem sucessos,

vai sendo um hábito viver assim,

andar para a frente e sofrer retrocessos...

(Mafalda)

04-05-2014 23:13

04-05-2014 23:10
"O amor de mãe por seu filho é diferente de qualquer outra coisa no mundo.
 
Ele não obedece lei ou piedade, ele ousa todas as coisas e extermina sem remorso tudo o que ficar em seu caminho."
 
(Agatha Christie)
 
04-05-2014 22:37

Foi um fim de semana diferente,

daqueles que fazem falta de vez em quando,

não tive um tratamento deferente,

não houve margem para qualquer engano.

Fui eu própria sem dificuldade,

já não preciso de teatros banais,

aceitem-me assim com esta honestidade,

tudo o que observam são fatos reais.

Para mais máscaras já não há lugar,

nem tão pouco para fingimentos descabidos,

continuo o caminho que me propus trilhar,

os que me abandonaram só podem ser esquecidos...

(Mafalda)

03-05-2014 11:00
"A felicidade às vezes é uma bênção - mas geralmente é uma conquista."
 
(Paulo Coelho)
 
03-05-2014 10:57
"Só é digno da liberdade, como da vida, aquele que se empenha em conquistá-la."
 
(Johann Goethe)
 
03-05-2014 09:44

Quando um sofrimento passado

vira motivo de descontração,

só se pode deduzir que tudo já está bem arrumado

no lugar onde tive um dia um coração.

Quando a dor que nos dilacerou

vira motivo de gargalhada,

foi um amor que já passou

e eu sou uma pessoa realizada.

Hoje já rio do que um dia chorei,

com descontração e sem ressentimentos,

hoje já falo do que um dia calei,

vivo apenas cada um dos meus momentos.

Hoje é um dia diferente para mim,

espero encontrar-vos nesta cidade acolhedora,

devia ter sido sempre assim,

não tenho espírito para ser sofredora.

A vida é o que nós fazemos dela,

ser triste em nada nos valoriza,

libertei-me finalmente daquela imensa cela,

daquele sentimento que sempre me inferniza.

Não amo, não vou mais amar,

recuperei todos os muros que um dia perdi,

desta vez vieram para ficar,

deixá-los cair foi o motivo porque tanto sofri.

Não confio, não me entrego,

não vou mais cair em conversas banais,

aquele amor sofrido aqui o nego,

viver agora só com coisas muito reais.

Imaginações infinitas que me fizeram sofrer,

seduções encapotadas que me faziam tremer,

hoje já sei que isso nunca mais vou ter,

resta-me aprender a nunca mais me perder...

(Mafalda)

01-05-2014 11:09

29-04-2014 20:42
Era algo que nunca imaginaria...
Foi a subtileza de um segredo muito bem escondido,
Revelado enquanto me despedia de ti numa longa escadaria...
Soltou-se no ar um sentimento deveras sofrido.
 
Foi um simples toque da tua mão,
Que mostrou uma perfeita comunhão de segredos,
Viveu-se um longo momento de tesão,
Não dava para esconder mais os enredos.
 
Galopava um desejo atroz,
Uma vontade de não nos largarmos mais,
Com um beijo calou-se-me a voz,
Fizemos amor como verdadeiros animais.
 
A tua mão tocar na minha,
Deixou-me completamente surpresa,
o êxtase já não se adivinha,
a deferência manteve-me sempre presa.
 
Agora preciso do calor constante da tua mão,
De sentir o teu suor em mim,
Bolas.... sinto-me numa longa exaustão,
preciso da tua mão até ao nosso fim...
 
(Mafalda)
 
29-04-2014 20:39
"Creio no mundo como num malmequer,
Porque o vejo. Mas não penso nele
Porque pensar é não compreender...
 
O Mundo não se fez para pensarmos nele
(Pensar é estar doente dos olhos)
Mas para olharmos para ele e estarmos de acordo...
 
Eu não tenho filosofia; tenho sentidos...
Se falo na Natureza não é porque saiba o que ela é,
Mas porque a amo, e amo-a por isso
Porque quem ama nunca sabe o que ama
Nem sabe por que ama, nem o que é amar..."
 
(Fernando Pessoa)
 
29-04-2014 20:38
"Não estejas longe de mim um dia que seja, porque, 
porque, não sei dizê-lo, é longo o dia, 
e estarei à tua espera como nas estações 
quando em algum sitio os comboios adormeceram.
 
Não te afastes uma hora porque então 
nessa hora se juntam as gotas da insónia 
e talvez o fumo que anda à procura de casa 
venha matar ainda meu coração perdido.
 
Ai que não se quebre a tua silhueta na areia, 
ai que na ausência as tuas pálpebras não voem: 
não te vás por um minuto, ó bem-amada,
 
porque nesse minuto terás ido tão longe 
que atravessarei a terra inteira perguntando 
se voltarás ou me deixarás morrer."
 
(Pablo Neruda)
 
28-04-2014 21:09

Há dias em que me apetece tudo o que não tenho,

em que os segundos deviam durar uma vida,

bem que eu tento apurar o engenho,

mas ultimamente não faço qualquer investida.

Há momentos que não deviam acabar,

em que devíamos ter o direito de opção,

falo, falo e volto a falar,

mas sempre que falo é para calar o meu coração.

Escolhas complicadas são a minha especialidade,

já comprovei isso em épocas passadas,

grito aos ventos que vivo em liberdade,

depois dou por mim em permanentes emboscadas.

Não faço escolhas pelo caminho,

sigo em frente sem olhar para ninguém,

de vez em quando aparece alguém mais sozinho,

nem quero olhar, porque não me convém.

Quero manter o meu celibato voluntário,

a  tranquilidade emocional que conquistei,

escrevo aqui neste meu diário,

tudo o que tenho vontade mas que nunca te direi.

Podia chegar ao pé de ti,

e simplismente dizer que preciso de te amar,

que não consigo passar mais um dia sem ti,

que tenho uma constante necessidade de te escutar.

Nada disso jamais farei,

gosto do que já consegui alcançar para mim,

em breve chegará o dia em que direi

que ainda bem que tudo correu assim.

Há sempre razões desconhecidas,

em toda a razão que nós conhecemos,

se há coisas que vão sendo esquecidas,

muitas outras nunca esqueceremos.

Se o passado existiu um dia,

se deixou marcas bem delineadas,

só eu sei o que faria,

se não tivesse sofrido tantas derrocadas...

(Mafalda)

28-04-2014 20:54

O que importa se temos relações,

se traímos fisicamente o nosso par,

não será motivo maior para ralações,

estar com uma pessoa e já não a conseguir amar.

Estamos a seu lado mas com a cabeça distante,

a pensar no que a outra pessoa estará a fazer,

viver uma vida assim é fustigante,

há um dia em sentimos que estamos prestes a enlouquecer.

Trair o corpo é mera excitação,

bem mais complicado é quando nada se faz,

guardamos bem dentro do nosso coração,

aquele sentimento que sempre nos satisfaz.

Calamos a vontade louca de fugir,

de avançar rumo à concretização,

sabe Deus como custa resistir,

como é complicado ceder à tentação.

É aquela a nossa pessoa,

mas o destino não entendeu dessa maneira,

passa o tempo e por muito que doa,

temos sempre de levar tudo na brincadeira.

Inconstância da vida que é complicada de entender,

antagonismos dilacerantes que nos fazem retroceder,

se num momentos só queremos esquecer,

noutros tudo faremos para nos sentirmos renascer.

É o hoje que me importa,

é o agora que me satisfaz,

se passarei ou não da cepa torta,

já pouca importância me faz...

(Mafalda)

28-04-2014 20:43

Sou traidora.

Não traio quem eu amo,

apenas traio para não viver no engano.

Gosto de me sentir liberta,

gosto de enveredar por caminhos menos claros,

gosto de partir à descoberta,

não sou uma mera galinha no meio de muitos galos.

Gosto de fazer as minhas opções,

de lidar com as consequências,

adoro viver em ilusões,

não nego todas e quaisquer evidências.

Gosto de estar no teu caminho,

do toque dos teus lábios doces,

nunca te quis deixar sozinho,

mas quis a vida que assim fosse.

Apraz-me ter-te a meu lado,

numa comunhão total de sentimentos,

nuns dias permaneces calado,

noutros aproveitas todos os momentos.

Sinto o desejo a aumentar,

a tomar proporções devastadoras,

até quando vamos aguentar,

quando as perspetivas são tão tentadoras....

(Mafalda)

27-04-2014 22:16

Sem deferências,

sem hesitações,

sem referências,

nem prisões.

Não posso ser homem,

não nasci com o sexo errado,

são pensamentos que consomem

um devaneio maltratado.

Com carinho,

com ternura,

só quero um bocadinho

em que atinja a loucura...

(Mafalda)

27-04-2014 22:08
"Eu te peço perdão por te amar de repente
Embora o meu amor
seja uma velha canção nos teus ouvidos
Das horas que passei à sombra dos teus gestos
Bebendo em tua boca o perfume dos sorrisos
Das noites que vivi acalentando
Pela graça indizível
dos teus passos eternamente fugindo
Trago a doçura
dos que aceitam melancolicamente.
E posso te dizer
que o grande afeto que te deixo
Não traz o exaspero das lágrimas
nem a fascinação das promessas
Nem as misteriosas palavras
dos véus da alma...
É um sossego, uma unção,
um transbordamento de carícias
E só te pede que te repouses quieta,
muito quieta
E deixes que as mãos cálidas da noite
encontrem sem fatalidade
o olhar estático da aurora."
 
(Vinicius de Moraes)
 
27-04-2014 21:40
"O sonho é a pior das cocaínas, porque é a mais natural de todas.
 
Assim se insinua nos hábitos com a facilidade que uma das outras não tem, se prova sem se querer, como um veneno dado.
 
Não dói, não descora, não abate – mas a alma que dele usa fica incurável, porque não há maneira de se separar do seu veneno, que é ela mesma."
 
(Fernando Pessoa)
 
27-04-2014 21:31
Mafalda é um nome Feminino.
 
A origem do nome Mafalda é Germânico.
 
Variante de Matilde guerreira que combate com energia.
 
Dócil e sincera, sente-se feliz quando conquista a simpatia dos outros.
 
Por isso, faz tudo para agradar aos amigos e não se importa de ouvir suas lamentações .
 
Muito conservadora, coloca a família acima de tudo.
 
Derivado do nome pessoal MAFALDA, Variante de Matilde.
 
Donzela guerreira, ou força, poder.
 
27-04-2014 21:17

Escrever poesia por encomenda,

ser obrigado a seguir um assunto pré determinado,

é o mesmo que andar pelo mundo com uma venda,

querer seguir em frente e permanecer sempre parado.

Gosto de libertar pensamentos escondidos,

de deixar os meus dedos tomarem o rumo,

alguns temas são sempre esquecidos,

outros são recordados com afinado prumo.

Nunca ganharei campeonato algum,

os meus poemas são demasiado banais,

escrevo sobre qualquer lugar comum,

inspiro-me sempre em fatos reais.

Como deixar a imaginação rolar,

se nos dão um tema para tratar,

escrever é apenas uma paixão,

uma fuga para fugir da solidão...

(Mafalda)

25-04-2014 21:34
"Quando sono solo
Sogno all'orizzonte
E mancan le parole,
Si lo so che non c'è luce
In una stanza quando manca il sole,
Se non ci sei tu con me, con me.
Su le finestre
Mostra a tutti il mio cuore
The hai acceso,
Chiudi dentro me
La luce che
Hai incontrato per strada.
 
Time to say goodbye.
Paesi che non ho mai
Veduto e vissuto con te,
Adesso si li vivrò,
Con te partirò
Su navi per mari
Che, io lo so,
No, no, non esistono più.
It's time to say goodbye…
 
Quando sei lontana
Sogno all'orizzonte
E mancan le parole,
E io sì lo so
Che sei con me,
Tu mia luna tu sei qui con me,
Mio sole tu sei qui con me,
Con me, con me, con me.
 
Time to say goodbye.
Paesi che non ho mai
Veduto e vissuto con te,
Adesso si li vivrò.
Con te partirò
Su navi per mari
Che, io lo so,
No, no, non esistono più,
Con te io li rivivrò.
Con te partirò
Su navi per mari
Che, io lo so,
No, no, non esistono più,
Con te io li rivivrò.
Con te partirò.
Io con te."
 
(Andrea Bocelli)
 
25-04-2014 21:20
"Eu, eu mesmo...
Eu, cheio de todos os cansaços
Quantos o mundo pode dar. –
Eu...
Afinal tudo, porque tudo é eu,
E até as estrelas, ao que parece,
Me saíram da algibeira para deslumbrar crianças...
Que crianças não sei...
Eu...
Imperfeito? Incógnito? Divino?
Não sei...
Eu...
Tive um passado? Sem dúvida...
Tenho um presente? Sem dúvida...
Terei um futuro? Sem dúvida...
A vida que pare de aqui a pouco...
Mas eu, eu...
Eu sou eu,
Eu fico eu,
Eu..."
 
(Fernando Pessoa)
 
25-04-2014 21:05
"You're going to come across people in your life who will say all the right words at all the right times.
 
But in the end, it's always their actions you should judge them by.
 
It's actions, not words, that matter."
 
(Nicholas Sparks)
 
25-04-2014 20:59
"Para ti, meu amor, é cada sonho 
de todas as palavras que escrever, 
cada imagem de luz e de futuro, 
cada dia dos dias que viver. 
 
Os abismos das coisas, quem os nega, 
se em nós abertos inda em nós persistem? 
Quantas vezes os versos que te dou 
na água dos teus olhos é que existem! 
 
Quantas vezes chorando te alcancei 
e em lágrimas de sombra nos perdemos! 
As mesmas que contigo regressei 
ao ritmo da vida que escolhemos! 
 
Mais humana da terra dos caminhos 
e mais certa, dos erros cometidos, 
foste de novo, e sempre, a mão da esperança 
nos meus versos errantes e perdidos. 
 
Transpondo os versos vieste à minha vida 
e um rio abriu-se onde era areia e dor. 
Porque chegaste à hora prometida 
aqui te deixo tudo, meu amor!"
 
(Carlos de Oliveira)
 
25-04-2014 20:51

"Não é de serem felizes que as pessoas têm medo;

é de escolher

- da responsabilidade da escolha,

do compromisso que ela acarreta."

(Inês Pedrosa)
 
25-04-2014 20:44
"Demorei mais aprendi..
Que um sorriso inocente não define uma personalidade...
Que lágrimas, não significam arrependimentos...
Que promessas, nem sempre são compridas...
Que juras de amor, nem sempre são de amor...
Que quem merece, não implora a confiança...
Que regras sempre serão quebradas...
Que quem tem muita história, um pouco fez...
Que ciúmes, não significam amores...
Que cenas de cinema, nem sempre são de romance...
Que seus amigos, te definem...
Que presentes, não são compromissos...
Que quem está do deu lado, pode estar do lado errado...
Que quem não te dá opção, não merece sua escolha...
Que atitudes mudam tudo, do inicio ao fim...
Que o mundo da voltas, e tudo vai se repetir...
 
...As coisas, as pessoas... São assim...
Sempre diferente do que pensamos...
E sempre nos subestimando...."
 
(David P. Guimarães Thomé)
 
25-04-2014 20:43

23-04-2014 21:46
Adensa-se o nevoeiro que paira no ar,
Parece que nada mais existe à minha frente,
Não sei se estou a partir se estou a chegar,
Sinto-me agoniada ao inalar um odor inexistente.
 
Desaparecem todos os meus trajetos,
Alteram-se constantemente as regras do jogo,
Vejo-me submersa num monte de dejetos,
Sinto-me a afundar neste imenso lodo.
 
Trespassa-me uma aragem fria,
Gela-se-me todo o interior,
Sou fustigada por uma razia
Que vai sugando todo o meu fulgor.
 
É um medo que se instala,
Com uma intensa vontade para ficar,
É a voz que não se cala,
É o barco que começa a naufragar.
 
Sinto medo do medo que me envolve,
Envolve-me apenas porque sinto medo,
É um medo que pouco me devolve,
Devolve somente o medo de tudo deixar de ser segredo...
 
(Mafalda)
 
23-04-2014 21:38
"Põe-me as mãos nos ombros... 
Beija-me na fronte... 
Minha vida é escombros, 
A minha alma insonte.
 
Eu não sei por quê, 
Meu desde onde venho, 
Sou o ser que vê, 
E vê tudo estranho.
 
Põe a tua mão 
Sobre o meu cabelo... 
Tudo é ilusão. 
Sonhar é sabê-lo."
 
(Fernando Pessoa)
 
23-04-2014 21:09

Quando me sinto a subir,

obrigo-me a descer rapidamente,

não posso correr o risco de cair,

de me magoar definitivamente.

Quando me sinto a construir castelos,

puxo o mar para perto de mim,

afogo os eternos duelos,

se devo parar ou ir até ao fim.

Quando me sinto a sonhar em demasia,

belisco-me e acordo assustada,

nem eu sei o que faria,

se voltasse a sentir-me acorrentada.

Quando me sinto ansiosa para te ter a meu lado,

procuro sempre uma ocupação real,

enquanto um de nós permanecer calado,

a ansiedade não é uma questão fundamental.

Quando só um de nós fala,

pouco há a dizer sobre este assunto,

se só um fala e o outro cala,

resta apenas um futuro disjunto...

(Mafalda)

23-04-2014 21:08

23-04-2014 20:54

Há uma vida para além da vida,

da vida normal enquanto seres humanos,

é uma vida deveras atrevida,

é a vida que todos nós um dia ambicionamos.

Aquela em que cometemos as loucuras,

em que realizamos os sonhos de criança,

é uma vida sem margem para agruras,

é a falta da tempestade numa vida de bonança.

Há uma vida paralela à vida,

aquela por que ansiamos em todos os instantes,

uma vida sempre bem conseguida,

em que vivemos momentos inebriantes.

Aquela em que somos nós próprios,

em que deixamos a impulsividade comandar,

é uma vida sem pensamentos impróprios,

tal é a vontade que temos de nos libertar.

Há uma vida escondida em cada vida,

a vida que queríamos ter mas que não assumimos,

a vida que toma conta das rédeas de forma decidida,

que nos obriga a aceitar aquilo de que fugimos.

É essa a única vida sincera,

mas submergimo-la no fundo de um poço,

eu não gosto de ser severa,

mas quem o faz só pode esperar um enorme desgosto...

(Mafalda)

23-04-2014 20:27

Todos os dias quando nasce o meu dia,

esboço um sorriso e desejo que tudo corra bem,

encho o peito com muita alegria,

preparo-me para a jornada que a seguir advém.

Dizem-me que o meu olhar recuperou o brilho,

que pestanejo com exaltação,

as palavras são um longo chorillho,

hoje devo estar em dia de negação.

Não me apetecia ter ficado só,

pairava no ar um imenso carinho,

volto para casa e tento desatar o nó,

regresso à solidão que é o meu único caminho.

Há dias em que o muito não chega,

que deviam ter horas infinitas,

entender-me, não há quem se atreva,

gostava de ouvir as palavras que nunca serão ditas.

São tantas as vezes em que penso,

que isto não faz sentido nenhum,

no ar um sentimento intenso

que nunca vai levar a lugar algum.

Passam-se dias, passam-se meses,

desperdiçam-se instantes cruciais,

é por isso que eu digo muitas vezes,

que ter um homem a meu lado: "Nunca mais".

Posso conhecer mais um ou mais mil,

por nenhum me sentirei tão atraída,

escusas-te em te revelar, és vil,

talvez eu seja mesmo pobre e mal agradecida.

Não passo pela vida dos homens,

como uma simples brisa passageira,

são estes os pensamentos que me consomem,

se sou viciante... não faz sentido ver-me nesta desgraceira...

(Mafalda)

23-04-2014 16:31
Livraria Desassossego
Rua de São Bento, 34
1200-815 Lisboa
 
Livraria Nun’Álvares
Rua 5 de Outubro, n.º 59
7300-133 Portalegre
 
Livraria Papelaria 115
Praça 8 de Maio, n.º 29
3000-300 Coimbra
 
Livraria Celas         
Av Calouste Gulbenkian
Centro comercial Primavera, Loja 13          
3000-090 Coimbra
 
Livraria Caminho
Rua Pedro Santarém, n.º 41
2000-223 Santarém
 
Livraria BrincoLivro
Rua Alexandre Herculano, 301
3510 – 038 Viseu
 
Livraria de José Alves
Rua da Fábrica, n.º 74
4050-246 Porto
 
Livraria Esperança
Rua dos Ferreiros, 119
9000-082 Funchal
 
Nazareth e Filho
Praça do Giraldo, 46
7000-406 Évora
 
Livraria Graça
Rua da Junqueira, n.º 46
4490-519 Póvoa do Varzim
 
Aliete S Clara Brito
Avenida 25 de Abril, lote 24 R/C
8500-511 Portimão
 
Livraria Caravana 
Morada Sede: Av. 25 de Abril, Edf. Vila Flôr 6º 
 8100-596 Loulé 
 
Livraria Papelaria Meneses                             
Rua da Sobreira, n.º 206 Paços de Brandão
4535- 297 Aveiro     
 
Livraria Lusíada de Libânio Jorge   
Rua Teófilo Braga nº 110 
8900-333 VILA REAL SANTO ANTONIO  
 
Livraria Oswaldo Sá
Rua 25 de Abril, 435
4710-913 Braga        
           
Livraria Minho Ferreira e Salgado, Lda.
Largo da Senhora-a-Branca, 66
4710-443 Braga
 
 
Está disponível online em chiadoeditora.com, na fnac.pt,  Wook e Bertrand Online.
 
É possível, também, encomendá-lo em qualquer balcão Fnac, Book.it e Bertrand.
 
No Brasil, a obra estará disponível brevemente na rede de livrarias Cultura.
 
22-04-2014 20:17

Estou rendida...

À beleza que o tempo traz,

à conquista de cada instante,

a depressão ficou lá bem para trás

sinto-me num prado muito verdejante.

Talvez por ser Primavera,

todas as flores desabrocham para mim,

nunca deixei de ser quem era,

apenas me rendo ao que o destino me traz por fim.

É a concretização de sonhos antigos,

é a força de novas investidas,

é um constante superar de cenários enegrecidos,

é um acumular de situações muito divertidas.

Como eu queria ter sido sempre desta forma,

alegre, bem disposta e com paixão pela vida,

é certo que nem sempre o universo concorda,

mas nunca mais me darei por vencida.

Hoje é a prova que sou capaz de tudo,

que alcanço sempre o que mais ambiciono,

sou deveras um ser sortudo,

estrela minha que não me remetes ao abandono...

(Mafalda)

22-04-2014 00:02
Beijo cada pedacinho de ti,
sinto o cheiro emanado pelo nosso desejo,
apenas “amar-te” foi a missão com que nasci,
reforço-a sentidamente sempre que te vejo.
 
No meio de lençóis de cetim,
almofadados como mandam as regras,
senti-te entrar dentro de mim
e gritei aos ventos "Porquê tantas esperas?"
 
Numa total confusão de pele,
arquejamos suados e satisfeitos,
é louca a paixão que nos impele,
improvisado foi o nosso leito.
 
Não conseguimos afastar-nos um segundo,
precisamos recuperar o tempo perdido,
acordamos qualquer vizinho defunto,
com a voracidade do nosso amor sentido.
 
Sentir-me em mim é um êxtase total,
penetras-me com furiosa delicadeza,
valeu a espera, afinal,
o teu orgasmo matou a minha tristeza...
 

(Mafalda)

21-04-2014 23:33

Gosto de descansar a minha vista,

de sentir o toque da tua mão,

é difícil haver quem ainda resista

após tantos meses de extrema solidão.

Sinto um formigueiro intenso,

um calor que se entranha em mim,

nunca vai chegar o dia do consenso,

aquele por que ansiamos em cada fim.

Gosto de estar contigo,

apetece-me sempre estar mais um pouco,

não sei se és só meu amigo,

se também nutres um sentimento louco.

Um querer mas não querer,

um desejar mas ficar quieto,

avançar e deitar tudo a perder,

estagnar num momento predileto.

Nada sei sobre este sentimento,

sinto-me uma perfeita ignorante,

aprecio cada momento,

mas fico sempre com uma sensação inebriante.

É a vontade de te tocar,

de te dar um beijo puro,

será que me consegues ajudar,

que um dia me tiras deste apuro.

Nunca é uma palavra proibida,

sabes tu e eu também,

há uma história vivida,

que nem sempre é a que mais nos convém.

Gosto da tua presença,

do calor que emana do teu olhar,

não és minha pertença,

mas eu não sou mulher de me aquietar.

Sinto que sentes o que sinto,

como eu também sinto o que sentes,

com o meu olhar eu não minto,

 o teu sempre revela o que não consentes.

Pouco importa o rumo a tomar,

de pouco vale fazer conjeturas,

contigo atrevo-me a ambicionar

um dia cometer algumas loucuras...

(Mafalda)

20-04-2014 23:25

Preciso de uma musa inspiradora,

que dê sentido ao que eu quero escrever,

talvez me torne numa eterna sonhadora

só para não calar a voz que me permite escrever.

Falar sobre temas banais,

sobre sentimentos e emoções,

sempre escrevi sobre fatos reais,

não sei se consigo escrever sobre meras ilusões.

Vou explorar um novo caminho,

aventurar-me num mundo que ainda desconheço,

mas tudo farei para não me sentir sozinha,

inventarei alento para que nunca esmaeça.

Não será fácil deixar fluir,

quando há entraves ao longo da estrada,

mas já voltei a saber rir,

e ninguém me vai obrigar a ficar calada.

Gritarei ao mundo que não tenho ralações,

que alcancei tudo o que queria ter,

viver na realidade ou viver em ilusões,

a partir de agora terão de ser os leitores a tentar perceber...

(Mafalda)

20-04-2014 23:09

Acabou o tempo em que contava os dias,

em que recordava cada momento passado,

em que me preocupava se vivias

num lugar quente e sem te sentires amargurado.

Acabou o tempo em que pensava no que estarias a fazer,

em que recordava situações por nós vividas,

se terias ou não prazer

e em outras coisas bem mais atrevidas.

Acabou o tempo de viver pelo passado,

passado que passou e que um dia regressou,

o momento certo foi ultrapassado,

do nosso amor apenas a recordação ficou.

Acabou o tempo de sentir,

de me preocupar com os teus problemas constantes,

de pensar se ainda sabes sorrir,

de lutar com os meus sentimentos hesitantes.

Acabou o tempo de olhar para trás,

de pensar no que podia ter vindo a ser,

é muito certo que o tempo sempre nos traz,

a forma certa para conseguirmos esquecer.

Fica tudo o que se passou,

guarda-se a memória que não se consegue apagar,

se um dia muito se sonhou,

noutro dia tudo se viu a desmoronar.

Lamento profundamente,

mas nada mais posso fazer,

amar-te eternamente

seria uma forma de me perder.

Gosto de estar em mim,

de sentir controle sobre as minhas ações,

vai longe o tempo em que vivi assim,

prisioneira das minhas próprias emoções...

(Mafalda)

20-04-2014 18:30
"De manhã escureço
De dia tardo
De tarde anoiteço
De noite ardo.
 
A oeste a morte
Contra quem vivo
Do sul cativo
O este é meu norte.
 
Outros que contem
Passo por passo:
Eu morro ontem
 
Nasço amanhã
Ando onde há espaço:
– Meu tempo é quando."
 
(Vinicius de Moraes)
 
20-04-2014 18:27
"Se não puderes ser um pinheiro, no topo de uma colina,
Sê um arbusto no vale mas sê
O melhor arbusto à margem do regato.
 
Sê um ramo, se não puderes ser uma árvore.
Se não puderes ser um ramo, sê um pouco de relva
E dá alegria a algum caminho.
 
Se não puderes ser uma estrada,
Sê apenas uma senda,
Se não puderes ser o Sol, sê uma estrela.
 
Não é pelo tamanho que terás êxito ou fracasso...
Mas sê o melhor no que quer que sejas."
 
(Pablo Neruda)
 
20-04-2014 18:24

19-04-2014 22:27
"Que a tristeza te convença
Que a saudade não compensa
E que a ausência não dá paz
E o verdadeiro amor de quem se ama
Tece a mesma antiga trama
Que não se desfaz
 
E a coisa mais divina
Que há no mundo
É viver cada segundo
Como nunca mais..."
 
(Vinicius de Moraes)
 
19-04-2014 22:22
"Tenho razão de sentir saudade,
tenho razão de te acusar.
Houve um pacto implícito que rompeste
e sem te despedires foste embora.
Detonaste o pacto.
Detonaste a vida geral, a comum aquiescência
de viver e explorar os rumos de obscuridade
sem prazo sem consulta sem provocação
até o limite das folhas caídas na hora de cair.
 
Antecipaste a hora.
Teu ponteiro enlouqueceu, enlouquecendo nossas horas.
Que poderias ter feito de mais grave
do que o ato sem continuação, o ato em si,
o ato que não ousamos nem sabemos ousar
porque depois dele não há nada?
 
Tenho razão para sentir saudade de ti,
de nossa convivência em falas camaradas,
simples apertar de mãos, nem isso, voz
modulando sílabas conhecidas e banais
que eram sempre certeza e segurança.
 
Sim, tenho saudades.
Sim, acuso-te porque fizeste
o não previsto nas leis da amizade e da natureza
nem nos deixaste sequer o direito de indagar
porque o fizeste, porque te foste"
 
(Carlos Drummond de Andrade)
 
19-04-2014 22:19
"Quando forte a amizade resiste,
Tudo enfrenta e pode superar,
Sei que razão não me assiste
Se pretender algo mais alcançar.
 
Se o meu coração ainda insiste
E muito carinho deseja te dar,
É para que jamais fiques triste,
Sabendo poder comigo contar.
 
Quem te quer bem não desiste,
Não reclama nem vai lamentar,
A felicidade também existe
Ao dar amor sem nada esperar."
 
(Dennys Távora)
 
19-04-2014 22:16
"Nunca fui como todos
Nunca tive muitos amigos
Nunca fui favorita
Nunca fui o que meus pais queriam
 
Nunca tive alguém que amasse
Mas tive somente a mim
A minha absoluta verdade
Meu verdadeiro pensamento
O meu conforto nas horas de sofrimento
 
Não vivo sozinha porque gosto
e sim porque aprendi a ser só..."
 
(Florbela Espanca)
 
19-04-2014 22:14
"Compreendi que viver é ser livre… Que ter amigos é necessário… Que lutar é manter-se vivo… Que pra ser feliz basta querer… Aprendi que o tempo cura… Que magoa passa… Que decepção não mata… Que hoje é reflexo de ontem… Compreendi que podemos chorar sem derramar lagrimas… Que os verdadeiros amigos permanecem… Que dor fortalece… Que vencer engrandece… Aprendi que sonhar não é fantasiar… Que pra sorrir tem que fazer alguém sorrir…Que a beleza não está no que vemos, e sim no que sentimos… Que o valor está na força da conquista… Compreendi que as palavras tem força… Que fazer é melhor que falar… Que o olhar não mente… Que viver é aprender com os erros… Aprendi que tudo depende da vontade… Que o melhor é ser nós mesmos… Que o SEGREDO da vida é VIVER !!!”
 
“E umas das coisas que aprendi é que se deve viver apesar de. Apesar de, se deve comer. Apesar de, se deve amar. Apesar de, se deve morrer. Inclusive muitas vezes é o próprio apesar de que nos empurra para frente. Foi o apesar de que me deu uma angústia que insatisfeita foi criadora de minha própria vida.”
 
(Clarice Lispector)
 
19-04-2014 22:11
"Durante a nossa vida:
 
Conhecemos pessoas que vem e que ficam,
Outras que, vem e passam.
Existem aquelas que,
Vem, ficam e depois de algum tempo se vão.
Mas existem aquelas que vem e se vão com uma enorme vontade de ficar..."
 
(Charles Chaplin)
 
19-04-2014 22:09
"Pode ser que um dia deixemos de nos falar... 
Mas, enquanto houver amizade, 
Faremos as pazes de novo. 
 
Pode ser que um dia o tempo passe... 
Mas, se a amizade permanecer, 
Um de outro se há-de lembrar. 
 
Pode ser que um dia nos afastemos... 
Mas, se formos amigos de verdade, 
A amizade nos reaproximará. 
 
Pode ser que um dia não mais existamos... 
Mas, se ainda sobrar amizade, 
Nasceremos de novo, um para o outro. 
 
Pode ser que um dia tudo acabe... 
Mas, com a amizade construiremos tudo novamente, 
Cada vez de forma diferente. 
Sendo único e inesquecível cada momento 
Que juntos viveremos e nos lembraremos para sempre. 
 
Há duas formas para viver a sua vida: 
Uma é acreditar que não existe milagre. 
A outra é acreditar que todas as coisas são um milagre."
 
(Albert Einstein)
 
19-04-2014 22:05
"Enfim, depois de tanto erro passado 
Tantas retaliações, tanto perigo 
Eis que ressurge noutro o velho amigo 
Nunca perdido, sempre reencontrado.
 
É bom sentá-lo novamente ao lado 
Com olhos que contêm o olhar antigo 
Sempre comigo um pouco atribulado 
E como sempre singular comigo.
 
Um bicho igual a mim, simples e humano 
Sabendo se mover e comover 
E a disfarçar com o meu próprio engano.
 
O amigo: um ser que a vida não explica
Que só se vai ao ver outro nascer
E o espelho de minha alma multiplica..."
 
(Vinicius de Moraes)
 
19-04-2014 11:31

18-04-2014 21:03
"Não é verdade que as pessoas param de perseguir os sonhos porque elas envelhecem, elas envelhecem porque param de perseguir sonhos".
 
"Não acredito em Deus, mas tenho medo dele".
 
"A vida não é mais do que uma contínua sucessão de oportunidades para sobreviver".
 
"A sabedoria é algo que quando nos bate à porta já não nos serve para nada".
 
"Não passes o tempo com alguém que não esteja disposto a passá-lo contigo".
 
"Te amo não por quem tu és, mas por quem sou quando estou contigo".
 
"Ter fama é muito agradável, mas a única coisa ruim é que ela dura 24 horas por dia".
 
"Ninguém merece as tuas lágrimas, mas quem merecê-las não vai fazer você chorar".
 
"O problema com o casamento é que ele termina todas as noites depois de fazer amor, e deve ser reconstruído a cada manhã antes do café".
 
"Rico, não. Eu sou um homem pobre com dinheiro, o que não é a mesma coisa".
 
(Gabriel Garcia Márquez)
 
18-04-2014 18:22
Aos poucos no meio desta grande confusão,
Vou encontrando um pouco de mim,
Viver envolta num constante turbilhão,
Não fazia parte do que imaginei para o meu fim.
 
Eu sei que no meio de tanta gente,
Ainda deve existir mais um reflexo de mim,
Alguém que me envolva num amor ardente
E que não volte a desistir assim.
 
Nos confins deste universo,
Ainda há uma pessoa que pensa como eu,
Posso escrever em prosa ou posso escrever em verso,
Escrevo sempre para quem um dia de mim se esqueceu.
 
Algures neste planeta imenso,
Um dia encontrei a alma que nasceu por me ser destinada,
Vivi com ela um amor tão intenso,
Que me despedaçou totalmente quando fui abandonada...
 
(Mafalda)
 
18-04-2014 18:18
Dedicada, envolvente, sedutora,
Como nada mais consegue ser,
Apaixonada, irresistível, sonhadora…
Inúmeras são as palavras para a descrever.
 
Reflete a dor de quem sabe o que é sofrer,
A paz de quem nada mais tem a perder,
É um reflexo que não se deixa ver,
Quando se aproxima, sinto-me a enlouquecer.
 
Emudeço perante a sua beleza,
Desoriento-me face à sua serenidade,
Há dias em que revela tristeza,
Noutros apenas uma enorme ambiguidade.
 
Está demasiado perto de mim,
Entranhada na minha própria retina,
Quando se solta, por fim,
Tem um efeito como o da morfina.
 
Atenua qualquer dor,
Dá alento e esperança,
Devolve-me todo o calor,
Volto a ser uma mera criança…
 
(Mafalda)
 
17-04-2014 19:38

Tenho uma grande dificuldade,

em escrever sem nada sentir,

chegou o tempo da serenidade,

já não anseio pelo que há-de vir.

Não tenho raivas contidas,

nem orgulhos maltratados,

tornei-me uma pessoa comedida

mas com sentimentos manietados.

Falo sobre mim o tempo inteiro,

sobre coisas fúteis e banais,

aqui o sossego ficou prisioneiro,

fujo sempre das coisas habituais.

Todos os dias há uma nova descoberta,

que me faz crescer mais um bocadinho,

como é bom sentir-me liberta,

já não sentir a falta de nenhum carinho...

(Mafalda)

17-04-2014 19:29

É difícil de digerir,

custa mesmo a acreditar,

mas continuo sempre a sorrir,

não me deixo maltratar.

Arrogância e presunção,

não me assustam com tribunais,

quando sei que tenho razão,

nunca fujo dos animais.

Investem com toda a falta de educação,

(também nada mais deveria esperar),

o sonho é a enorme presunção

que me vão conseguir derrotar.

Venham as feras contra mim,

estarei pronta para as receber,

de que lhes adianta ser assim,

ingénuas ao pensar que vão vencer.

Palavra contra palavra,

diz que disse cansativo,

porque não aceitar que acaba

e não se tornar vingativo...

(Mafalda)

15-04-2014 23:21

Deixei de amar,

deixei de sentir,

perdi alguns leitores

mas novos hão-de vir.

Deixei de sofrer,

de me vir queixar das mágoas,

já não gostam de me ler,

preferem mergulhar noutras águas.

Deixei de me sentir triste,

passei a  viver com prazer,

há um ou outro que ainda resiste,

que gosta de vir aqui saber.

Não podia continuar no mesmo registo,

não fazia sentido algum,

se um homem não quer saber se eu existo,

não serei eu a procurar mais nenhum.

Já disse e repito sempre que for necessário,

estou bem e gosto do que consegui conquistar,

convivo constantemente com o meu amigo imaginário,

se ele existisse seria capaz de o amar.

Está sempre presente para o que é preciso,

não me falta em momento algum,

com ele voltei a soltar o meu riso,

dizer que já não passo sem ele seria um lugar comum.

Mas com toda a minha conquista fui perdendo leitores,

aqueles que me enxugaram  lágrimas sem fim,

entendam, não posso mais falar de amores,

porque esse "amar" já não é palavra para mim.

Congelei o meu coração,

enterrei-o bem longe de qualquer fonte de calor,

vivo numa constante emoção

mas que nunca me causa nenhum dissabor.

Depender de mim para tudo na vida,

é só esse o meu sonho constante,

nunca mais me sentir perdida,

jamais voltar a estar hesitante.

Rejo-me pela minha convicção,

pelos meus valores e desejos sinceros,

atrai-me sentir a sedução

que sempre acompanha sentimentos austeros.

Perdoem-me por já não estar a sofrer,

por não vir aqui com lamúrias constantes,

acreditem em mim e continuem a ler,

quem sabe um dia não voltem as histórias mirabolantes...

(Mafalda)

15-04-2014 22:51

Fui ensinada a acreditar no ser humano,

a ser grata pelo que fazem por mim,

mas por muito que viva vou sempre sofrer o engano

de quem não faz nada para se comportar assim.

De que adianta dar se não se recebe,

 valerá a pena investir na confiança,

há coisas que ninguém percebe,

mas ainda acredito que depois da tempestade vem sempre a bonança.

Ficamos sem reação,

controlamos o instinto de ripostar,

sustemos a respiração,

e tornamo-nos superiores por nada questionar.

Vinganças não fazem parte da minha maneira de ser,

já vou estando habituada a lidar com dissabores,

se ao menos se dessem ao trabalho de me conhecer,

perceberiam que controlo muito bem os meus humores.

Nunca gostei de ultimatos,

principalmente dados por quem não os deve dar,

já não entro em desacatos

e não sou eu que vou ficar a perder.

Tenho pena que assim seja,

que deitem fora uma boa oportunidade,

mas ainda está para nascer quem me veja,

ouvir o que não quero e não reagir em conformidade.

Não sabem viver, são egoístas,

deixam sair comentários inapropriados,

são verdadeiras utopistas

a quem os sonhos vão ser dilacerados.

Querem enfrentar a fera,

atiçam para ver quem tem mais poder,

pensam que vivem numa esfera,

esquecem-se que apenas elas ficam a perder.

Vai uma, vem outra,

vai a outra vem mais uma,

um dia vou ficar rouca,

mas não admito que não me liguem nenhuma.

Há que respeitar quem merece respeito,

dizer "obrigada" quando for para agradecer,

felizmente já não levo nada disto a peito,

só não quero que volte a acontecer.

Se damos tudo o que temos,

se abrimos as portas do nosso coração,

porque ficamos com a sensação de perdermos,

quando recusam a dádiva da nossa mão.

Duas que perderam esta chance,

duas que vão agarrar a oportunidade,

até no trabalho pode haver um romance

tal é a dimensão da sua insanidade...

(Mafalda)

14-04-2014 22:50

14-04-2014 20:42

Sabe-me sempre a pouco,

vá-se lá saber porquê,

considero-me um ser louco,

que deixou de acreditar no que apenas se vê.

Querer-se mais e mais de nada,

é um absurdo que me enlouquece,

aqui permaneço só e abandonada,

à espera do algo que nunca se esvanece.

Estive presente no passado,

estou presente na atualidade,

estarei sempre presente no futuro,

só agora entendo a minha dualidade.

É um querer tudo sem nada querer,

é saber que gosto do que tenho,

é uma vontade louca de me transcender,

é uma incapacidade inata de apurar o engenho.

Começo agora a ter algumas dificuldades,

sozinha não estou a conseguir lá chegar,

talvez sejam estas minhas insanidades,

que me mantêm sempre a capacidade de sonhar.

Sonho com um dia que nunca chega,

com uma noite de tórrida paixão,

cuidado, ninguém se atreva,

a estar perto de mim nesta situação.

Preciso de libertar esta minha loucura,

preciso de arranjar alguém que me agarre,

vivo há muito nesta contínua brandura,

tento vislumbrar se a porta se abre.

Às vezes parece que sim,

às vezes parece que não,

sinto que não estou em mim,

hoje não queria mesmo nada esta minha solidão...

(Mafalda)

13-04-2014 17:39

Adormeci:

Sentei-me para apanhar sol e o cansaço venceu.

Percebi:

Da vida só tira proveito quem deveras o mereceu.

 

Acomodam-se as pessoas em rotinas sem prazer

com receio de perder o conforto que adquiriram,

pessoas com medo da mudança que as faria renascer,

com medo de deixar aqueles por quem um dia sentimentos nutriram.

Agarram-se a coisas materiais,

a pretextos variados,

a comodidades banais,

a angústias infundadas.

Têm medo da solidão,

têm pavor a falhar,

ficam sempre numa prisão,

tal é o medo de arriscar.

Pessoas infelizes que reconhecem a sua covardia,

pessoas frustradas que não sabem por onde ir,

pessoas com medo daquele dia

em que, de vez, terão de partir.

Vivem uma vida inteira sem viver,

são autómatos à espera do dia a seguir,

não conseguem usufruir do prazer,

passam pela vida sem nada sentir.

Destroem a própria vida por medo,

a vida dos que os rodeiam por estagnação,

todos os dias pensam em segredo,

com o derradeiro momento da libertação.

De que adianta viver assim,

como ser feliz de verdade,

"Estou bem", dizem-me a mim,

com os olhos a transbordar de humidade.

Não devia ser possível desperdiçar o que a vida nos dá,

todos deviam ter coragem para lutar,

tenham a noção que ninguém fica por cá,

quer vivam a vida ou a deixem passar...

(Mafalda)

13-04-2014 14:48

Dias de vinte e quatro horas começam a ser curtos,

não tenho conseguido arranjar tempo para escrever,

chego a casa já noite escura,

cansada, exausta, prestes a desfalecer.

Mas depois ando na rua,

com versos a pairar à minha volta,

saio com o sol, entro com a lua,

e as rimas perdem-se na azáfama louca.

Hoje roubei o tempo ao dia,

não vou permitir que nada me distraia,

vou tentar recuperar a minha magia,

vou aqui ficar até que a noite caia...

(Mafalda)

11-04-2014 22:35

Talvez!

Talvez hoje já saiba as razões do porquê,

talvez já entenda as opções tomadas,

"amor é fogo que arde e não se vê",

mesmo quando nos sentimos dilacerados.

Talvez!

Talvez hoje já não constitua surpresa,

talvez já tenha adquirido outra visão,

provavelmente deixei de me sentir presa,

acredito que morreu em mim a emoção.

Talvez!

Talvez um dia volte a acreditar em sonhos,

talvez ainda viva o suficiente para isso,

não voltarei a ter olhos tristonhos,

assumo desde já esse meu compromisso.

Talvez!

Talvez um dia apareça um cavaleiro andante,

montado no seu belo corcel,

que me apanhe numa altura mais angustiante,

e que não me deixe de uma forma cruel.

Talvez!

Talvez um dia pondere voltar a sentir,

mas agora sinto uma forte repulsa,

resta aguardar o que está para vir,

esperar para ver se este coração ainda pulsa...

(Mafalda)

11-04-2014 22:04

É do nosso sangue que sai a poesia,

da dor que sentimos entranhada na pele,

sai uma rima em forma de agonia,

é sempre um sofrimento que nos impele.

Versos chorados,

poemas sofridos,

relacionamentos esgotados,

amores esquecidos.

Deixamos os dedos traçarem o seu próprio caminho,

libertamos emoções sem nada deixar transparecer para quem nos observa,

não há retorno, deixou de haver carinho,

seguimos sem saber o que o futuro nos reserva.

Poesia é lágrima que escorre por um rosto,

é aperto num coração dilacerado,

é a forma mais subtil de um desgosto,

vem da nascente de um amor abandonado.

Escrever para soltar a emoção,

para dizer tudo o que já não se pode dizer,

para libertar o pensamento da confusão,

é o melhor remédio para quem não consegue esquecer...

(Mafalda)

11-04-2014 10:21

Aqui fica mais um convite para o lançamento do meu livro.

Lá vos espero!

Obrigada por me acompanharem neste percurso.

11-04-2014 08:44
"... Não... mas não, não; nunca é tarde para sonhar!...
 
E se aquilo, aquilo que nos dão todos os dias não for coisa que se cheire ou nos deslumbre, que pelo menos nunca abdiquemos de pensar com direito à ironia, ao sonho, ao ser diferente.
 
E será talvez uma forma inteligente de, afinal, nunca... nunca, nunca ser tarde demais para viver, nunca ser tarde demais para perceber, nunca ser tarde demais para exigir, nunca ser tarde demais para ACORDAR. "
 
(Pedro Barroso)
 
09-04-2014 21:16

Abraço o desconhecido,

inalo os odores que me rodeiam,

o fio foi partido,

é de voar que as minhas asas anseiam.

Ano de boa colheita,

dos melhores de que me recordo,

tenho mesmo de estar satisfeita,

isto não é um sonho em que depois acordo.

Ás vezes custa a crer,

nas cambalhotas que a vida pode dar,

nuns dias a sofrer,

noutros com vontade de cantar.

Apetece-me deixar a loucura sair,

ir dançar, pular, saltar,

só de pensar já estou a sorrir,

só de sorrir já me sinto a pairar.

Abraço a vida e o que ela me dá,

finalmente o vento é de feição,

envolvo-me na multidão ao Deus dará,

no meio de tanta gente não há espaço para um trambolhão...

(Mafalda)

09-04-2014 09:26

Há um tempo para tudo na nossa vida,

um tempo de reencontro, 

um tempo de despedida.

Há alturas negras que nos fazem desesperar,

alturas brilhantes que nos fazem continuar.

Existe algures uma razão desconhecida,

que só nos faz sofrer para nos testar,

é uma razão intempestiva

que serve apenas para nos ajudar a superar.

Tudo acontece no tempo certo,

tudo tem uma razão de ser,

nem sempre a vida é um livro aberto,

muitas vezes custa-nos a entender.

Há sempre uma solução,

um novo caminho que se abre perante nós,

depois da fase de negação,

ficamos livres, solta-se-nos a voz.

Gritamos ao mundo que somos independentes,

que estamos aptos para continuar,

superamos amores latentes

à espera de desabrochar...

(Mafalda)

08-04-2014 16:58

Venho sempre aqui para falar,

para dizer o que sai sem som,

eu tento, mas não consigo escutar,

vou aproveitando o que me resta deste dom.

Aqui falo sem pudores,

sem receios de más interpretações,

não é altura para falar de amores,

mas sim de muitas realizações.

Tenho receio que não gostem do meu sucesso,

da forma como consegui superar todas as dificuldades,

sinto que estou no caminho do progresso,

encontro no trajeto muitas afinidades.

Gosto do que tenho neste momento,

nada mais ambiciono conseguir,

não vou voltar à época do lamento,

não consigo estar muito tempo sem me divertir.

Construo cada degrau da minha vida,

sustentada e afincadamente,

ando na rua sem me sentir tolhida,

cabeça erguida muito serenamente.

Da mais profunda tristeza,

nasceu uma nova pessoa,

demorou muito a adquirir a esperteza,

uma vez alcançada não haverá quem a destrua.

Gosto da minha vida simples,

da forma como as coisas estão a correr,

os amores tornam-nos pedintes,

é essa a palavra que jamais posso esquecer...

(Mafalda)

06-04-2014 22:49
"Deixar ir não significa que não se importa com alguém ou alguma coisa mais; é só perceber que a única coisa que realmente tem controlo sobre si mesmo é , o aqui e agora.
 
É um processo necessário de adaptação às realidades em constante mudança de vida – deixando para trás o passado para abrir caminho para o presente.
 
Aqui estão 50 citações recolhidas que vai ajudá-lo a deixar ir o passado e a viver bem o presente com olhos no futuro:
 
- À medida que envelhecemos e mais sábios , começamos a perceber o que precisamos e o que precisamos deixar para trás.  Às vezes, indo embora é um passo em frente.
 
- Nunca vai atingir o que é mesmo capaz se estiver muito apegado às coisas que deveria deixar de ir .
 
- Às vezes há coisas nas nossas vidas que não são destinadas a ficar.  Às vezes as mudanças que não queremos são as mudanças que precisamos para crescer.
 
- Crescimento e mudança pode ser dolorosa , às vezes, mas nada na vida é tão dolorosa como ficar preso onde você não pertence . A parte mais difícil sobre o crescimento está deixando de lado o que você estava acostumado, e seguir em frente com algo que você não é.
 
- Aceitar o que é , deixar ir o que era e ter fé no que poderia ser.
 
- Não tenha medo da mudança.  A mudança acontece por uma razão.  Flua com ela.  Não vai ser fácil, mas vai valer a pena .
 
- Geralmente é bastante difícil deixar ir e seguir em frente , mas uma vez que fizer isso, vai  sentir-se livre e perceber que foi a melhor decisão que já fez .
 
- Nunca deixe o medo decidir o seu futuro.
 
- O medo não existe em qualquer lugar excepto na sua mente.  É difícil seguir o seu coração , mas é uma tragédia deixar que as mentiras de medo impeçam de o fazer.
 
- Não pode sempre esperar o momento perfeito.  Às vezes tem que deixar ir e se atrever a fazê-lo , porque a vida é muito curta para se perguntar o que poderia ter sido.
 
- Não é a mesma pessoa que era há um ano, um mês atrás, ou há uma semana.  Está sempre em crescimento.  Experiências não param.  É a vida em movimento.
 
- Um dos momentos mais gratificantes na vida é quando finalmente encontrar a coragem para deixar ir o que não pode mudar.
 
- Nunca force nada.  Dê a sua melhor tentativa, e em seguida, deixar ser e fluir .  Se for para ser, será.  Não se agarre tanto com as coisas que não pode controlar.
 
- Quando parar de esperar que as pessoas e situações sejam perfeitas, pode começar a apreciá-las por quem e o que eles são.
 
- Viva simplesmente .  Ame generosamente .  Fale com sinceridade.  Respire profundamente .  Faça o seu melhor .  Deixar tudo para os poderes acima de si.
 
- Dar-se e seguir em frente são duas coisas muito diferentes.
 
- Seguindo em frente não significa esquecer , significa que escolheu a felicidade sobre a dor.
 
- Desistir nem sempre significa que é fraco;  às vezes simplesmente significa que é forte o suficiente e inteligente o suficiente para deixar ir e crescer.
 
- Pare de se concentrar no quanto está stressado e se lembrar de como é abençoado .  Poderia ser muito pior.
 
- Tudo o que desmoraliza , deixa ir!  Não precisa que a negatividade seja uma presença na sua vida.
 
- Mantenha a calma e seja positivo.  As coisas boas vão acontecer.
 
- Algumas pessoas podem não suportar que está fazendo um caminho positivo com a sua vida e assim eles vão tentar trazer o passado para conversar consigo.  Não ajude nessa tentativa, reconheça o seu comportamento apenas.  Continue a seguir em frente .
 
- Não importa como vive, alguém vai se decepcionar.  Portanto, apenas viva a sua realidade e verdade e tenha a certeza que não é o único que ficará decepcionado com o final .
 
- Ame-se !  Perdoe-se !  Aceite-se !  Tu és tu e esse é o princípio e o fim – sem desculpas, sem arrependimentos.
 
- Tu és bom o suficiente, inteligente o suficiente , boa o suficiente e forte o suficiente.  Não precisas de outras pessoas para validar-te;  já és valioso. 
 
- Uma das coisas mais libertadoras que aprendemos na vida é que não tem que gostar de todo o mundo , todo mundo não tem que gostar de nós , e é perfeitamente normal que assim seja.
 
- Tente não levar a peito as coisas que as outras pessoas dizem de si.  Se preocupar-se muito com o que as outras pessoas pensam, de certa forma, sempre será o seu próprio prisioneiro .
 
- Às vezes esperamos mais dos outros, porque nós estaríamos dispostos a fazer muito por eles.  Continue a amar. Vai aprender que vale a pena no final.
 
- Nem todo mundo vai apreciar o que faz para ou por eles .  Tem que descobrir o que vale a pena a sua atenção e o que acabou tirando vantagem de si.
 
- Dizer sim a felicidade significa aprender a dizer não para as pessoas e as coisas que te magoam .  Sê sábio o suficiente para andar longe da negatividade.
 
- O que você permitir é o que vai continuar.  É melhor estar sozinho do que permitir que as pessoas negativas e as suas opiniões desviarem do seu destino.
 
- Se sente que o seu navio está afundando , pode ser um bom momento para jogar fora o material que só deu peso para o afundar.  Deixe de lado as pessoas que lhe dão negatividade , e faça rodear-se com aqueles que trazem o melhor de si .
 
- Só porque alguém está na sua vida por muitos anos , não significa que não deve haver um ponto em que finalmente decide deixar ir.
 
- Uma das tarefas mais difíceis na vida é a remoção de alguém do seu coração.
 
- Tem que entender que as pessoas vêm e vão .  É a vida.  Pare de se agarrar aqueles que o libertaram há muito tempo.
 
- Às vezes, nós não perdoamos as pessoas, porque eles merecem.  Nós perdoamos-lhes , porque eles precisam, porque precisamos dele , e porque não podemos deixar ir e seguir em frente sem ele.
 
- O primeiro a pedir desculpas é o mais corajoso .  O primeiro a perdoar é o mais forte .  O primeiro a se mover para a frente é o mais feliz .
 
- Não chore sobre o passado, ele já foi.  Não pode ter stress sobre o futuro, ele não chegou.  Faça o seu melhor para se viver no agora e tornar esse agora, o momento mais bonito.
 
- Sê sábio o suficiente para deixar ir quando deve e forte o suficiente para segurar quando você deve.
 
- Não deixe que as pequenas coisas estúpidas quebrem a sua felicidade.  A verdadeira riqueza é a capacidade de experimentar e apreciar cada momento por que vale a pena .
 
- A vida é muito curta para gastar em guerra consigo mesmo.  Pratique a aceitação e perdão.  Deixando de lado os problemas de ontem é o primeiro passo para a felicidade de hoje.
 
- A preocupação dá as pequenas coisas, uma grande sombra .  No final, pode-se concentrar no que está acabando consigo , ou o que está prendendo ambos.
 
- Preocupações antigas são adiantamentos sobre os problemas que pode nunca ter.  Deixe-os ir.  Hoje é um novo começo ; respire fundo e comece de novo .
 
- Sorria , mesmo quando parece que as coisas estão caindo aos pedaços.  Sorrindo nem sempre significa que está feliz ; às vezes ele simplesmente significa que é forte.
 
- Chega um momento em que tem que parar de pensar nos seus erros e seguir em frente.  Sem arrependimentos na vida – apenas lições que mostrarem o caminho.
 
- Lembre-se dos bons tempos, seja forte em tempos difíceis , amar sempre , rir , muitas vezes , viver honestamente , e ser grato para cada novo dia.
 
- Não pode deixar que um momento menos bom, estrague um aglomeração de bons momentos.  Não deixe que os pequenos dramas parvos de cada dia te derrubar.
 
- Se for diligente e paciente, tudo o que realmente precisa na sua vida virá para si no momento certo .
 
- Tudo vai cair no lugar eventualmente.  Até então, que você pode aprender , rir , muitas vezes , viver os momentos , e sei que é tudo valer a pena ."
 
(Portal do Budismo)
 
06-04-2014 21:47

Insípida está a minha escrita,

desprovida de qualquer sentimento,

a emoção ficou proscrita,

não há espaço para nenhum tormento.

Sai porque tem de sair,

porque me faz falta praticar,

nada sei o que está para vir,

nada existe que seja para ficar.

Perdi a paixão que me alimentava a fluidez,

deixei o sentir  fora de alcance,

agora escrevo com timidez,

já não sei falar sobre romance.

É um exercício novo,

escrever sem interiorizar,

passei a fazer parte do grande povo,

que para escrever tem de inventar.

Será que isto vai correr bem,

que se vai perceber o que quero dizer,

não ficarão as expetativas aquém,

continuarão a visitar-me se eu não sofrer?

Tenho muitas interrogações,

mas não posso sofrer só porque quero,

um dia já arrastei multidões,

que me queriam ajudar no meu desespero.

Agora é a vez de estarmos em paz,

de escrevermos de ânimo leve,

cedo ou tarde sempre se é capaz,

negar isso ninguém se atreve.

Há momentos muito complicados,

há situações que demoram mais a passar,

todos, um dia, estivemos desesperados,

todos, um dia, nos tornamos a levantar.

Tudo é uma questão de tempo,

o tempo  que eu recusava aceitar,

naquela altura estava em sofrimento,

não tinha mais nada em que acreditar.

Mas o tempo tudo resolve,

mesmo que não o aceitemos de imediato,

a vida é cíclica, tudo nos devolve,

pouco a pouco vai acabando o teatro.

Insípida está a minha escrita,

desprovida de penoso afeto,

hoje sinto-me uma mulher rica,

que abraçou um novo projeto...

(Mafalda)

06-04-2014 21:31

Chegou o sol e a brisa quente,

que beijam a minha pele com ternura,

chegou a multidão, o mar de gente,

escondo-me em casa, fujo da rua.

Chegou a boa disposição e a gargalhada,

que envolvem o ser humano,

há uma enorme confusão na estrada,

misturar-me só causaria muito dano.

Agrada-me a privacidade da minha varanda,

aconchego-me na minha espreguiçadeira,

gabo a paciência de quem muito anda,

para ter direito a um lugar na brincadeira.

Não me tirem a  paz que tanto amo,

este sossego sublime de que disfruto,

as multidões desta altura do ano,

alteram este cenário em absoluto...

(Mafalda)

06-04-2014 16:05

A minha vida é um livro aberto,

onde não há palavras a esconder,

um dia atravessei um deserto,

num outro decidi crescer.

Hoje tenho uma vida sossegada,

sem ralações de maior,

ser ou não ser amada,

é coisa a que já não dou valor.

Será o que tiver de ser,

sem qualquer interferência minha,

sinto que não há tempo a perder,

já não tenho medo de estar sozinha..

(Mafalda)

04-04-2014 19:14
"Que estranha fantasia! 
Comprei rosas encarnadas 
às molhadas 
dum vermelho estridente, 
tão rubras como a febre que eu trazia... 
- E vim deitá-las contente 
na minha cama vazia! 
 
Toda a noite me piquei 
nos seus agudos espinhos! 
E toda a noite as beijei 
em desalinhos... 
 
A janela toda aberta 
meu quarto encheu de luar... 
- Na roupa branca de linho, 
as rosas, 
são corações a sangrar... 
 
Morrem as rosas desfolhadas... 
Matei-as! 
Apertadas 
às mãos-cheias! 
 
Alvorada! 
Alvorada! 
Veio despertar-me! 
Vem acordar-me! 
 
Eu vou morrer... 
E não consigo desprender 
dos meus desejos, 
as rosas encarnadas, 
que morrem esfarrapadas, 
na fúria dos meus beijos!"
 
(Judith Teixeira)
 
04-04-2014 19:04
"Eu fui. Mas o que fui já me não lembra: 
Mil camadas de pó disfarçam, véus, 
Estes quarenta rostos desiguais. 
Tão marcados de tempo e macaréus. 
 
Eu sou. Mas o que sou tão pouco é: 
Rã fugida do charco, que saltou, 
E no salto que deu, quanto podia, 
O ar dum outro mundo a rebentou. 
 
Falta ver, se é que falta, o que serei: 
Um rosto recomposto antes do fim, 
Um canto de batráquio, mesmo rouco, 
Uma vida que corra assim-assim."
 
(José Saramago)
 
04-04-2014 19:02
"No coração da mina mais secreta, 
No interior do fruto mais distante, 
Na vibração da nota mais discreta, 
No búzio mais convolto e ressoante, 
 
Na camada mais densa da pintura, 
Na veia que no corpo mais nos sonde, 
Na palavra que diga mais brandura, 
Na raiz que mais desce, mais esconde, 
 
No silêncio mais fundo desta pausa, 
Em que a vida se fez perenidade, 
Procuro a tua mão, decifro a causa 
De querer e não crer, final, intimidade." 
 
(José Saramago)
 
04-04-2014 18:42

Primavera com tão mau tempo,

não dá vontade de fazer nada,

desculpem este meu lamento,

mas começo a ficar cansada.

Preciso de sentir o sol na minha pele,

de sentir o calor que me envolve,

do bom tempo ninguém sabe dele,

o São Pedro definitivamente não se resolve.

O sol traz alegria,

dá vontade de sair para a rua,

de ir apanhar a suave maresia,

de olhar para o céu  e vislumbrar a lua.

Este tempo é depressivo,

já chega de inverno este ano,

do calor o meu corpo é obsessivo,

quando não o sente começa o dano.

Dói aqui, dói ali,

caminha-se para a terapia manual,

em tantos anos que já vivi,

só o sol é a minha terapia natural.

Estou cansada de tanta chuva,

de não ter umas férias na praia,

destinos que me assentam que nem uma luva,

mas sair daqui... não há quem saia!

(Mafalda)

03-04-2014 22:07

Ia a caminhar pela floresta,

tropecei no meu amigo imaginário,

disse-lhe que ele é tudo o que me resta,

que graças a ele fiz feitos extraordinários.

O meu amigo sorriu,

abraçou-me e deu-me um beijo doce,

enquanto me aconchegava partiu,

não sei por onde veio, nem quem o trouxe.

Vim o resto do caminho a pensar,

como é bom ter amigos assim,

não se cansam de me aturar,

estão sempre bem perto de mim.

Tropeço nele em qualquer lugar,

basta pensar que me faz falta,

é um sentimento parecido com "amar",

mais sereno, menos na ribalta.

Adormece comigo todos os dias,

mas quando acordo já não está lá,

englobo-o em todas as categorias,

amigos assim, hoje em dia,  já não há.

Cada vez o procuro mais,

constantemente falo com ele,

as pessoas devem pensar que somos anormais,

somos não, que não conseguem vê-lo.

Passeio e falo "sozinha",

venho para casa e entramos os dois,

vamos logo para a cozinha,

abraçamo-nos e dançamos depois.

Quem olhar através dos vidros,

deve pensar que eu não estou bem,

são momentos deveras divertidos,

da felicidade não ficam nada aquém.

Gosto muito deste meu amigo,

é uma presença sempre constante,

basta sentir-me em perigo

e aparece de uma forma inebriante.

Mas também parte depressa,

deixa-me sempre a falar sozinha,

nunca falta a nenhuma promessa,

é um sossego que se avizinha...

(Mafalda)

03-04-2014 21:28

Se antes pegava numa imagem

e escrevia um poema,

hoje faço uma enorme triagem,

até conseguir uma que se adapte ao meu tema.

Sempre saiu espontâneo

e sem dificuldade alguma,

o poema é momentâneo

mas nem sempre tem a imagem que se adequa.

Fica complicado escrever sempre sobre o mesmo tema,

parece que o mundo só gira à sua volta,

às vezes fico num verdadeiro dilema,

quando o sentimento se aproxima da revolta.

Não gosto de poesia morta,

com frases duras e incisivas,

gosto de ler escrita solta,

onde as palavras nunca são definitivas.

Para que serve a raiva,

a revolta e o mal querer,

pode haver quem não saiba,

mas sobre isso não irei escrever.

Sou incapaz de sentir ódio,

não faz parte da minha pessoa,

nunca sofri qualquer episódio,

não importa o quanto me doa.

Gosto de poesia romântica,

de ler sobre sentimentos nobres,

perdoem-me a modesta semântica,

sentir raiva torna-nos mais pobres.

Terei eu um coração grande,

ou uma grande dose de ingenuidade,

pouco importa por onde ande,

viverei sempre na minha própria serenidade...

(Mafalda)

03-04-2014 21:13

Às vezes é só mesmo isso que me faz falta,

estar sentada no sofá e ter um mimo,

sentir o toque de um abraço,

ser alvo de um gentil carinho.

Apenas ter uma presença,

aninhar-me de encontro a um corpo quente,

é difícil não entrar em demência,

ao imaginar um cenário tão envolvente.

Partilhar um comando de televisão,

espreitar um ecrã de computador,

é só nisso que pesa a minha solidão,

vivo quase sempre num silêncio ensurdecedor.

Sinto mais a falta ao serão,

após todas as movimentações do dia,

por muito que olhe para o meu colchão,

encontro sempre a minha cama vazia.

Ter um jantar a dois,

partilhar um fim de dia,

estar sempre à espera do depois,

mas pelo menos já não estou em agonia.

Só nestes momentos sinto a falta de uma presença,

mas quando a tenho ainda mais falta me faz,

para se saber viver é preciso engenho,

para se ter engenho tem de se estar em paz.

Sem pesos de consciência,

sem valores baralhados,

viver de acordo com a ciência,

não dar os assuntos por terminados.

Deixar sempre aberta a porta da esperança,

para que um dia tudo possa vir a ser real,

vou vivendo nesta grande bonança,

que sempre quis para mim, afinal...

(Mafalda)

02-04-2014 23:43

Brindei a mais uma etapa,

deixei de ter mais uma ralação,

se uma vida me escapa,

deve ser por alguma razão.

Brindo aos sucessos

que brotaram da derrota,

abraço os tetos,

que me acolheram sem pedir nada em troca.

Brindo ao círculo fechado

que está sempre presente,

dou um beijo calado,

mas com o coração muito ardente.

Brindo a projetos abraçados

sem qualquer perspetiva concreta,

aos caminhos traçados,

numa recente descoberta.

Brindo à vida

e ao que ela nos oferece,

vou ser sempre uma amiga,

com uma memória que não esquece.

Brindo a sentimentos tontos

que nos fazem desesperar,

a carinhos prontos

que nos fazem superar.

Brindo a mim,

por tudo o que tenho feito,

vou continuar assim,

com um sorriso satisfeito...

(Mafalda)

02-04-2014 23:34

Há dias que são diferentes

sem motivo algum,

sentirmo-nos envolventes,

pode ser um lugar comum.

Há dias intensos,

sem qualquer razão aparente,

sem momentos tensos,

que surjam de repente.

Há dias bem conseguidos,

sem se fazer por isso,

não estamos esquecidos,

não temos compromissos.

Há dias interessantes

que não deviam ter fim,

com alegria nos instantes,

como gosto de me sentir assim...

(Mafalda)

02-04-2014 18:34

"Every night in my dreams I see you, I feel you.
That is how I know you go on.
Far across the distance and spaces between us
You have come to show you go on.
 
Near, far, wherever you are.
I believe that the heart does go on
Once more, you open the door
And you're here in my heart.
And my heart will go on and on.
 
Love can touch us one time and last for a lifetime
And never let go till we're gone.
Love was when I loved you, one true time I hold to.
In my life we'll always go on.
 
Near, far, wherever you are.
I believe that the heart does go on
Once more, you open the door
And you're here in my heart.
And my heart will go on and on.
 
You're here, there's nothing I fear.
And I know that my heart will go on.
We'll stay forever this way.
You are safe in my heart.
And my heart will go on and on."
 
(Celine Dion)
 

www.youtube.com/watch?v=y9Noh_rv4Uw

01-04-2014 22:22

31-03-2014 20:39

Ando a adiar a minha viagem,

talvez por receio e covardia,

vou ter mesmo de arranjar coragem,

antes que a seguir à noite não venha o dia.

Qual a diferença que faz,

estar sozinha aqui ou num lugar de sonho,

eu sei que seria capaz,

de aproveitar sem um sorriso tristonho.

Vejo programas a toda a hora,

cada qual o que mais me apraz,

eu sei que assim que me for embora,

deixo todo o meu passado para trás.

Tenho que me decidir,

quero sair, preciso de avançar,

sonho com a hora de partir,

não tenho pressa em voltar...

(Mafalda)

31-03-2014 17:18

Uns prometem que cuidarão sempre de nós,

outros cuidam sem nada prometerem,

desculpem se não calo a minha voz,

se esqueço aqueles que um dia se esqueceram.

Uns dizem palavras sentidas,

bonitas para ecoarem nos nossos pensamentos,

outros não fazem quaisquer investidas,

dizem tudo no silêncio dos momentos.

Uns falam muito e agem pouco,

outros não precisam de falar nem de agir,

se eu não tivesse um quê de louca,

com tudo isso não me ia divertir.

As palavras valem o que valem,

muito pouco ou quase nada,

deixai que elas resvalem,

que se destruam  numa boa emboscada.

Para agir não é preciso falar,

para estar presente não é preciso estar ao lado,

duvido que me volte a enganar,

coração meu jamais voltará a sentir-se equivocado...

(Mafalda)

31-03-2014 17:03

Foste:

a lufada de ar fresco numa vida que queimava,

a água tépida na qual eu mergulhava,

a chuva tropical que me refrescava os pensamentos,

o calor abrasador que me acolhia em todos os momentos.

Foste:

a desordem ordenada de uma vida teatral,

a angústia encolhida numa posição fetal,

a lascívia desenfreada por me sentir amada,

a ternura que teimava em não ficar calada.

Foste:

o mundo inteiro para um ser microscópico,

o universo de um amor utópico,

o caos que originou a ordem,

o devaneio que pôs fim à desordem.

Foste:

a loucura sentida por seres irreal,

a doçura contida que nunca nos faz mal,

a paixão descontrolada à espera de voltar,

o amor com juras de nunca acabar.

Foste:

tudo o que podia existir à face da terra,

o mar que se revolta sem ver o que leva,

o furação que fustigou toda uma vida,

o fogo que ardeu no momento da despedida...

(Mafalda)

31-03-2014 16:55

Um dia acordei para a vida,

percebi que voltei a sorrir,

há muito que andava esquecida,

desde o dia em que o vi partir.

Um dia decidi pensar apenas em mim,

nos meus projetos, nos meus planos,

há muito que já não era assim,

desde o tempo em que vivi grandes enganos.

Um dia decidi crescer,

deixar o tempo ensinar-me tudo,

foi então que comecei a perceber,

que não podia perder nem mais um segundo.

No futuro direi muita coisa,

até poderei vir a negar o que agora digo,

felizmente ainda há quem me oiça,

prezo cada vez mais quem se intitula meu amigo...

(Mafalda)

31-03-2014 16:45

Não sei do que sinto mais falta,

se de fazer amor com a pessoa outrora amada,

se um fim de tarde muito bem acompanhada.

Não sei do que preciso mais,

se de um ombro sempre presente,

se de um homem sempre ausente.

Não sei o que me faz mais feliz,

se a vida que consegui conquistar,

se o sentimento que um dia deixei escapar.

Não sei o que mais possa fazer,

se deixar o pensamento voar,

se prender os pés ao chão para não naufragar.

Não sei mais nada

e ao não saber nada, sei tudo,

é melhor ficar bem calada,

antes que volte o semblante sisudo...

(Mafalda)

30-03-2014 18:51

A moleza habita por aqui,

hoje não a consigo combater,

o silêncio que sempre quis,

finalmente conseguiu-me amolecer.

Não tenho vontade para nada,

apenas para dormir e sonhar,

quero permanecer deitada,

até ao momento do sonho realizar.

É o cansaço físico que me visita,

a ressaca depois da festa,

hoje sinto-me esquisita,

deste domingo já pouco resta.

Mas sabe bem não fazer nada,

estar completamente descontraída,

o sossego de poder estar calada,

de toda a dor já estar de saída.

É um dia merecido de descanso,

onde sonho com ilhas tropicais,

um dia sinto que vai haver um avanço,

que vou tornar os meus desejos reais.

Irei partir rumo aos sonhos,

para mergulhar numa água quente,

se os preços não fossem tão medonhos,

trataria disso muito brevemente.

Sinto que estou preparada,

que já posso arriscar a partida,

sozinha, mas não angustiada,

gostava de comprar um bilhete só de ida.

Preciso de sentir o calor do sol,

do sossego de umas férias bem longe,

de escolhas, tenho um rol,

vou pensar nisso a partir de hoje...

(Mafalda)

30-03-2014 18:33
"MANIFESTA-SE A PRÓPRIA BREVIDADE DA VIDA, SEM PENSAR E COM PADECER, ASSALTADA PELA MORTE 
 
Foi sonho ontem:
será amanhã terra;
pouco antes, nada;
pouco depois, fumo; 
e destino ambições,
até presumo 
nem um momento o cerco que me encerra.
 
Breve combate de importuna guerra, 
p'ra defender-me, sou perigo sumo; 
quando com minhas armas me consumo, 
menos me hospeda o corpo, que me enterra.
 
Foi-se o ontem;
amanhã é esperado; 
hoie passa, e é,
e foi com movimento que me conduz à morte despenhado. 
 
Enxadas são a hora e o momento; 
pagas por minha pena e meu cuidado, 
cavam em meu viver meu monumento."
 
(Francisco Quevedo)
 
30-03-2014 18:28
"Os poetas não são azuis nem nada, como pensam alguns supersticiosos, nem sujeitos a ataques súbitos de levitação.
 
O de que eles mais gostam é estar em silêncio - um silêncio que subjaz a quaisquer escapes motorísticos e declamatórios.
 
Um silêncio...
 
Este impoluível silêncio em que escrevo e em que tu me lês."
 
(Mario Quintana)
 
30-03-2014 18:14
"Se me comovesse o amor como me comove a morte dos que amei,
eu viveria feliz.
 
Observo as figueiras,
a sombra dos muros,
o jasmineiro em que ficou gravada a tua mão,
e deixo o dia caminhar por entre veredas,
caminhos perto do rio.
 
Se me comovessem os teus passos entre os outros,
os que se perdem nas ruas, 
os que abandonam a casa e seguem o seu destino,
eu saberia reconhecer o sinal que ninguém encontra,
o medo que ninguém comove.
 
Vejo-te regressar do deserto,
atravessar os templos,
iluminar as varandas,
chegar tarde. 
 
Por isso não me procures,
não me encontres,
não me deixes,
não me conheças.
 
Dá-me apenas o pão,
a palavra,
as coisas possíveis.
 
De longe." 
 
(Francisco José Viegas)
 
30-03-2014 18:10
"Chove. Há silêncio, porque a mesma chuva 
Não faz ruído senão com sossego. 
Chove. O céu dorme. Quando a alma é viúva 
Do que não sabe, o sentimento é cego. 
Chove. Meu ser (quem sou) renego... 
 
Tão calma é a chuva que se solta no ar 
(Nem parece de nuvens) que parece 
Que não é chuva, mas um sussurrar 
Que de si mesmo, ao sussurrar, se esquece. 
Chove. Nada apetece... 
 
Não paira vento, não há céu que eu sinta. 
Chove longínqua e indistintamente, 
Como uma coisa certa que nos minta, 
Como um grande desejo que nos mente. 
Chove. Nada em mim sente..."
 
(Fernando Pessoa)
 
29-03-2014 13:14

Ontem foi um dia feliz,

mas não escrevi nada sobre ele,

não interessa quando se diz,

importa sim falar dele.

Aniversário do meu sangue,

da pessoa mais importante para mim,

por muito que a vida ande,

vai continuar a ser sempre assim.

Escrever um livro,

plantar uma árvore,

são coisas singelas e sem importância,

ter um filho,

é respirar a sua fragância.

Acolher um novo ser,

ensiná-lo a viver,

nunca nada me deu tanto prazer,

como vê-lo continuamente a crescer.

A tornar-se a pessoa que é,

humilde, dedicado, sensível,

temos de ter sempre muita fé,

tornar-lhe a vida muito apetecível.

É a minha maior satisfação,

o motivo do meu orgulho,

sei que se preocupa com a minha solidão,

não devia, já não gosto de barulho.

O barulho das confusões,

da instabilidade emocional,

libertei-me dos grilhões,

da liberdade condicional.

Parabéns por esse dia,

por seres a pessoa que és,

que nunca vivas nenhuma agonia,

que nunca sofras qualquer revés...

(Mafalda)

29-03-2014 13:05

Amores, desamores,

encontros pouco redentores,

voltaram os meus calores,

mas não altero os meus valores.

É um querer e não querer,

um deixar andar sem pressionar,

de nada vai valer,

em nada vai adiantar.

Venham os calores quando quiserem,

da mesma forma que chegam assim se vão,

se neste mundo nada fizerem,

vão acabar sozinhos e sem compaixão.

Como resistem a ler,

como têm paciência para mim,

um dia vou acabar por perceber,

que todo o sentimento tem obrigatoriamente de ter um fim.

Deixa-se cozer em banho Maria,

acalentam-se ideias disparatadas,

acaba por arrefecer, um dia,

perante as circunstâncias mais banalizadas.

A vida é feita desta maneira,

nuns dias chove noutros faz sol,

não devo ter sido eu a primeira

a ser apanhada neste anzol...

(Mafalda)

28-03-2014 23:07

28-03-2014 23:05

Quando a solidão deixa de assustar,

quando gostamos da nossa paz,

o que mais se pode desejar,

do que mais serei capaz.

Quando a rotina nunca é igual,

quando em cada momento surge algo inesperado,

o que mais posso querer afinal,

de que adianta ter desesperado.

Quando sabemos que temos o que precisamos,

quando nos sentimos com força para lutar,

o que mais ambicionamos,

de que mar deixamos de naufragar.

Quando a soma dos nadas nos dá muito,

quando chegamos ao fim do dia exaustos,

o que mais temos no nosso intuito,

de que adianta chamar os arautos.

Quando aprendemos a ser felizes,

quando aproveitamos a intensidade das nossas vidas,

o que mais podemos querer como aprendizes,

de que valem palavras há muito proferidas.

Quando aceitamos a realidade,

quando ela é a nossa principal companhia,

o que fazer com tamanha claridade,

porquê fugir da nossa verdadeira hegemonia...

(Mafalda)

28-03-2014 21:00

De Madrid vieram os ventos que desanuviam,

haja alguém que pense como eu,

quando eu gritava eles não ouviam,

calo agora o que não se perdeu.

Só durou uma semana,

às vezes aparecem alguns percalços,

da fase de angústia e drama,

só restam mesmo poucos rescaldos.

Já rio novamente,

já saio e vou para a rua,

deixem estar este caso dormente,

hoje não sei se ainda serei tua.

Gosto demasiado do meu bem estar,

chamem-me egoísta, ou aquilo que quiserem,

não faz sentido continuar

a ouvir o que sempre me disseram.

Acordo agora e para sempre,

foi a derradeira chance de retorno,

se há uma boca que ainda mente,

foi a que me deixou ao abandono.

Mas eu tenho o melhor da vida,

o meu ombro nunca me falha,

não serei nunca mais uma perdida,

sigo em frente, conforme calha.

Tenho recaídas tontas e descabidas,

que só provam que sou humana,

as minhas palavras são sempre missivas,

mas cada um faz a sua própria cama.

Nada mais a acrescentar,

mais uma vez superei os sonhadores,

virei aqui sempre para falar,

mas espero não ter mais dissabores.

Quando nada se espera é bom sinal,

estamos crescidos e de olhos abertos,

acordamos naquele momento especial,

em que finalmente nos tornamos espertos.

Tenho pena que assim seja,

mas de penas é feito o mundo,

lamento muito que ainda haja,

quem acredite por um segundo...

(Mafalda)

27-03-2014 10:22

27-03-2014 09:37

Uma semana volvida,

desde que tudo se baralhou em mim,

fui ou não esquecida,

ou terei de continuar assim.

Longe da vista, longe do coração,

sempre o disseste com sinceridade,

o que foi feito da nossa paixão,

do teu amor até à eternidade.

Acordo de noite angustiada,

como se chamasses por mim,

já devia estar habituada

a que tudo tem sempre um fim.

Não reagiste, não agradeceste,

não sei se gostaste ou não,

eu sei que não me esqueceste,

mas não queres de volta a minha mão.

Orgulho ou altruísmo,

não sei qual deles o correto,

às vezes um pouco de egoísmo

permite-nos um viver mais concreto.

Eu vivia até te rever,

vivi assim durante muitos anos,

mas ver-te novamente a sofrer,

causou em mim inúmeros danos.

Merecias ter paz,

merecias ter uma vida melhor,

o que fazer quando não se é capaz,

quando não se luta pelo nosso amor.

Não sou convencida,

nem tão pouco tenho a mania,

mas ainda oiço o que ele me dizia,

sobre os anos em que andei arredia.

Erros graves que se cometem,

que nos trazem arrependimento,

situações que se repetem,

e depois acaba por passar o momento.

Eu aqui, apática para o mundo,

tu aí, com uma tristeza brutal,

não devias hesitar, nem por um segundo,

em procurar a tua felicidade real.

Tenho de seguir em frente,

não posso continuar assim,

a minha boca sempre mente

ao dizer que vou declarar um "fim".

Eu digo e redigo,

e volto a dizer,

és tu o meu Amigo,

aquele que nunca quis perder.

Mas não queres, não te atreves,

e eu nada mais posso esperar,

tens uma vida cheia de entraves,

passas todo o tempo a naufragar.

Não quiseste nadar para terra,

continuas em mar revolto,

eu fecho-me na minha esfera,

mas com o coração pouco solto.

A vida é mesmo assim

nada há a fazer quando não se arrisca,

eu tenho de cuidar de mim,

estou a tornar-me novamente arisca.

Estou agressiva para com o mundo,

sem paciência para nada,

malvado foi aquele segundo,

em que te vi de semblante angustiado.

Mexes demasiado comigo,

mas já devia estar habituada,

não posso viver neste perigo,

tenho de aprender a estar preparada...

(Mafalda)

27-03-2014 09:34

Memórias...

De um tempo que passou.

Inglórias...

Pois só a saudade ficou!

(Mafalda)

27-03-2014 09:21

26-03-2014 21:04

25-03-2014 23:04

25-03-2014 22:46

Amanhã não posso continuar assim,

há três dias que não saio de casa,

desde que te vi triste, enfim,

a minha vida sofreu um golpe de asa.

A grande dúvida sobre dar-te o livro,

sempre a preocupação com o ar pesado,

desviei-me por momentos do meu abrigo,

agora preciso de dar o caso por encerrado.

Não posso empreender nesse assunto,

não posso continuar preocupada em demasia,

preciso de regressar ao meu mundo,

preciso de viver na minha eterna fantasia.

Ergam-se as máscaras da felicidade,

da boa disposição permanente,

a minha vontade era fugir desta cidade,

e destruir este sentimento para sempre.

Não posso continuar a pensar,

não te posso provar mais nada,

eu vou sempre aqui ficar,

terás sempre aqui a tua enseada.

Faz o que bem entenderes,

eu farei a minha vida normal,

não tenhas receio de me perderes,

nunca haverá por aqui um amor igual.

Posso sair com quem quiser,

rir, brincar, dançar,

mas tu não tens nada a temer,

porque se nasci foi para te amar.

Tu não queres o meu amor,

mas também não o dou a mais ninguém,

entende, estou cansada desta dor,

preciso vislumbrar mais além.

Não posso, não quero, não devo,

continuar aqui a escrever para ti,

da minha vida só me arrependo,

do tempo em que estive longe de ti.

Mas não mando na tua vontade,

amar é dar asas para partir,

se um dia quiseres a liberdade,

basta dizeres-me que queres vir.

Ontem, hoje e sempre,

não consigo esquecer o que sinto,

mas quando rodeada por muita gente,

ninguém precisa de saber que eu só minto.

Sou tua até à morte,

faça o que fizer entretanto,

acredita que desejo ter a sorte,

de me voltar a sentir alvo do teu encanto.

Mas enquanto isso não acontecer,

vou ter de seguir o meu caminho,

apenas não te posso voltar a ver,

senão regressa todo o meu carinho.

Lançaste-me um feitiço,

fiquei presa desde sempre,

mas se não quebras o enguiço,

tenho de me esconder no meio de toda a gente...

(Mafalda)

25-03-2014 22:44
"De tudo ao meu amor serei atento
Antes, e com tal zelo, e sempre, e tanto
Que mesmo em face do maior encanto
Dele se encante mais meu pensamento.
 
Quero vivê-lo em cada vão momento
E em seu louvor hei de espalhar meu canto
E rir meu riso e derramar meu pranto
Ao seu pesar ou seu contentamento.
 
E assim, quando mais tarde me procure
Quem sabe a morte, angústia de quem vive
Quem sabe a solidão, fim de quem ama
Eu possa me dizer do amor (que tive):
 
Que não seja imortal, posto que é chama
Mas que seja infinito enquanto dure."
 
(Vinicius de Moraes)
 
25-03-2014 21:07

25-03-2014 20:29

Passei a tarde a copiar o que escrevíamos,

a guardar trocas de sentimentos,

há muito que já não o fazia,

hoje apeteceu-me reviver os momentos.

Juras infindáveis de amor eterno,

relatos de duas pessoas apaixonadas,

amor sentido, amor terno,

loucuras de amantes amplamente ovacionadas.

Fico sempre com um nó no peito,

quando revivo o que já não existe,

não encontro um único defeito,

percebe-se bem porque agora andas triste.

Andas tu e ando eu,

vivemos vidas sem as vivermos,

muitas vezes penso que já chega tudo o que se sofreu,

que a estrada da vida leva sempre a caminhos muito ermos.

Como encontrar alguém como nós,

como sair das solidões das nossas almas,

quando sabemos que ali ao lado há quem cale a voz,

e aparente viver uma vida nas calmas.

Aparências, falsidades,

toda a nossa vida foi assim,

avançam as nossas idades,

cada vez estamos mais perto do fim.

É o tempo, o tão afamado tempo,

aquele que nos escorrega por entre os dedos da mão,

vivemos os dois um eterno tormento,

estamos acompanhados mas em solidão.

Tu com a tua família,

eu com os meus amigos,

somos peças de mobília,

mas assim permanecemos dignos.

Aparências, farsas,

é isto o que temos para dar,

abraçamos os comparsas

e recusamo-nos a falar.

Escondemos o que sentimos,

não queremos ser mais recriminados,

sabemos que existimos,

mas estamos acabados.

Tu e eu, eu e tu,

cada um na sua vida oca,

sentimentos fechados num baú,

eu escrevo para não ficar rouca.

Apetece-me gritar aos céus,

exigir explicações plausíveis,

como o faria se não acredito em Deus,

nem em nada inatingível.

Se o que realmente existe é passageiro,

como acreditar em poderes supremos,

como manter o nosso principal companheiro,

e darmo-nos felizes com o que temos.

A vida é madrasta, todos o dizem,

nestas questões tenho mesmo de concordar,

por favor não ajuízem,

um dia vou acabar por me calar...

(Mafalda)

25-03-2014 14:17

Demasiado silêncio,

demasiada serenidade,

aproxima-se o prenúncio

de uma grande instabilidade.

Não te fez qualquer efeito,

não gostaste de o receber,

eu sei porque sinto desse jeito,

poucos são os que me conseguem entender.

Partilhei muitos momentos,

em que a distância não nos separava,

ouvia sempre os teus lamentos,

mesmo estando em casa, parada.

Agora nada sinto,

não mexi com as tuas recordações,

indiferença que pressinto,

ausência de ilusões...

(Mafalda)

25-03-2014 13:57
A meu favor: A Estrela
"Os esforços aportam sorte. Ajuda nos momentos difíceis.  União sentimental com bons auspícios.  Esta carta aporta esperança diante das situações difíceis.  Ajuda de amigos.  Ajuda que chegará quando mais se necessite. Novos planos de futuro."
 
Contra mim: O Julgamento 
"Libertação de preocupações ou de uniões que não sejam boas para o consulente. Amigos que ajudam a sair de problemas. Surpresa agradável. Continuação de um projeto esperado. Cura. Talvez chegue a nós um período de libertação. Libertação de um ambiente ou de uma relação que faziam que o consulente se sentisse preso. Os obstáculos se distanciam e se abrem novas possibilidades.  Feliz desenlace nas tarefas, projetos e estudos."
 
O que devo fazer: Amoroso
"Reencontros afetivos que proporcionam maturidade.  Dificuldade para realizar uma escolha.  Excesso de desejos e caprichos. Necessidade de equilíbrio físico e afetivo.  A intuição ajudará a tomar uma decisão que não pode tardar."
 
O resultado: O Dependurado
"Esforço que será recompensado. Fracasso sentimental. Também pode demonstrar algumas contrariedades da vida, que aportam experiência e que saberá adaptar-se em qualquer situação, de modo que tudo será em seu próprio beneficio espiritual. combinações: Com o Amoroso, relação afetiva que desequilibra a consulente."
 
A síntese: A Roda da Fortuna
"Problemas sentimentais. Caso o consulente acaba por passar por uma situação difícil, se anuncia uma época dourada e vice versa. Transformação iminente ao compreender que, depois de um aparente fracasso, se abre um novo caminho. Superação de provas e necessidade de evolução. O bem-estar dependerá de si mesmo. Deve aproveitar as oportunidades que se apresentem. Combinações: com o Amoroso, situação sentimental enganosa."
 
 
Com base nisto, a minha pergunta foi o que é que ele vai fazer. O que parece?
 
24-03-2014 14:36

A encomenda já foi entregue,

pelo menos valeu porque sorriste,

tens um ar pesado que te carrega,

mas ao ver a oferta não resististe.

Do fundo do meu coração,

nunca te quererei mal na vida,

mas agora não há espaço para nenhuma ilusão,

prefiro arrepender-me do que não tentar esta última investida...

(Mafalda)

24-03-2014 14:33
"Comecei a amar-te no dia em que te abandonei.
 
Foram as palavras dele quando, dez anos depois, a encontrou por mero acaso no café.
 
Ela sorriu, disse-lhe “olá, amo-te” mas os lábios só disseram “olá, está tudo bem?”.
 
Ficaram horas a conversar, até que ele, nestas coisas era sempre ele a perder a vergonha por mais vergonha que tivesse naquilo que tinha feito (como é que fui deixar-te? como fui tão imbecil ao ponto de não perceber que estava em ti tudo o que queria?), lhe disse com toda a naturalidade do mundo que queria levá-la para a cama.
 
Ela primeiro pensou em esbofeteá-lo e depois amá-lo a tarde toda e a noite toda, de seguida pensou em fugir dali e depois amá-lo a tarde toda e a noite toda, e finalmente resolveu não dizer nada e, lentamente, a esconder as lágrimas por dentro dos olhos, abandonou-o da mesma maneira que ele a abandonara uma década antes.
 
Não era uma vingança nem sequer um castigo – apenas percebeu que estava tão perdida dentro do que sentia que tinha de ir para longe dali para ir para dentro de si.
 
Pensou que provavelmente foi isso o que lhe aconteceu naquele dia longínquo em que a deixara, sozinha e esparramada de dor, no chão, para nunca mais voltar.
 
De tudo o que amo és tu o que mais me apaixona.
 
Foram as palavras dela, poucos minutos depois, quando ele, teimoso, a seguiu até ao fundo da rua em hora de ponta.
 
Estavam frente a frente, toda a gente a passar sem perceber que ali se decidia o futuro do mundo.
 
Ele disse: “casei-me com outra para te poder amar em paz”.
 
Ela disse: “casei-me com outro para que houvesse um ruído que te calasse em mim”.
 
Na verdade nem um nem outro disseram nada disso porque nem um nem outro eram poetas.
 
Mas o que as palavras de um (“amo-te como um louco”) e as palavras de outro (“amo-te como uma louca”) disseram foi isso mesmo.
 
A rua parou, então, diante do abraço deles."
 
(Pedro Chagas Freitas)
 
24-03-2014 09:42

Consigo manter a minha fachada,

desde que não te ponha a vista em cima,

se te vejo fico enclausurada,

sem perceber qual de nós é a vítima.

Faltam dois dias para teres o meu livro,

cada vez estou mais ansiosa,

não sei se o vais considerar um amigo,

ou se o vais entender como uma escrita perigosa.

Quando o nosso sangue nos diz para não desistir,

para correr e ir atrás,

não sei se devo sorrir,

ou pensar no mal que isso me faz.

É um querer mas saber que não dá,

é uma vontade que teima em ficar sossegada,

como eu gostava que aparecesses já,

para acabar de vez com toda esta charada.

Sempre dissemos coisas opostas,

que não haveria terceira vez,

que quando tivesses todas as respostas,

voltarias para ficar de vez.

O tempo corre demasiado depressa,

dizem-me que posso morrer esta semana,

mas que tens de saber que ninguém se atravessa

no coração de quem ainda te ama.

É um querer que saibas,

que o que escrevo é para ti,

mas também que não saibas,

porque não posso reviver o que já sofri.

Mas ver-te mal despedaçou-me,

senti o meu mundo a ruir,

o destino baralhou-me,

e agora já não consigo sorrir.

Não posso esperar milagres,

mas penso que é bom sentirmo-nos amados,

não vou esperar que acabes

relacionamentos há muito condenados.

Vou continuar a escrever,

é esta a minha forma de estar contigo,

nada mais irei fazer,

não posso colocar-me mais em perigo.

O sono não me traz tranquilidade,

sonho com o que quero e não quero,

durmo pouco, com tamanha insanidade,

acordo novamente com um sentimento de desespero.

Já tinha passado essa fase,

ou pelo menos pensava que sim,

vou aguardar, já está quase,

novamente vais ter notícias de mim.

Desde já peço desculpa,

pelos danos que te possa causar,

acredita, não é minha culpa,

mas não se calam até eu to fazer chegar.

Entende-o como uma prenda de amor,

como um diário do que te queria ter dito,

tira de mim todo o calor

que te possa proporcionar um futuro bendito.

Nada será novidade para ti,

sabes tudo o que sinto e penso,

sabes que não te esqueci,

sabes que fiquei envolta num nevoeiro denso.

Disfruta, depois da mágoa passar,

usa-o como a tua tónica matinal,

tudo se resume a continuar a amar

quem um dia pôs um ponto final...

(Mafalda)

23-03-2014 22:57

Que presunção a minha,

pensar que ainda te lembras de mim,

que passas cada momento do dia

a recordar o que se passou antes do fim.

Que presunção disparatada,

nunca pensei em a vir a ter,

estou totalmente errada,

tenho de continuar a crescer...

(Mafalda)

23-03-2014 21:49

Nada é o que eu vou esperar,

porque tu não vais entender,

como fui capaz de divulgar,

um passado que não se deixou esquecer.

Nada é o que vou ter,

mas assim não oiço mais sermões,

eu sei que tu vais ler,

mas vais-me chamar alguns palavrões.

Nada é o que vai acontecer,

porque estás amarrado e perdeste a chave,

entretanto vou continuar a viver,

antes que a minha vida se acabe.

Nada é a soma de tudo,

que é igual ao que tenho agora,

considera-te um grande sortudo,

por saberes que alguém ainda te adora.

Nada é tudo o que espero,

e em nada me vou surpreender,

se há dias em que desespero,

outros há em que me recuso a sofrer.

Nada é o que vou fazer,

vou continuar a minha vida tranquila,

já nada mais posso perder,

vivi uma vida feita de argila.

Nada será sempre uma constante minha,

prefiro o nada que a solidão,

pelo menos sou alguém que caminha,

passo a passo, mas com determinação.

Nada é o que tenho desde que partiste,

e nada é o que terei pelo resto da vida,

aos poucos uma pessoa resiste,

devagar deixo de me sentir vencida.

Nada é a soma de tudo,

tudo espremido não dá nada,

vivo livre, contudo,

só presa a um sentimento que nunca acaba...

(Mafalda)

23-03-2014 18:51
"O problema de muitos casais é não terem capacidade para perceber que o melhor que podem fazer por um casal é abandoná-lo.
 
O problema de muitas pessoas é não terem capacidade para perceber que o melhor que podem fazer por uma pessoa é abandoná-la.”
 
(Pedro Chagas Freitas)
 
23-03-2014 18:26
"Say something I'm giving up on you
I'll be the one if you want me to
Anywhere I would've followed you
Say something I'm giving up on you
 
And I
Am feeling so small
It was over my head
I know nothing at all
 
And I
Will stumble and fall
I'm still learning to love
Just starting to crawl
 
Say something I'm giving up on you
I'm sorry that I couldn't get to you
Anywhere I would've followed you
Say something I'm giving up on you
 
And I
Will swallow my pride
You're the one that I love
And I'm saying goodbye
 
Say something I'm giving up on you
And I'm sorry that I couldn't get to you
And anywhere I would've followed you
Say something I'm giving up on you
 
Say something I'm giving up on you
Say something"
 
(A Great Big World & Christina Aguilera)
 
 
23-03-2014 15:16
“Esticar uma corda que já está partida é a maior das seguranças. 
 
O pior que pode acontecer já aconteceu. 
 
Haverá maior independência do que essa? 
 
Quando já perdeste tudo o que tinhas para perder: és invencível.
 
Há dois tipos de invencíveis:
 
os que ganham sempre;
 
e os que perdem sempre.”
 
(Pedro Chagas Freitas)
 
23-03-2014 10:23

Ganham os meus leitores,

com o teu passo pesado,

voltam a sentir os dissabores

de um dia termos acabado.

Como é possível não estar imune,

depois de um ano ter passado,

porque há um sentimento que pune,

porque tenho um coração desesperado.

Eu só queria que estivesses bem,

embora soubesse que ia ser complicado,

mas ver-te assim ficou muito aquém

do que algum dia para ti tinha idealizado.

Pensei que tinhas superado,

que estavas bem e adaptado,

o teu sangue está cada vez mais afastado

e interpretei isso por tu te sentires amado.

Afinal nada é verdade,

tudo continua igual,

alguém te ajude a ver a claridade,

alguém te dê a mão no final...

(Mafalda)

23-03-2014 10:20
"Quando for ao oftalmologista e ele me perguntar o que vejo, mostro uma fotografia tua e vou-me embora, garanto-te.
 
Se tu soubesses que eu te amo, talvez fosse diferente, talvez te deitasses à noite comigo e me deixasses ver-te adormecer, tocar-te no cabelo até ao fundo das lágrimas, trazer a tua cabeça até ao medo dos meus ombros e esperar que a felicidade chegasse enfim.
 
Se tu soubesses que eu te amo, mas tu sabes."
 
(Pedro Chagas Freitas)
 
23-03-2014 10:10

Um, dois, três anos,

passado, presente, futuro,

não consigo viver nos enganos,

preciso de um sentimento maduro.

Porque mexes tanto comigo,

porque não me libertas deste amor,

sinto antes de chegar o perigo,

tenho medo de voltar ao calor.

Criei barreiras geladas,

escondi sentimentos verdadeiros,

emoções que ficaram caladas,

não seremos os últimos nem os primeiros.

Quantas pessoas não existirão,

que escondem o que lhes traz felicidade,

quantos não morrerão

sem terem sequer uma oportunidade.

Nós tivemos duas,

qual delas a mais intensa,

agora perco-me nas ruas,

envolta numa neblina densa.

Não sei para que lado me virar,

se sigo em frente ou volto para trás,

sinto-me novamente a naufragar,

preciso de alcançar o que me apraz.

Mas o que posso fazer,

como evitar novos sofrimentos,

se não te consigo esquecer,

se não acabo com estes lamentos...

(Mafalda)

23-03-2014 10:01

Eu sou tudo o que mostro,

mais aquilo que não se deixa ver,

a mágoa que existe no meu rosto,

é o reflexo de um amor que não se deixa esquecer.

Eu sou tudo o que se vê,

mais aquilo que está escondido,

a dor que aqui se lê,

mostra que afinal nada foi esquecido.

Acusam-me de ser vingativa,

de não querer proporcionar amor,

apenas não quero ser atrevida

e causar-te nova dor.

Eu sou o que sou,

e nada posso fazer,

apetece-me ir mas não vou,

não é justo ter de voltar a sofrer.

Deixo que te entreguem o livro,

mas sei que vais ficar magoado,

eu consegui ser livre,

mas tu permaneces sufocado.

Eu sou a soma dos meus erros,

das minhas dores e indecisões,

não quero criar mais enredos

em volta das minhas ambições.

Até posso querer novos envolvimentos,

mas nenhum deles faria sentido,

penso em ti em todos os momentos,

não sei como tenho conseguido.

Mostro o que sinto,

mas sinto tudo baralhado,

tu sabes que nunca minto,

não devíamos ter acabado...

(Mafalda)

21-03-2014 12:26
"Que nunca te falte a mão que te faz deitar, pois é apenas essa que te fará levantar.
 
Que nunca digas não ao afecto, que nunca deixes um ai por gemer, um ui por gritar.
 
Que nunca abdiques de ir ao que dói só porque dói.
 
Porque viver dói e vale tudo.
 
Porque querer dói e vale tudo.
 
Porque ser dói e vale tudo.
 
Que nunca fiques a meio do que queres todo, que nunca sejas pedaço do que és inteiro.
 
Que percorras com as mãos todas as distâncias, que os teus dedos conheçam todas as estradas.
 
Que afagues com a mão a mão de quem amas, que te sejas a mão afagada da mão que te quer.
 
Que nunca te falte a mão que é capaz de chorar, pois é apenas essa que te fará continuar.
 
Que nunca te falte a mão que te faz deitar, pois é apenas essa que te fará levantar."
 
(Pedro Chagas Freitas)
 
20-03-2014 14:52

Hoje se alguém me abraçar,

vou sentir um peso brutal,

vou desatar a chorar,

vou acatar o que não é real.

Não posso estar com ninguém,

apetece-me fugir deste planeta,

vou esperar por quem não vem,

esta vida é uma treta.

Como é possível sentir-me assim,

tenho andado a enganar todo o mundo,

pior é que também me enganei a mim,

ao dizer que aquele amor estava moribundo.

O destino baralha-me sempre a vida,

tenho no peito um nó muito apertado,

dizem-me para dar uma de aparecida,

dizem-me para não deixar o amor de lado.

Querem que eu vá à luta,

que batalhe pelo amor que sinto,

não tenho mais força para ser astuta,

acomodo-me à vida de uma forma sucinta.

Não faria sentido ser eu a procurar,

embora não pare de pensar em o fazer,

talvez um livro fazer-lhe chegar,

podia ser que o gostasse de ler.

Pelo menos não se sentiria tão só,

perceberia que alguém ainda se preocupa,

olhar para ele deu-me tanto dó,

que sinto que estou a ficar maluca.

Como explicar isto a alguém,

como assumir que tenho um sonho inglório,

as atitudes ficariam muito aquém,

para quem já me considera uma vitória.

Não, isto tem de passar,

não posso continuar a pensar,

sobre pena de me desgastar,

e acabar por desesperar...

(Mafalda)

20-03-2014 13:50

Que raiva eu tenho de mim,

de questionar tudo o que pensei ter conseguido,

um dia teria de te rever, enfim,

e perceber que nada foi esquecido.

Há um amigo que diz que estou em fase de negação,

que basta um sinal e eu vou a correr,

malvada a hora em que temos um coração,

não me posso permitir voltar a sofrer.

Mas a tua imagem não me sai da retina,

o teu passo desnorteado e sem um rumo definido,

continuas a fazer o mesmo caminho até à esquina,

continuas a esperar que eu esteja algures escondida.

Mas hoje não consegui evitar,

quis o destino que nos cruzássemos um ano depois,

felizmente tu não estavas numa de reparar,

eu não sei o que podia acontecer se olhássemos os dois.

Que treta, já não sei o que pensar,

tudo se baralha e volta a baralhar,

vou-me obrigar a aqui ficar,

tu até podes querer, mas nada tens para me dar...

(Mafalda)

20-03-2014 13:37

De que adiantaria eu aparecer,

porque teria eu tal ato desesperado,

fiz tudo para te esquecer,

para seguir em frente e esquecer o passado.

Parecemos dois putos de escola,

em que nenhum quer dar o passo seguinte,

não é orgulho, mas não gosto de esmolas,

não tenho mais paciência para virar pedinte.

Procura-me se me quiseres,

contacta-me se precisares de mim,

hoje tenho de arranjar inúmeros afazeres,

para esquecer que te vi assim...

(Mafalda)

20-03-2014 13:33

Carregas nos ombros o peso do mundo,

o mundo em que optaste ficar,

trocavas tudo por um segundo,

o segundo em que me pudesses avistar.

Mas o peso não te deixa ver,

não te faz olhar em volta,

o teu andar revela o teu sofrer,

o teu peso é a tua revolta....

(Mafalda)

19-03-2014 20:46
"Gosto das bebidas mais fortes, dos amores mais loucos, dos pensamentos mais complexos e dos sentimentos mais intensos.
 
Tenho um apetite voraz e os delírios mais doidos
 
Você pode até me empurrar do penhasco e eu vou dizer: E DAÍ? EU ADOROO VOAR!
 
Eu não pretendo passar pela vida na ponta dos pés, sem fazer barulho.
 
Se as pessoas que falam mal de mim soubessem o que eu penso delas, ficariam caladas.
 
Vivo cada dia como se fosse o último e faço tudo com a máxima intensidade e paixão possível.
 
Acredito no amor que completa e não naquele que procura impor suas vontades."
 
(Clarice Lispector)
 
19-03-2014 20:42
"O amor eterno é o amor impossível.
 
Os amores possíveis começam a morrer no dia em que se concretizam."
 
(Eça de Queiroz)
 
19-03-2014 20:40
"Eu acredito em amores eternos, daqueles que acompanham a gente pela vida inteira, como se tempo e amor se fundissem num só elemento, tornando-se imutáveis, indestrutíveis.
 
Eu acredito em amores eternos, daqueles que vão com você para qualquer lugar, não importando o quão distante você esteja, por que a pessoa amada reside em seu próprio coração.
 
Acredito em amores eternos e sublimes, capazes de reconsiderar tudo, com suavidade, ternura e perdão.
 
Acredito, sim, em amores para toda a vida, e além da vida, pois seria um tipo de amor unido à própria alma, e sem alma a vida não tem razão...
 
Amores eternos existem sim, e superam qualquer coisa, mesmo quando ninguém mais acredita neles, eles continuam sempre à espreita, esperando apenas um olhar, um retorno, uma reconciliação."
 
(Augusto Branco)
 
19-03-2014 20:17

Se antes soubesse o que agora sei,

faria tudo da mesma maneira,

mas se caí foi porque errei,

sofri mais na segunda do que na primeira.

A idade devia trazer esperteza,

devia ensinar a ter lucidez,

pensamos fazer parte da realeza,

e acabamos numa profunda estupidez.

Ser crédula e confiante,

entregar o corpo e a alma,

sentir que me podia sentir radiante,

que sempre transmitia um mar de calma.

A idade deixa-nos desprotegidos,

temos medo de não conseguir recuperar,

nos amores podemos ser vencidos

mas temos uma enorme capacidade de aguentar.

Suportamos até à exaustão,

batalhamos, sangramos, vencemos,

devagar chega a realização,

e tudo o resto, nós esquecemos.

Mudamos o rumo dos nossos pensamentos,

damos valor ao que realmente o merece,

as gargalhadas superam os lamentos,

o que está longe, aos poucos, se esquece.

Importa apenas o momento presente,

ninguém sabe o seu prazo de vida,

a carta da morte não traz remetente,

não há forma de ser devolvida...

(Mafalda)

19-03-2014 20:00

De repente volto ao passado,

a um em que fui esquecida,

nunca foi um assunto encerrado,

nem nunca me dei por vencida.

Havia um carinho especial,

que foi guardado a sete chaves,

não deu certo afinal,

mas porquê, só tu sabes.

Era demasiado "mulher"

para quem ainda queria viver a vida,

acabei por me perder,

durante anos permaneci adormecida.

Quis o destino que nos reencontrássemos,

que aumentassem os sentimentos entre nós,

quis o destino que nos abandonássemos,

mas que tivessemos medo de soltar a nossa voz.

O que se poderia dizer,

quando não há necessidade de palavras,

o que se poderia fazer,

para contrariar o que tu nunca acabas.

Volto a um passado distante,

ao passado que nunca passou,

há um sentimento muito hesitante,

dentro de nós algo ficou...

(Mafalda)

www.youtube.com/watch?v=-su9yy_-1Zg

17-03-2014 20:54

Relaciono-me muito mal com a dor,

transtorna a minha capacidade de viver.

Já não tenho paciência para ter dor,

o que eu não daria para não a voltar a ter.

Estou saturada de dor,

merecia já ter acabado o meu tempo de sofrer.

Não gosto nada de sentir dor,

só faz com que me apeteça desaparecer.

É complicado ser feliz com dor,

entra-se num verdadeiro estado de torpor...

(Mafalda)

17-03-2014 20:52

"És a pessoa mais importante da tua vida.

Só quando entenderes limpidamente isso – e agires em função desse entendimento – é que poderás estar à altura de seres a segunda pessoa mais importante da vida de alguém."
 
(Pedro Chagas Freitas)
 
17-03-2014 20:32

Acusam-me de provocar estragos,

sem eu ter intervenção alguma,

se alguém vive tempos amargos,

eu sei que não tenho culpa nenhuma.

Como posso provocar danos,

se desapareci da face da terra,

só podem ser graves enganos

de quem não sabe e desespera.

Estou longe, estou afastada,

não tenho qualquer intervenção,

se existe uma pessoa desgastada,

não sou eu que causo essa confusão.

Quando se cai é preciso força,

há que superar as contrariedades,

não existe nenhum motivo de troça,

nunca desejei nenhumas adversidades.

Afasto-me de quem posso prejudicar,

agora não me acusem de fracassos,

não chega o ficarem a olhar

com os pensamentos totalmente devassos.

Há que provar o que se vale,

lutar pelo que se quer,

se há quem com isso não se rale,

apenas lhe resta a palavra perder.

Mas não me acusem a mim,

pelos fracassos alcançados,

ficarei para sempre assim,

com os meus pensamentos muito recatados.

Assumam as consequências dos vossos atos,

não imputem culpas aos outros,

não entrem em desacatos,

não tenham pensamentos loucos.

Nada mais me podia faltar,

incomodarem a minha serenidade,

eu não tenho mais nada a censurar,

troquei um sonho pela tranquilidade.

A vontade de vencer não é para todos,

não é distribuída de forma igual,

passei dias a chorar a rodos,

mas nunca implorei um amor em fase final.

O karma é um bicho tramado,

não tenho culpa das conjugações supremas,

um ano certo depois de ter acabado,

alguém vai pegar num papel e traçar novos esquemas.

Mas eu aqui permanecerei,

serena e descansada,

se outrora muito me irei,

agora sinto-me totalmente adaptada.

Não me falta nada do que importa,

paixões são bens acessórios,

se há quem não passe da cepa torta,

não é por eu ter dons adivinhatórios.

É a realidade que alguns não querem ver,

é a objetividade de análise de uma pessoa,

eu sei que haverá um novo sofrer,

mas quem ama sempre perdoa...

(Mafalda)

17-03-2014 19:59

Antecipam-se partidas,

criam-se tristezas infindáveis,

dizem-se palavras sentidas,

entendem-se enigmas indecifráveis.

A dor que uma partida traz,

é algo que não tem explicação,

e depois como é que se faz,

a quem é que vamos dar a mão.

Nunca gostei de partidas,

quando as pessoas me são chegadas,

apesar de nunca esquecidas,

ficam sempre muito afastadas.

Parte sempre quem eu mais amo,

por doença ou por opção,

de que adianta o que lhe chamo,

se é amizade ou se é outra emoção.

Sei que nunca ficam por perto,

o tempo que é necessário,

volta-se a atravessar o deserto,

volta a aparecer o amigo imaginário.

Aquele que nunca nos deixa,

que está sempre disponível para nós,

às vezes gostava de me tornar numa geisha,

seria a maneira de nunca voltar a estar só...

(Mafalda)

16-03-2014 21:52

"Noventa por cento das pessoas ocupam o tempo a queixar-se de que não conseguem fazer algo que já teriam feito se não tivessem ocupado o tempo a queixar-se."

(Pedro Chagas Freitas)
16-03-2014 20:49

Passamos anos a tentar entender os motivos,

parecemos crianças com avidez de conhecimento,

porquê, porquê,  são palavras repetitivas,

que baralham todo o nosso discernimento.

Cada pessoa terá as suas próprias razões,

que por vezes pode não querer revelar,

não há uma forma única de responder às questões,

cabe-nos a nós simplesmente aceitar.

De nada adianta querer saber tudo,

nunca chegaremos a um conhecimento total,

podemos esperar, contudo,

e pouco a pouco chegar a um ideal.

O ideal de nada querer saber,

de respeitarmos a privacidade de cada um,

de não tentar desesperadamente perceber,

o que não nos traz benefício algum.

Viver sem questionar,

aceitar, mesmo não entendendo,

seguir sem hesitar,

tudo se resume a... ir vivendo!

(Mafalda)

16-03-2014 20:26

Como saber o que escrever,

quando já não se sente mais nada,

quando parou o que fazia sofrer,

quando sinto que fico bem se estiver calada.

Como tirar da minha imaginação,

frases sentidas e verdadeiras,

quando fechei o meu coração

como quem fecha todas as torneiras.

Como deixar sentimentos fluir,

como libertar emoções já esquecidas,

às vezes desato-me a rir

por ter escrito tantas coisas sofridas.

Se fosse eu a ler o que escrevo,

perderia a paciência rapidamente,

pintei o mundo de negro,

teve de passar a cores muito sabiamente.

Sempre disse que um poeta tem de sofrer,

de ter paixões impossíveis,

só assim consegue escrever,

mostrando situações inverosímeis.

Quando se instala um vazio saudável,

quando não há amarras nem prisões,

como não utilizar esse terreno arável

para evitar sofrer novas desilusões.

Há um sentimento de dever cumprido,

de em pouco ter falhado,

vivo com o dado adquirido,

de ter feito bem em não ter ficado.

Mas depois vem esta dificuldade,

olhar para um ecrã e não ter dores para contar,

sem dúvida que com o passar da idade,

mais cedo ou mais tarde, deixamos de acreditar.

Poesia é mágoa, é dor,

é a tristeza de um coração ferido,

quando já não se sente o amor,

o verso teima em ficar esquecido.

Vida facilitada tem quem escreve ficção,

quem não fala da sua história de vida,

valerá a pena sofrer tanta desilusão,

não será melhor continuar a sentir-me viva...

(Mafalda)

16-03-2014 20:21
"Há palavras que nos beijam 
Como se tivessem boca. 
Palavras de amor, de esperança, 
De imenso amor, de esperança louca. 
 
Palavras nuas que beijas 
Quando a noite perde o rosto; 
Palavras que se recusam 
Aos muros do teu desgosto. 
 
De repente coloridas 
Entre palavras sem cor, 
Esperadas inesperadas 
Como a poesia ou o amor. 
 
(O nome de quem se ama 
Letra a letra revelado 
No mármore distraído 
No papel abandonado) 
 
Palavras que nos transportam 
Aonde a noite é mais forte, 
Ao silêncio dos amantes 
Abraçados contra a morte." 
 
(Alexandre O'Neill)
 
16-03-2014 09:41
"Turn around, every now and then
I get a little bit lonely and you're never coming round
Turn around, every now and then
I get a little bit tired of listening to the sound of my tears
 
Turn around, every now and then
I get a little bit nervous that the best of all the years have gone by
Turn around, every now and then
I get a little bit terrified and then I see the look in your eyes
 
Turn around, bright eyes
Every now and then I fall apart
Turn around, bright eyes
Every now and then I fall apart
 
Turn around, every now and then
I get a little bit restless and I dream of something wild
Turnaround, every now and then
I get a little bit helpless and I'm lying like a child in your arms
 
Turn around, every now and then
I get a little bit angry and I know I've got to get out and cry
Turnaround, every now and then
I get a little bit terrified but then I see the look in your eyes
 
Turn around bright eyes
Every now and then I fall apart
Turnaround bright eyes
Every now and then I fall apart
 
And I need you now tonight
And I need you more than ever
And if you only hold me tight
We'll be holding on forever
 
And we'll only be making it right
'Cause we'll never be wrong
 
Together we can take it to the end of the line
Your love is like a shadow on me all of the time
I don't know what to do and I'm always in the dark
We're living in a powder keg and giving off sparks
 
I really need you tonight
Forever's gonna to start tonight
Forever's gonna to start tonight
 
Once upon a time I was falling in love
Now I'm only falling apart
There's nothing I can do
A total eclipse of the heart
 
Once upon a time there was light in my life
But now there's only love in the dark
Nothing I can say
A total eclipse of the heart
 
Turn around, bright eyes
Turn around, bright eyes
 
Turn around, every now and then
I know you'll never be the boy you always wanted to be
Turn around, every now and then
I know you'll always be the only boy who wanted me the way that I am
 
Turn around, every now and then
I know there's no one in the universe as magical and wondrous as you
Turn around, every now and then
I know there's nothing any better, there's nothing that I just wouldn't do
 
Turn around bright eyes
Every now and then I fall apart
Turn around bright eyes
Every now and then I fall apart
 
And I need you now tonight
And I need you more than ever
And if you'll only hold me tight
We'll be holding on forever
 
And we'll only be making it right
'Cause we'll never be wrong
 
Together we can take it to the end of the line
Your love is like a shadow on me all of the time
I don't know what to do, I'm always in the dark
We're living in a powder keg and giving off sparks
 
I really need you tonight
Forever's gonna start tonight
Forever's gonna start tonight
 
Once upon a time I was falling in love
Now I'm only falling apart
There's nothing I can do
A total eclipse of the heart
 
Once upon a time there was light in my life
But now there's only love in the dark
Nothing I can say
A total eclipse of the heart
 
A total eclipse of the heart
A total eclipse of the heart
Turn around, bright eyes
Turn around, bright eyes
 
Turn around"
 
(Bonnie Tyler)
 

16-03-2014 09:39
"Mal nos conhecemos
Inaugurámos a palavra «amigo».
 
«Amigo» é um sorriso
De boca em boca,
Um olhar bem limpo,
Uma casa, mesmo modesta, que se oferece,
Um coração pronto a pulsar
Na nossa mão!
 
«Amigo» (recordam-se, vocês aí,
Escrupulosos detritos?)
«Amigo» é o contrário de inimigo!
«Amigo» é o erro corrigido,
 
Não o erro perseguido, explorado,
É a verdade partilhada, praticada.
 
«Amigo» é a solidão derrotada!
 
«Amigo» é uma grande tarefa,
Um trabalho sem fim,
Um espaço útil, um tempo fértil,
«Amigo» vai ser, é já uma grande festa!"
 
 
(Alexandre O’Neill)
 
15-03-2014 20:39

15-03-2014 20:21

Há uma menina irreverente dentro da mulher que sou,

ela tem vontade de fazer muitas asneiras,

é uma menina que deixou marcas por onde passou,

mas que ainda sabe aproveitar as boas brincadeiras.

Menina irrequieta que habita em mim,

não dá descanso a um corpo já cansado,

menina que gosta de beber um bom gin,

mas que não gosta de fazer o que é mais adequado.

O recato não faz parte do seu vocabulário,

não conhece a palavra contenção,

o seu maior gozo diário

é ir-se aconchegando com quem lhe dá a mão.

Menina que gosta de viver,

de beber uns copos e de se divertir,

menina que demorou a aprender

que a vida está constantemente a florir.

Esta menina desacomodada

vai dar cabo da minha pessoa,

ela não sabe estar calada,

ela fala e há sempre um eco que ressoa.

Mas a menina está feliz,

aproveita agora o que durante muito tempo não gozou,

não vai deixar criar mais nenhuma raiz,

a fase da paixão finalmente passou!

(Mafalda)

15-03-2014 20:10

A bela da lua cheia,

o belo final de tarde quente,

quem diz que a vida é feia,

está muito enganado, só mente.

Acaba o sossego da minha zona,

quando começam os dias soalheiros,

alheia ao rebuliço que anda à tona,

nem sequer reparo nos que são pioneiros.

Sede de calor,

sede de praias de águas gélidas,

todos querem sair do torpor,

esquecer as épocas fétidas.

Venham todos para a rua,

saiam dos centros comerciais,

a brisa serve-se nua,

há que aproveitar os arraiais.

A natureza é como um animal,

dá-nos tudo sem nada cobrar,

porque nos queixamos, afinal,

só temos de saber aproveitar.

Não me canso da vista privilegiada,

não me saturo de poder finalmente descansar,

pouco me importa se não sou verdadeiramente amada,

em nada me rala não ouvir a campainha tocar.

Isto ninguém me vai tirar,

só o vou perder quando morrer,

que bom é já conseguir apreciar

tudo o que a natureza tem para me oferecer...

(Mafalda)

14-03-2014 19:31

Qual a melhor forma de esquecer um passado,

de viver um presente sem pensar num futuro,

acreditem que muitas vezes me tenho deparado

com a sensação de estar a roer um osso duro.

É sempre esse o nosso erro,

querer esquecer o que não tem esquecimento possível,

querer fechar essa caixa com um forte prego,

como se isso fosse uma solução verossímil.

Passado é passado,

faz parte de nós como pessoas,

tentar apagá-lo é um ato desesperado,

temos de manter dele apenas as coisas boas.

Viver o presente como se não houvesse futuro,

tem sido essa a minha grande satisfação,

sei que em muitas memórias perduro,

mas nenhuma memória me dá a mão.

Pouco importa se estou só,

não me sinto nada desacompanhada,

o meu passado começa a ter manchas de pó,

gosto de viver desta forma desenfreada.

Sem compromissos,

sem regras,

sem enguiços,

sem esperas.

Não me assusta a vida social intensa,

não me incomoda o que os outros possam pensar,

deixei de andar sempre tensa,

aprendi de novo a caminhar...

(Mafalda)

14-03-2014 19:25
"A felicidade não pertence aos que vivem melhor.
 
A felicidade pertence aos que esquecem melhor.
 
(Lembra-te sempre disso)."
 
Pedro Chagas Freitas
 
14-03-2014 19:19

Euforia,

depressão,

alegria,

desilusão.

Escrever versos sem fim,

usar todos os temas que existem,

a poesia é mesmo assim,

mas são poucos os que a ela resistem.

Melancolia,

solidão,

agonia,

deceção.

Escrever rimas sem nexo,

idealizar situações aprazíveis,

tudo para atingir um sucesso,

que compense emoções falíveis.

Amargura,

insensibilidade,

secura,

inacessibilidade.

Escrever poemas sem sentido,

ora querer ora não querer,

enquanto uns andam divertidos,

outros passam o tempo a sofrer.

Expetativa,

esperança,

sem alternativa,

chega sempre a temperança.

Escrevo poesia sem ser poeta,

outros são e não a escrevem,

esqueci uma fantasia obsoleta,

poucos são os versos que agora se percebem...

(Mafalda)

14-03-2014 17:30

14-03-2014 17:22
"A realidade não é o que acontece à tua volta. A realidade é o que te acontece à tua volta.
 
Se adoras sol e está a chover, tens duas possibilidades: ficar deprimido e triste e escurecido por dentro porque está a chover e adorares sol; ou passares a adorar chuva e ficares feliz por estar a acontecer algo de que gostas tanto.
 
Não há, na essência, acontecimentos potenciadores de só dor e acontecimentos potenciadores de só felicidade.
No limite: não há acontecimentos potenciadores do que quer que seja. És tu quem potencia ou despotencia os acontecimentos que te acontecem.
 
Os acontecimentos não acontecem sobre ti – os acontecimentos acontecem sob ti.
 
Tudo o que acontece acontece-te. Porque só acontece depois de te ter acontecido. Se não te aconteceu: não aconteceu.
 
Se ganhaste o Euromilhões e nunca soubeste que ganhaste o Euromilhões: nunca ganhaste o Euromilhões. Se nunca ganhaste o Euromilhões e acreditas que ganhaste o Euromilhões: ganhaste o Euromilhões.
 
Agora pensa: ganhar o Euromilhões é sentir ganhar o Euromilhões. É sentires, dentro de ti, o Euromilhões.
 
Não são as notas que te fazem feliz, não é a vitória que te faz feliz. És tu quem te faz feliz. És tu o teu Euromilhões.
 
É bom que apostes, todas as semanas da tua vida, todos os dias da tua vida, tudo o que tens em tudo o que és.
 
Porque és tu tudo o que tens."
 
(Pedro Chagas Freitas)
 
Itens: 1 - 506 de 506